Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Imagem: IBGE

IBGE: PIB apresenta crescimento de 1,2% no 2° trimestre

Por Redação

01 de setembro de 2022 : 10h44

Nesta quinta-feira, 1°, o IBGE informou que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro apresentou crescimento de 1,2% no segundo trimestre deste ano. Os dados também revelam que na comparação com o mesmo período de 2021, o crescimento foi de 3,2%. O PIB cresceu 2,6% no acumulado de quatro trimestres.

Ao todo, o PIB do Brasil foi de R$2,4 trilhões. Desse total, R$ 2,1 trilhões de valor foi adicionado a preços básicos e R$ 332,2 bilhões foram arrecadados via impostos.

Segundo o IBGE, esse crescimento foi turbinado por meio da atividade industrial, que aumentou 2,2% entre junho e agosto. O setor de serviços também foi responsável com alta de 1,3% e o agronegócio com 0,5% no 2º trimestre. Já a taxa de investimento no país passou de 18,6% para 18,7%.

A coordenadora de contas do instituto, Rebeca Palis, explica que “os serviços estão pesando 70% da economia, então têm um impacto maior nesse resultado. Dentro dos serviços, outras atividades de serviços (3,3%), transportes (3,0%) e informação e comunicação (2,9%) avançaram e puxaram essa alta. Em outras atividades de serviços, estão os serviços presenciais, que estavam represados durante a pandemia, como os restaurantes e hotéis, por exemplo”.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

William

01 de setembro de 2022 às 20h02

Fernando Moreno,

o tal de salário mínimo é a enésima palhaçada brasileria, é um presente que fizeram aos empreendedores, deve ter com certeza os sindicatos no meio.

O salário é estabelecido entre o empregado e o empregador, tabelar isso criou um cartel de pagadores de 1 salário mínimo e 1 cesta básica e se quiser.

Isso escravizou e escraviza milhões de pessoas e é usado para fazer política rasteira.

Terceiro mundo puro.

Responder

Fernando Moreno

01 de setembro de 2022 às 15h27

A economia cresce apesar do Bolsonaro, e não por causa dele.
Atrasou a vacinação.
Tirou dinheiro que era da educação e saúde dos Estados, mas manteve o maior pagamento do mundo em dividendos para acionistas da Petrobrás.
Não aumentou o salário mínimo além da inflação.
Não corrigiu a tabela do imposto de renda.
Só fala mentira.

Responder

Sergio Furtado Cabreira

01 de setembro de 2022 às 13h57

Ora, ora… pare de mentir.
A gasolina do Bosó sobe assim que o monturo perder a eleição.
E, o desemprego e fome vieram desde o golpe de 2016!
Córre guri! Córre que a eleição tá chegando!

Responder

Uganga

01 de setembro de 2022 às 11h37

Sem a pandemia hoje o Brasil estaria viajando para a recuperaçào completa apòs a passagem da desgraça petista.

Antés da pandemia a inflaçào era perto de zero, o dolar na casa dos 3,90-4,00 R$, a gasolina ja està voltando ao valor pre pandemia.

Foi uma pena, foram mais de 2 anos e dezenas de bilhoes de reais jogados no lixo.

Responder

Deixe um comentário