Entrevista de Haddad ao SBT

A rejeição de Bolsonaro X Haddad

Por Miguel do Rosário

02 de outubro de 2018 : 22h04

Lembrando aos internautas: a única “pesquisa” que tem valor objetivo, concreto, são as urnas. Pesquisas servem como pretexto para nossos debates, e a gente deve sempre cotejá-las com outras pesquisas, e com nossa observação empírica da realidade.

Outro aviso: não escrevo aqui pensando em “campanha” de ninguém. Eu simplesmente publico o que está nas pesquisas, chamando a atenção para alguns pontos aos quais as pessoas costumam não olhar muito.

Dito isso, agora que a pesquisa Ibope foi “confirmada” pelo Datafolha, podemos dar uma olhada com mais confiança nas tabelas de rejeição do Ibope, presentes no relatório completo do levantamento feito nos dias 29 e 30 de setembro (sábado e domingo).

Marquei alguns números que gostaria que vocês olhassem.

Reparem nos números, tirem suas próprias conclusões e comentem aqui, por favor.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

21 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Joao

03 de outubro de 2018 às 13h56

O resultado do terror antipetista: Datafolha mostra raiva e tristeza por trás do voto em Bolsonaro

https://www.diariodocentrodomundo.com.br/o-resultado-do-terror-antipetista-datafolha-mostra-raiva-e-tristeza-por-tras-do-voto-em-bolsonaro-por-kiko-nogueira/

Responder

Euclides Anjos

03 de outubro de 2018 às 12h47

Senhores! Sobre as pesquisas, penso que as pessoas estão levando em conta o apelo especulativo da velha e manjada mídia. Digo isso porque, ao analisar com frieza racional os número das pesquisas ( ibope e datafolha), percebe se visivelmente as inconsistências matemáticas, algébricas enfim e por isso, as classifico de especulativas. Ao se observar a pesquisa e analisar as projeções de segundo turno encontramos os seguintes números: capitão 44% x HADDAD 42% branco/nulo 12% indecisos 2%, aí a aberração numérica. Essa mesma pesquisa traz que o capitão tem 45% de rejeição, HADDAD teria 41%. Ocorre que nesse contexto, ao calcularmos : 100% – 45% da rejeição do capitão, restariam a este possibilidade em 55%, mas, ao subtrairmos os 12+2 de bracos/nulos/indecisos, chegamos ao percentual de 41% e isso seria a realidade do capitão. Já pelos números de HADDAD, efetuando se os mesmos cálculos temos: 100% – 41% da rejeição, sobram 59% de possibilidades e ao subtrairmos os mesmos 14% de brancos/nulos/indecisos, 59% – 14% = 45% chegaremos ao percentual de 45% para HADDAD13. Ou seja, o verdadeiro resultado de segundo turno entre os candidatos mencionados seria: HADDAD13 45% x capitão 41%. Sendo assim, percebe se matematicamente com exatidão, que os dois institutos de pesquisa se utilizadam do velho expediente manipulador da política rasteira.

Responder

    Lucas Almeida

    03 de outubro de 2018 às 14h51

    Não.

    O potencial de votos de Bolsonaro é 55%, o de Haddad é 59%, conforme você falou.

    No entanto, o cara que no segundo turno falou que iria votar nulo neste cenário PODE ESTAR CONTIDO dentro dos caras que rejeitam o Bolsonaro. Na verdade, possivelmente, o cara que vota branco/nulo neste cenário, rejeita ambos. Então, se o Bolsonaro tem uma rejeição de 45% e 12% está nos brancos e nulos. 34% da rejeição está em quem vota em alguém. Provavelmente os 34% estão dentro dos votos do Haddad que chega a 42% com mais 8% de gente que não rejeita Bolsonaro mas prefere o petista.

    Da mesma forma, a rejeição de 41% do Haddad, 12% estão nos votos brancos e nulos e 29% estão nos votos de Bolsonaro. Assim, dos 44% de votação do Bolsa, 29% são aqueles que odeiam Haddad e 15% são aqueles que não odeiam mas preferem o fascista.

