Analista da Ideia fala sobre “voto útil” dos eleitores de Ciro a Lula no 1° turno

Putin fala em guerra contra os EUA

Por Redação

12 de fevereiro de 2022 : 09h19

O porta-voz do Kremlin admitiu nesta sexta-feira, 11, que o seu país pode travar uma guerra contra os Estados Unidos. A declaração foi dada após a confirmação de que Vladmir Putin vai se encontrar com o presidente norte-americano Joe Biden neste sábado, 12.

Os dois lideres mundiais vão conversar sobre as tensões de uma possível invasão militar russa na Ucrânia. Vale ressaltar que esse país europeu vem sendo assediado pelo governo de Biden para entrar na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Por sua vez, Putin anunciou que “se a Ucrânia se juntar à Otan e tentar recuperar a Crimeia por meios militares, os países europeus serão automaticamente arrastados para um conflito militar com a Rússia”. O recado foi dado após a reunião com o presidente da França, Emannuel Macron, no próprio Kremlin.

Com o anúncio temerário do governo russo, Joe Biden disse em entrevista a NBC News que os norte-americanos tinham que sair imediatamente da Ucrânia.

“Os cidadãos americanos devem sair, devem sair agora. Não é como se estivéssemos lidando com uma organização terrorista. Estamos lidando com um dos maiores exércitos do mundo. Esta é uma situação muito diferente e as coisas podem enlouquecer rapidamente”.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

8 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Joao Carlos holanda

14 de fevereiro de 2022 às 13h26

Não ‘comprei’ nem a propaganda americana, tampouco a propaganda russa. São duas potências militares em busca de hegemonia política sobre países satélites que querem dominar e explorar. Mas há um fato inconteste: não existem 130 mil soldados da OTAN cercando a Ucrânia neste momento. São 130 mil russos ameaçando invadir o país.

Responder

Nelio dos Santos

13 de fevereiro de 2022 às 20h03

Não avalizo qualquer medida de força de lado algum, porque isso pode terminar mal, literalmente, para todo o mundo. Mas outro dia, o Sr. Putin lamentou o fim da URSS, usou termos para comparar isso a uma tragédia política . Atualmente há conflitos internos em algumas dessas repúblicas, como Belarus e outras, que não se sabe se não são fomentados e a intervenção russa tem sido pedida; o que parece combinar com avanços de uma proposta de restabelecimento da antiga URSS , ou não? Não seria esse o caso de tanto interesse na estratégica Ucrânia? Afinal a Rússia construiu uma estrada rodoviária e outra ferroviária, com pontes de acesso à Criméia, que é ligada à Ucrânia e dominada pelos russos.

Responder

marco

13 de fevereiro de 2022 às 14h48

Pergunta para os “identitários ” o que eles acham do Putin e da Rússia.
É assim que “quinta coluna” se estabelece.

Responder

Paulo Dante

13 de fevereiro de 2022 às 00h47

A Russia tem o dever de evitar a entrada de exploradores em território Ucraniano. O que os EUA querem? Deixar a Ucrânia com gás a U$ 28.00 , gasolina a U$ 1,8 . Fila do osso? Ou então deixar a Ucrânia como fizeram com o Afeganistão, roubaram toda a riqueza depois deixaram até aliados para traz sendo pendurados pelo pescoço em helicópteros. A Rússia não é cachorro morto e não se esqueçam da aliada China..Muitos países da Europa seriam dizimados.

Responder

Nelson

13 de fevereiro de 2022 às 00h16

Imagines se a Rússia inventasse de alocar misseis nas fronteiras do Canadá e do México com os Estados Unidos com capacidade de atingir Washington, Nova York ou outra grande cidade estadunidense em 5 minutos ou um pouco mais.

Como os órgãos a mídia hegemônica estariam divulgando tamanha audácia dos russos? Estariam a desancar a Rússia e Putin 50, 100 vezes ao dia, por semanas e semanas.

