Entrevista de Lula à Revista Forum

Os bastidores do locaute monstruoso que estrangula o país

Por Bajonas Teixeira

25 de maio de 2018 : 11h38

Por Bajonas Teixeira,

 

É isso o que acontece quando a elites brasileiras tomam o poder de assalto: o caos. Quem parou o país não foram sindicalistas radicais, foram os patrões que vestem terno e gravata, os presidentes de federações de transporte. Eles dizem odiar tumultos e vandalismo. No tumulto que causaram essa semana, a Petrobras sofreu um vandalismo cujos prejuízos chegaram a 14 bilhões de dólares, ou quase R$ 50 bilhões em valor de mercado.

Essa é uma ação que segue uma lógica simples: no saque do país, as federações de transporte querem a sua parte. O governo Temer não cessa de agradar as elites. Com ele, são as próprias elites que estão sentadas no palácio do Planalto e nos ministérios. Temer já começou acariciando o judiciário, pelo apoio prestado durante o impeachment de Dilma, com um megarreajuste com impacto de R$ 58 bilhões sobre os gastos públicos.

Depois vieram os R$ 40 bilhões para os ruralistas, com programas de isenção fiscal, parcelamentos e perdão de dívidas com a União. Veio então o benefício para o setor do petróleo, com previsão de perda de um trilhão em 25 anos para a União. Em 11 de julho de 2017,  trabalhando para barrar na Câmara a aceitação da denúncia por corrupção passiva após o áudio de Joesley Batista, Temer liberou 103 bilhões para o agronegócio. Este foi um agrado de criado para patrões porque antes, em 07 de junho, já havia destinado o financiamento da safra dos ruralistas no valor de R$ 190,5 bilhões. Por último, o programa refis de Temer veio, agora em março de 2018,  para perdoar R$ 62 bilhões em dívidas de empresários.

Note-se que o plano inicial pretendia perdoar R$ 543 bilhões em dívidas de empresários com a União.

É nesse país em permanente festa empresarial, que o locaute das empresas de transporte ganha uma explicação óbvia: os transportes não poderiam ficar de fora do butim geral. Assustado diante do gigantismo da depredação que ele mesmo ajudou a criar, o governo Temer, através do seu ministro da Defesa, denunciou a “greve” como locaute de grandes empresas:

“Pelas informações que tenho recebido, o movimento se caracteriza como um locaute, capitaneado por grandes empresas distribuidoras que querem manter suas margens [de lucro]”.

O acordo fechado ontem não passou de uma cortina de fumaça para ludibriar o país e sedar um pouco da ansiedade, ao mesmo tempo tirando os grandes empresários do olho do furacão e, assim, livrando-os das responsabilidades. O fato é que 70% da frota de caminhões está nas mãos das grandes empresas, organizadas nas grandes confederações. A maior delas é a CNT (Confederação Nacional dos Transportes).

Quem leu com atenção ontem as notícias sobre o acordo fechado pelo governo, percebeu logo que se tratava de um engodo e que o locaute continuaria. As federações fecharam o acordo com o governo mas a ABCAM, Associação Brasileira de Caminhoneiros, que representa 700 mil caminhoneiros (na verdade, representa as empresas que possuem os caminhões), não aderiu e abandonou a reunião.

Eliseu Padilha, ministro da Casa Civil, ao anunciar ontem com pompa o acordo, sabia que a paralisação continuaria hoje e que apenas encobria, com aquele acordo, a responsabilidade das grandes empresas e federações, que assim podiam sair de cena. Mas a ABCAM continuaria bloqueando as estradas. Na verdade, e isso é muito significativo, a ABCAM não é um corpo alienígena, mas é parte da CNT:

“A ABCAM, embora reconhecida, não tem abrangência nacional. A entidade passou a integrar a sessão de transportes de carga da Confederação Nacional dos Transportes (CNT) em 2003.”

Evidentemente que, como parte da CNT, que assinou com o governo, a ABCAM devia ter seguido a CNT. Ou ser expulsa imediatamente dela. Não aconteceu nem uma coisa nem outra. O que mostra que há uma trama para manter o país bloqueado, sem sequer pensar nos custos humanos e materiais desse estrangulamento monstruoso.

