Cafezinho 2 minutos: Posse de Bolsonaro e alegações finais contra Lula

Em Minas, Bolsonaro lidera com 42% dos votos válidos, 20 pontos acima de Haddad

Por Miguel do Rosário

01 de outubro de 2018 : 14h25

O Ibope divulgou a íntegra do relatório da pesquisa em Minas Gerais, feita entre os dias 24 a 26 de setembro.

A liderança de Bolsonaro em Minas é uma coisa impressionante. Em votos válidos, ele já tem 42% do total, contra 22% de Fernando Haddad.

Abaixo, os números de intenção de voto estratificados. Observe a força de Bolsonaro entre mais instruídos e com maior renda.

 

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

39 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Régis

02 de outubro de 2018 às 17h58

Então… temos vários estados onde o coisonaro não é assim tão bambambam. Ah, tah, mas lá no nordeste tem lugares que o Ciro ganha de lavada. “Ganha” mais não leva. E a nova do momento é que muitos ciristas estão bolsonando… É isso mesmo o que queremos para as esquerdas? Obviamente, é isso o que a direita quer.

Ciro e Kátia mandando insultos ao Haddad, como se fossem os líderes do quadro eleitoral. Ainda bem que Ciro escolheu a Kátia ou vice-versa. Por isso não voto nessa chapa. E Brizola, bom, os Brizolistas de carteirinha, ao que se sabe, tendem a ir para o … Haddad. Quem estaria errado? Ciro ou Brizola? Ciristas ou Brizolistas? A história vai dizer!

Responder

    JOAO BATISTA

    02 de outubro de 2018 às 21h38

    É um equívoco atribuir a Ciro o fracasso, até aqui, da estratégia petista.
    Lula tendia a ter 41%, na mais recente pesquisa com o nome dele.
    A diferença de votos em Lula e Haddad é de 20 pontos, e aí está o problema, no próprio PT.
    A transferência de votos ainda não ocorreu como os petistas esperavam.
    Na pesquisa Ibope, entre 29/Ago a 27/Set, temos o seguinte:
    Haddad subiu 16 pontos e está com 21;
    Bolsonaro subiu 7 pontos e está com 31;
    Alckmin caiu 2 pontos;
    Ciro caiu 5 pontos e está com 10;
    Marina caiu 12 pontos e está com 7.

    Responder

Sebastião

01 de outubro de 2018 às 21h28

Claro, também com um Pimentel da vida. Todos os governadores do Nordeste passaram por dificuldades e perseguição de Temer, e nem por isso deixaram de pagar as contas. Muitos como Rui Costa da Bahia, judicializou o que é de direito pra Bahia. E Rui ganhou do governo Federal. Pimentel foi um excelente prefeito, mas como governador, deixa a desejar. A pesquisa mostra que nem todos que votarão em Dilma, votarão em Pimentel. Na Bahia acontece caso semelhante, com eleitores de Bolsonaro que votarão em Rui. Acho que Haddad deve fazer mais corpo a corpo, no RJ, MG e SP. Deixar a militância e os candidatos investirem nas outras regiões. Também no RJ, a candida do PT não é competitiva.

Responder

Josa

01 de outubro de 2018 às 20h22

Tirei férias do conversa afiada,agora vou tirar do café com Cyro,olh SÓ OS NOMES QUE POSTAM ,Justiceiros

Responder

    JOÃO BATISTA

    01 de outubro de 2018 às 21h36

    Pluralidade, josa.

    Responder

Paulo

01 de outubro de 2018 às 18h30

É impressionante! Se o cenário de MG se repetir, ainda que com menor percentual, nos Estados do Sudeste e do Sul, a eleição do Capitão está decidida…não entendo esses números quando o cenário nacional aponta justamente para uma aproximação do Haddad, em face do Bolsonaro. Seria MG um “trem” fora da curva?

Responder

    JOÃO BATISTA

    01 de outubro de 2018 às 19h26

    O Nordeste compensa com sobras os resultados no sudeste, mas a eleição será disputada, ao contrário do oba-oba que os torcedores do pt estão promovendo.
    Moro entrou em campo divulgando a delação do ladrão Palocci, que não é acompanhada de provas, segundo o próprio MPF.
    Enfim, por essas e outras, é Ciro 12!
    Ciro 12!

