Sabatina de Manuela na Carta Capital

Lula e o suicídio dos pragmáticos

Por Jeferson Miola

17 de Maio de 2018 : 22h46

Jeferson Miola           

Lula já declarou categoricamente, inúmeras vezes, que é mais que candidato na eleição de outubro próximo – é candidatíssimo, conforme recado transmitido por ele através de Leonardo Boff.

Lula anunciou sua candidatura presidencial ao mundo em artigo publicado nesta quinta-feira, 17/5, no jornal francês Le Monde.

A cada visitante que recebe na prisão injusta e arbitrária que cumpre em Curitiba – de advogados, religiosos, amigos, intelectuais, familiares, políticos, dirigentes do PT – Lula reitera a condição de candidato presidencial.

Lula designou a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, como sua porta-voz e articuladora política da campanha eleitoral.

O Diretório e a Executiva Nacional do PT têm sucessivamente reafirmado, em todas recentes resoluções, a centralidade da candidatura Lula na luta pela restauração da democracia no Brasil e para a conformação de uma ampla unidade democrática, nacional e popular para dar início à reconstrução econômica e social do país.

Lula é candidato porque não há nada que o impeça ser, ainda que a ditadura Globo-Lava Jato possa inventar nova farsa para cassar os direitos políticos dele votar e ser votado.

A despeito disso tudo, entretanto, o governador do Ceará, o petista Camilo Santana, defende o abandono da candidatura Lula e a adesão imediata a Ciro Gomes – para prevenir o que ele considera o risco de “isolamento suicida” do PT.

O governador cearense não é voz isolada no PT, embora francamente marginal. Infelizmente alguns dirigentes, parlamentares e líderes partidários vez por outra verbalizaram posição semelhante. Em comum, todos propõe a discussão a partir de uma visão imediatista e pragmática – visão, portanto, passível de equívocos de avaliação.

O imediatismo é incompatível com estes tempos vertiginosos, de imponderabilidade e imprevisibilidade dos acontecimentos.

Não existe, na conjuntura atual, variáveis de análise que permitam predizer o que poderá acontecer no dia seguinte; quanto menos até outubro. Aliás, a única “variável constante” no cenário atual é justamente aquela que mostra a incapacidade intransponível da classe dominante vencer Lula na eleição.

O imediatismo, neste sentido, concorre com os principais requisitos desta conjuntura: a paciência estratégica e a perspectiva histórica.

O pragmatismo, por seu turno, produz nos seus adeptos a ilusão instantânea de se estar desatando um problema – o imbróglio jurídico da candidatura Lula – quando na realidade se estará encaminhando o PT, a esquerda e o progressismo para uma fragorosa derrota.

A defesa do Lula não é apenas um dever de lealdade político-ideológica e de solidariedade de classe com o líder mais popular do Brasil perseguido pelo fascismo jurídico-midiático, mas a única opção inteligente e estratégica para a esquerda hoje.

Essa é a mensagem que transmitem ao Brasil importantes líderes europeus que, ao mesmo tempo em que denunciam a perseguição ao Lula, defendem o direito dele ser candidato na eleição de outubro.

Lula é inocente, e sua prisão política é cada vez mais entendida pelo povo brasileiro como resultado do arbítrio e da perseguição para impedi-lo de voltar a governar o Brasil para promover as políticas de emancipação dos pobres.

Desprezar esta realidade é pura burrice; é uma estupidez política – ou suicídio dos pragmáticos.

Quem defende o abandono do Lula para apoiar Ciro não entende que jogar Lula na arena dos leões famintos e fascistas serve unicamente à direita, mas jamais trará benefícios à esquerda.

O centro da agenda da esquerda, dos progressistas e dos democratas é a luta pela libertação do Lula e pelo direito dele ser candidato à Presidência do Brasil.

Para a esquerda, fora da consigna Lula livre existe o pântano que confunde, desorganiza e derrota o povo ante o avanço neoliberal no Brasil na sua vertente fascista inaugurada pelo golpe de 2016.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

17 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Pilistrika

18 de Maio de 2018 às 20h13

Infelizmente o Miguel do Rosário não quer entender isso!

Responder

Valdez

18 de Maio de 2018 às 14h40

Primeiramente parabens pela lucides do Blog.
Gleisi Hofmann a braço direito do Lula nem vai se reeleger senadora, esta em setimo.
E os governadores do nordeste os mais bem avaliados estao sendo reprimidos, quando expressam suas opinioes de apoiar Lula
PT é um partido caldilhesco e precisa haver um levante.

Responder

Eduardo

18 de Maio de 2018 às 14h26

Éhhh, Parece que o Blog Cafezinho acertou com o Ciro Gomes! Isso não parece pragmatismo político, tampouco defesa de políticas Sociais e do povo! Tô saindo daqui! Posso voltar se o blog endireitar, digo esquerdar!

