Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Senado e governo assinam pacto anti-golpe

Por Miguel do Rosário

12 de agosto de 2015 : 04h49

Boa notícia.

O presidente do Senado, Renan Calheiros, assumiu uma posição firme contra um processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

A posição de Renan se une a uma série de reações, de importantes forças sociais e políticas, aqui e no exterior, contra um golpe parlamentar no Brasil.

Ao declarar que um impeachment poderia “botar fogo no Brasil”, Calheiros deixou claro que um processo desses deflagraria uma convulsão social, tirando a legitimidade de quem assumisse o poder e deixando o país ingovernável por tempo indeterminado.

Um golpe poderia desestabilizar a política brasileira por décadas. A comparação com o impeachment de Collor não procede. Ao contrário de Collor, a eleição de Dilma se deu pela união orgânica de muitos partidos, sindicatos, movimentos sociais, que se engajaram em sua campanha e não aceitariam nenhum governo imposto à força, sem a legitimidade de um processo eleitoral regular e transparente.

A perplexidade dos movimentos sociais e a apatia do povo não durariam muito tempo. Após um período de susto, um golpe de Estado poderia levar o país a uma guerra civil.

Espontaneamente se criou no Brasil, à esquerda e à direita, uma espécie de bloco do bom senso, que tenta hoje estender um cordão sanitário ao redor de Eduardo Cunha.

Semi-morto politicamente, Cunha está tentando causar o maior estrago possível ao governo, indiferente às consequências de sua pauta terrorista para a economia do país.

Os empresários já perceberam que Cunha é um louco que, em sua obsessão por agredir Dilma e o PT, está dando prejuízo para todo mundo.

O acordo firmado entre o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, e o presidente do Senado, Renan Calheiros, para lançar uma agenda positiva e levar adiante uma série de reformas importantes, aponta para um caminho de estabilidade política.

Pena que o governo tenha preferido se apegar tão obsessivamente às medidas de ajuste fiscal. Poderia ter feito um jogo mais inteligente, enviando um conjunto de leis ao congresso. Mesmo perdendo algumas votações, teria a oportunidade de pautar o debate público nacional, evitando fazer o papel de cordeiro de Deus sacrificado no altar da traição política.

Por outro lado, o PMDB – não sabemos até que ponto agiu espontaneamente, levado pelas circunstâncias – fez o jogo do policial mau (Cunha) e policial bom (Renan), e assumiu, na prática, a liderança política no país.

Movimentos sociais já começaram a chiar, provavelmente com razão, contra diversos pontos da “agenda positiva” acertada entre Renan e Levy.

Seja como for, essa agenda é uma vitória da legalidade.

Seu significado político corresponde a um basta à Eduardo Cunha – e um pacto antigolpe pela governabilidade e pela democracia.

A agenda ainda é apenas um conjunto de propostas. Tudo pode ser melhor ajustado em seguida, conforme as leis forem sendo debatidas no parlamento. Pelo menos, não se incluiu nenhuma medida que signifique retrocesso para o setor do petróleo.

O governo cometeu tantos erros seguidos, levou adiante uma agenda política tão mal formulada, tão mal apresentada, tão mal jogada com o parlamento e com a sociedade, que não lhe resta muitas saídas que não uma relação de muita humildade com o presidente do Senado, Renan Calheiros.

Aliás, há tempos que setores progressistas já vinham vislumbrando, em Renan, o último bastião do bom senso e da legalidade democrática, no Congresso, contra o trator golpista e reacionário que vinha da Câmara, após a eleição de Eduardo Cunha.

A ordem, de qualquer forma, é manter a guarda e fortalecer os movimentos de resistência democrática, para sobrevivermos a esse agosto infernal.

É muito cedo para alimentar qualquer otimismo ou esperança. A única ação prudente, no momento, é exercer a luta política em sua plenitude, nas redes, nas ruas e no interior do nosso próprio espírito, não nos deixando iludir ou fraquejar.

Tudo ainda está em suspenso, porque o golpismo ainda tem munição pesada para gastar neste sombrio mês de agosto: mais delações manipuladas, votações do TCU e TSE, marcha golpista no dia 16.

Continuem todos com os cintos fortemente afivelados, porque ainda enfrentaremos muitas turbulências no futuro próximo.

As coisas ainda podem piorar um pouco antes de melhorar.

***

No blog Parlatório, da Carta Capital.

