Fundador do Instituto Ideia vê chance de Lula vencer no 1° turno

Carlos Fernando dos Santos Lima, Deltan Dallagnol e Roberson Pozzobon, procuradores da Lava Jato, que receberam prêmios nos EUA. Divulgação.

Bomba! O pixuleco de R$ 30 milhões para Carlos Fernando dos Santos Lima

Por Miguel do Rosário

16 de junho de 2022 : 22h05

Se gritar pega ladrão, não fica um meu irmão.

Os versos imortalizados por Bezerra da Silva se aplicam bem aqui.

Carlos Fernando dos Santos Lima era um dos principais ideólogos da “República de Curitiba”.

Era um dos procuradores que mais davam entrevistas à grande imprensa, assim como também um dos mais agressivos contra qualquer um que ousasse criticar a operação.

Qualquer mínima crítica era logo classificada, por ele, como defesa da corrupção.

Lima ajudou a articular os fundamentos teóricos da operação que destruiu o sistema nacional de construção civil e engenharia, devastou a classe política, e pavimentou o caminho para o golpe de 2016 e a eleição de Bolsonaro em 2022.

Após Bolsonaro assumir o governo e Sergio Moro conquistar o Ministério da Justiça, Lima decidiu se aposentar aos 55 anos.

Por que alguém largaria um emprego público que está no topo da cadeia alimentar dos profissionais liberais do país?

Fácil: para ganhar mais dinheiro na famigerada “indústria de compliance”.

E agora a bomba.

O TCU descobriu que a empresa criada por Lima, a W Faria, recebeu R$ 28 milhões da Eletrobrás como pagamento de serviços de compliance.

Nada menos que 100% desse valores, segundo o TCU, foram irregulares, ou superfaturados.

Em linguagem popular, Lima teria recebido um pixuleco de quase 30 milhões de reais.

O modus operandi de Lima foi seguido por vários outros procuradores da Lava Jato, além do juiz Sergio Moro.

Os procuradores desestabilizaram grandes empresas nacionais, e depois  se organizaram para lucrar com os despojos de guerra, vendendo “serviços de consultoria em compliance” para as mesmas companhias ou para escritórios de advogado que as representavam.

O relatório também envolve a ex-ministra do STF, Ellen Grace, representante da empresa Hogan Lovells, que recebeu R$ 81 milhões da Eletrobrás, dos quais 83%, segundo investigação do TCU, teriam sido superfaturados. A história da ex-ministra Ellen Grace é igualmente bizarra, mas fica para outra reportagem.

Moro também é investigado pelo TCU, por conta de seus negócios milionários com a Alvarez Marsal, empresa americana que passou a gerir a massa falida de algumas empresas afetadas pela Lava Jato, como a Odebrecht.

Diante de mais esse escândalo, não é mais possível dizer que a Lava Jato foi a ” maior operação de combate a corrupção da história”.

O contrário é mais verdadeiro.

A Lava Jato, e isso fica mais claro a cada dia que passa, foi uma operação essencialmente ilegal, que atropelou princípios constitucionais básicos, e que terminou com seus membros arrancando milhões de reais (ou dólares) das mesmas empresas que eles investigaram, desestabilizaram, desossaram e, em alguns casos, destruíram.

Se gritar pega ladrão…

Baixe aqui a íntegra do relatório completo do TCU.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

18 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Nelson

18 de junho de 2022 às 21h10

Fernando Henrique Cardoso fez o governo mais corrupto, entreguista e deletério já impingido a nossa nação. Jair Bolsonaro está decidido a superar FHC nestes quesitos nem um pouco nobres.

Enquanto isso, o bolsonariado segue tendo toda a certeza do mundo de que seu “mito” (sic) acabou com a corrupção, é patriota e está reconstruindo o Brasil.

O que se há-de fazer quando há gente que acredita que a Terra é plana?

Responder

Jonathan

17 de junho de 2022 às 19h05

E a Eletrobras faz um contrato e paga alguem para nao fazer nada…?
Consultoria significa nao fazer nada….?
Sao retardados na Eletrobras…?

Responder

Nelson

17 de junho de 2022 às 15h31

Darcy Ribeiro, Milton Santos, Paulo Freire, Leonel Brizola, foram grandes brasileiros que dedicaram décadas e décadas de suas vidas à construção de um Brasil do tamanho de suas potencialidades e dum país em que cada brasileira e cada brasileiro pudesse viver a vida digna a que tem direito.

Juntamente com vários outros que não citei, eles foram verdadeiros heróis nacionais. Porém, os órgãos da mídia hegemônica nunca se dispuseram a dar a esses personagens o destaque e a notoriedade compatível com sua dedicação à nação.