E, vale lembrar, a CNT é aquela confederação que encomendou a pesquisa em que a maioria dos brasileiros, 51%, dizem ser favoráveis à prisão de Lula. Esta pesquisa é tão verdadeira quanto foi verdadeira a disposição da CNT de terminar o locaute após o “acordo” com o governo de ontem. Esse locaute é político, e pretende jogar o Brasil num caos semelhante ao da Venezuela. Mas disso, temos que falar em um próximo artigo.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

17 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Rita Andreata

25 de maio de 2018 às 19h20

Nenhum apoio aos mega empresários de caminhões,

Responder

    Jurandir

    26 de maio de 2018 às 18h37

    Oi? Tá acreditando em toda essa abobrinha do governo do vampirão? E se for, qual o problema? Os combustíveis estão caros prá caramba! Tudo nesse pais é influenciado pela variação deste insumo.

    Responder

Reginaldo Gomes

25 de maio de 2018 às 18h32

O locaute é pra voltar a política de preços da época da presidenta Dilma.
Os caminhoneiros estão implorando o ” VOLTA DILMA!!!”
Pelo amor de Deus volte querida presidenta Dilma.
Volte pelo amor de Deus volte !
Volte pro seio do seu amado
Será o dia do dia mais feliz de sua vida.
Ver os caminhão voltando
Farol baixo ; para-choque duro;
Estamos a dois passos do paraíso;

Responder

leonardo-pe

25 de maio de 2018 às 15h35

Venezuela está MELHOR que o Brasil. o povo Lá desmascarou os Estados Unidos. aqui os trouxas midiotizados acreditam nisso, que a Venezuela está no caos. CAOS É AQUI! e vai FICAR PIOR! quase 15 Bilhões de Dólares de prejuízo para Petrobras fora o prejuízo na economia!

Responder

João Ferreira Bastos

25 de maio de 2018 às 15h19

Essa semana aprendemos o que acontece à uma nação, quando sofremos um desabastecimento por 5 dias.
na próxima aula, veremos o que acontece a uma pequena ilha, ao sofrer um bloqueio total por mais de 5 décadas

Responder

    Yuri

    25 de maio de 2018 às 15h30

    Excelente.

    Responder

    Paulo

    25 de maio de 2018 às 15h37

    Enquanto esta ilha estiver sendo governada por ditadores e não respeitando a liberdade do povo sofrido, vai continuar tendo o bloqueio.

    Responder

      Arthur

      25 de maio de 2018 às 16h47

      Vc não respeita nada, votou no aécio e apoio o golpe de estado.
      Não satisfeito com a lambança quer dar lição de moral na ilha que é soberana enquanto vc é um dos entreguistas da pátria.

      Responder

      Figueiredo

      25 de maio de 2018 às 16h49

      Mais um entreguista golpista que posa de patriota.

      Responder

    Roberto

    28 de maio de 2018 às 00h29

    Excelente observação .

    Responder

Evelino Dolhar Beir

25 de maio de 2018 às 14h46

Ia faltar dinheiro nos bancos e cerveja nos bares.
Defendendo os interesses do mercado o PIG decidiu encerrar a greve.

Responder

    leonardo-pe

    25 de maio de 2018 às 15h36

    você está certo disso?

    Responder

Adalberto

25 de maio de 2018 às 13h17

Perai ai? O autor do texto esta comentando uma análise da situação oriunda deste governo amaldiçoado? Dá para confiar? So esqueceu de uma coisa: dona rede globo esta com uma visão muito positiva da greve dos caminhoneiros. Ela pode estar se aproveitando para dar outro golpe e suspender as eleições.

Responder

adolfo sinudes

25 de maio de 2018 às 13h02

O artigo esclarece muito a situação atual, porque de fato desde aquele “presente” para o judiciário, Temer não parou de abrir as pernas para as elites. Agora, como o orçamento todo amarrado, com o déficit expandido, como ele enfiaria mais uma benesse para os seus amigos? Seria preciso um abalo do país, para seu governo aparecer como negociador. É o que eles estão fazendo, colocando fogo no país para depois pagar de bombeiros. O problema é que está tudo queimando, e o rabo de Temer pode acabar calcinado também.

Responder

Macedo T.

25 de maio de 2018 às 13h01

360 canalhas no congresso e milhões de Cunhas.
Todos ligados no PIG assistindo a maior merda que fizeram com este pais.

Responder

Guilherme Concha Inzek

25 de maio de 2018 às 12h53

PSDB , MDB , DEM sempre armando contra o Brasil.
Entreguistas e golpistas safados.

Responder

Maria Magda

25 de maio de 2018 às 12h51

Excelente análise política que mapeia em profundidade a gana das elites brasileiras. Eles arrombaram a porte com o golpe, tiraram da frente os setores populares, que formavam um pouco um murro de barragem, e aí mergulharam na piscina de mel e melado. Estamos amargando, como diz o artigo, a festa empresarial. E o caos do país.

Responder

Deixe uma resposta