Impeachment de Dilma seria “botar fogo no Brasil”, diz Renan

por Agência Brasil — publicado 11/08/2015 10h34, última modificação 11/08/2015 12h55

Presidente do Senado afirma que o impeachment “não é o que a sociedade quer de nós” e define uma agenda para a retomada do crescimento

O presidente do Senado e do Congresso Nacional, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse, nesta segunda-feira 10, que temas como impeachment e apreciação de contas dos governos anteriores e do atual não são prioridades. “Na medida que o Congresso tornar isso prioritário, estaremos pondo fogo no Brasil. E não é isso que a sociedade quer de nós”, disse o parlamentar, após reunião com ministros na residência oficial do Senado.

A reunião serviu para que Renan definisse com os ministros da área econômica e outros uma agenda para a retomada do crescimento econômico e outras reformas necessárias ao país após a crise. Na opinião dele, essa agenda deve ser ampla a ponto de reunir as forças políticas em torno dela.

“Eu acho que agenda tem que tratar de tudo, da reforma do Estado, da coalizão, da sustentação congressual. Eu acho que esse modelo político, essa coalizão, ela já se esgotou no tempo. É preciso dar fundamento ao ajuste, à agenda da retomada do crescimento, sinalizar claramente com relação ao futuro do Brasil e construir uma convergência com relação a esse futuro”, disse o presidente do Senado.

Uma das principais lideranças do PMDB, o senador Romero Jucá (RR) também participou da reunião com os ministros e disse que a proposta é que o Senado se encarregue de “capitanear a retomada da animação econômica”. Ele confirmou que foi convidado para jantar hoje à noite no Palácio da Alvorada, com a presidenta Dilma Rousseff e outros senadores e disse que o governo está “procurando construir pontes”.

“Se está procurando construir pontes, vamos ver os termos dessas pontes. O Congresso tem que procurar colocar aquilo que deseja, aquilo quer, e a partir daí procurar uma convergência. Eu acho que, no momento grave que o país está passando, nós temos que procurar construir essa convergência para superar a dificuldade econômica. Se nós conseguirmos, vai ser uma vitória da política”, disse Jucá.

Enquanto os dois peemedebistas acertavam um acordo com os ministros para a agenda de retomada do crescimento, no plenário do Senado lideranças petistas também fizeram discursos para defender o mandato da presidenta Dilma. A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), ex-ministra da Casa Civil, acusou a oposição de inconformismo com o resultado das eleições de 2014 e de tentar burlar a Constituição, ao propor, na semana passada, novas eleições.

“Temos uma presidenta eleita, empossada e no exercício do mandato. Nossos líderes tucanos não querem o impeachment, mas querem novas eleições. De preferência, eleições que eles vençam, claro, porque, se perderem poderemos ter que ouvir novamente todas as desculpas que estamos ouvindo desde o resultado das urnas, que decepcionou tanto o PSDB”, disse Gleisi. Ainda segundo ela, desde a eleição do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a base aliada do governo na Casa está “desorganizada e mesmo sublevada contra o Executivo”.

O líder do PT, Humberto Costa (PE), ressaltou que estamos passando por “séria instabilidade política no País, que exige de todas as Lideranças responsáveis um esforço em favor de uma grande concertação nacional”. Segundo ele, as empresas já começam a sofrer os efeitos desta instabilidade e a economia é a mais afetada pelo comportamento considerado por ele irresponsável.

“Com a anuência do presidente da Câmara dos Deputados, a oposição quer atacar o governo, aprovando todo tipo de aberração fiscal, tributária e administrativa, o que poderá inviabilizar o Brasil não apenas durante este governo, mas durante um longo espaço de tempo para os próprios governos que venham a suceder o governo da presidenta Dilma”, disse o líder petista no senado.

Humberto Costa também declarou que a presidenta “não será impedida de governar. Não pensem que a população vai assistir passivamente uma presidente eleita legitimamente ser derrubada, que os lutadores sociais, os militantes, vão para casa colocar o pijama e assistir à novela das oito. Não, com certeza não irão! Este país viveria uma convulsão porque, sem legalidade e sem legitimidade, nenhuma coalizão política que sucedesse Dilma poderia ser aceita pelos brasileiros”, declarou Costa.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

127 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Adilson Antonio Rossetto

13 de agosto de 2015 às 19h13

Pacto com Renan Calheiros! Libera me, Domine !

Responder

Mila Môca

13 de agosto de 2015 às 12h20

O PT é excelente em se enforcar na própria corda …

Responder

Simone Santos

13 de agosto de 2015 às 05h13

Sua gordura abdominal subiu pra cabeça

Responder

Simone Santos

13 de agosto de 2015 às 05h12

Vai fazer uma dieta, está com gordura até no cérebro! ?

Responder

Eliseu Bottin

13 de agosto de 2015 às 01h14

ESTÁ SE JUNTANDO A QUADRILHA !!!!!

