Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

26/02/2016- Santiago, Chile- Dilma Rousseff se encontra com a presidente do Chile,Michelle Bachelet, no Palácio de la Moneda. Foto: Ministerio del Trabajo

Quem defenderá Dilma da nova ofensiva golpista? Por Esmael Morais

Por Redação

28 de fevereiro de 2016 : 07h02

Foto: Ministerio del Trabajo de Chile

por Esmael Morais, em seu blog

O mandato da presidente Dilma Rousseff (PT) corre risco novamente, agora no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A prisão do marqueteiro e conselheiro João Santana, que esteve à frente de suas duas campanhas, é a senha dada pela Operação Lava Jato para nova ofensiva dos golpistas de plantão capitaneados pela direita (PSDB, DEM e PPS, principalmente).

A pergunta que todos fazem no mundo político é: quem irá às ruas para defender o mandato de Dilma se o governo dela virou trincheira justamente daqueles que a açoitam?

A condução econômica da petista é conduzida hoje pelos oposicionistas, haja vista a retirada da obrigatoriedade da Petrobras na camada de pré-sal. Parece até uma “barganha” por um pouco mais de oxigênio.

As concessões de Dilma aos entreguistas do PSDB, além de não ganhar o apoio deles, deixam-na isolada na arena política das ruas. Ela ainda pode perder mais chão num momento de incertezas democráticas. Os trabalhadores de todas as centrais sindicais sentem-se “traídos” pela presidente da República que ajudaram reeleger em 2014.

É importante abrir aqui um parêntese. Em 2011, o Blog do Esmael, bem como a blogosfera progressista, já criticava a “faxina” da presidente Dilma Rousseff criada pelo marqueteiro João Santana. Para quem não se recorda, tratava-se de uma “bem bolada” entre governo e velha mídia. Em 20 de outubro de 2011, portanto, há quase cinco anos, o Blog do Esmael fizera a seguinte pergunta: “será que Dilma deixará ser governada pela mídia golpista e, logo mais, derrubada? Só a própria presidenta está habilitada a responder esta questão”. Fecha-se o parêntese.

Resumo da ópera: Dilma terá que escolher um lado se quiser atravessar esse Rubicão e deixar claro que bandeiras ela defende, pois, muito pior que a dureza da oposição, é sofrer crise de desconfiança entre os seus dentro da própria casa; uma das formas de recuperar-se seria vetando a entrega do pré-sal, por exemplo, e detonando outras pautas conservadoras que tramitam no Congresso Nacional.

Esmael Morais é jornalista e blogueiro paranaense, responsável pelo Blog do Esmael, um dos sites políticos mais acessados do seu estado

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Celso Junqueira

28 de fevereiro de 2016 às 14h03

Quem defenderá a Pres. Dilma? Eu não sei. Não estarei no meio. Não ajudo e não defendo quem não se ajuda ou se defende.

Responder

    Vitor

    28 de fevereiro de 2016 às 18h02

    Antes, 10 em 10 militantes que defendiam Dilma juravam que estavam defendendo a democracia e não o governo. O discurso mudou?

    Responder

Deixe um comentário