Live do Cafezinho (19h): que segurança pública que queremos?

Entrevista com Miguel Rossetto, vice na chapa de Manuela D’Ávila em Porto Alegre

Por Pedro Breier

25 de novembro de 2020 : 11h32

O Barão de Itararé entrevista, a partir das 11h30min, Miguel Rosseto (PT), vice-candidato à prefeitura de Porto Alegre/RS na chapa de Manuela D’Ávila (PCdoB), que protagoniza uma disputa acirrada pela vitória no segundo turno contra Sebastião Melo (MDB). O editor do Cafezinho Pedro Breier participa da entrevista, que você pode assistir abaixo:

Pedro Breier

Pedro Breier nasceu no Rio Grande do Sul e hoje vive em São Paulo. É formado em direito e escreve n'O Cafezinho desde 2016, sendo atualmente um dos editores do blog.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Netho

27 de novembro de 2020 às 10h37

O El País foi ao cerne da questão: “O desafio da esquerda vai além de superar o adversário nas urnas. Em sua terceira candidatura à prefeitura, e tendo no currículo o feito de ser a deputada federal mais votada da história do Rio Grande do Sul (em 2010), Manuela precisa vencer a força do anti-petismo na capital gaúcha e se dissociar do fantasma que se transformou ser comunista no Brasil pós 2018”.
O PT e Lula são soma negativa. Lula e o PT são almas encarceradas, penadas, que inviabilizam e, no limite, também facilitam a vida da direita e da extrema-direita que se aglutinam mais facilmente no polo antagônico. Nem Boulos, nem Manuela, portanto, logram a menor perspectiva de garantirem a maioria dos votos válidos, ainda que sejam as melhores candidaturas para São Paulo e Porto Alegre.
O estrago das formidáveis recessões econômicas de 2015/2016 contratadas por Dilma e os erros crassos de Lula com sua rendição (em lugar do asilo político como fez Morales) e sua delirante tese de candidatura encarcerada, simplesmente entregaram ao espectro da direita política e ideológica os trunfos suficientes para sua ofensiva e escalada que tendem a perdurar mais tempo do que imagina a vã filosofia de que um outro Brasil seria possível.

Responder

O Demolidor

25 de novembro de 2020 às 11h58

Cilada Miguel!!

Aproveite e pergunte do quase-apoio da quinta coluna ao Melo…

Responder

Deixe uma resposta