Responder

Eliseu Bottin

13 de agosto de 2015 às 01h12

RENAN TRAIDOR DO POVO BRASILEIRO !!!!!!

Responder

Henrique Pedro

13 de agosto de 2015 às 00h15

Eu não odeio a Dilma Jeremias, apenas a acho incopetente.

Responder

Sandra Gontijo

12 de agosto de 2015 às 23h52

O Senado está se posicionando como deve , em prol da ordem e das garantias constitucionais , pensar no contrário, seria uma insanidade , que somente os loucos e terroristas são capazes….! Ninguém que use no mínimo 5%(cinco por cento) de sua massa cinzenta, participa de um golpe de Estado (que só gera convulsão social) , mortes , prisões, recessão na economia, desvalorização cambial, fim de investimentos…! Simplesmente por vingança , insatisfação , somada a “jogadas e armações ” de delatores, supostamente combinados para derrubarem um governo , pelo fato dele ter ” ATRASADO O PAGAMENTO AOS BANCOS ” (ou pedaladas fiscais! ) . Na insignificância contábil, percebe-se a intenção nefasta , maquiavélica de manipulação ….! Em todas as esferas de governo, são cometidas tais pedaladas, portanto caso uma Presidenta perca o seu mandato por isso( piada ….!!!), uma auditoria em todo o país, deverá ser feita e todos condenados….! E a abertura de crédito suplementar , sem fiscalização nenhuma do objetivo/fim? Pois é….efeito dominó! Parabéns Renan e demais senadores vocês agiram com grandeza e honradez!

Responder

Almir Morais Filho

12 de agosto de 2015 às 23h33

Deve ter saído um pixuleco para o Renan e cia.

Responder

    Simone Santos

    13 de agosto de 2015 às 05h16

    Igual ao que sai pra vc, via BB

    Responder

    Almir Morais Filho

    13 de agosto de 2015 às 12h33

    O que sai pra mim, via BB, é pelos 30 anos que trabalhei lá e pagando a PREVI, fundo de pensão que o PT esta acabando. Não apoio nenhum político, principalmente os ladrões que estão delapidando com todas as nossas riquezas, distribuindo recursos para Cuba, Bolívia e outras ditaduras.

    Responder

Lobonoticias Lobo

12 de agosto de 2015 às 22h13

So para os pseudo intelectuais que mamam no poder: O meu suado bolso nao aguenta mais manter vcs, e muito imposto e muito mav para um trabalhador manter, na vida boa !

Responder

Adelma Fonseca

12 de agosto de 2015 às 21h56

Olá! Venha curtir a nossa Página!
A sua opinião é muito importante.
Jornal Atual Notícia
(y) https://www.facebook.com/jornalatualnoticia

Responder

Romero César Do Nascimento

12 de agosto de 2015 às 21h53

A maior DERROTA da oposição golpista, é não aceitar que já PERDERAM.

Responder

Thiago Luz

12 de agosto de 2015 às 20h35

os condestáveis da república petista. com eles a travessia é segura, e um porvir glorioso advirá.

Responder

Lisa Gatti

12 de agosto de 2015 às 20h00

para salvar o brasil da crise vale tudo naõ acham?

Responder

Jose Chagas

12 de agosto de 2015 às 19h30

Este e pais de político larápio todos esses vagabundos corruptos tem que numa inchada e ir capinar na roça esses larápios traidores da fé do povo brasileiro todos estão juntos pra da um golpe nos brasileiros isso sim.

Responder

Gilda Alves

12 de agosto de 2015 às 19h01

existe neste país, não sei quem, nem de onde vem, uma corja que quer por que quer se perpetuar no poder. Bastou que o PT ficasse no poder por 12 anos e completará neste fim de mandato, 16 anos que eles estribuchassem a ponto de querer rasgar a nossa constituição, tão suada e voce Thiago é dilapidador?

Responder

Marcelo Aranha De Sousa Pinto

12 de agosto de 2015 às 18h22

O PT não tem cura, acabou o dinheiro.

Responder

Fabio Shok

12 de agosto de 2015 às 17h11

Tava na hora de assumirem o golpe neh Parabéns!

Responder

Guilherme Scalzilli

12 de agosto de 2015 às 16h59

Lama a Jato

A cada depoimento novo, o cenário da Lava Jato fica mais constrangedor para a oposição. A imprensa tucana faz algazarra em torno das menções dos delatores a Dilma e Lula, mas o que vemos é um número crescente de elos com José Serra, Geraldo Alckmin, Aécio Neves, etc.

Inflado pela mídia corporativa, Sérgio Moro convenceu-se de que podia criminalizar as maiores empreiteiras do país e ao mesmo tempo manter o processo focado nos petistas. Mas suas pretensões exacerbadas são inconciliáveis com o viés seletivo dos inquéritos.