    Responder

      Paulo

      01 de outubro de 2018 às 20h21

      Não compensará, João, se essa margem de dobra de votos, de Bolsonaro em relação a Haddad, observada em MG, vier a se repetir no S e no restante do SE…

      Responder

      Lenneth

      01 de outubro de 2018 às 20h51

      Nordeste? Só rindo… veja quantas pessoas tem no sudeste e quantas tem no nordeste… é pra rir?

      Responder

        JOÃO BATISTA

        01 de outubro de 2018 às 22h41

        Ria, se fizer bem a você.
        Falei de proporcionalidade, lenneth.
        0 17 tendia a 15% no nordeste, o 13 a 50%. Eleitorado: 35 mi.
        40% para o 17 e 20% para o 13 no sudeste. Eleitorado: 55 mi.
        Equivalem-se no resultado.
        Se assim não fosse, o 17 estaria muito à frente.
        A pesquisa ibope hoje pode ter mudado esse quadro.
        Eleição disputada, diferentemente do oba-oba petista.

        Responder

          JOÃO BATISTA

          02 de outubro de 2018 às 00h05

          É… Ibope de hoje mudou bem.
          O 17 cresceu em todas as regiões.
          Rejeição do 13 também.
          Vai ser disputada, parece.
          É Ciro 12!

          Responder

    Fábio Deji

    01 de outubro de 2018 às 19h27

    Deus te ouça. É preciso fazer um rombo no subterrâneo político de Brasília, e não resgatá-lo, como querem Alckmin, Ciro, Haddad… A reestruturação política brasileira só será possível com a vitória de um marginalizado do baixíssimo clero, desprezado por toda a elite tucanopetista, pela imprensa vendida, pelos artistas de aluguel, um verdadeiro outsider.

    Responder

      Paulo

      01 de outubro de 2018 às 20h25

      Pode ser, mas também há riscos de que não consiga governar, sem a velha e suja conciliação. Ou seja, estamos numa encruzilhada política. O petismo já dividiu o país, nunca vivemos uma situação como essa…

      Responder

João

01 de outubro de 2018 às 18h14

Vc e seu BLOG é dos IRRESPONSÁVEIS por isso, juntamente com o farsante CIRO GOMES!

Responder

    JOÃO BATISTA

    01 de outubro de 2018 às 19h28

    É Ciro 12!
    12 no primeiro turno.
    12 no segundo turno.
    É Ciro 12!

    Responder

Fábio Deji

01 de outubro de 2018 às 17h27

Ultradireita pra mim são os libertários ou os ancaps, pois pegam aspectos da direita, a liberdade individual, o direito natural, e estendem ao seu extremo. Os termos direita e esquerda não são essencialistas, são produtos da dialética marxista, logo não fazem sentido. Um marxista pode muito bem colocar fascistas, liberais-progressistas e carlistas no mesmo balaio de ideias, mesmo que os que eles preguem sejam coisas completamente diferentes. Fascismo é centro ou centro-extremo, assimila aspectos tanto da direita, nacionalismo, identitarismo e nativismo, e mescla como os da esquerda, coletivismo, sindicalismo, controle estatal, engenharia social. Fascismo e Nacional-socialismo são projetos revolucionários e, portanto, anti-conservadores. Não importa se foram apoiados pela burguesia, pelos industriais, e não estão ancorados na luta de classes (o Nacional-Socialismo não aprioristicamente) . Foram banqueiros que financiaram as revoluções russa e cubana. Como diria Rui Costa Pimenta, o grande burguês não liga pra quem está no poder, liga só pra dinheiro. O metacapitalista é opositor ferrenho do livre mercado.

Responder

Justiceiro

01 de outubro de 2018 às 17h25

Cadê meu comentário, Miguel??