Responder

Gustavo Horta

18 de Maio de 2018 às 11h38

JUSTIÇA À BRASILEIRA – NUNCA ME ENGANOU, MORÔ?
> https://gustavohorta.wordpress.com/2018/05/18/justica-a-brasileira-nunca-me-enganou-moro/

NÃO TINHA VERGONHA NA CARA HÁ TEMPOS – DESDE O GOLPE BANESTADO E O NUNCA EXPLICADO ESCÂNDALO NA APAE -, FARSANTE, TRAPACEIRO E GOLPISTA QUE SE ASSUMIU IMPUNEMENTE NAS PLAGAS BRASILIS, HOJE EM DIA JÁ NEM DEMONSTRA QUALQUER ESCRÚPULO OU CONSTRANGIMENTO AO SE MOSTRAR DESFILANDO ALEGREMENTE EM FOTOS DIVERSAS, REGADO AO FINO E CARO CHAMPAGNE FRANCÊS, PETISCOS, CAVIAR E JANTAR ELEGANTE, PAGOS E PATROCINADOS POR OITO BANQUEIROS PODEROSOS E PELA FRAGILIZADA PETROBRÁS, DOMINADA E ENTREGUE AOS SEUS PREDADORES.

ALIÁS JÁ SE DEIXARA FOTOGRAFAR ÀS GARGALHADAS NO MEIO DAS HOSTES GOLPISTAS NO BACANAL BRAZZIILL.

gustavohorta.wordpress.com

Responder

Francisco Moreira

18 de Maio de 2018 às 10h54

Perfeito, Jeferson Miola. Muito coerente com tudo o que já escreveu neste espaço de análise política.
Parabéns

Responder

Ricardo

18 de Maio de 2018 às 09h43

O Lula governou em parceria com os poderosos trazendo como lastro o povāo que o apoiava. Se debandou para praticas que a esquerda condenava na administracao publica. Houve acordos espurios e negocios nada ortodoxos. Moral da historia: deixaram rastros, a lava jato pegou o Lula a politica arremessou a Dilma como.boi de piranhas para.acalmar a turba. A justiça colocou as garras e abriu a tampa do esgoto o PT estava de frente e foi expurhado. Lula nāo será candidato. O Lula é dono do partido e levou a todos para dentro da cela. Prendeu toda a esquerda como refém. Na ânsia para se salvar o Lula irá naufragar todo um projeto de governança. Finish !!!!

Responder

Sergio Sete

18 de Maio de 2018 às 09h31

#SQN

TSE QUER BARRAR LULA
Brasil 18.05.18 06:48
  
O TSE quer barrar antecipadamente a candidatura de Lula.

Segundo Gerson Camarotti, “alguns ministros cogitam até mesmo tomar uma decisão ‘de ofício’, isto é, sem esperar a contestação da candidatura por um partido ou pelo Ministério Público”.

O ministro Admar Gonzaga perguntou:

“Convém à democracia que uma pessoa sabidamente inelegível prossiga a sua propaganda eleitoral e fique na urna”.

Responder

Fernando Farias

18 de Maio de 2018 às 09h13

incapacidade intransponível da classe dominante vencer Lula na eleição? Atualmente Lula se encontra vencido e inelegível. A ficha tem quem cair: é isolamento suicida” do PT sim.

Responder

edu

18 de Maio de 2018 às 08h22

Caro Miguel. Sobre o dilema Ciro/Lula é bom lembrar algumas obviedades e outras ingenuidades. Me parece óbvio que diante dos fatos é corretíssimo condenar a prisão de Lula. Lula Livre é uma consigna a ser defendida com vigor pelo caráter político que orientou o processo e pelas fraudes contidas no mesmo. Claro que isso decorre dos desdobramentos do golpe que colocou no poder uma facção política do judiciário e de políticos alinhados com as políticas neoliberais e com as práticas mais rasteiras de corrupção, todos devidamente suportados pela mídia corporativa e o Departamento de Estado. E é aqui que devemos fazer uma conexão com o projeto do PT de defender a candidatura de Lula, e também as candidaturas de esquerda de Manuela, Boulos e Ciro.
Vivemos no contexto do golpe de 2016 e acredito que os golpistas, com apenas dois anos no poder, colhem êxitos políticos e econômicos, como o alijamento do PT do poder e as medidas neoliberais de restrições aos direitos dos trabalhadores, de encolhimento nas políticas sociais, da entrega de riquezas nacionais ao capital internacional etc.
Ora, me parece ingenuidade imaginar que os atuais donos do poder, após tudo que fizeram estejam dispostos a ceder e permitir uma volta da esquerda ao poder, seja Lula, Ciro, Manuela ou Boulos. Lula neutralizado pela prisão e os demais mesmo que viessem a crescer nas preferências do eleitor por diversos fatores combinados, caso sejam eleitos não tomam posse e se tomarem serão derrubados por novas articulações golpistas. Para mitigar esse quadro a única sáida é as esquerdas concentrarem-se eleger o maior número de quadros no âmbito do legislativo tornando-se maioria na Câmara e no Senado. Abraço