Ao longo dos intermináveis ritos processuais será impossível desnudar as construtoras sem atingir as doações para candidaturas do PSDB e os contratos no metrô de São Paulo, por exemplo. As menções a Serra nos emails da Odebrecht (e as canhestras tentativas de ocultá-las) fornecem um indicativo dos monstros ocultos nesses armários.

Algo parecido amedronta os ministros do STF. Se tratarem os políticos citados sob critérios menos rigorosos do que usaram no julgamento do “mensalão”, escancaram o partidarismo de seus votos submissos a Joaquim Barbosa. Repetindo aquela verve condenatória, precisarão meter a cúpula oposicionista na cadeia.

Eis o dilema central de Moro e seus asseclas: quanto mais eficazes forem do ponto de vista jurídico, mais perigosos se tornam politicamente. O esforço para manter as investigações em certos eixos convenientes evidencia a preocupação com esses limites. A cronologia usada para o escândalo da Petrobrás fala por si.

E os justiceiros estão certos. A Lava Jato não sobrevive uma semana se extrapolar os limites da atual base governista. Logo surgiriam os editoriais pedindo cautela, os protestos da OAB, as admoestações do CNJ e as interferências das cortes superiores. Prender tucano é coisa que a boa sociedade não aceita e ponto final.

Talvez se precavendo desses perigos, a alcaguetagem comandada por Moro teve tantas falhas rudimentares. Grampos ilegais, vazamentos seletivos e outras esquisitices dificilmente sairão ilesos dos trâmites processuais. É mesmo previsível que as irregularidades inviabilizem boa parte das ações, quando não as anularem por completo. Já vimos esse filme antes, aliás.

A estratégia delatora presume um componente de barganha que dá sentido muito próprio a deslizes que podem favorecer os réus em longo prazo. No mínimo insinua que a efetiva punição dos empreiteiros não configurava o objetivo central dos inquéritos.

Assim compreendemos por que a oposição tenta agravar logo o desgaste do governo federal. O impeachment selaria a utilidade partidária do justiciamento de Moro, garantindo a blindagem dos outros interesses que ele ameaça. Seria um alívio para as próprias defesas, que enfim sorveriam o desvio da atenção midiática.

O golpe representa uma cortina de fumaça para o vergonhoso desfecho que a Lava Jato previa desde o início. Além de alvos de um procedimento político, Dilma e o PT são bodes expiatórios da impunidade dos seus adversários.

http://www.guilhermescalzilli.blogspot.com.br/

Responder

Gustavo Duarte

12 de agosto de 2015 às 16h50

Um pacto que unclui a cobrança no SUS e mudanças na demarcação de terras indígenas. Acredito que a prioridade é de governabilidade, mas quem vai pagar a conta são as minorias?

Responder

Gustavo Duarte

12 de agosto de 2015 às 16h50

Um pacto que unclui a cobrança no SUS e mudanças na demarcação de terras indígenas. Acredito que a prioridade é de governabilidade, mas quem vai pagar a conta são as minorias?

Responder

Marcos Santos de Souza

12 de agosto de 2015 às 15h53

O Thiago Luz só conhece as falcatruas do estado dele MG… Não fique triste amigo, aqui em São Paulo está um inferno também com o Alckmin !!!

Responder

    Thiago Luz

    12 de agosto de 2015 às 16h43

    não votem no alkmim, tirem o alkmim. não podemos nos contentar com a velha contenda en tre pt x psdb. não podemos olhar pra trás. temos que olhar pra frente e ter coragem de aceitar que assim como sarney, lula, fhc, serra, é passado. enquanto ficarmos da arquibancada torcendo e discutindo quem roubou mais o pais vai pro brejo. que se fodam todos. vejam qual era a carga tributaria do pais quando o fhc assumiu o poder. veja qual é o hoje. estão nos roubando, tirando nosso trabalho, que é nosso tempo, nossa vida, pra sutentar uma máquina corrupta e todos eles se locupletarem. eles são insaciáveis, todos eles, querem sempre mais. alguns idiotam tão dizendo aí que é pra taxar os ricos. não se iludam, os ricos sabem se proteger. eles não conseguem pegar os ricos, sempre sobrará para nós.

    Responder

      Miguel do Rosário

      12 de agosto de 2015 às 14h33

      tirem o alckmin, certo, mas em 2018, nas urnas, não através de golpe.

      Responder

Wilson Trajano Siqueira Trajano

12 de agosto de 2015 às 15h42

Se Dilma cair, cai todos os golpistas. O Brasil vai dar a volta política por cima.