Responder

Marcos Videira

01 de outubro de 2018 às 16h51

Concordo que o surgimento do Coiso deve-se ao processo do Golpe. Porém, se o Coiso vencer as eleições, há que se responsabilizar o PT pelo boicote à formação da frente democrática tal como foi proposta. Os estrategistas do PT, em entrevista ao Nassif, deixaram transparecer que colocaram os interesses do partido acima dos interesses do Brasil. A hegemonia do PT sobre a esquerda e seu protagonismo futuro foram prioritários. Desprezaram o antipetismo existente e nos levaram à beira do precipício fascista. Não consigo vislumbrar uma saída política, com reconstrução do Estado Democrático de Direito, mesmo que o vencedor seja o PT. O fato é que Haddad não tem lastro político próprio. A imitação de Haddad feita pelo Marcelo Adnet tem um final corrosivo.

Responder

    Fábio Deji

    01 de outubro de 2018 às 17h25

    PT tem que ter seu registro cassado. Não é um partido normal. Nem o considero de direita ou esquerda, o considero simplesmente uma quadrilha, um embuste. Assim como todo esse conchavo de gabinete chamado Nova República.

    Responder

      Márcio Martins

      01 de outubro de 2018 às 18h48

      Apareceu um apolítico de direita…entra para o MBL, fio.

      Responder

        Márcio Martins

        01 de outubro de 2018 às 18h51

        Se já não for…

        Responder

Fabio Deji

01 de outubro de 2018 às 16h51

Fascismo significa corporativismo, centralização e autoridade. É uma ideologia diametralmente oposta ao capitalismo e ao liberalismo. Como um candidato cuja plataforma é a municipalização, descentralização, ultraliberalismo, independência do banco central etc. vai ser fascista? A definição pra fascismo de vocês é importada dos leftlibs americanos junto com todo o resto da pauta da nova esquerda. Trabalhismo, que o dono do blog prega, não passa de um nome romântico pra fascismo sindical.

Responder

Fabio Deji

01 de outubro de 2018 às 16h49

Fascismo significa corporativismo, centralização e autoridade. É uma ideologia diametralmente oposta ao capitalismo e ao liberalismo. Como um candidato cuja plataforma é a municipalização, descentralização, ultraliberalismo, independência do banco central etc. vai ser fascista? A definição pra fascismo de vocês é importada dos left-libs americanos junto com todo o resto da pauta da nova esquerda. Trabalhismo, que o dono do blog prega, não passa de um nome romântico pra fascismo sindical

Responder

Fabio

01 de outubro de 2018 às 16h49

Fascismo significa corporativismo, centralização e autoridade. É uma ideologia diametralmente oposta ao capitalismo e ao liberalismo. Como um candidato cuja plataforma é a municipalização, descentralização, ultraliberalismo, independência do banco central etc. vai ser fascista? A definição pra fascismo de vocês é importada dos left-libs americanos junto com todo o resto da pauta da nova esquerda. Trabalhismo, que o dono do blog prega, não passa de um nome romântico pra fascismo sindical.

Responder

Marcelo

01 de outubro de 2018 às 16h47

Bem… historicamente, quem ganha em Minas ganha no Brasil. Desde sempre é assim.

Responder

Fabio

01 de outubro de 2018 às 16h47

Fascismo significa corporativismo, centralização e autoridade. É uma ideologia diametralmente oposta ao capitalismo e ao liberalismo. Como um candidato cuja plataforma é a municipalização, descentralização, ultraliberalismo, independência do banco central etc. vai ser fascista? A definição pra fascismo de vocês é importada dos left-libs americanos junto com todo o resto da pauta da nova esquerda. Trabalhismo, que o dono do blog prega, não passa de um nome romântico pra fascismo sindical.

Responder

carlos

01 de outubro de 2018 às 16h02

O que o Miguel do Rosário está querendo frisar é que, Bolsonaro está muito forte nas classes mais articuladas politicamente (maior renda e maior escolaridade). As classes que o Haddad tem mais força, baixa escolaridade e baixa renda, votam e vão embora pra casa, tocar suas vidas.

Isso significa uma bomba-relógio prestes a explodir no colo do PT, no máximo alguns meses depois do Haddad assumir, caso venha a ser eleito.

Manifestações grandes. De fazer junho 2013 parecer fichinha.

E aí duvido que esse pessoal do #elenao saia às ruas para defender o Haddad.

