Cafezinho 2 minutos: Posse de Bolsonaro e alegações finais contra Lula

Prisão e morte do reitor da UFSC, por Rogério Dultra

Por Rogerio Dultra

02 de outubro de 2017 : 15h49

Prisão e morte do Reitor da UFSC

Por Rogerio Dultra

Um Processo Administrativo Disciplinar que corre desde 2006 na UFSC para verificar a existência de desvio de verba da Capes resultou, na semana retrasada, na prisão do Reitor. Hoje, às 10:30 Luiz Carlos Cancellier de Olivo se transformou tragicamente na vítima direta da espetacularização punitiva em voga no país.

O reitor estava com um ano e meio de mandato.

De repente, um Processo Administrativo Disciplinar aberto desde 2006 implicou em sua prisão cautelar, em 2017. Isto soa muito estranho. Alguns, da velha guarda, diriam que é surreal.

Não vi o processo da “Operação Ouvidos Moucos” da Polícia Federal em Santa Catarina, mas a ação espetacular de prisão sem culpa provada e sem direito à defesa e e contraditório cheira, em termos jurídicos, à utilização distorcida da teoria do domínio do fato para fins midiáticos.

Ou seja, já que a UFSC não tomou providências há anos, prende-se o responsável formal pela instituição de forma espalhafatosa. Mesmo que ele não tenha nenhuma relação com os fatos criminosos.

Seguidores da jurisprudência esdrúxula do STF que vaticina que na falta de provas a “literatura jurídica” permite condenar pululam a cada esquina.

“Juristas” que entendem que posição hierárquica superior implica automaticamente em responsabilidade por crimes realizados por subordinados estão na moda.

Pois bem. Esta irresponsabilidade que condena diariamente milhares de brasileiros à prisão sem processo, faz mais uma vítima. Desta vez alguém que não é invisibilizado pela situação social de miséria.

Se estivéssemos num Estado Democrático de Direito a questão seria a seguinte: mesmo com algum indício ou prova de que o Reitor da UFSC comandava uma quadrilha há pelo menos 10 anos dentro da Universidade, a sua prisão seria a opção mais extrema a se tomar, a medida cautelar excepcional. Como a exceção é a regra de nossas instituições repressivas, se está diante de mais um arbítrio, de mais uma violação grotesca dos direitos fundamentais constitucionais, bem à moda da “operação lava-jato”. Desta vez com um resultado trágico.

Mas este lamentável desfecho não é algo pontual no que respeita ao desprezo e à falta de respeito pela educação pública. As Universidades públicas são um alvo óbvio e privilegiado dos arautos do desmonte do Estado brasileiro.

O caso do árbitrio repressivo contra a UFSC e o seu reitor é emblemático, mas infelizmente não é isolado.

Violar a constituição e o devido processo penal e, de roldão, fragilizar um local histórico de residência democrática é muito tentador para agentes institucionais que operam como herdeiros da ditadura empresarial-militar brasileira.

A ditadura de 64 trabalhou de forma sistemática para desmontar as universidades brasileiras a partir de um modelo de privatização norte-americano desenvolvido por intelectuais que encontraram solo fértil exatamente em Santa Catarina.

A expansão do ensino privado nos moldes das universidades “comunitárias”, com cobrança de mensalidades prosperou lá. Este é o modelo de educação que os arautos do golpe desejam para o país.

E é possível dizer que o crescimento desenfreado do ensino privado só foi ameaçado com a ampliação do sistema federal de educação nos governos Lula-Dilma.

Então, atacar a UFSC e o seu hoje falecido reitor, é lamentável, muito lamentável e triste, mas não é espantoso.

Dito isto, esta operação que se completa de forma abjeta, parece ser mais uma a unir, prenhe de inconstitucionalidades, Polícia Federal, MPF e TRF-4.

Conheci alguns juízes federais que atuam em Santa Catarina e que verdadeiramente honram a toga. Certamente uma eventual denúncia fundada na teoria do domínio do fato não prosperaria em suas mãos.

Mas hoje, época em que autoridades judiciais discutem processos em andamento na mídia, tudo é possível.

Para o bem da UFSC e da Universidade Pública espero que esteja certo, e que esta operação da PF seja um grande show com desígnios inconfessáveis, a ser desmascarado ao mais leve toque da legalidade institucional.

Mas, neste processo, uma vítima improvável, uma vítima inocente foi feita. Inocente! Porque não se provou a sua culpa antes de jogá-lo à sanha destruidora de reputações desta mídia criminosa.

