Hangout com Miguel do Rosário: Bolsonaro nos EUA

Os Cavaleiros do Apocalipse e a Mula Sem Cabeça da política brasileira

Por Bajonas Teixeira

11 de outubro de 2016 : 20h18

Por Bajonas Teixeira, colunista de política do Cafezinho

Ontem a Globo não informou no portal do G1 que se trabalhava para que a votação da PEC 241 fosse aprovada em ritmo relâmpago, ainda na noite da segunda-feira. Não se viu nenhuma manchete denunciando as intenções do governo Temer. No UOL apareceram sinais, embora tênues, de que o governo Temer estava trabalhando nos bastidores para votar a PEC. Mas nada foi dito sobre a o ritmo frenético imposto para que a votação fosse concluída à noite, sem qualquer adiamento. Nos blogs da esquerda, raros sinalizaram nessa direção.

O resultado foi que muita gente foi pega de surpresa com a aprovação da PEC, embora, como é claro, fosse a ação mais óbvia e previsível do governo Temer. Para quem observou o andamento do ponto de vista da esquerda, é forçoso concluir que ela foi vencida sem esboçar reação digna de nota. No futuro, isso pode aparecer como uma derrota decisiva e esmagadora. Um marco negativo na história da esquerda brasileira. Mais ainda por se tratar de uma política que, além de mexer na Constituição, define um programa econômico draconiano para os pobres nos próximos anos.

O que foi decidido, em primeira votação, foi sobre que ombros se lançará o peso da solução para a crise econômica, e quem sofrerá, ao longo de duas décadas, todas as consequências nefastas da política de Temer para “colocar o Brasil nos eixos”.

Ontem, enquanto estava sendo tratorado por sua total falta de previdência e argúcia, o PT denunciava que o governo Temer conduzia a votação “a toque de caixa”. Ora, quem poderia imaginar que fosse de outro modo? Só o mais perfeito idiota. E foi esse o papel que o PT fez.

Ao ser surpreendido pelo ritmo impresso à votação da PEC, denunciou sua própria incapacidade de conduzir a luta contra o golpe, e de ser uma oposição eficaz ao governo Temer. Ninguém imaginaria haver a mais remota chance da esquerda vencer na votação da PEC na Câmara. A questão não era essa. Era a da luta política que, como se sabe, não se esgota em votações dentro dos parlamentos.

Difícil de entender é que o PT não se tenha mobilizado, de modo suficiente e a tempo, e mobilizado suas bases sociais. Numa guerra, e isso já aconteceu incontáveis vezes na história, os generais que não preparam seus soldados mantendo-os prontos para entrar em combate vão parar nas cortes marciais. O resultado obtido pelo partido no dia 02 de outubro, mostra que a história brasileira já montou uma corte marcial para efetuar o julgamento do PT.

Havia sinais consistentes de que o governo Temer faria a votação? Evidente. Isso se deduzia da relativa vitória do PMDB, que obteve muitas prefeituras, embora a maioria em cidades com menos de 200 mil habitantes. E a isso se somavam a vitória consistente do PSDB, por um lado, e o encolhimento aberto do PT, por outro. Na verdade, já se anunciava dentro do governo Temer que seria a  hora de aproveitar o desnorteamento do PT para aprovar a PEC.

Tudo foi anunciado. O lamentável veio, sobretudo, da prostração de um partido que assistiu quase inerme à mais aberta conspiração de classe para, com medidas que não escondem nada, desonerar inteiramente as elites, como se vivendo em Marte nada tivessem que ver com as origens da crise econômica no Brasil, e jogar todo o peso sobre os trabalhadores e os pobres do país.

Um marco muito concreto, muito nítido, disso que se chama “luta de classes”. Uma iniciativa que fará, quando cumpridos todos os passos requeridos, o relógio da história retroagir três décadas, em vingança contra a presença dos pobres na política brasileira nos últimos quinzes anos. Exatamente nesse momento, o PT fracassa vergonhosamente e só consegue ir ao …. STF para pedir ajuda!

Como ir ao STF se, como ocorreu nas últimas cento e cinquenta vezes que o PT e Lula foram ao STF, suas demandas foram liminarmente negadas? Foi como ir à casa do incendiário clamar por ajuda para apagar o incêndio. Ridículo.