    Responder

Kahlil Ambrósio

03 de outubro de 2018 às 09h44

Realmente, é triste ver o Ciro entrar na pilha do poder pelo poder e deixar de lado seu princípio de defender o que de fato está em jogo; nossa democracia. Guardei minha decisão até esta última semana, esperando por quem de fato dispontaria como o adversário do “coiso” no segundo turno, por que creio que não estou votando em Haddad ou em Ciro, estou dando uma chance à democracia. Da mesma forma, é desanimador ver por estas pesquisas, que os mais experientes e com melhor nível de instruções são justamente os mais desorientados politicamente, não se admite corrigir o estrago com mais estragos. Infelizmente não há como taxar tais pessoas como ignorantes, a eles só resta outros adjetivos : maldosos, fascistas, canalhas…
Voto na democracia, no nosso direito de estarmos aqui discutindo. Acredito que no próximo dia 07 as urnas estarão desmentindo estas pesquisas e estaremos salvando nosso país do maior dos retrocessos que a história poderia nos submeter.
No dia 07 é 13! É na democracia que voto! Ela sim. Ele não, ele nunca, ele jamais!

Responder

    Lucas Almeida

    03 de outubro de 2018 às 11h20

    Poder pelo poder é o PT de mãos dadas com Calheiros e Eunício. É enfiar o Haddad guela abaixo do povo após o Lula não resistir a ordem de prisão.

    Dá um tempo, espera a poeira do antipetismo baixar, voltaria muito forte em 2022. Ciro levaria todas as pancadas que poderia levar e o PT surgiria como uma alternativa forte novamente. Mas não, não quer perder a boquinha de jeito nenhum. Achou q tava fácil, com o haddad tranquilo na segunda e não se dispôs a atacar o fascista em 1 minuto. Agora que a água tá batendo, a culpa é do Ciro.

    Responder

      MARCELO DE OLIVEIRA SOARES

      06 de outubro de 2018 às 13h28

      Disse tudo.

      Responder

Fabio

03 de outubro de 2018 às 08h28

E o Ciro partindo para cima do PT e dando ajuda ao fascismo.
Que triste

Responder

    Lucas Almeida

    03 de outubro de 2018 às 09h23

    PT tem 4x o tempo do Ciro e não ataca o Bolsonaro. Quem quer o Bolsonaro no 2º turno é o PT pq sabe que é a única chance deles ganharem. Tão torcendo pra dar pra reverter depois. Para eles, é melhor arriscar um fascista e a cabeça do povo brasileiro do que perder a chance de exercer a quinta presidência seguida.

    E a culpa é do Ciro e da Marina e seus longos 38 e 21 segundos.

    Responder

Serg1o Se7e

03 de outubro de 2018 às 08h20

Já que pesquisa só serve para debates, minhas considerações:
– Haddad não herdou apenas votos do presidiário, herdou a rejeição. O DataFolha divulgou também que 59% dos brasileiros querem que o presidiário continue preso. Ou seja, a falácia da esquerda, de petistas principalmente, de que o “povo” quer o preso livre é nada mais que isso: falácia.
– a rejeição a Bolsonaro deve-se muito mais às fake news da esquerda (PSDB incluso) e à quase inexistente tempo de réplica que ele possui do que a outra coisa. Havendo segundo turno em iguais condições de tempo de propaganda, a rejeição tenderá a diminuir, porque as pessoas entenderão as falas descontextualizadas dele (mutias vezes exageradas).

O eleitorado não está dividido entre Haddad e Bolsonaro, ou entre o presidiário e o fascista. O eleitorado está dividido entre o petismo e o anti petismo. E o resultado das urnas dirá de qual lado a maioria dos eleitores está.

Maioria dos eleitores, não da população.
Lembro que a deposta Dilma foi eleita pela maioria do eleitorado, mas não pela maioria da população.

Responder

Franklin Caetano de Freitas.