Responder

Wilson Trajano Siqueira Trajano

12 de agosto de 2015 às 15h42

Se Dilma cair, cai todos os golpistas. O Brasil vai dar a volta política por cima.

Responder

    Maria de Lourdes Cardoso

    12 de agosto de 2015 às 21h47

    Wilson, não me parece tão simples assim: com a saída de Dilma, através de golpe, resta saber quem assumirá, não podemos esquecer que temos um Senado ruim e uma Câmara desonesta. Nada mudará, trocar a Presidente e permanencer 573 congressistas que só querem garantir suas aposentadorias e estão se lixando para o povo. Basta ler as frases de Renan Calheiros para ver a fragilidade das “afirmações”. Uma enrolação.

    Responder

    Maria Célia Marcilio

    13 de agosto de 2015 às 04h24

    Morra de ódio, Jeremias Soares da Cunha. A Dilma fica!

    Responder

Mirts Ribeiro Alves Lacerda

12 de agosto de 2015 às 15h39

O Senador Renan não faz nada mais do que a obrigação de zelar pela garantia do Estado de Direito!

Responder

Helena Franco

12 de agosto de 2015 às 15h28

Por falar em quadrilha e Aécioporto já ta legalizado???

Responder

    Thiago Luz

    12 de agosto de 2015 às 16h37

    pior que legalizaram o aecioporto. o ministerio público encerrou o caso

    Responder

Junior Pedro Salgado Sonia Salgado

12 de agosto de 2015 às 15h27

Bando de safado, este são os escudeiros da Anta, Mais nos temos o EDUARDO CUNHA., que fara a diferença

Responder

enio

12 de agosto de 2015 às 12h04

A VERDADE É QUE A CANALHADA INTERNACIONAL QUER TIRAR A PETROBRAS JUNTO COM O PRÉ-SAL DO BRASIL DE QUALQUER JEITO, SÓ O PRÉ-SAL VALE R$ 20 TRiLHÕES, SEM O PRÉ-SAL, EDUCAÇÃO PERDE R$1,3 TRILHÃO. ELES ESPERAM A AJUDA DOS TRAIDORES NATIVOS ENTREGUISTAS, QUE ESTÃO LOUCOS PARA ENGORDAREM SUAS CONTAS NOS PARAÍSOS FISCAIS.
A pátria dos traidores é o dinheiro sujo, não importa de onde vem, é dinheiro manchado com o sangue do povo brasileiro.

https://www.youtube.com/watch?v=Bi15bR4GXo0
https://www.youtube.com/watch?v=1phd2VxUnW4
https://www.youtube.com/watch?v=L3VTSxWTvjI

Responder

Jo Jabaquara Vieira

12 de agosto de 2015 às 15h02

Kkkkkk..coitado desse governo! Pacto com um denunciado pelo Petrolao!! Só mesmo no PT! Ta vendo pq destruíram o Brasil! São ministros com sérias denúncias e não bastasse agora o presidente do Senado..

Responder

Jo Jabaquara Vieira

12 de agosto de 2015 às 15h02

Kkkkkk..coitado desse governo! Pacto com um denunciado pelo Petrolao!! Só mesmo no PT! Ta vendo pq destruíram o Brasil! São ministros com sérias denúncias e não bastasse agora o presidente do Senado..

Responder

Renato Inácio Pereira

12 de agosto de 2015 às 14h56

O pacto anti golpe é um golpe em si

Responder

Renato Inácio Pereira

12 de agosto de 2015 às 14h56

O pacto anti golpe é um golpe em si

Responder

Hugo Vargas

12 de agosto de 2015 às 14h22

Esse pacto já não seria o próprio golpe?!

Responder

    Renato Inácio Pereira

    12 de agosto de 2015 às 14h58

    Tipo aquele lance de que o pcc obriga o inimigo a se enforcar sozinho e os homicidios cometidos em presidios caíram pra caramba. É isso. “Faz tudo que eu faria se te desse um golpe e nao dou o golpe”. Belo acordo esse.

    Responder

Edilberto Pires

12 de agosto de 2015 às 11h19

PMDB, CRIA JUÍZO E TOME ATITUDE, (INTENDÊNCIA) NÃO ATENDER CAPRICHOS DE UM PRESIDENTE DA CÂMARA A SERVIÇO DE SUAS AMBIÇÕES DE GRUPOS INCLUSIVE DE SEITA.

Responder

Douglas Alípio

12 de agosto de 2015 às 14h12

Marcela Lacerda

Responder

Ines Ferreira

12 de agosto de 2015 às 13h54

bom senso? tá brincando né? pagar o sus? já não dá mais pra dizer o q é pior com ou sem golpe.

Responder

Rodrigo Jardim Rombauer

12 de agosto de 2015 às 13h46

Até a Globo golpista afinou. Hahahahahaha.

