Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

O juiz rockstar

Por Pedro Breier

27 de junho de 2016 : 10h14

Por Pedro Breier, correspondente policial do Cafezinho

“Moro leva público ao delírio em noite de rock em Curitiba” é a manchete de uma notícia em O Globo, ontem. Um marciano que chegasse à Terra e se deparasse com essa frase provavelmente pensaria que Moro é vocalista de uma banda de rock no auge do sucesso. Os terráqueos brasileiros, porém, sabem que não se trata disso. Moro é um juiz de direito que virou celebridade. Foi ovacionado após o vocalista do Capital Inicial anunciar sua presença no show e dedicar-lhe a próxima música. A reportagem registra que “As aparições públicas do juiz responsável pela condução das ações da Operação Lava-Jato viraram momentos dignos das estrelas pop com fotos, gritos, aplausos e uma idolatria quase mítica”.

Um juiz ser idolatrado dessa forma não é algo banal. É o resultado de um processo complexo de manipulação e direcionamento dos sentimentos da população pelos veículos de mídia que monopolizam a comunicação no Brasil. Dos jornais de pequena circulação e programas de rádio e televisão regionais até os jornais e programas nacionais, é nítido o direcionamento: a crítica é quase sempre à classe política, aos integrantes dos poderes legislativo e executivo. Ao judiciário normalmente é reservado um obsequioso silêncio no noticiário. Não havendo evidências de que o poder judiciário seja menos propenso à corrupção do que os demais, fica a pergunta: porque ele é poupado pela imprensa tradicional?

Uma pista está no fato de que os juízes são vitalícios no seu cargo, enquanto os políticos devem submeter-se às urnas de quatro em quatro anos. A mídia corporativa detém os meios para cometer assassinato de reputação contra um político desafeto, o que pode comprometer seriamente suas chances em eleições futuras. Na relação com os juízes o mecanismo de pressão por parte da imprensa familiar precisa ser mais sutil, afinal eles não são eleitos por ninguém e normalmente mantém seu cargo até a aposentadoria. O prêmio Faz Diferença, entregue à Sérgio Moro pela Globo, é exemplo nítido da discrepância entre o tratamento reservado pela mídia aos políticos e aos magistrados. Enquanto os primeiros são mantidos sob tensão constante, com a ameaça de serem detonados em alguns minutos de Jornal Nacional, os segundos são afagados com prêmios e cobertura louvatória para que, deslumbrados com a fama, ajam de acordo com o script. A criminalização da política e o silêncio quanto aos podres do judiciário por parte da mídia monopolizada são, portanto, os primeiros requisitos para que tenhamos juízes celebridades no Brasil. Moro não é o primeiro, alguém lembra de Joaquim Barbosa, “o menino pobre que mudou o Brasil” segundo uma capa da Veja? Não é coincidência que este também tenha um prêmio Faz Diferença em sua estante.

Outro requisito é a propagação do mito da imparcialidade. As instituições e pessoas que seguem a ideologia que interessa aos donos do poder (capital rentista, bancos, multinacionais, barões da mídia) são classificadas como técnicas, imparciais, enquanto os adeptos de ideologias diferentes são classificados como… ideológicos. Por isso as empresas de comunicação alardeiam a sua isenção apesar de ser evidente a parcialidade em cada matéria de jornal ou reportagem de TV. Manter a aura de neutra é o que dá à mídia velha confiabilidade e o poder de controlar a narrativa dos acontecimentos. Como muita gente compra essa ideia de imparcialidade, os objetivos políticos da imprensa conservadora são atingidos: a política só pode ser um antro de ladrões, afinal só se vê escândalos envolvendo políticos nas manchetes, enquanto o judiciário deve ser um poder muito mais justo, afinal os juízes são mostrados como heróis do combate à corrupção. Não há capa de jornal ou longos minutos na TV sobre os aumentos de salário e auxílios escandalosos que os juízes concedem a si mesmos ou sobre as ilegalidades cometidas pelos juízes-heróis na sua epopeia contra os corruptos. É claro: essas discussões popularizadas na sociedade não permitiriam a transformação de um juiz em ídolo das massas.

Uma mídia concentrada que se autoproclama neutra e imparcial (a ideia de que se você se considera neutro está do lado do status quo faz todo o sentido) cria as condições, através da manipulação do seu noticiário, para que o poder judiciário não seja questionado e discutido pela população. Qualquer crítica ao rockstar Sérgio Moro só pode vir de petistas ou defensores de bandido. Apesar de estar em declínio, o poder da mídia concentrada de produzir o consenso na sociedade é, ainda, enorme.

 

Pedro Breier

Pedro Breier nasceu no Rio Grande do Sul e hoje vive em São Paulo. É formado em direito e escreve n'O Cafezinho desde 2016, sendo atualmente um dos editores do blog.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

28 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

JOHN J.

