Celso Amorim e Jandira ao vivo no Rio

Obrigado, internautas!

Por Miguel do Rosário

12 de dezembro de 2017 : 18h26

Publiquei, há duas semanas, a enésima campanha do Cafezinho de arrecadação de fundos, dizendo que estávamos vivendo uma situação perigosa.

O perigo passou. O público do blog, como sempre, nos ajudou e resolvemos o problema.

Na verdade, vivo “situações perigosas” desde que mergulhei de cabeça no mundo da blogosfera.

Suponho que fui o primeiro blogueiro político a viver exclusivamente desse trabalho, sem nenhum tipo de apoio de empresa, sindicato, partido, governo, ong. Apenas com a colaboração de assinante.

E assim vivi, precariamente, porém feliz, orgulhoso e independente, de 2004 a 2015.

Nos últimos meses do governo Dilma, a Secom, finalmente, começou a liberar alguns anúncios institucionais para o Cafezinho. Nesta época, já tínhamos audiência superior a 100 mil views/dia, com picos que chegavam a 400 mil por dia.

A grande imprensa, mais tarde, iria incluir o Cafezinho em reportagens, onde aparecia que o blog tinha ganho “repasses” de R$ 124 mil. Foram várias matérias, no Globo, Folha, Estadão, Veja.

Na verdade, esses recursos devem ter correspondido ao total pago de publicidade institucional veiculada ao longo de 9 ou 10 meses (e pagos esparsamente num período de quase 2 anos). Para se calcular o que sobra para o blog, é preciso tirar 30% pagos à agência que intermedia esse tipo de negociação, mais 10% dos impostos. Com o resto dos recursos, pudemos pagar, por quase um ano, um editor para publicar matérias na blog e fazer revisão das matérias do editor e colunistas; pagar um cartunista; pagar alguém para cuidar da programação do blog; pagar um free-lance de vez em quando. Não sobrava nem para comprar um equipamento.

Enfim, claro que ajudou, mas era uma quantia modesta. A grande mídia, ao tentar expor este e outros blogs, dessa maneira, foi simplesmente canalha, como de praxe. Os recursos estavam sendo investidos integralmente em jornalismo.

De qualquer forma, logo veio o golpe e a primeira medida de Temer, entusiasticamente anunciada pela grande imprensa, foi cortar qualquer tipo de publicidade institucional veiculada na imprensa independente. Ao mesmo tempo, o governo Temer iria aumentar drasticamente as despesas totais com publicidade, ampliando a concentração nos grandes veículos, em especial Globo, Folha, Estadão e Veja, ou seja, justamente aqueles que haviam sido fundamentais para a articulação do impeachment.

O Cafezinho sempre foi o “patinho pobre” da blogosfera, pelo histórico pessoal de seu editor, que, sem nenhum tipo de reserva financeira, havia renunciado a seu trabalho como jornalista especializado em café, para se dedicar exclusivamente ao blog, sem nenhuma outra fonte de renda, sem nenhuma articulação política com sindicatos, partidos, empresas ou governo.

O golpe veio, entramos na lista negra, mas continuamos crescendo, em audiência e prestígio.

As dificuldades financeiras persistem, naturalmente, não apenas porque o governo nos botou numa “lista negra”, vetando qualquer publicidade institucional, mas porque a crise econômica também nos atinge. Se as pessoas ficam sem dinheiro, se o ambiente se torna mais inseguro, é mais difícil obter uma assinatura.

Costumo dizer que o Cafezinho é um fenômeno darwinista. Somos parecidos a um pequeno mamífero inteligente sobrevivendo em meios aos dinossauros. Nosso custo baixo nos dá agilidade para sobreviver. Da nossa simplicidade tiramos a nossa força.

As “situações perigosas”, em geral, são contas relacionados ao servidor onde o blog está hospedado, ao aluguel, e coisas relacionadas à sobrevivência física do editor.

Se tivéssemos mais recursos, via publicidade e assinaturas, poderíamos pagar alguns de nossos colaboradores, aprimorar o serviço oferecido aos leitores, pagar jornalistas fixos ou free-lancers, fazer algumas traduções necessárias, editar vídeos, e coisas assim.

O internauta pode nos ajudar muito se fizer uma assinatura do blog. Ou uma doação qualquer.

Para isso, basta clicar no botão abaixo, que te redirecionará para a nossa página de assinaturas e doações.

Ainda estamos vivendo, como de resto a maioria da população brasileira, uma “situação perigosa”…

Mas, juntos, iremos arrostar todas as dificuldades e fazer do Brasil uma grande nação, dotada de uma imprensa plural, desenvolvida, progressista e democrática!

SEJA ASSINANTE DO CAFEZINHO!

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

rita

13 de dezembro de 2017 às 11h11

Quando a minha quinzena sair, irei ajudar também…..hoje me informo através de vocês e quanto aos outros passo para dar uma olhada, de canto de olho…rsrsrrsrs

Responder

Nelson Sebastiao Model

13 de dezembro de 2017 às 09h35

Gosto muito do trabalho de vocês. Obrigado pelas informações.

Responder

Deixe uma resposta