Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Um escândalo internacional: o cartel do câmbio

Por Redação

19 de novembro de 2015 : 14h49

A coluna econômica do jornalista Luís Nassif desta quinta-feira (19) fala justamente do escândalo da manipulação da taxa de câmbio do Real por alguns dos maiores bancos internacionais. Recomendo a leitura.

***

Um escândalo internacional: o cartel do câmbio

por Luís Nassif, no GGN

Um escândalo de proporções internacionais coloca frente a frente o CADE (Conselho Administrativo de Direito Econômico) e o Banco Central, em torno de um cartel internacional especializado em manipular cotações de moedas.

O caso foi descoberto nos Estados Unidos e envolve grandes bancos internacionais com atuação no mercado brasileiro.

Por volta de julho passado, os primeiros acusados assinaram um acordo de leniência com autoridades norte-americanas. Trinta dias após as autoridades norte-americanas anunciarem os acordos, foi assinado o acordo de leniência com o primeiro banco disposto a receber os benefícios da delação premiada.

Como o cartel atuava em âmbito internacional, é comum que as empresas negociem concomitantemente acordos de leniência com as autoridades de cada país onde se deu o crime.

No Brasil, só a primeira empresa a aderir tem os benefícios integrais do acordo – caso entregue informações relevantes sobre a atuação do cartel. Quem vier depois, terá direito apenas à redução de multas, no caso de apresentarem provas consistentes sobre as operações.

***

Feito o acordo, juntaram-se os especialistas do CADE e do Bacen para apurar a natureza do crime.

Os dados levantados até agora dizem respeito à conduta praticada lá fora, nos chamados mercados offshore, tanto à vista como nos mercados futuros. Mas há indícios eloquentes de prejuízos a clientes brasileiros.

***

Os indícios iniciais apontam que havia conluio tanto para fixar spreads (a parcela do banco em cada operação) quanto manipular índices de referência – fundamentalmente o índice Reuters, o do Banco Central Europeu e a nossa PTAX (o dólar de referência para as operações de mercado). Investiga-se se essas manipulações responderam pela apreciação artificial do real no mercado de câmbio.

Se comprovada, abre espaço para ações gigantescas de indenização. Mas, por enquanto, não existem evidências a esse respeito.

Em relação à PTAX, o BC diz que seria difícil manipular o índice internamente, já que ele se baseia em consulta a um universo maior de operadores. Mas apenas as investigações dirão.

***

O cartel atuava com clientes de várias nacionalidades, incluindo brasileiros – o que justifica a entrada do CADE e do BC nas investigações. Dificultava a entrada de novos participantes e a soma das operações dos seus bancos era majoritária nos mercados internacionais.

Causa espécie que o BC jamais tenha identificado esses prejuízos, mostrando que o consumidor – Pessoa Física ou mesmo grandes Pessoas Jurídicas – jamais esteve no centro de sua atuação.

***

O episódio reacendeu uma velha disputa de competência entre CADE e BC. Cabe ao CADE analisar tudo o que se relacione com condutas anticompetitivas, principalmente nas operações de fusão e incorporação. O BC não concordava e, pelos idos de 2009, houve um acordo em torno de um Projeto de Lei definindo o papel de cada um: inicialmente, o BC analisaria o impacto de fusões e incorporações sobre o mercado bancário; aprovando a operação, caberia ao CADE analisar as implicações sobre a concorrência

Foi só surgir o caso do cartel do câmbio, para Alexandre Tombini se mover rapidamente, pretendendo que a presidente Dilma Rousseff assine uma Medida Provisória afastando totalmente o CADE da qualquer análise sobre o sistema financeiro, inclusive sobre práticas anticoncorrenciais.

Como uma agência capturada pelo sistema financeiro, em que pese a qualidade da supervisão bancária, não seria prudente conferir ao Bacen o monopólio da fiscalização de práticas do sistema financeiro.

 

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

12 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Pedro Paulo Soares

22 de novembro de 2015 às 15h18

A mão invisível do deus mercado.

Responder

Tales Souza

20 de novembro de 2015 às 12h37

Pra não esquecer, tucanos fecham escolas e constroem presídios.
Não esqueçam das 94 escolas públicas a ponto de serem fechadas em SP.
Qual é o antônimo de: Político corrupto anti-povo trabalhador?
R. = Professor(a).
A falta de educação cria presas fáceis para a mídia lesa-pátria que favorece políticos corruptos. É um círculo vicioso dos canalhas imposto ao povo.

Responder

Hell Back

20 de novembro de 2015 às 11h40

Isso aí é velho. Isso vem acontecendo desde a Conferência de Breton Woods.

Responder

enio

20 de novembro de 2015 às 09h27

O paraíso dos banqueiros ladrões é o povo desacreditar nos políticos.
O nirvana deles é o povo desacreditar no país.
Falsos políticos se unem a banqueiros ladrões e atuam contra o Brasil.
http://www.conversaafiada.com.br/economia/mafia-de-bancos-globais-manipulou-moeda-brasileira

Responder

Fabio Dantas

20 de novembro de 2015 às 00h36

Dez

Responder

Fabio Dantas

20 de novembro de 2015 às 00h35

Café com Leite

Responder

Roger Gilmour

19 de novembro de 2015 às 22h22

O Moro não viu – nem verá – mas em 2015 o cartel do câmbio detonou geral!

Responder

Helio Eduardo Pinto Pinheiro

19 de novembro de 2015 às 21h30

MAS ISSO NÃO É NOVIDADE! NOVIDADE É SE ISSO APARECESSE NA MÍDIA, ESSA COVARDE, COMPRADA E VENDIDA…; NOVIDADE SERIA QUE ESSES “ECONOMISTAS DE DIREITA COMENTASSE SOBRE ESSAS MANOBRAS CRIMINOSAS E DIRIGIDAS…; NOVIDADE SERIA SE OUTRAS INSTITUIÇÕES COMPREENDESSEM TODAS AS MANOBRAS E MANIPULAÇÕES SOBRE A “CRISE” EM QUE VIVE O país”

Responder

Elisabete Sabino da Silva

19 de novembro de 2015 às 20h00

Responder

Nelson Settanni

19 de novembro de 2015 às 18h22

Guido Mantega Falou, Guido Mantega Avisou: Guerra Cambial

Responder

    Nelson Settanni

    20 de novembro de 2015 às 01h24

    Alguém ai sabe dizer a quanto tempo os EUA ficam ameaçando erguer a taxa de juros e acabando com o nosso cambio?

    Responder

    Nelson Settanni

    20 de novembro de 2015 às 01h25

    Qnd na vdd pelo ritmo da economia lá ou é juros zero ou deflação

    Responder

Deixe um comentário