À exceção de Leonel Brizola, quase todos eles são ilustres desconhecidos para grande parte dos brasileiros. Quanto a Brizola, como era um político que estava sempre em evidência, a grande mídia sempre procurou difamá-lo e demonizá-lo como forma de empanar seus grandes feitos.

Então, quando essa mesma mídia hegemônica passou a exaltar insistentemente os protagonistas da Lava Jato, Moro, Dallagnol, Lima, notadamente o primeiro, a ponto eu só tinha que “ligar meu desconfiômetro” e não embarcar na onda de heroicização dessa camarilha. Não demorou muito e pude constatar que adotei a postura certa.

Responder

Nelson

17 de junho de 2022 às 15h14

Este é só um dos que foram galgados ao status de herois nacionais pela intensiva propaganda midiática em favor da Lava Jato.

Ao longo da história há um sem número de casos em que os órgãos da mídia hegemônica e seus comentaristas demonstraram, cabalmente, não ter qualquer compromisso com o povo brasileiro, com o país e com a verdade.

Uma quantidade suficiente para que qualquer um passasse a “ficar com um pé atrás”, “ligasse seu desconfiômetro”, toda vez que a grande mídia adotasse a insistência na divulgação de algum caso.

Ainda assim, uma montoeira de brasileiros acreditou, e pior, segue acreditando, piamente, nessa mídia e passou a adorar a Lava Jato e seus protagonistas. Até mesmo o esclarecido (?) Leandro Carnal foi jantar com o Moro.

Responder

Uganga

17 de junho de 2022 às 13h04

De um lado temos quem desmantelou os esquemas de assaltos aos cofres publico chefiada pelos governos petistas.

Do outro lado temos um Ministro do TCU, tal de Bruno Dantas, apadrinhado de Renan Calheiros, Lula e lavadores de dinheiro publicos afins…que usa o cargo para perseguir quem osou acabar com a podridao que reinava em Brasilia.

Tà facil demais escolher…

Responder

Ronei

17 de junho de 2022 às 10h37

Esse “bomba” (peido) no mesmo dia em que o contador de Lula lavava dinheiro sujo….??

Cadé a materia Miguel do Larapio…?

Afinal de contas os contadores sao os profissionais que devem maquiar e camuflar as falcatruas dos clientes que nao prestam…jà pensou alguem ter que fazer o impostos de renda de Lula e fazer arte com as entradas dele e do Lulinha…?? Kkkkkkkkkk

O mesmo contador da empresa de Lulinha com sede em imovel do dono do sitio de Atibaia…??!!

Força Miguel faz uma busca e materia boa pra nòs nao se cale, nao “calice”…kkkkkkkkkkk

Responder

Duilio

17 de junho de 2022 às 08h52

Kkkkkkk…um ex integrante.da Lava Jato que superfatura de 100% uma consultoria assim na cara dura para a Eletrobras…..kkkkkkkk

Se é para inventar que inventem algo verossímil pelo menos…essa última chega a ser mais engraçada que o pedido de ajuda de Bolsonaro para Biden…..kkkkkkk

Essa pseudo esquerda vive dessas besteiras, de narrativas, de ar feito…vivem de nada, não sabem fazer política, zero absoluto.

Responder

Zulu

17 de junho de 2022 às 08h48

Pixuleco é coisa do PT, é a iguaria da casa Lulista, não tentem colar esse nome em outras pessoas que nada tem a ver.

O superfaturamento de algo não é de 100% obviamente pois causaria estranhez, não passaria despercebido desde o começo.

É só entrar em uma qualquer sede do PT e há manuais, tratados, estudos de primeira ordem sobre o pixuleco, superfaturamento de obras, caixa 2, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e passiva e dar uma repassada no assunto….kkkkk

OBS: essa matéria não diz nada, assim como o relatório do TCU, se fosse algo sério envolvendo essas pessoas e a Eletrobras não seria jogado aos 4 ventos dessa forma superfície, só com números e nomes, sem fatos, comprovação de nada, ecc….

Sabemos que no TCU há bj um amiguinho da facção e casualmente é o mesmo que vem fazendo essas ilações sobre Moro, depois Dallagnol e agora esse outro…

A seriedade passou bem longe do TCU ultimamente….

Responder

    Nelson

    18 de junho de 2022 às 21h42

    “A seriedade passou bem longe do TCU ultimamente….” É incrível, mas vou ter que admitir que desta vez tu acertaste em cheio, meu chapa. Vejamos.

    A Eletrobras foi construída ao longo de décadas com o suor de nossos avós, pais e de nós mesmos.