Responder

Henrique Pedro

12 de agosto de 2015 às 13h31

Quem votou na Dilma deveria assumir a besteira que fez em colocar o Brasil nessa situação.

Responder

Charles Lisboa

12 de agosto de 2015 às 13h21

#foraCunha

Responder

Charles Lisboa

12 de agosto de 2015 às 13h21

#foraCunha

Responder

Dio Mallmann de Campos

12 de agosto de 2015 às 13h18

Renan está agindo com bom senso! :)

Responder

Armistrong Souto

12 de agosto de 2015 às 13h06

Eis o primeiro passo para isolar o Cunha, e comparsas; e partir para uma tentativa de renovar, via eleições, a câmara federal.

Responder

Armistrong Souto

12 de agosto de 2015 às 13h06

Eis o primeiro passo para isolar o Cunha, e comparsas; e partir para uma tentativa de renovar, via eleições, a câmara federal.

Responder

César Alves de Lara

12 de agosto de 2015 às 12h47

Contra o color foi golpe então? Se o povo quiser tirar esta corja do poder, eles podem se aliar até com Deus.

Responder

César Alves de Lara

12 de agosto de 2015 às 12h47

Contra o color foi golpe então? Se o povo quiser tirar esta corja do poder, eles podem se aliar até com Deus.

Responder

Raimundo Lisboa

12 de agosto de 2015 às 12h46

Pacto anti-golpe ou pacto “Dilma aceitará a agenda Cunha indiretamente?”

Responder

Raimundo Lisboa

12 de agosto de 2015 às 12h46

Pacto anti-golpe ou pacto “Dilma aceitará a agenda Cunha indiretamente?”

Responder

Paulo César Fernandes

12 de agosto de 2015 às 12h45

sim, esqueceu de mencionar que o governo abraçou a tal da “Agenda Brasil” com tópicos que deixam as propostas horríveis do Cunha no chinelo.

sempre vigilantes com esse governismo de vocês.

Responder

Paulo César Fernandes

12 de agosto de 2015 às 12h45

sim, esqueceu de mencionar que o governo abraçou a tal da “Agenda Brasil” com tópicos que deixam as propostas horríveis do Cunha no chinelo.

sempre vigilantes com esse governismo de vocês.

Responder

Vitor Cardoso

12 de agosto de 2015 às 12h42

O que foi cedido para a assinatura desse pacto? Confiar num pacto assinado por Renan Calheiros? Esses governistas não cansam de apanhar, impressionante…

Responder

Cristina Lanzini

12 de agosto de 2015 às 12h30

boa notícia? vão votar e aprovar toda a pauta conservadora. bom pra quem?

Responder

Sandro Sanchez

12 de agosto de 2015 às 12h26

Boa notícia? Assumir uma pauta completamente reacionária e antidemocrática, que vai contra aos anseios das 54 milhões de pessoas que votaram nela, em troca de uma sobrevida governamental é uma boa notícia? Boa notícia pra quem cara pálida?

Responder

Joao Helder Helder

12 de agosto de 2015 às 12h14

A que bom.

Responder

Fabio Venturini

12 de agosto de 2015 às 12h13

Antigolpe? Esse pacto é o próprio golpe!

Responder

Romario Nunes

12 de agosto de 2015 às 11h52

TODOS PERTENSE A DEUS AMIGO:

Responder

Romario Nunes

12 de agosto de 2015 às 11h51

A SIM HOMÉM E ESTE AI PELA NACÁO BRASILEIRA PARABÉNS SENADOR RENAN CALHEIROS:

Responder

Geuesle

12 de agosto de 2015 às 08h45

Pq todos ñ se unem para lutar por um Brasil melhor?

Responder

José Soares

12 de agosto de 2015 às 11h41

A é?

Responder

Pihetrowich N. Fernandes

12 de agosto de 2015 às 11h31

Responder

    Edilberto Pires

    12 de agosto de 2015 às 14h10

    NOS QUEM A LÁ RECONDUZIMOS SÓ DEPOIS DE 2018, A DEPENDER OUTRO DO PT SÓ EXISTE NESTE PARTIDO COMPETENTE PREPARADOS QUALQUER DELES NÃO HÁ DÚVIDAS SE MATA O BEM DO BRASIL PT MELHOR OPÇÃO É A SOLUÇÃO

    Responder

Vitor

12 de agosto de 2015 às 08h25

Boa notícia? Qual? Deixar o PMDB governar o país? Você já viu a agenda proposta pelo Renan? Começa com legalizar a terceirização…
Não consigo entender qual é o benefício de manter Dilma no poder para adotar uma série de medidas conservadoras!
Pra mim, mais uma covardia do Governo. Não perceberam que ninguém tem coragem de seguir em frente com o impeachment e caem no blefe! Patético…

Responder

Thiago Luz

12 de agosto de 2015 às 11h11

Somos todos perdedores. Uns inconfirmados, outros alienados .