O PT torna-se a nova Mula Sem Cabeça da política brasileira. E isso, para piorar, justamente no momento em que precisa enfrentar alguns Cavaleiros do Apocalipse.

Caro leitor, O convidamos para visitar e curtir a página MÁQUINA CRÍTICA. Abraços.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

8 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Osmar Gonçalves Pereira

12 de outubro de 2016 às 22h15

Bajonas, meu caro, nessa hora o PT é o único representante da esquerda? O Partido está esfacelado, ainda se segura em Lula, mas não percebo lideranças dos outros representantes da esquerda com força – ou vontade(?)-, para articular uma aliança minimamente viável.
Penso que os “erros a direita” cometidos pelo PT estão escancarados mas não vejo a mesma “disposição” dos outros representantes da esquerda em assumir “seus erros a direita”. E a partir dai abrir espaço para uma rearticulação, pelas bases, verdadeiramente a esquerda (bases que perdemos até p os operadores do “mercado de bens de salvação” e sua “teologia da prosperidade”). . Estão a nos vender o “fim da história”, superfaturada.

Responder

Marcos Aurélio Witczak

12 de outubro de 2016 às 06h52

Certa concordância com as entrevistas e os textos do Tarso. De que adianta alardear que Dilma teve 54,5 milhões de votos? Na verdade, parte do PT queria algumas dessas mesmas mudanças. Outra parte também, mas é covarde e cínica. Só não pode é esperar alguém fazer sempre o trabalho sujo, depois surfar na onda, e quando a casa cai posar de vítima e voltar como queridinho depois de outro, de novo, fazer o trabalho sujo mais uma vez.

Responder

JOHN J.

12 de outubro de 2016 às 01h04

Onde está a Dra Eliana Calmon?
QUE FALTA ELA FAZ.
ONDE ESTÁ ESCONDIDO O BANDIDAO DA CÂMARA FEDERAL, O TAL EDUARDO CUNHA E PORQUE O DR. MORO AINDA NÃO MANDOU PRENDÊ-LO?
O QUE SERÁ DE TEMER E DE SEUS CORRUPTOS, QUANDO O POVO SE REVOLTAR?

Responder

JOHN J.

12 de outubro de 2016 às 01h02

DEMOROU MAS CONSEGUIRAM. O BRASIL É HOJE UM PAIS GOVERNADO POR UMA QUADRILHA DE CORRUPTOS, EM TODOS OS CARGOS.

Responder

Alvaro M Cunha

12 de outubro de 2016 às 00h46

Acho que o PT está querendo usar as mesmas armas que seus opositores : ” quanto pior melhor”. Apostam em uma negação da população( inclusive coxinhas) aos partidos golpistas, vislumbrando 2018; o problema é saber se os “ilegítimos” chegarão até lá. 2018 está logo ali, mas Gilmar(PSDB-MT), também está e, mais próximo. Quem garante que,logo após, os pacotes de maldades sejam aprovadas, o TSE venha a condenar a chapa Dilma/Temer , colocando PSDB no poder e sem o peso dos pacotes sobre seus ombros? Imaginem o PSDB dizendo que nada pode fazer pois Temer engessou todo o orçamento.

Responder

    Jussara Domingues

    12 de outubro de 2016 às 22h01

    Eu penso que é exatamente o que o PSDB combinou com o Gilmar, no fim do ano ele tira o Temer e o PSDB vai para o disputa na câmara. E acho que tudo combinado com o Temer. O PMDB vota no PSDB e continua no governo com cargos. É assim que PMDB age.

    Responder

crazy-fla

11 de outubro de 2016 às 22h17

Acho q não tem como lutar contra eles, éa formiguinha contra o elefante, estão todos unidos, até a mídia está com eles, e daqui pra frente a maldade contra o povo brasileiro será enorme, a única forma d lutar seria se grande parte da população acordasse e fizesse algo contra isso, mas grande parte quer passar q é rico e crê q é coisa d pobre lutar contra esse governo, a maioria é manipulada pela mídia, a fome vai aumentar junto com a violência eo bicho vai pegar pra todos, até para os manipulados e hipócritas!!!

Responder

Deixe uma resposta