Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

STF se verga ao ódio, mais uma vez

Por Miguel do Rosário

25 de junho de 2014 : 18h40

Tudo referente à Ação Penal 470 é político, e o STF atual ainda não conseguiu fugir a essa lógica brutal. O espetáculo proporcionado por Joaquim Barbosa gerou mais uma onda linchatória, amedrontando a corte. A mídia blindou Barbosa e o clima ainda está envenenado.

A Globo, há semanas, que dá notícias sobre os réus da AP 470 falando apenas em “mensaleiros”, como se eles não fossem cidadãos, mas leprosos de uma raça alienígena. A campanha do ódio está muito forte.

Barroso sente a pressão. Seu argumento de que “centenas de presos” estão em situação similar à de José Genoíno é mais uma ode à arbitrariedade e à injustiça, porque se há pessoas inofensivas à ordem pública, condenados em semi-aberto, com problemas de saúde, então todos merecem, em nome do humanismo penal básico, cumprir prisão domiciliar.

O STF tem de dar uma orientação humanista às decisões penais no Brasil, não ao contrário.

Suponho, contudo, que Barroso tomou uma decisão política. Como Genoíno terá cumprido, em agosto, 1/6 do cumprimento da pena, ele poderá mudar seu regime de “semi-aberto” para o “aberto”.

Pode ser também que Barroso tenha “vendido” a decisão sobre Genoíno com o objetivo de compensar uma decisão favorável ao semi-aberto de Dirceu e outros réus.

Na verdade, o momento político para os réus do mensalão nunca foi tão ruim como agora, por causa do processo eleitoral e das jogadas políticas de Joaquim Barbosa.

Barbosa ajudou magnificamente a envenenar o ambiente político no entorno da Ação Penal 470. Qualquer decisão de Barroso no sentido de reverter uma decisão injusta de Barbosa lhe valerá o ódio insano e violento dos barbosianos e da Globo.

Barroso não tem força para enfrentar isso, então ele vai dançar conforme a música. Não vai fazer totalmente o jogo da mídia, mas não vai ficar numa posição de confronto.

O golpe ainda vai demorar para ser desmontado.

*

No Conversa Afiada.

STF NEGA PRISÃO DOMICILIAR A GENOINO

Luís Roberto Barroso, novo relator, votou contra

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) negou, nesta quarta-feira (25), prisão domiciliar ao ex-deputado José Genoino, que tem cardiopatia crônica.

Luís Roberto Barroso, que substituiu Joaquim Barbosa na relatoria dos processos relacionados à AP 470, afirmou que a situação de saúde de Genoino “não é diversa da de centenas de outros detentos” e votou contra o pedido feito pela defesa do ex-deputado, condenado a 4 anos e 8 meses de prisão em regime semiaberto.

Os Ministros Teori Zavascki, Rosa Weber e Luis Fux, Cármem Lúcia, Gilmar Mendes, Marco Aurélio Melo e Celso de Melo acompanharam Barroso.

Dias Tóffoli e Ricardo Lewandowski divergiram e concederam o pedido. Ambos lembraram que o parecer do Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, pede prisão domiciliar de Genoino.

Barroso ainda disse que a partir do próximo dia 25 de agosto (um dia após o cumprimento de 1/6 da pena) decidirá progressão de regime de Genoino.

Joaquim Barbosa não participou da sessão, que foi presidida por Ricardo Lewandowski.

0007-013623-_19970409

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

21 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Bernardo Arnildo Mallmann

26 de junho de 2014 às 21h18

Espero que Genuino aguente até final de agosto

Responder

Messias Franca de Macedo

26 de junho de 2014 às 09h05

… ‘As vozes da ruas’ perguntam para o Barroso e os demais “supremos”: em qual regime carcerário estão cumprindo pena os ilibados (sic) Robson Marinho, Paulo Maluf, Daniel Dantas, José Roberto Arruda, Carlinhos Cachoeira, DEMÓstenes Torres, Eduardo Azeredo?!… São pacientes acometidos de cardiopatia gravíssima, e, portanto, cumprem “as penas” em regime de UTI hospitalar?!…

RESCALDO: no, ‘brazil’, “a corte suprema” é, absolutamente, ÍNFIMA!

Responder

Teresa Andrade

26 de junho de 2014 às 12h00

Argumento frágil do Minsitro Barroso de que não atenderia este caso pois existem muitos outros na mesma situação não me parece um julgamento justo. O ministro Barroso perdeu a chance de fazer justiça não somente com Genoino mas a todos os presos doentes…uma pena ministro :(

Responder

    Messias Franca de Macedo

    26 de junho de 2014 às 09h17

    … Verdade, prezada Teresa Andrade: se o ministro Barroso fosse um verdadeiro humanista, teria aproveitado a oportunidade díspar, para provocar, concretamente, a uma revisão da Lei concernente à prisão domiciliar! Ganhariam a civilidade, a Justiça, os condenados, o STF e o ministro Luiz Roberto Barroso! Mesmo porque manter a injustiça em nome da logística é, no mínimo, um contrassenso! Ou a prisão domiciliar é mais onerosa e dispendiosa para o Estado em comparado ao encarceramento em Unidades Prisionais?!…

    Teresa, oremos: por todos ‘nois’!