Responder

Luzeneide Fernandes

12 de agosto de 2015 às 11h11

Thiago Luz vai se foder , procure a sua turma !!!

Responder

Luzeneide Fernandes

12 de agosto de 2015 às 11h11

Thiago Luz vai se foder , procure a sua turma !!!

Responder

Artur Pavanelli Valsi

12 de agosto de 2015 às 10h42

PMDB cria problema pra vender solução

Responder

Thiago Luz

12 de agosto de 2015 às 10h16

Os banqueiros e os empresarios bolsistas do bndes nunca ganharam tanto . pq tirariam a quadrilha? Além de cunplices vcs são uns jumentos. Sendo roubados e defendendo a corja.

Responder

Rodrigo Santana Sacramento

12 de agosto de 2015 às 10h10

Levy, queremos taxar os ricos!

Responder

Gustavo Ribeiro

12 de agosto de 2015 às 10h01

Os banqueiros querem continuar a manobra deles com o funcionário deles que é Levi , não vem com essa não.

Responder

    Hell Back

    12 de agosto de 2015 às 10h11

    Você esqueceu de mencionar o Eduardo Cunha.

    Responder

Thiago Luz

12 de agosto de 2015 às 09h34

O que pode ajusmdar o pais éo caos. Não arranjos que livrem a cara de crápulas . nossa sorte é que existe uma investigação corrente não afeita ao jogo fétido da noasa polirica. Isto sim pode salvar o pais, não renan. Este é um dos que o levaram ao fundo da fossa.

Responder

Thiago Luz

12 de agosto de 2015 às 09h29

Que não sobre ninguém .o meliante collorido capaz de apresentar nota fria de açougueiro de periferia fara se safar da cassação é o sustentaculo atual do governo. Na verdade o governo dilma não está no fundo do poço, nas da fossa, onde chafurda ai lado dos personagens mais execraveis da repuública.

Responder

Thiago Luz

12 de agosto de 2015 às 09h16

A quadrilha petista se alia até com o diabo pelo poder. Não foi por outra razão que chegamos ao fundo do poço. E também porisso o pt não sairá de lá. Enterraremos o pt e o renan juntos.

Responder

    O Cafezinho

    12 de agosto de 2015 às 09h21

    e sobrará quem, cunha? ou quem assume é o aécio?

    Responder

      Tafael

      12 de agosto de 2015 às 10h43

      Melhor Cunha ou Aécio que o pt !

      Responder

        Miguel do Rosário

        12 de agosto de 2015 às 12h30

        Fale por si mesmo !

        Responder

    Lilian Lia Aveiro

    12 de agosto de 2015 às 09h26

    kkkkkkkk……

    Responder

    Lilian Lia Aveiro

    12 de agosto de 2015 às 09h27

    para o brasil o melhor e a paz
    estabilidade e isso que vai ajudar o pais,

    Responder

    Ailton Teixeira

    12 de agosto de 2015 às 09h47

    Kkkkkkk coxinha fala merda pra caralho

    Responder

    Gerson Pompeu

    12 de agosto de 2015 às 10h00

    Thiago Trevas.

    Responder

    Jose David Provasi

    12 de agosto de 2015 às 11h07

    Perdedor inconformado!

    Responder

    Jose David Provasi

    12 de agosto de 2015 às 11h07

    Perdedor inconformado!

    Responder

    Pihetrowich N. Fernandes

    12 de agosto de 2015 às 11h32

    Se houver golpe sera assim.

    Responder

    Sil Costa

    12 de agosto de 2015 às 13h12

    Cai na real, Thiago. Quadrilha maior que a do PSDB não existe. Estão loucos pelo poder. Loucos pra vender o Pré-sal e faturar alto. Loucos pra meter a mão no dinheiro como sempre fizeram.

    Responder

    Sandro Sanchez

    12 de agosto de 2015 às 13h57

    Boa notícia? Assumir uma pauta completamente reacionária e antidemocrática, que vai contra aos anseios das 54 milhões de pessoas que votaram nela, em troca de uma sobrevida governamental é uma boa notícia? Boa notícia pra quem cara pálida?