Responder

    Moésio Pereira

    01 de outubro de 2018 às 19h44

    Agora vou definir em quem voto a partir do medinho que tenho das classes dominantes. Deixa de ser colonizado, rapaz!

    Responder

Antonio p. Mendes

01 de outubro de 2018 às 15h54

Haddad é o único com gráfico ascendente em todos os estados.

Responder

JOÃO BATISTA

01 de outubro de 2018 às 15h24

Votarei em Pimentel, mas ele é o único responsável pelo ressurgimento do corrupto e golpista Aécio e de sua boneca, candidato ao governo do estado, além de, no mínimo, uma das vagas para o senado.
O fascista é beneficiário desse cenário, em que servidores públicos estaduais são maltratados de diversas formas, desde o atraso e parcelamento dos salários até a inserção de seus nomes no serasa devido à inadimplência na quitação das faturas de crédito dos bancos, mesmo após descontadas as prestações em seus contracheques, configurando apropriação indébita.
Aécio e sua gangue inviabilizaram empréstimo para o estado.
Atitude e gestão tempestiva foi o que faltou a Pimentel. Espero, embora não creia, que ele consiga a reeleição e passe a atuar como gestor e não apenas como político.

Responder

    Paulo

    01 de outubro de 2018 às 18h27

    Pô, o cara atrasa seus salários, te persegue e você quer mais??????

    Responder

      JOÃO BATISTA

      01 de outubro de 2018 às 19h19

      Não me persegue e não sou servidor público.
      Psdb foi governo estadual de 2002 a 2014. #PsdbNao!
      Se haddad for eleito Minas terá tratamento normal do governo federal, o que não ocorre desde a posse de Temer.
      Prefiro tentar novamente com Pimentel do que ver de volta o Aécio e sua quadrilha.
      Clique no link do viomundo, acima, e entenda a razão da derrocada do estado.

      Responder

        Paulo

        01 de outubro de 2018 às 20h37

        Mas ele também governou sob Dilma, João! Será que dá pra imputar toda a crise fiscal ao Vampirão?

        Responder

          JOÃO BATISTA

          01 de outubro de 2018 às 23h58

          Não, não.
          No primeiro comentário eu destaco isso.
          Atitude de gestor, decidir segundo a realidade, priorizar, reduzir custos, e não esperar pra ver como é que fica, e só no mimimi.
          Pimentel, apático.
          Anastasia, marketing.
          A tendência da eleicao é para a boneca do Aécio, que posa de bom gestor, mas que foi responsável por arrombar as finanças do estado.
          Em nível nacional não é muito diferente, Haddad é bom quadro, mas apagado.
          Bolsonaro abraçado a Anastasia, no segundo turno.
          Pra Presidente, é Ciro 12!

          Responder

    Sebastião

    01 de outubro de 2018 às 21h40

    Pimentel atrapalhou o PT. MG é um dos estados que foi divisor de água, assim como o RJ e o Nordeste a favor do PT. Sou petista, mas esse Pimentel é um atrasa lado. Precisamos separar o lado militante, do lado executivo. E de todos os governadores que tem baixa avaliação, dois militavam mais, que era Pimentel e Tião Viana. Enquanto Camilo, Rui e Wellington Dias, estavam inaugurando obras. Deixa esse lado militante pra o legislativo. Vejam se outros governadores não judicializaram e não conseguiram obter recursos federais de Temer? Enquanto Pimentel, nada fazia.

    Responder

Justiceiro

01 de outubro de 2018 às 15h10

O site O antagonista está publicando a delação do Palocci. Só precisamos que a televisão (todas as emissoras) mostrem a fundo esse crime, que acho que Addad vai perder votos para Ciro. E Ciro deve também condenar as roubalheira, senão será tachado de defensor do corrupto-mor.

Responder

Fabio

01 de outubro de 2018 às 14h47

Esse fascista vai perder e vamos voltar a democracia novamente.

Responder

    Justiceiro

    01 de outubro de 2018 às 15h16

    Volta da democracia? Qual, a do Dirceu que quer tomar o poder? A do Addad que quer acabar com os órgãos de fiscalização pois assim é mais fácil roubar?

    Responder

Deixe uma resposta