    Do patrimônio que construímos, restaram R$ 130 bilhões. O restante foi criminosamente privatizado pelo desgoverno FHC e a turma do PT não fez qualquer movimento na direção da necessária reestatização do nosso parque hidroelétrico.

    A abjeta ala liberal do partido, 100% tucana e 0% petista, nem cogitou reestatizar o que foi privatizado da Eletrobras.

    Pois, o governo que alardeia, sem cessar, slogans como “Brasil acima de tudo” e “Pátria amada Brasil”, quer privatizar a Eletrobras pela metade do que ela vale hoje. Quer entregar a nossa estatal por apenas R$ 67 bilhões.

    A “parada” foi parar no TCU, que, pasme, ainda que tenha como principal função a defesa dos recursos públicos, avalizou a “venda” de um patrimônio de R$ 130 bi por apenas R$ 67 bi.

    Enfim, se o TCU avaliza o entreguismo do governo vendilhão de Jair Bolsonaro, tenho que concordar contigo quando afirmas que “a seriedade passou bem longe do TCU ultimamente….”

    Responder

carlos

17 de junho de 2022 às 08h19

Se gritar pega ladrão, não fica um juizão , os juízes são lavajatáo. É uma quadrilha de toga.

Responder

Madson Lobato.

17 de junho de 2022 às 00h59

Que a turma da lava jato receba o tratamento que Guaidó vem recebendo na Venezuela.

Responder

Zulu

16 de junho de 2022 às 23h46

O padrinho de Bruno Dantas é o último baluarte da moral, da ética e da virginidade da política nacional…

Nada mais e nada menos que o espetaculoso Renan Calheiros….kkkkkkkkkk

Mas será porque os petistoides não gostaram da lava jato…? Não é porquê acabou com o sistema de assaltos aos cofres públicos que garantia dinheiro e poder para a quadrilha ?

E o mensalão…? Ninguém do PT fala do mensalão e do petrolão, porquê será ?

Responder

Fanta

16 de junho de 2022 às 23h32

O ” cumpanheiru” Bruninho do TCU é terrível…kkkkkkkk

Responder

Tony

16 de junho de 2022 às 23h23

O Superfaturamento de algo não é 100% obviamente

Mais uma narrativa de Bruno Dantas na qual ninguém com capacidade mínima de raciocínio acredita, nem o Miguel do Larápio, mas em qualidade de militante bajulador de lavadores de dinheiro é obrigado a papagaiar essas besteiras .

O “amigue” da carcaça de lavador de dinheiro Bruno Dantas faz o serviço dele no TCU exclusivamente para a “imprensa” militante repercutir lá fora.

Mentiras e narrativas tem pernas curtas.

Responder

Fanta

16 de junho de 2022 às 23h14

Eu aposto que atrás dessas “bombas” (pedidos fritos) tem o tal de Bruno Dantas…

O mesmo sujeito que estava no jantar do saidão de Natal com Lula e comparsas de assaltos aos cofres públicos…vamos apostar ?

O Pixuleco era a propina nas obras públicas para o PT se financiar e poder ficar no poder….esses são os canalhas que falam em democracia a cada 2 minutos e não passam de bandidos.

A lava jato enrabou toda a cúpula do PT e comparsas e desmantelou o esquema de podridão que reinava em Brasília e Brasil afora.

O aparelhamento do STF fez o resto.

Responder

Paulo

16 de junho de 2022 às 22h26

Como 100% dos valores podem ter sido superfaturados? O que caracterizaria o superfaturamento, nesse caso? Qual o parâmetro? Se 100% foram superfaturados, trata-se de pagamento indevido, no seu todo, pura e simplesmente…Reportagem manca. Mas que se apure tudo, é meu desejo mais sincero. Não tenho bandido de estimação…

Responder

    Miguel do Rosário

    16 de junho de 2022 às 23h02

    Simples, não fazendo nada. Isso não é obra. É “consultoria”. Os 100% estão no relatório do TCU.

    Responder

      Sá Pinho

      17 de junho de 2022 às 11h46

      Miguel, sem dúvida mereces ganhar ‘O Tolerante do Ano de 2022’, pela civilidade, tolerância e o sábio estrepitoso silêncio, empregados em relação a essa bárbara diplomada gente tapada que escala entre o interesseiro e o imbecil, permeados pela ignorância, com a hipocrisia e o cinismo reservados aos especiais e o ódio marinado na xucrice intrínsecos a todos, dos medíocres ofensores de carteirinha aos categorizados, ‘sem semancol’ e ‘com semancol’ da não estimação, da fake news e da narrativa.

      Que falta faz o ‘mata-xucro’ na ‘porteira digital’.

      Responder

Deixe um comentário

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina