Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Brasília - Com o placar de 433 a 1, a comissão de impeachment foi instalada na Câmara (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

João Pedro Stedile analisa a conjuntura brasileira

Por Redação

18 de março de 2016 : 06h02

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

 

Para Stedile, Lula na Casa Civil pode barrar golpe, mas é preciso "mudanças a favor do povo"

Segundo dirigente do MST, a ocupação do cargo pelo ex-presidente pode “colocar panos quentes no tencionamento”, mas governo "tem que fazer mudanças a favor do povo"

no MST

A nomeação do ex-presidente Lula como ministro chefe da Casa Civil pode “barrar os setores que querem o impeachment”, segundo o coordenador do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stedile. Ele aponta que as sinalizações de mudanças na política econômica podem significar uma tentativa “de corrigir os rumos”. Contudo, cobra que "este governo tem que fazer mudanças a favor do povo".

De acordo com Stedile, os manifestantes que foram às ruas na manifestação do último domingo (13), que ele define como “burgueses reacionários que têm raiva de políticas públicas direcionadas aos pobres”, não vão mudar suas ideias em relação ao governo. Entretanto, vê que Lula como chefe da Casa Civil pode mostrar aos partidos “vacilantes”, como PMDB, que o impeachment é “uma besteira”.

“Toda a sociedade brasileira e até a grande burguesia sabe que tirar a Dilma, dando um golpe, além de ser antidemocrático, não resolve nenhum dos problemas que nós temos na crise econômica, social, política e ambiental", pontua.

Para o dirigente, os trabalhadores devem sair às ruas em defesa da democracia, diferentemente, dos “setores golpistas, que têm como armas o Poder Judiciário, a mídia e parte do Congresso". Ele acrescenta que "a classe trabalhadora só tem como instrumento de força política a sua manifestação nas ruas”.

“É fundamental que todos os movimentos sociais desse país saiam às ruas dia 18, mas não só para defender a democracia. Tem que ir às ruas para defender também os direitos dos trabalhadores, mudanças na política econômica, a Petrobras, a soberania nacional e ir contra os projetos que estão correndo no Congresso e que vão afetar os direitos da maior parte da população”, convoca Stédile.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

JOHN J.

10 de maio de 2016 às 10h46

SE … o golpe se concretizar, … QUEM VAI SEGURAR O POVO BRASILEIRO?

– os corruptos do congresso?

– as PMs mal pagas e formada por gente sofrida do povo?

– a PF golpista que só condenou petistas?

– as honradas Forças Armadas Brasileira perderá sua honra para defender corruptos golpistas?

– os empresários golpistas que se aliaram aos corruptos congressistas para derrubar Dilma?

– os coxinhas que vestem camisas da corrupta CBF para desfilarem com seus enfeitados cachorrinhos contra a corrupção?

– os que se dizem brasileiros e criticam o governo, mas moram em Miami gastando dinheiro sujo?

– os ricos donos de contas em paraísos fiscais?

– a sonegadora e corrupta rede globo?

– a revistinha Veja com seus imbecilóides rolabostas?

– os outros jornais e rádios e tvs que que obrigam seus jornalistas a falarem mal do governo para não demití-los?

– a ONU que sabe que é golpe o que está acontecendo no Brasil?

– os EUA que financiam golpistas pelo mundo afora?

*** SE PODE TER GOLPE, TAMBÉM PODE TER REVOLTA.

Responder

Deixe um comentário