Live do Cafezinho (21 h): análise das eleições, pós-segundo turno

Live do Cafezinho: antipetismo, eleições em São Paulo, BH, RJ e Recife, Felipe Neto

Por Redação

04 de outubro de 2020 : 12h23

O editor do Cafezinho, Miguel do Rosário, comenta alguns temas políticos que foram muito discutidos nas redes sociais nos últimos dias.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

JOAO BATISTA

04 de outubro de 2020 às 20h10

Miguel,

Nilmário Miranda foi destruído, politicamente, quando lula impôs que ele deixasse de ser candidato a governador de Minas para ser candidato a vice de Newton Cardoso, do pmdb, na eleição de 2006.

Patrus Ananias só não pagou o mesmo preço porque é um gigante moral, pois foi imposto a ele ser candidato a vice de Hélio Costa, na eleição de 2010.

Fernando Pimentel era a chance de recuperação do pt em Minas, mas foi frequentar as páginas policiais, junto com aécio.

Responder

    Francisco*

    06 de outubro de 2020 às 00h42

    A procuradoria/justiça da classe dominante denúncia e aceita qualquer acusação contra o PT e seus líderes, sobretudo Lula, vazando à mídia parceira, para via tribunal da Globo Marinho condenar no JN e ficar repercutindo por meses e anos a fio, adestrando o ruminante a replicar como verdade absoluta, ‘robusta’ e eterna, via redes sociais, sem jamais tomar conhecimento daquelas notinhas reduzidas e ligeiras, anos depois, informando que se tratava de farsa judicial e o perseguido do PT ‘da hora’, nada devia, pois de fato não apenas carecia escancaradamente de provas, como sequer merecia ter a denúncia aceita, a não ser como persecução política utilizando-se da justiça (lawfare), dada a fragilidade das mesmas.

    No caso em questão, notinha ligeira e efêmera no G1 Minas, em 28/07/20, que aos ruminantes não foram oferecidas no adestramento diário:

    “Justiça Federal arquiva inquérito contra Fernando Pimentel (PT), por falta de provas”

    “A Justiça Federal decidiu arquivar inquérito contra o ex-governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), a pedido do Ministério Público Federal, que alegou falta de provas da acusação de lavagem de dinheiro e de corrupção passiva.

    Este foi o segundo resultado positivo para o ex-governador de Minas Gerais em uma semana.
    No dia 22 de julho, Pimentel foi absolvido pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG), por suspeita de desvio de dinheiro durante campanha ao Senado em 2010.”

    Responder

Josafá

04 de outubro de 2020 às 15h07

…e poem Felipe Neto para ter certeza que ninguém assista.

Responder

Deixe uma resposta