Cancellier foi humilhado, preso, humilhado de novo, sem poder provar sua inocência, o que provavelmente poderia evitar este deslinde trágico.

Hoje, por ser uma vítima desta insana máquina de moer gente que é o nosso sistema repressivo, em comunhão delitiva com os meios de comunicação de massa, se pode dizer:

Luiz Cancellier, presente!

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

29 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

MORENO

03 de novembro de 2017 às 14h34

O REITOR DA UFSC FOI MAIS UMA VÍTIMA TORTURADA NA SINISTRA OPERAÇÃO LAVA JATO E AS AÇÕES MEDIEVALESCAS PARA TORTURAS COERCITIVAS E TAMBÉM BLINDAR OS 300 POLÍTICOS DO QUADRILHÃO DA CORRUPÇÃO

SERGIO MORO FOI TREINADO PELA CIA EM 2009 PARA DESTRUIR A INDÚSTRIA NAVAL NACIONAL DESTRUIR A FORÇA DE TRABALHO E AS INDÚSTRIAS E ENTREGAR HIDRELÉTRICAS, PARALISAR OBRAS EM TODO O PAÍS E ENTREGAR O PRESAL EM CONLUIO COM O BANDIDO LADRÃO JOSÉ CHIRICO SERRA, MI-SHELL TEMER E AJUDA DE EDUARDO CUNHA E OUTROS 300 POLÍTICOS DO QUADRILHÃO TODOS BLINDADOS POR SERGIO MORO DESDE OS ESCÂNDALO BANESTADO

O PAVÃO DE CURITIBA DA REDE GLOBO, AGENTE DA CIA TRAIDOR NACIONAL GARANTIU O GOLPE E A DESTRUIÇÃO DA INDÚSTRIA NACIONAL ELE AGIU NO ESCÂNDALO BANESTADO (PROPINODUTO DAS PRIVATARIAS TUCANAS NO BANCO DO ESTADO PARANÁ CAPTOU 125 BILHÕES EM PROPINAS PARA 300 POLÍTICOS CORRUPTOS NA ERA FHC).

SÉRGIO MORO AGIU NA OPERAÇÃO ABAFA E SOLTURA DOS IRMÃOS MAFIOSOS CRISTIANO PALERMO E SÓLON PALERMO OS GANGSTER DO PARANÁ QUE ATUARAM PARA DESVIAR CENTENAS DE MILHÕES DE REAIS DE VERBAS PÚBLICAS EM CONLUIO COM OS IRMÃOS METRALHA ÁLVARO DIAS E OSMAR DIAS.

MORO TAMBÉM AGIU NA “OPERAÇÃO ABAFA” DO ASSASSINATO DO SECRETÁRIO DAS FINANÇAS DO PARANÁ LUIZ ANTONIO PAOLICCHI QUE DESVIOU 500 MILHÕES DE REAIS NO PARANÁ E FOI MORTO METRALHADO (QUEIMA DE ARQUIVO) E DEIXADO NUM PORTA MALAS DE UM CARRO EM MARINGÁ APÓS CARREGAR CENTENAS DE MALAS DE DINHEIRO PARA O PREFEITO GIANOTO E PARA OUTROS POLÍTICOS TUCANOS PARANAENSES ALVARO DIAS E OSMAR DIAS E SEUS SUPLENTES PARENTES DE SERGIO MORO SRS OVALDPO MALUCELLI MORO, HIDELBRANDO MORO E JOELA MALUCELLI TODOS TIVEARM SUAS CAMPANHAS FINANCIADAS PELO DOLEIRO ALBERTO YOUSSEF.

ALBERTO YOUSSEF INCLUSIVE ALUGOU O AVIÃO A JATO PARA AS CAMPANHAS DE ÁLVARO DIAS E SOMAR DIAS E OUTROS TUCANOS NO PARANÁ POR MAIS DE 15 ANOS E NADA ACONTECEU.

RECENTEMENTE ESSE PAVÃO DE CURITIBA ALIADO DE AECIO E DO QUADRILHÃO BLINDOU E SALVOU AS CONTAS SECRETAS DE CLÁUDIA CUNHA (240 MILHÕES DE DÓLARES NA SUÍÇA) E O AVIÃO A JATO E IMÓVEIS MILIONÁRIOS DE TUCANOS E DE ALBERTO YOUSSEF E AINDA RECEBEU 400 MILHÕES DE REAIS EM PROPINAS DA ODEBRECHT COMO DENUNCIOU TACLA DURAN (ELE ESCREVEU UM LIVRO SOBRE A FACE LESA PÁTRIA E CORRUPTA DE SERGIO MORO DESDE O CASO BANESTADO. SERGIO MORO FOI PEÇA PRINCIPAL NA ARTICULAÇÃO DO GOLPE JUDICIÁRIO E PARLAMENTAR CONTRA DILMA ROUSSEF E AGIU COM OS BANDIDOS DO STF E O LADRÃO E MEGA CORRUPTO SR EDUARDO CUNHA E O GANGSTER AÉCIO CHEIRA NEVES E O CHEFE DO QUADRILHÃO O VAMPIRÃO “MI-SHELL” TEMER E A ENTREGA DE USINAS HIDRELÉTRICAS E DA RESERVA GIGANTE DO PRESAL EM CONLUIO COM OS POLÍTICOS VIRA LATAS LESA PÁTRIAS.

