Paris Café: O PT tem um projeto de governo? Qual é?

Em ato pela democracia, PM leva criança para delegacia

Por Redação

25 de março de 2016 : 19h42

Charge: Latuff

na CUT Brasília

O protesto pacífico da Frente Povo Sem Medo foi alvo da intolerância e intransigência da Polícia Militar do DF, nessa quinta-feira (24). Mais uma vez, a PM coibiu com violência os manifestantes que protestavam em defesa da democracia, contra o golpe e a manipulação da mídia, especialmente da Rede Globo (apoiadora da ditadura e de outras ações de repressão social). Dois militantes e uma criança foram levados de camburão para a 5ª Delegacia de Polícia. Depois de duas longas horas, eles foram liberados.

A manifestação começou por volta das 17h, em frente a um shopping da Asa Sul, na altura da 702. Centenas de pessoas ligadas à CUT e outras centrais sindicais, além de integrantes de movimentos sociais, como Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), e estudantes partiram rumo à sede da Rede Globo, em Brasília. Como única arma, o grito de “não vai ter golpe”, dito em uníssono durante todo o percurso feito pela via W3.

Em frente à Globo, uma verdadeira barbárie foi registrada. “Estávamos em frente à sede da golpista e fascista TV Globo, mantendo segura distância da linha de frente do ato da entrada da rede de televisão e da barreira policial. Eu estava justamente orientando as pessoas a não se aproximarem muito da entrada. No ato pacífico, o Uirá, filho do Chico Carneiro, cantava as palavras de ordem e também brincava com seus super heróis, enquanto seu pai o fotografava. Eis que a polícia simplesmente o tirou de seu pai e o levou para um camburão. No mesmo instante, o Chico foi questionar os policiais e levou voz de prisão. Motivo: estava levando o filho à manifestação (o que nunca foi crime!)”, relata o secretário de Políticas Sociais da CUT Brasília, Yuri Soares. De acordo com a PM, Chico Carneiro foi negligente ao levar o filho à manifestação.

Ao questionar a ação, no mínimo, desproporcional, o dirigente cutista também foi levado com truculência para o camburão. “Ao ver um menino com seus sete anos de idade, ainda vestido com o uniforme escolar e com seus super-heróis em mãos sendo carregado chorando por policiais para um camburão da polícia eu simplesmente não poderia me calar e denunciei aquele ato arbitrário, violento e sem nenhum propósito ou base legal. Denunciei aquela violência que estava sendo cometida e neste momento também levei voz de prisão e fui jogado no camburão. Fomos os três levados para a delegacia, onde uma agente da polícia civil ainda cometeu diversas grosserias com o menino”, conta Yuri, indignado.

“É revoltante vivenciarmos uma situação como esta. Se fosse um protesto da classe média alta, tenho certeza que episódios assim não aconteceriam. Agora, por que pensamos diferente, somos hostilizados desta maneira”, protestou Humberto Gois, um dos manifestantes que participou da marcha realizada nessa quinta-feira (24).

Para o coordenador nacional do MTST, Eduardo Borges, neste momento, a unidade da esquerda se faz imprescindível. “Queremos reunir toda a força de esquerda e organizações de base para juntos lutarmos pela democracia”, disse. Segundo a vice-presidenta da CUT Brasília, Meg Magalhães, a Central compartilha da ideia colocada por Borges. “Queremos abrir os olhos da população! Pensando nisso, qualquer movimento que seja em defesa da democracia e dos trabalhadores, nós da CUT Brasília apoiaremos”, afirmou.

Além de defender a democracia e repudiar o golpe desenhado no pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, a Frente Povo Sem Medo defende a reforma agrária e urbana e repudia a justiça partidária e parcial, o ajuste fiscal e qualquer outra forma de retirada de direitos da classe trabalhadora. A mesma ação foi realizada, também nessa quinta-feira (24), em São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco e outros estados.

Veja o momento em que o dirigente da CUT Brasilia, Yuri Soares, é levado, com truculência, pela Polícia Militar, durante ato nesta quinta-feira (23). Motivo: defender a democracia e se contrapor à manipulação da Globo.

Publicado por CUT Brasília em Sexta, 25 de março de 2016

Ontem (24/03/2016) foi um dia triste para a história de Brasília e do Brasil. Num ato pacífico da Frente Povo sem Medo, contra o golpe, o ajuste fiscal e em defesa da democracia, a Polícia Militar agiu com despropositada truculência. Estávamos em frente a sede da golpista e fascista TV Globo, mantendo segura distância da linha de frente do ato da entrada da rede de televisão e da barreira policial. Eu estava justamente orientando as pessoas a não se aproximarem muito da entrada. Ato pacífico, o Uirá, filho do Chico Carneiro, cantava as palavras de ordem e também brincava com seus super heróis, enquanto seu pai o fotografava. Eis que a polícia simplesmente o tirou de seu pai e o levou para um camburão, como pode ser visto no vídeo. No mesmo instante o Chico foi questionar os policiais e levou voz de prisão. Motivo: estava levando o filho a uma manifestação (o que nunca foi crime!). Ao ver um menino com seus sete anos de idade, ainda vestido com o uniforme escolar e com seus super-heróis em mãos sendo carregado chorando por policiais para um camburão da polícia eu simplesmente não poderia me calar e denunciei aquele ato arbitrário, violento e sem nenhum propósito ou base legal. Denunciei aquela violência que estava sendo cometida e neste momento também levei voz de prisão e fui jogado no camburão. Fomos os três levados para a delegacia, onde uma agente da polícia civil ainda cometeu diversas grosserias com o menino, simplesmente porque ele estava assistindo desenho animado no celular, dizendo que o barulho a incomodava, e, ao não consegui fazê-lo, disparou a proferir ofensas e palavrões.Assim como o Chico, agradeço aos advogados que nos acompanharam: Jonatas Moreth, Darlan Honório, Rafael Madeira, a conselheira tutelar Keka Bagno que defendeu o direito da criança, a Bia Barbosa, Vinícius Lobão e Karina que acompanharam o Uirá. A Thaisa Magalhaes que manteve o pessoal informado do que estava acontecendo e a todos e todas que compareceram à delegacia para nos acompanharem e prestarem solidariedade.O Chico já informou que o Uirá está bem e em casa.Por fim gostaria de dizer que apesar dessa opressão vivida nós saímos mais fortes, com a certeza da importância de lutar pelos nossos direitos e contra o fascismo. Não vai ter golpe, vai ter muita luta e democracia!Venceremos!

Publicado por Yuri Soares em Sexta, 25 de março de 2016

 

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Dagmar de Abreu

03 de abril de 2017 às 15h05

TRISTE BRASIL……..SEMJUSTIÇA……..PF…..JUDICIARIO CORROMPIDO……..MORO PRECISA DECIDIR…….É POLÍTICO OU JUIZ?????? PARTIDO JÁ TEM…….FERRENHO PSDBYYYSTA……….

Responder

Deixe uma resposta