Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Vídeo: Glenn Greenwald entrevista Dilma Rousseff

Por Redação

20 de maio de 2016 : 06h34

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Valmor Imhoff

04 de junho de 2016 às 12h23

Até para informar o número de ministros do STF ela MENTE. Ou será que ela realmente não sabe?????

Responder

Marcio Accioly

20 de maio de 2016 às 13h06

A ex-presidente não sabe dizer sequer quantos ministros tem o STF. Ela diz que tem doze, quando, na realidade, são onze!

Responder

Mauricio

20 de maio de 2016 às 11h11

Esta senhora, apesar de tudo, absolutamente tudo que aconteceu, ainda fala como se estivesse na Dinamarca – com Congresso dinamarquês, com partidos dinamarqueses, com um Supremo dinamarquês, etc. Precisa ler Maquiavel. Agora entendo porque é tão ligada ao Zé Eduardo Cardoso – aquele que não ganha uma -, pensam igual. Dilma parece possuir uma obsessão pelo martírio ou aquilo que chamo de “síndrome de Joana D’Arc”, não pode ver uma fogueira que quer logo se jogar nela. Se voltar ao poder, é capaz de achar que estava certa desde o início e que sua volta seria a confirmação disso. É duro ter de defender a democracia contra um golpe, ainda mais quando implica no retorno de Dilma.
Parabéns ao entrevistador. Isso é uma entrevista de verdade.

Responder

Macau

20 de maio de 2016 às 10h15

Realmente, o Temer não tem consciência do país que governa. E é muito bom que ela toque na Lei Anti-Terrorismo, que não esqueçamos, abre várias exceções para os movimentos sociais e outras vertentes que estão na luta (pelo menos enquanto não tentarem deturpar para tachar manifestantes de terroristas).

A questão do excesso de partidos é uma razão que eu tenho repulsa a coligações. Veja o tanto de vertentes cretinas que entraram no Congresso por causa deles.

Nossa presidenta está bem por dentro e não admite nenhuma derrota, dá para ver. Força por nós, Querida, que você volta!

Essa situação toda me lembra do quiprocó que foi a Prefeitura de Campo Grande (MS) em 2014. Afastaram o prefeito eleito e puseram um vice (pastor evangélico estilo Feliciano) corrupto e safado que pintou o sete até que um ano depois ele foi investigado e afastado, e o verdadeiro eleito voltou ao poder e começou a pôr a cidade em ordem. Quem tiver interesse, é só pesquisar a Operação Coffee Break, que a história é bem longa.

Responder

Helena

20 de maio de 2016 às 09h20

Ela já começa contrariando o entrevistador e vai falando asneira sem parar. Vou dizer uma coisa (para todo mundo que luta contra o golpe): o maior aliado dos golpistas se chama Dilma Rousseff. O nível de burrice é alarmante.

Responder

    Pedrão Paulada

    20 de maio de 2016 às 13h32

    Joga pedra na Geni, ela é boa de apanhar, ela é boa de guspi, maldita Geni. ah, não esquecendo, tudo é culpa da Dilma.

    Responder

Deixe um comentário