POBRE BRASIL

Responder

LALVES

06 de outubro de 2017 às 14h40

O juiz tucano agente da CIA, recebeu propinas da Odebrecht como denunciou o ex advgado da empresa Dr Tacla Duran que mostrou as provas do depósito de quatrocentos milhões na conta da sra Rosângela Wolff Quadros Moro, e o juiz da CIA ajudou a entregar as riquezas do Brasil e fazer um enorme desmonte nacional, e ainda manteve soltos os 70 doleiros presos na OPERAÇÃO MACUCO (1997-2002) e vem blindando desde 1997 no Paraná o ESCÂNDALO BANESTADO e os 300 corruptos remunerados pelas multinacionais ganhadoras das privatarias tucanas e protegendo os 300 políticos corruptos do quadrilhão de Michel Temer, Sergio Moro faz descarada politicagem, persegue pessoas, perseguiu o reitor, absolveu Cláudia Cunha e protegeu as fortunas ilícitas de Eduardo Cunha em troca do Golpe, blindou as fortunas do senador assassino e traficante Aécio Neves Cunha e do gangster Alberto Youssef e de 300 políticos corruptos picaretas e ladrões de malas de dinheiro. Pobre Brasil.

Responder

TIAGO MAXIMILIANO BEVILAQUA

03 de outubro de 2017 às 20h12

Será coincidência que que a delegada que pediu a prisão do ex-Reitor é proveniente da midiática lava jato?

Responder

Rose Mecenas

03 de outubro de 2017 às 16h00

Na verdade deve ter peixe grande aí o pequeno vai na onda e e quem se ferra se investigar direito vai achar e tubarão mais só se investigar e prende pequeno e o bode expiatório

Responder

Darcy Santos Borges

03 de outubro de 2017 às 15h21

Se todos os ladrões do Brasil tomassem essa atitude seria ótimo

Responder

    TIAGO MAXIMILIANO BEVILAQUA

    03 de outubro de 2017 às 20h20

    A pessoa se suicida por ser humilhado e injutiçado e você diz uma coisa dessa. Bela figura humana você é …. desprezível. Curiosidade em que você votaria? Por acaso seu candidato é o Bolsonaro?

    Responder

    LUIS AUGUSTO DE MORAES

    05 de outubro de 2017 às 21h28

    TU É UM GRANDE FILHO DA PUTA ,SEU MISERÁVEL !!!!

    Responder

Manuel Freire

03 de outubro de 2017 às 14h19

Lamentável

Responder

Dalva Karpinski

03 de outubro de 2017 às 12h23

O Lula devia seguir o exemplo dele

Responder

    João Ferreira Bastos

    03 de outubro de 2017 às 12h01

    Eleitora frustada e escrota do traficante, assassino e ladrão

    Responder

Antonio Carlos Breda Breda

03 de outubro de 2017 às 02h20

Vergonha o Brasil está nas mãos dos golpista safado

Responder

Miguel Candia

03 de outubro de 2017 às 00h19

Arquivo vivo?

Responder

Wilson kraemer de Paula

02 de outubro de 2017 às 20h06

Boetius dizia: os homens são superiores as coisas. Para um homem de bem o suicídio é a alternativa que se vislumbra quando seus valores mais nobres são aviltados e sua honra desmoralizada publicamente.

Responder

Paulo LIma

02 de outubro de 2017 às 19h29

Na conta da Lavajato além da morte do reitor Cancellier e da perda de razão de viver do almte Othon, condenado por Sérgio Moro, quantos anônimos brasileiros, crianças ou adultos, tiveram suas vidas ceifadas ou desestruturadas pelo desemprego decorrente do desmonte de empresas processadas na Lavajato e acentuado pelo golpe de Estado em seus atos contra a segurança de direitos e a garantia de trabalho. Para os milicianos da Justiça, a república de Curitiba é inspiração e modelo, vide a censura da exposição em Porto Alegre, ou a invasão do MAM em São Paulo. Todos corremos riscos, mas podemos aumentar nossas forças caminhado em busca de unidade contra as atrocidades que Sérgio Moro instigou.
Amanhã, 3/10, será o Dia em Defesa da Soberania Nacional, em rodas as praças do Brasil, e no Rio de Janeiro, sede do BNDES e da Petrobras, com a presença de Lula. Abaixo o golpe!