Mas, como é o contrário que está a acontecer, quem está cercada de mísseis nessas condições é a Rússia, esses mesmos órgãos da mídia e seus comentaristas, supostos especialistas em tudo, adaptam sua narrativa para fazer com que venhamos a dar razão aos EUA e apoiemos uma ação militar contra os russos.

Não é a primeira vez que essa mídia se posta de ventríloquo dos governos dos Estados Unidos. Pelo contrário, são incontáveis as vezes em que atuaram no sentido de normalizar, naturalizar as intervenções assassinas das forças daquele país.

Em menos de um século e meio, o território russo sofreu três grandes invasões, devastadoras. Na Segunda Guerra, a União Soviética perdeu nada menos de 27 milhões de almas, número abismal que praticamente não é citado nos nossos livros didáticos.

Os EUA possuem mais de 800 bases militares espalhadas pelo mundo afora. A Rússia possui duas. Quem é o imperialista, meu chapa? Quem é que já domina boa parte do planeta e tem anseios de dominá-lo por inteiro?

Fosse Putin o expansionista que tu afirmas que ele é e a Rússia já teria dezenas de bases espalhadas pelo planeta. A Rússia não terá qualquer ganho em invadir a Ucrânia, apenas perdas, imensas perdas.

Por isso, Putin já demonstrou não ter interesse algum em invadir o país vizinho. Só o fará se for forçado a isso por ações provocadoras da Otan, orquestradas pelos governos dos EUA, é claro, que coloquem em cheque a segurança da Rússia.

Não estão descartados, como ações provocadoras, os chamados atentados de bandeira falsa, nos quais os EUA são mestres absolutos, inigualáveis: o encouraçado Maine, Peral Harbour, o Golfo de Tonquim, o 11 de setembro de 2001, são alguns exemplos das safadezas perpetradas pela democracia (sic) estadunidense.

Então, é de enojar, é de cuspir, de causar engulhos a sabujice, o capachismo dessa mídia hegemônica e seus “comentaristas” a nos induzirem a apoiar mais um assassínio planejado pelo Sistema de Poder que domina os Estados Unidos.

Nada aqui contra o povo dos EUA que, na maioria das vezes, está completamente “por fora” do que acontece realmente nas altas esferas do poder em seu país. É, talvez, o povo mais dominado pela propaganda. Tudo contra a elite podre, corrupta e assassina que domina aquela grande nação.

Responder

paulo werneck

12 de fevereiro de 2022 às 19h08

Discurso temerário? Os EUA estão há anos cercando militarmente a Rússia, possuem soldados e bases militares distribuíis pelo mundo todo e o discurso de Putin é temerário? É verdade que li isso?

Responder

Joao Carlos holanda

12 de fevereiro de 2022 às 11h30

A Ucrânia vem sendo ‘assediada’ pela OTAN e isso justifica a possível invasão russa daquele país? É esta a mensagem que a redação quer passar? Olha, os EUA não são santos e sempre foram metidos a donos do mundo. Não querem defender a Ucrânia por bondade. Mas Putin tampouco é um líder preocupado em defender seu país. Na verdade, ele quer fazer da Rússia a potência imperialista que fora no passado como URSS. Ninguém é santo, mas a Ucrânia é que vai ser destruída.

Responder

    Guar@ci

    13 de fevereiro de 2022 às 08h28

    “A Ucrânia vem sendo ‘assediada’ pela OTAN e isso justifica a possível invasão russa daquele país?”

    Pelo isto vc comprou a propaganda estadunidense da “invasão russa”,
    propaganda esta que visa justamente “pintar”uma resposta de autodefesa russa à um ataque contra o Donbass ou Crimeia…como sendo uma invasão…

    Responder

Deixe um comentário

O Xadrez para Governador da Bahia O Xadrez para Governador de Minas Gerais O Xadrez para Governador de São Paulo O Xadrez para Governador do Rio de Janeiro Novo Presidente da PETROBRAS defende preços altos Cadê o churrasco do povo, Bolsonaro? Preço explodiu! Conservadores? A atual juventude brasileira O Indulto sem Graça de Bolsonaro Os Principais Eleitores de Lula Os Principais Eleitores de Ciro Gomes