23 de setembro de 2016 às 23h57

Porque será que esse senhor que já foi amplamente delatado, ainda não foi investigado pelo PF, pelo MP, pelo STF, pela PGR e por ninguem e continua agindo livremente e com grande influência no governo golpista do Temer?
OUÇAM ESSA CONVERSA DO POLICIAL LUCAS GOMES ARCANJO, ENCONTRADO MORTO RECENTEMENTE DEPOIS DE ACUSAR VÁRIAS VEZES UM TUCANO DE MG, EMPLUMADO E MUITO GRADUADO NA POLÍTICA NACIONAL. (PROPINA E MORTES)
https://www.youtube.com/watch?v=CA1SziNJlX8

VEJAM TAMBÉM:
• QUEM É O GAROTO PRODÍGIO DA PATIFARIA NA POLÍTICA BRASILEIRA?
http://nailharga.blogspot.com.br/2014/10/prodigio-da-patifaria-aecio-foi-o-mais.html
Aécio: https://www.youtube.com/watch?v=Zq9Hh2VM8Bs — Youssef
Aécio: https://www.youtube.com/watch?v=6-ykg8ismoE –- Fernando Moura
Aécio: https://www.youtube.com/watch?v=07CxwIzI-5E — Boechat
Aécio: https://www.youtube.com/watch?v=qqTlEJRV-NI — Ceará
Aécio: https://www.youtube.com/watch?v=ub7mNfGBSOg – Lucas Gomes Arcanjo
Aécio: https://www.youtube.com/watch?v=CA1SziNJlX8 — Lucas Gomes Arcanjo
Aécio: https://www.facebook.com/Falandoverdadesbr2/videos/734878543294135/ — HSBC
PAI DE AÉCIO: http://www.viomundo.com.br/denuncias/pco-apoiador-da-ditadura-pai-de-aecio-recebeu-da-cia.html

Responder

Lucyenne Lins

28 de junho de 2016 às 09h03

Moro ja deve estar distribuindo cargos para qdo for presidente. Concordo q a Globo está criando outro caçador de Marajás, já vi esse filme e ninguem gostou…

Responder

IANQUE PATIFE

27 de junho de 2016 às 22h52

Daqui a uns dias o Muro vai estrear na “Malhação”

KKKKkkkkkkkkk////

Responder

    Luiz Carlos Quintiere

    27 de junho de 2016 às 23h14

    O MORINHO BABACÃO VAI PARTICIPAR DO BBB 2018.. AÍ LULA VAI COLOCÁ-LO NO PAREDÃO E DAR-LHE UM PÉ NO RABO.

    Responder

J. Lais

27 de junho de 2016 às 21h32

Milhões acima do teto, meses de férias, auxílio moradia e paletó, pois obviamente, não podem tirar do próprio salário, e etc. Judiciário brasileiro: o mais caro, ineficiente e corrupto do mundo. NOJOOO!

Responder

LUA

27 de junho de 2016 às 19h54

A Globo está fabricando outro caçador de marajás.

Responder

Arnaldo Costa

27 de junho de 2016 às 16h22

Moro e sua corja de Curitiba não fazem justiça, fazem política. O juiz não prendeu uma única pessoa no escândalo tucano do Banestado de 520 bilhões. Esse mesmo juiz também se recusou a investigar a origem do Petrolão no governo FHC, criou uma data de corte muito suspeita, a partir de 2003. Seu pai é um dos fundadores do PSDB e sua mulher trabalhou para o partido. Deveria ao menos se declarar impedido. Mas, pelo que se percebe, tudo foi devidamente combinado para que o processo ficasse sob sua responsabilidade. Ainda ganhou prêmio da globo golpista. Estamos mesmo a pé de pessoas honestas, isentas e de caráter…

Responder

Arnaldo Costa

27 de junho de 2016 às 16h16

O juiz que não prendeu uma única pessoa no escândalo tucano do Banestado de 520 bilhões. Juiz que também se recusou a investigar a origem do Petrolão no governo FHC. E que tem o pai como um dos fundadores do PSDB. Estamos mesmo a pé de pessoas honestas, isentas e de caráter… Ah, teatro de coxinhas com catupiri do Paraná. Dinho teve que incitar o publico para tal “presepada”. Está explicado.

Essa música é de 1987, ciclo dos governos PDS (atual DEM) e aliados, os quais criaram todas as modalidades de corrupção que ainda presenciamos atualmente.

Responder

gilberto

27 de junho de 2016 às 16h06

Juiz tem o dever de distribuir Justiça, e não faz favor a quem quer que seja. Como publicado recentemente, os subsídios recebidos por magistrados no Brasil são seguramente um dos mais altos do mundo. Então, o reconhecimento pelo dever cumprido se dá por meio do pagamento previamente acertado. Aliás, Moro e outros magistrados deviam ler os Versículos 1 e 2 do Salmo 58, tal a atualidade e oportunidade.

Responder

ZeDasKouves

27 de junho de 2016 às 14h30

PQP!
Capital Inicial?
Essa bosta é lá de mais de trinta anos atrás…
Certamente a platéia era composta de quase sexagenários, tiozões e tiazonas saudosas dos anos 80 e da ditadura do período, portanto, natural que aplaudissem o entulho togado.
Essa bandinha mequetrefe também embarcou na canoa furada tentando amealhar uns trocados, assim como Lobão e o Inútil Roger do Ultraje a Rigor.
Não fosse isso, estariam no ostracismo dos insignificantes.