Responder

Ben

02 de outubro de 2017 às 19h08

Desde o golpe, desde muito antes, desde os espetáculos dantescos da Lavajato as universidades federais estão mudas.

Primeiro levaram os negros
Mas não me importei com isso
Eu não era negro

Em seguida levaram alguns operários
Mas não me importei com isso
Eu também não era operário

Depois prenderam os miseráveis
Mas não me importei com isso
Porque eu não sou miserável

Depois agarraram uns desempregados
Mas como tenho meu emprego
Também não me importei

Agora estão me levando
Mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém
Ninguém se importa comigo.

Bertolt Brecht

Responder

Claudemir Casarin

02 de outubro de 2017 às 19h02

Quantas pessoas ainda serão desmoralizadas, quantas ainda terão de morrer, talvez mais perto de cada um e de de cada uma, que aplaude essa sanha justiceira e midiática que tem-se alastrado pelos tribunais brasileiros,até que se dê um basta nessa vertente politiqueira da magistratura?

Que a morte do prof. Cancellier não seja em vão.

Responder

    Maria Aparecida Lacerda Jubé

    03 de outubro de 2017 às 15h25

    Enquanto um homem provavelmente digno e honrado, dá cabo de sua vida, por vergonha de viver com a reputação assassinada pela “justiça”, o dono da Lava-Jato anuncia o seu término, para varrer para debaixo do tapete, a denúncia do “doleiro” da Odebrecht, Tacla Duran de que, o “amigo” e padrinho da casamento de Sergio Moro, vendia facilidades na Lava-Jato por milhões de reais em propina.

    Responder

Ivan Luiz Colossi de Arruda

02 de outubro de 2017 às 21h47

Os homens das contas, subordinados e subjugados aos das leis, todos eles, não dimencionam o estrago que estão fazendo com a nossa gente e nossas instituições e poderes…

Responder

Dayse Lucide Garcia

02 de outubro de 2017 às 21h09

Q tristeza!! São esses os abusos cometidos em nome do combate a corrupção Começou com Dilma e Lula e muita gente aplaudiu, porém qt desrespeiramos o estado democrático de Direito às consequências vão atingir a todos!!

Responder

Marco Vitis

02 de outubro de 2017 às 18h05

O Reitor Cancellier foi a primeira vítima fatal direta e indiscutível do Método Moro de justiçamento. Método que se torna paradigma nacional.
Enquanto isso, hoje em SP, Moro recebia um prêmio de uma universidade norte-americana pelos serviços prestados.

Responder

Maria Edna Silva Roza

02 de outubro de 2017 às 20h57

As injustiças da justiça levam um cidadão de bem ao desespero, até praticar um ato desses. É lamentável!!!!!!Não investigam direito e já declaram a pessoa culpada. Até quando vamos nos calar ?

Responder

Carmelita Alves de Sousa

02 de outubro de 2017 às 20h46

Tristeza

Responder

Rosane Graça

02 de outubro de 2017 às 19h33

Suicídio

Responder

RaimundoNonato Bogé

02 de outubro de 2017 às 19h31

OLUHA. SOU. LULA. LULA. SOU. LULA. LULA. AOU. LULA. OK. LULA.

Responder

Adriano Sosa

02 de outubro de 2017 às 19h18

Qual foi a causa da morte ?

Responder

    Rachel

    02 de outubro de 2017 às 17h10

    Dizem que ele se jogou do 4º andar de um shopping, aqui em Fpolis. A notícia primeiro circulou como ”alguém se suicidou se jogando do 4º andar do vão central do beira mar Shopping” um pouco depois já se dizia que havia sido o reitor. Os telejornais do horário do almoço deram a notícia como suicídio.

    Responder

    Antonio Carlos Breda Breda

    03 de outubro de 2017 às 02h18

    Polícia federal

    Responder

Rogerio O Vieira

02 de outubro de 2017 às 18h52

Tudo muito estranho, cadê as câmeras do shopping Beira mar???

Responder

    Rachel

    02 de outubro de 2017 às 17h10

    Tem q aparte4cer as fi9tas não é?

    Responder

Deixe uma resposta