03 de outubro de 2018 às 08h16

Rejeição. Os candidatos que disputam a ponta tem mais rejeição é óbvio. Qualquer um a esquerda que chegar a frente terá sua rejeição aumentada e muito. Marina e Ciro tem papel principal no aumento da rejeição de Haddad estou em grupo de zap com Bolsomios já vi elogio a Ciro por atacar o Haddad e o PT, não que isso tenha se transformado em votos para o pedetista. E já vi também ataques violentos a Ciro teria sua rejeição aumentada em muito se estivesse na ponta se os Bolsomios o temessem e não duvido que superasse o petista dada a virulência dos Bolsomios e do próprio pedetista. Haddad por sua vez é o candidato mais de boa na eleição. É de se espantar que a poucos dias da eleição alguém ainda imagine que Ciro possa passar Haddad, a única coisa possível hoje é o segundo turno Haddad X Bolso ou a vitória no primeiro turno do último. Então é hora do voto útil e é em Haddad.

Responder

    Lucas Almeida

    03 de outubro de 2018 às 09h24

    Não existe voto “útil” em Haddad. Qualquer voto menos nulo/branco e bolsonaro favorece o segundo turno. Na verdade, o voto em Haddad é o grande voto inútil. Jogar para o 2º turno o único que tá perdendo do bozo.

    Responder

Miguel

03 de outubro de 2018 às 07h36

E teu “candidato de Esquerda “ fazendo tabelinha com os reacionários para favorecer Bolsonaro. Parabéns pela visão progressista deste blog! Só falta proclamar voto nulo no 2 turno

Responder

    Lucas Almeida

    03 de outubro de 2018 às 09h26

    Acho que quem tá fazendo tabelinha com o Bolsonaro é o Haddad. 2 minutos e 28 segundos e nem um pio sobre o bozo. Nenhuma criticazinha. Covardia pura.

    Responder

André Luiz

03 de outubro de 2018 às 06h51

Segundo os tracking de pesquisa do PT a situação é de empate técnico, mais próximo do mostrou a pesquisa da Poder360, o objetivo do PIG, Grobo à frente, é exatamente este, desmobilizar a militância. Essa estória eu já conheço desde a campanha Lula x Collor, em 1989. “A Grobo (definitivamente) é incompatível com a Democracia!”. Avante o PT, Lula e Haddad!!!

Responder

    Lucas Almeida

    03 de outubro de 2018 às 09h20

    Lembro dos trackings do PT em 2014 no 1º turno: Dilma com 49%, Aécio e Marina com 22%

    Responder

Foo

03 de outubro de 2018 às 03h00

O candidato de esquerda menos rejeitado é Boulos. Tirem suas próprias conclusões.

Responder

    Serg1o Se7e

    03 de outubro de 2018 às 08h14

    Estatística, amigo Foo.
    Qualquer um que seja praticamente desconhecido é praticamente não rejeitado.

    Responder

Cristiano

03 de outubro de 2018 às 00h26

Esmorecer jamais. O que importa é seguir decididamente com força para chegada final.

Responder

Marcos Videira

03 de outubro de 2018 às 00h24

Há muito tempo as pesquisas indicam que os maiores índices de rejeição são do Coiso e de Haddad.
Se eles forem pro segundo turno, a eleição não terá um vitorioso. Terá aquele que foi o mais rejeitado.
Se isso ocorrer, a crise brasileira será superada ? Teremos novamente um terceiro turno golpista ?

Responder

Adilson Lauriano

02 de outubro de 2018 às 23h14

Os eleitores de Bolsonaro estão interligados online pelo WhatsApp e interagem 24 horas por dia. Os temas pertinentes chega a quase todos quase instantaneamente, a mobilização é permanente e crescente. Muito parecido com o que aconteceu na eleição de Trump.

Haddad, sem dúvida é o mais preparado, mas a rejeição dele, devido ao antipetismo, é quase irreversível.
A esquerda precisa encontrar um meio de se mobilizar instantaneamente também. A interação tem que ser constante e a mais ampla possível.

Responder

Ju

02 de outubro de 2018 às 22h11

O PSDB/PMDB deram o golpe e querem instalr o fascismo com bolsonaro.

Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com