Responder

Benoit

18 de Maio de 2018 às 08h06

Realmente não é fácil ter uma ideia dos desenvolvimentos políticos no Brasil, ter uma ideia do que poderia acontecer e tomar as decisões certas. É claro que é possível que o Lula venha a ser o candidato do PT, que ele ganhe as eleições, que ele governe sem ser incomodado pela justiça, pelas mídias e pela direita feroz e que ele tire o Brasil do buraco e no fim o seu governo seja um sucesso completo. É uma possibilidade.

Mas existe também a possibilidade que um desses passos falhe, dê errado. Talvez o Lula perdesse a eleição, ou não permitissem que ele assumisse caso ele ganhasse, ou que o governo dele falhasse e a crise econômica não fosse resolvida com tanta facilidade. Afinal ele com certeza seria objeto de tentativas de sabotar o governo dele, de criar dificuldades de todo o tipo, de que suscitem dificuldades e atitude agressivas contra ele. A Dilma Rousseff foi deposta com o apoio de grande parte da população. Até há pouco falava-se da classe média baixa que vota na direita e não no Lula.

E caso o Lula perdesse as eleições, caso ele não virasse presidente por qualquer razão ou se o governo dele fracassasse, a desmoralização seria completa. Num caso desses o Lula, o PT e a esquerda ficariam bastante desmoralizados e desacreditados durante muito tempo. Uma das razões para isso é o fato de o Lula ter se tornado um mito, uma superfície de projeção de expectativas exageradas. Se ele ganhar e tiver sucesso seria a consagração última e suprema. Depois disso ele poderia virar rei do planeta. Mas se ele perdesse, talvez voltasse para a cadeia e terminasse os dias dele como presidiário e objeto de ódio de grandes partes da classe média.

O Ciro também poderia perder as eleições, é claro. No entanto uma falha do Ciro não teria esse significado e essa importância. Ela não comprometeria o Lula de modo algum, não comprometeria a esquerda como um todo e a campanha para libertar o Lula poderia e deveria ser prosseguida com vigor. Se o Ciro perdesse as eleições, talvez até soltassem o Lula como maneira de apaziguar a esquerda, os setores populares descontentes. Com certeza um governo de direita que fosse vitorioso nas eleições também teria problemas econômicos graves o que daria força para uma nova campanha de esquerda e uma campanha para soltar o Lula.

Como disse, é impossível prever as coisas numa situação tão incerta como a atual. Seria possível que tudo corresse da maneira mais favorável ao Lula a partir de agora. Existiria mesmo a possibilidade de ele vir a ser inocentado pelas instâncias superiores. Mas o risco de fracasso também existe, é muito real, e um fracasso significaria a desmoralização completa do Lula, a piora das perspectivas dele e o fracasso completo da esquerda. No caso do Ciro, mesmo que ele num momento qualquer fracassasse, a situação seria melhor já que um fracasso possível dele não comprometeria o Lula, não tiraria a força para os esforços de soltar o Lula e nem levaria o PT para o fundo do poço. Mesmo que o Ciro perdesse ou fracassasse, o PT poderia continuar como alternativa de esquerda.

A questão é saber que risco as pessoas estão dispostas a correr, que situação parece ser mais promissora. Tanto a opinião dos que odiaram o Lula e o PT o tempo todo durante anos quanto a opinião dos que agora idolatram o Lula como um mito sobre-humano podem ser descartadas por quem quer avaliar a situação com seriedade e com um pouco de responsabilidade.

Responder

Pedro Cândido Aguarrara

18 de Maio de 2018 às 06h41

Miguel pensa que se mantivermos a candidatura Lula até agosto isso criará um vazio devido à incerteza quanto à aceitação ou não da candidatura pelo TSE em agosto. E isso criaria uma oportunidade para o crescimento, em pesquisas, de candidaturas contrárias às deias e ideais da esquerda. Para Miguel é importante definir logo a chapa da esquerda para impedir o crescimento nas pesquisas de candidaturas de direita, ou, simplesmente, oportunistas ou exóticas.

Esse raciocínio dele parece correto e ele está convencido dessa correção.

