Coletiva de Rodrigo Maia (ao vivo) sobre medidas contra a crise

´Foto: Flavio Lo Scalzo

A esperança vem da Itália:casos de coronavírus caem para o mínimo dos último cinco dias

Por Tulio Ribeiro

23 de março de 2020 : 17h54

O número de novos casos de coronavírus na Itália caiu para o mínimo dos últimos cinco dias nesta segunda-feira, aliviando a tensão em hospitais sobrecarregados e trazendo um sentimento de esperança a uma nação que perdeu mais vidas do que qualquer outro país devido à pandemia.

Na Espanha, no entanto, mais pessoas morreram nas últimas 24 horas do que em qualquer outro momento desde o início do surto de coronavírus no que se tornou o segundo país mais devastado da Europa.

As autoridades de saúde italianas anunciaram 4.789 novos casos nas últimas 24 horas, uma queda de 5.560 no domingo e 6.557 no sábado.

Também foi menor do que os níveis de quinta e sexta-feira, quando os números de casos confirmados ainda estavam subindo.

O número de casos hospitalizados na Lombardia – a região italiana que sofreu o surto mais grave – também diminuiu pela primeira vez desde que o contágio se enraizou.

“Hoje é talvez o primeiro dia positivo que tivemos neste mês difícil e muito difícil”, disse Giulio Gallera, o principal órgão de saúde da Lombardia, uma área conhecida como o motor econômico da Itália.

“Não é hora de cantar a vitória, mas estamos começando a ver a luz no fim do túnel.”

O número de casos de coronavírus na Itália aumentou para 63.927 – comparado a 81.093 na China continental.

No total, 6.077 pessoas morreram na Itália devido ao Covid-19 – que lidera todos os países – incluindo 601 que morreram nas últimas 24 horas, um declínio a partir do fim de semana.

A taxa de mortalidade geral da pandemia na Itália aumentou ainda mais para 9,5%, excedendo em muito a média global de 4,4%.

Dos casos confirmados, 3.204 estavam em terapia intensiva, enquanto 26.522 estavam em quarentena domiciliar.

Enquanto os italianos assistiam às notícias com otimismo cauteloso, os espanhóis temem que continuem na trajetória ascendente anterior da Itália.

As autoridades espanholas anunciaram 462 mortes nas últimas 24 horas, o pior dia do país desde o início da epidemia.

Um oficial de saúde de alto nível na Espanha sugeriu que a taxa de aumento mais recente de novos casos diários – em 14% – poderia ser o pico da crise, mas ele estava longe de ter certeza.

“O aumento relatado todos os dias é suavizado progressivamente. Mas ainda não temos certeza se atingimos o pico da epidemia ”, disse Fernando Simon, coordenador de emergência do Ministério da Saúde.

Em um desenvolvimento preocupante, mais de um em cada 10 dos casos confirmados de coronavírus da Espanha foram quase 4.000 profissionais de saúde.leia a matéria completa na SCMP.

Tulio Ribeiro

Túlio Ribeiro é graduado em Ciências econômicas pela UFBA,pós graduado em História Contemporânea pela IUPERJ,Mestre em História Social pela USS-RJ e doutorando em ¨Ciências para Desarrollo Estrategico¨ pela UBV de Caracas -Venezuela

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

chichano goncalvez

23 de março de 2020 às 17h58

Espero que em meio a tanta desgraça , seja uma noticia boa, afinal os medicos chineses e cubanos, já estão ai ajudando, estes os cubanos sempre estão nos lugares que mais se precisa deles, só a besta do Bolsomerda não quis e iremos pagar caro por isso, será que ele vai ser responsabilizado pelas mortes ?

Responder

Deixe uma resposta