    Responder

    Sávio Marcellus

    12 de agosto de 2015 às 14h18

    Este coxinha fritaram em óleo vencido…kkkkkk

    Responder

    Laerte Santos

    12 de agosto de 2015 às 16h01

    espere sentado que de pe vc se canssara…reaça pateta

    Responder

    Laerte Santos

    12 de agosto de 2015 às 16h02

    reaça pateta……

    Responder

    Laerte Santos

    12 de agosto de 2015 às 16h02

    reaça pateta……

    Responder

    Lana Adib

    12 de agosto de 2015 às 16h05

    Espere sentado coxinha raivoso, porque é Dilma agora e Lula 2018.

    Responder

    Sil Costa

    12 de agosto de 2015 às 16h28

    Quanta grosseria! Tá explicado. Gente baixa que não sabe conversar só sabe xingar e falar palavras de baixo calão. Não é de surpreender a falta de cultura, formação e informação.

    Responder

    Vana Oliveira

    12 de agosto de 2015 às 16h30

    Porque será que todo tucano se diz apartidário,,,nunca estão defendendo ninguém,,,sempre o mesmo mimimi,,,

    Responder

    Thiago Luz

    12 de agosto de 2015 às 16h37

    retirei, Sil. como vê , concordei com vc. fui grosseiro mas continuo impressionado com vcs conseguem ver a política como um fla x flu. assim como muitos, que nunca foram tucanos, também já fui petista, mas tive discernimento suficiente para deixar o barco até que a podridão começou a exalar o futum do mensalão, e vi que tinha sido enganado. que assim como os demais, a historia de fazer política diferente era uma balela. estamos lidando com uma canalha da pior espécie. Não me ouça, ouça helio bicudo, chico de oliveira, plinio arruda, cezar benjamim. heloisa helena, etc, etc, veja quem são os aliados do petismo de hoje, estamos falando de sarney, renan, collor, maluf, edison lobão, estmos falando da escória da política brasileira. vcs contam hoje com renan como tábua de salvação para não afogarem no lodaçal. é vergonhoso.

    Responder

    Henrique Pedro

    12 de agosto de 2015 às 16h43

    Pihetrowich não precisa incendiar o país, se a Dilma ficar até o fim do mandato, não vai sobrar nada mesmo!

    Responder

    Henrique Pedro

    12 de agosto de 2015 às 16h43

    Pihetrowich não precisa incendiar o país, se a Dilma ficar até o fim do mandato, não vai sobrar nada mesmo!

    Responder

    Thiago Luz

    12 de agosto de 2015 às 16h46

    incendeia porra nenhuma. não darão um só tiro pelo canalha do lula. os estúpidos do stedile podem fazer alguma arruaça até avistar uma tropa de choque . estes estudantes de merda que viajam pela europa pelo turismo sem fronteiras e outros que quebram portas de banco juntos com os black block e a idiota da sininho, todos correrão pra debaixo da saia da mamae. este pinoqualquer coisa é um fanfarrão.

    Responder

    Marcelo Aranha De Sousa Pinto

    12 de agosto de 2015 às 18h21

    O PT não tem cura, acabou o dinheiro.

    Responder

    Luiz Carlos de Carvalho

    12 de agosto de 2015 às 18h58

    Alguém aí podia dar uma LUZ para o Thiago?

    Responder

    Romero César Do Nascimento

    12 de agosto de 2015 às 21h51

    A maior DERROTA da oposição golpista, é não aceitar que já PERDERAM.

    Responder

    Romero César Do Nascimento

    12 de agosto de 2015 às 21h53

    A maior DERROTA da oposição golpista, é não aceitar que já PERDERAM.

    Responder

    Thiago Luz

    12 de agosto de 2015 às 21h54

    perdemos, vcs ganharam, romero. parabéns. podem comemorar com a turma.

    Responder

    Olindina Freire

    13 de agosto de 2015 às 00h21

    Ainda bem que vc sabe quem é o diabo kkkk

    Responder

    Simone Santos

    13 de agosto de 2015 às 05h10

    Falou o coxinha mineiro eleitor do Playboyzinho cheirador senador do Leblon ? ? ? Desvio de verba da saúde em MG? Aeroporto em terras de parentes? Cocaína em um certo avião? Furnas? Nepotismo? Cemig? Mensalão mineiro? Te lembram alguma coisa? ? ? ?

    Responder

    Rafael Rabello

    13 de agosto de 2015 às 06h53

    Mas pra pedir a saída do Collor não era golpe e pra pedir a saída da Dilma, é??
    Assim msm, sem coerencia alguma?? Vale tudo pelo poder, né…

    Responder

Fatima De Lourdes Rodrigues

12 de agosto de 2015 às 08h33

Ótimo. O Congresso precisa voltar a exercer sua competência

Responder

Roberval Silva

12 de agosto de 2015 às 08h27

A Rena vai ganhar vários ministérios.

Responder

Deixe um comentário