    Messias Franca de Macedo
    Feira de Santana, Bahia
    República de ‘Nois’ Bananas

    Responder

Teresa Andrade

26 de junho de 2014 às 12h00

Argumento frágil do Minsitro Barroso de que não atenderia este caso pois existem muitos outros na mesma situação não me parece um julgamento justo. O ministro Barroso perdeu a chance de fazer justiça não somente com Genoino mas a todos os presos doentes…uma pena ministro :(

Responder

Messias Franca de Macedo

26 de junho de 2014 às 08h52

… E se o réu fosse um da Casa Grande?!…

Exceção foi a farsa
do MENTIRÃO!…

Força, resignação e paciência José Genoino Neto [do Brasil]!

Messias Franca de Macedo
Feira de Santana, Bahia
República de ‘Nois’ Bananas

Responder

Ronaldo Braga

25 de junho de 2014 às 19h49

A AP 470 vai desmoronar e desmoralizar o STF. Questão de tempo.

Responder

Denis Oliveira Damazio

25 de junho de 2014 às 22h38

Nao penso assim. Barroso precisava se estabelecer como imparcial (o que Lewandowski nao precisa por estar la desde antes do processo). Alem disso Genoino vai sair e ficar quieto em casa em menos de 2 meses. O proprio Barroso diz, corretamente, que Genoino nao poderia querer tratamento especial. Estabelece-se uma boa base, depois vamos peitar o corpo do processo em si e reverter essa situacao pra história!

Responder

    Miguel

    26 de junho de 2014 às 00h26

    Sim, foi mais ou menos isso que eu disse, com outras palavras.

    Responder

Maria Celia Ferrarez Bouzada

25 de junho de 2014 às 22h31

Não me frustrou, porque era isto o esperado. Nunca duvidei que eles não peitariam a imprensa. A imprensa já provou que é de fato uma grande máfia que fez da nossa Constituição um pedaço de papel que somente funciona para pretos, pobres, putas e petista.

Responder

Vitor

25 de junho de 2014 às 19h21

Barbosa, segundo Miguel, é frustrado, vingativo, perigoso, maldoso, movido por um ódio infinito, utiliza fatos fabricados, condena Genoino a morte, etc.

https://www.ocafezinho.com/2014/05/02/a-luta-que-genoino-nunca-perdeu/
https://www.ocafezinho.com/2014/05/01/barbosa-um-frustrado-vingativo-e-perigoso/
https://www.ocafezinho.com/2014/04/30/barbosa-condena-genoino-a-morte/

Barroso, segundo Miguel, está compensando, sente a pressão, não tem força, etc.

Os dois tomaram a mesma decisão!

Não sou fã de Barbosa (bem longe disso aliás, achei ótimo que ele saiu do Supremo), mas cobro um pouco mais de coerência e dureza com a nova decisão, caro Miguel…

Responder

    Miguel do Rosário

    25 de junho de 2014 às 19h27

    Eu fui bastante duro, Vitor. Mas há nuances.

    Responder

      Vitor

      25 de junho de 2014 às 19h29

      A consciência é sua! Só torço para que não caia no 1 peso, duas medidas da grande mídia!

      Responder

        Miguel do Rosário

        25 de junho de 2014 às 19h37

        Vitor, eu fui bastante duro, só não usei a mesma adjetivação usada com Barbosa.
        Barroso é educado demais para isso. Barbosa é truculento, a gente usa
        uma linguagem mais forte.

        Responder

          Vitor

          25 de junho de 2014 às 19h45

          Miguel, o meu problema não foi a linguagem, foi o mérito…
          Com o Barbosa vc coloca que ele só fez por maldade, com o Barroso, vc praticamente coloca que ele foi obrigado a fazer isso por terceiros, como se fizesse isso à própria revelia, ou apenas por estratégia…
          Mas enfim, eu não estou contra você, prefiro mil vezes o Barroso que o Barbosa, mas sou chato mesmo com algumas coisas, como vc já deve ter percebido!

          Miguel do Rosário

          26 de junho de 2014 às 01h59

          Não é só “maldade”. Barbosa também sofreu pressão. Só que Barbosa internalizou
          essa pressão, e deu-lhe pitadas de crueldade.

          Vitor

          26 de junho de 2014 às 06h47

          Ok…

Lulu Pereira

25 de junho de 2014 às 22h15

vergonha stf

Responder

Osvaldo Luiz Ribeiro

25 de junho de 2014 às 22h12

Mas era óbvio que ou o STF estava concorde com HB ou era covarde. Se ele sai e o STF faz o contrário, provará que estava coagido. Engana-se quem pensa que o problema desse caso era JB… Engana-se…

Responder

Gave Alécio

25 de junho de 2014 às 21h54

Por isso ele nem compareceu ao plenário, a intenção deles foi blindá-lo para não desmerecer o já desmerecido STF.

Responder

Flávio Furtado de Farias

25 de junho de 2014 às 21h46

Eu estou extremamente decepcionado com o STF, em especial com os novos membros.

Responder

Deixe um comentário