Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Brasília - O relator Antonio Anastasia e o presidente da Comissão do Impeachment, Raimundo Lira, o presidente do STF, Ricardo Lewandowski, e o presidente do Senado, Renan Calheiros, chegam para reunião com líderes (Antonio Cruz/Agência Brasil)

Lewandowski diz que só irá decidir data de julgamento depois do dia 9

Por Redação

04 de agosto de 2016 : 16h00

O relator Antonio Anastasia e o presidente da Comissão do Impeachment, Raimundo Lira, o presidente do STF, Ricardo Lewandowski, e o presidente do Senado, Renan Calheiros, chegam para reunião com líderes (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

na Agência Senado

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, reuniu-se com líderes partidários e integrantes da Comissão Especial do Impeachment (CEI) nesta quinta-feira (4), para definir o roteiro da sessão plenária da próxima terça-feira (9). No Plenário, os senadores irão decidir se acatam o parecer de Antonio Anastasia (PSDB-MG), que recomenda o julgamento da presidente afastada, Dilma Rousseff, por crime de responsabilidade.

— Não tocamos em nada que diga respeito a uma possível futura sessão de julgamento, porque isso só poderá ser decidido a partir do dia 9, se for o caso — esclareceu Lewandowski.

O roteiro da reunião plenária do dia 9 de agosto tem 24 itens, cada um deles discutido de forma destacada com o conjunto dos senadores, segundo o presidente do STF. Essa negociação parte do momento de início dos trabalhos, às 9h, passando pela definição de pausas a cada quatro horas, até chegar ao número de testemunhas de defesa e acusação: seis representando cada lado.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Fontele

04 de agosto de 2016 às 22h41

Na verdade, essa reunião foi para acordar o apoio do STF à antecipação da decisão do Senado quanto ao impedimento da Presidenta Dilma, no sentido de afinarem o discurso de que o país não aguenta mais esse circo criado por eles próprios… Assim, fica mais fácil de limitar as testemunhas a que a defesa tem direito…
Ou alguém ainda acredita na imparcialidade do STF?

Responder

Deixe um comentário