Boulos em Recife

Cafezinho na Copa: Espanha x Cristiano Ronaldo

Por Pedro Breier

15 de junho de 2018 : 17h57

“Coletividade x individualidade” é o que melhor define o duelo Espanha x Portugal.

Do lado espanhol, os tradicionais controle da bola, movimentação constante e toque envolvente. Como sempre, bonito de ver.

Do lado de Portugal, Cristiano Ronaldo.

Foi ele o responsável pelo banho de água fria na seleção espanhola logo aos 3 minutos, ao converter pênalti cavado por ele mesmo após driblar facilmente o defensor da Roja.

A Espanha foi, pouco a pouco, controlando o jogo. Jogando com os meias Isco – melhor espanhol em campo – e David Silva como pontas o time perde em verticalidade mas ganha em qualidade no passe. Quando as tabelas funcionam – o que não é raro – surgem verdadeiras obras de arte do jogo coletivo, com muitos passes de primeira.

O gol de empate saiu, entretanto, de um lançamento de Busquets para Diego Costa. O centroavante controlou a bola, ameaçou chutar duas vezes, tirando os zagueiros para dançar, antes de concluir com força no canto direito do goleiro português. Golaço.

Cristiano Ronaldo não tinha parceria à altura para construir os ataques, mas quem disse que ele precisa? Ainda no primeiro tempo a bola sobrou na entrada da área e o camisa 7 bateu de primeira, com a canhota, forte mas na direção de De Gea, que engoliu um belo frango. Fim do primeiro tempo e o placar marcava 2×1 para Portugal.

Na volta do intervalo a Espanha se impôs, virando o jogo antes dos 15 minutos.

Primeiro com Diego Costa, completando uma jogada ensaiada de bola aérea após falta na entrada da área. Depois com um chute esplendoroso do lateral Nacho, que colocou um belo efeito na bola chutando com a parte de fora do pé.

Com o placar a favor, o jogo virou uma espécie de bobinho. Os habilidosos meio-campistas espanhóis tocavam de pé em pé enquanto os portugueses pareciam não ter forças para reagir.

Mas eles têm o endiabrado Cristiano Ronaldo, que sofreu uma falta nos últimos minutos e acertou a cobrança quase no ângulo. Um chute alto, forte, curvilíneo e totalmente indefensável. Portugal se empolgou e ainda colocou uma pressão no fim do jogo, mas o resultado final foi mesmo o 3×3.

Ronaldo arrancou o empate do time espanhol, mas será muito difícil almejar algo maior na Copa jogando praticamente sozinho.

A Espanha, por sua vez, tem time e futebol para levar a taça, apesar do tropeço e da demissão do treinador às vésperas da competição.

Baita jogo.

Pedro Breier

Pedro Breier, colunista d'O Cafezinho, é formado em direito mas gosta mesmo é de jornalismo. Nasceu no Rio Grande do Sul e hoje vive em São Paulo.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Ronaldo

15 de junho de 2018 às 19h34

Vou torcer para Uruguai e Argentina respectivamente.
#foraredeglobo

Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com