Porém, esse raciocínio está completamente equivocado e o Miguel se equivoca porquê não compreende o eleitor do PT. Ele estaria certo ( e está) se estivéssemos falando sobre o eleitoradode um modo geral, sem considerarmos os eleitores do PT como um segmento a ser compreendido de modo diferenciado.

E estamos falando de 35 milhões de eleitores que votarão no candidato do PT ou em quem o candidato do PT indicar.

Então, o raciocínio do Miguel é correto para um eleitorado de cerca de 85 milhões de votos.

Desses 85 milhões de votos, o Bolsonaro fará no máximo 15 milhões de votos e o mesmo potencial de 15 milhões vale para Marina e Ciro (sem apoio do PT). O potencial de NBA nesses 85 milhões é de 20 milhões de votos (seguindo a tendência da última eleição). Sobram 20 milhões de votos que se distribuirão pelos demais candidato.

Como vemos, sinalizar AGIORA o apoio do PT a quem quer que seja é BURRICE do ponto de vista do PT e do eleitor do PT. Pode deixar as candidaturas se apresentarem e serem pesquisadas à vontade. Não importa e não muda em nada os 35 milhões de votos do PT como o meu.

Definidas em Agosto todas as candidaturas no páreo os votos dos eleitores do PT irão decidir a eleição e pode ser até que não haja segundo turno.

Então, meu caro Miguel, vamos com Lula até o fim e se não der vamos com quem Lula indicar QUANDO não der mais.

Responder

Régis

18 de Maio de 2018 às 01h40

A imprensa golpista, junto com o MP Federal (que trabalha sob às ordens de Washington ) já começaram a metralhar Gleisi Hoffman. Talvez seja medo de Lula indica-la, de repente, à candidatura presidencial. Agora, o camaleão Ciro Gomes, ninguém incomoda. O mesmo diz que irá nacionalizar o Pré Sal novamente, cancelar os contratos draconianos que beneficiam imensamente as petroleiras anglo americanas, cobrar impostos dos banqueiros e retomar a Eletrobrás. Espantoso!! Incrível! E o mais surreal de tudo isso, é a mídia golpista trata-lo como um Lord! Nem uma flechazinha do MPF pra cima de Ciro Gomes!

Responder

    bruno

    18 de Maio de 2018 às 08h34

    Amigo, o Ciro Gomes nunca conciliou com quadrilheiro ( Michel Temer, Eduardo Cunha, Gedel Viera LIma, Etc), o Lula sim! Como vai acusar o Ciro de alguma coisa???? O PT tem que fazer um mea culpa, tem que se enxergar – todos os ex-tesoureiros do PT presos, Palocci preso ( confessou que roubou milhões), Edurado vargas, Dirceu ( roubou milhoes tb), os dirigentes da petrobras nomeados pelo PT roubaram muito ( só o Renato Duque aceitou devolver mais de 200 milhoes!!!!!). Então, veja só: tem que fazer uma autocritica ai – quem deu furnas para o eduardo cunha???? quem nomeu o gedel vieira lima vice presidente da caixa?????? – a sentença do Lula é frágil, mas ele nao é vítima de uma conspiração, ninguém colocou um revolver na cabeça dele para fazer esquema na petrobras , né? ( se nao houve o esquema na petrobras, pq só o renato duque DEVOLVEU 200 milhoes e o Palocci movimentou mais 100 milhoes????) . Vamos nos enxergar, fazer o mea culpa, a autocritica e ai avançamos, forte abraço

    Responder

Alcides Sadio

18 de Maio de 2018 às 00h02

Perfeito. Essa é a lucidez cristalina que esse momento precisa. Não tenho o que acrescentar.

Responder

Beto Castro

17 de Maio de 2018 às 23h11

Jeferson Miola mais que perfeito nas suas análises e conclusões. Nem Ciro nem Lula aceitam ser candidatos à Vice-Presidência. É briga hostil de cachorros grandes. Ambos da mais alta competência em elaborar projetos de Nação excepcionais que prestigiam os nacionais e excluídos. Lula, entretanto, foi testado na prática nacional e internacional por oito anos com resultados extraordinários. Daí o seu prestígio político no Brasil e no Exterior. Avançou na educação, na infraestrutura, no combate à pobreza, na política econômica e em inúmeros setores nacionais. Por isto, deve ter preponderância como titular do cargo. Ainda tem a opção de aceitar a vice-presidência com um candidato imediato pelas atuais circunstâncias e vicissitudes judiciárias, que rivaliza com ele próprio no prestígio popular – O Senador Paul Paim. Uma opção imbatível nas circunstâncias atuais de impossibilidade física. Não tem para absolutamente ninguém. Somente para a ira fascista e proxeneta colonial dos golpistas unificados.

Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com