Responder

    17Abril2016

    27 de junho de 2016 às 16h21

    So lixo-politico. Duvido que um Cazuza faria isso.

    Responder

      Luiz Carlos Quintiere

      27 de junho de 2016 às 23h17

      CAZUZA SACUDIRIA O SACO PARA O MORO, E DEVOLVERIA O VALOR DO INGRESSO PARA ELE ASSISTIR O CAPITAL FINALIZADO…. KKKK

      Responder

    Pinheiro CFC

    27 de junho de 2016 às 18h53

    Chico Buarque?
    Essa bosta é lá de mais de trinta anos atrás…
    Certamente a platéia era composta de quase sexagenários, tiozões e tiazonas saudosas dos anos 80 e da ditadura do período, portanto, natural que aplaudissem o entulho togado.
    Essa bandinha mequetrefe também embarcou na canoa furada tentando amealhar uns trocados, assim como Lobão e o Inútil Roger do Ultraje a Rigor.
    Não fosse isso, estariam no ostracismo dos insignificantes. ……

    Não generalize sua opinião sobre a banda, tenho a mesma opinião do Sr Chico Buarque, pra mim é um lixo, mas respeito quem goste!

    Responder

      Marivane

      27 de junho de 2016 às 23h01

      Só um extrema direita para falar de um compositor de mais de 400 MPB, reconhecido internacionalmente

      Responder

        Claudio Macau

        01 de julho de 2016 às 16h36

        Nem se compara: Chico Buarque, além de ter compostos belas obras, valsas modernas, sambas, também compôs roques, blues, reggaes e raps, inclusive sempre com características próprias – um gênio.

        E quanto às bandas dos anos 1980, poucas mantiveram o mesmo sucesso. Aliás, Chico vem dos anos 1960, sempre inventando e reinventando a música. Incomparável!

        Responder

robertoAP

27 de junho de 2016 às 14h21

No dia em que o Moro conseguir tocar um instrumento musical, ou mesmo cantar, eu viro mico de circo.
O cara é um medíocre ao quadrado,e vai ficar assim até o último dia de sua vida inútil.

Responder

Moko/PI

27 de junho de 2016 às 14h15

O judiciário se transformou numa imundice pior que a câmara e o senado, ele enterrou de vez as últimas esperanças do povo brasileiro!

Responder

luis castro

27 de junho de 2016 às 13h32

O juizinho da Globo está deslumbrado até cair na real, quando não mais servir aos interesses das Organizações Criminosas Globo, ele terá o mesmo destino de Demóstenes Torres, Joaquim Barbosa.

Responder

    Jose Francsico Francisco

    15 de julho de 2016 às 10h56

    Este Moro lembra aquele que foi o “O menino que veio salvar o Brasil”. Agora tai jogado na beira da estrada como bagaço de laranja chupada.
    Ô dor.

    Responder

Paulo Roberto Àlvares de Souza

27 de junho de 2016 às 13h18

Esse juiz é incompatível com a democracia. Corrompe-se publicamente sem qualquer escrúpulo.

Responder

josecarloslima

27 de junho de 2016 às 13h50

Deu a louca no pig
http://jornalggn.com.br/blog/jose-carlos-lima/deu-a-louca-no-pig

Responder

josecarloslima

27 de junho de 2016 às 12h49

deu a louca no pig

Responder

Fernando Andrade

27 de junho de 2016 às 13h27

Tem que avisar ao Dinho que a “Veraneio Vascaína” de hoje é dirigida pelo Japonês Contrabandista da Federal…

Veraneio Vascaína

Cuidado, pessoal, lá vem vindo a Veraneio
Toda pintada de preto, branco, cinza e vermelho
Com números do lado, dentro dois ou três tarados
Assassinos armados, uniformizados

Veraneio vascaína vem dobrando a esquina…

http://s2.glbimg.com/RGWoLe3G-LmuspX65uUrS0ROIaI=/620×465/s.glbimg.com/jo/g1/f/original/2016/06/23/pf-operacao-pt.jpg

Responder

Atreio

27 de junho de 2016 às 12h25

reformea política para fim dos privilégios dos juízes. E bora, rumo à suécia!

Responder

Paulo Neves

27 de junho de 2016 às 13h24

Esse sujeito tem mais é que escutar capital inicial e o dinho falando bobagem. Que lixo.

Responder

Mairton Barros

27 de junho de 2016 às 12h09

Proponho um vomitaço na página de Facebook dessas bandas de “rock” Menudo…

Responder

Paulo Prado Queiroz Filho

27 de junho de 2016 às 11h44

Assisti um video que a globo ou globonews passou sobre isso ontem, no próprio canal.. Menos, bem menos. Não ví delírio nenhum. Vi aplausos, delírio é forçação de barra da globo para manter a farsa no ar.

Responder

Geysa Helena Dantas Guimarães

27 de junho de 2016 às 10h49

Excelente texto.

Responder

Deixe um comentário