O depoimento de Lula à juíza Gabriela Hardt

Gustavo Castañon: 19 dicas para derrotar Bolsonaro

Por Miguel do Rosário

12 de outubro de 2018 : 23h51

VOCÊ QUER DERROTAR O FASCISMO? QUER MESMO?

Por Gustavo Castañon

Está muito claro para a maioria da esquerda que parte dos quadros históricos do PT, não quer vencer essas eleições. Disse José Dirceu recentemente que vencer sem condições de governar é pior do que a derrota, e que seria melhor eleger deputados e se posicionar como líder da oposição esperando o futuro.

A frase atribuída a Lula hoje, “Tsunami vai e volta”, ilustra bem o inconsciente desapego com o futuro de milhões de brasileiros, já que o Tsunami vai destruindo e volta destruindo tudo o que tem pela frente.

E o que tem pela frente dele somos nós e o futuro de nossos filhos. São minorias que viverão sob terror. São nossos empregos. São nossas liberdades democráticas.

Mas a verdade é que a maioria dos petistas, como o resto da esquerda e do centro, está verdadeiramente aterrorizada com a iminência de um governo abertamente fascista abonado pelas urnas. Tão aterrorizada quanto eu estava três semanas atrás tentando avisar que a opção por Haddad nos levaria a esse desfecho.

Mas não é de minha natureza morrer sem lutar. É da sua? Se você, odiando o PT ou não, odiando o Ciro ou não, odiando a todos ou não, quer impedir a instalação do fascismo pelas urnas em solo nacional, está na hora de tomar as rédeas do processo das mãos daqueles que já estão com seus destinos de exílio devidamente acertados.

A melhor chance para vencermos essa eleição seria a renúncia de Haddad em prol de uma frente ampla democrática. Ciro era o candidato mais forte para enfrentar o fascismo e tinha de 14 a 16% de diferença no segundo turno para Haddad e de 6% a 10% de diferença para Bolsonaro. Mas sabemos que não há grandeza no PT suficiente nem para dividir uma maçã. A não ser que esteja envenenada.

Já que miseravelmente estamos no mesmo barco, tenho sugestões àqueles que estão no comando dessa campanha. É claro que se alguém se der ao trabalho de ler isso, teria que testar algumas que interessassem em pesquisas quanti ou quali. Enfim, aqui vão:

1) PAREM DE BATER NO CIRO – A blogosfera petista tem que parar ontem de bater no terceiro colocado e em seus eleitores. Esse comportamento passa a mensagem de desespero e derrota, de que não há nada a ser tentado e, portanto, é hora de tratar da disputa de seu campo político. Ciro não vai salvar vocês. O antipetismo é uma realidade e atinge 60% da população (índice de rejeição ao candidato apoiado por Lula que já conhecíamos desde o começo do ano). Ciro conseguiu parte desses votos, minoritários, mas não tem como transferi-los por cabresto. Vocês têm que lembrar que Ciro só é um coronel na mitologia petista, seu eleitor médio é autônomo cognitivamente e foi atraído por suas propostas. Não segue santos, caudilhos ou líderes populares. Facilitaria muito se parassem de perder seus eleitores, que é só o que conseguiram até aqui.

2) SURPREENDAM – A campanha está com ar de fato consumado. É preciso gerar fatos novos, como o Bolsonaro fez ao prometer 13º ao bolsa família. Concretude, por favor.

3) ENCARNEM O ANTI-SISTEMA – É muito difícil para Haddad, com sua imagem de professor da USP e do Insper, filiado ao PT, encarnar isso. Mas é isso o que está decidindo a eleição. Lula liderava porque foi um bom presidente, estava preso enquanto todo o resto está solto. Ele encarnava o anti-sistema mais do que ninguém. Agora é Bolsonaro quem o encarna. O sistema para o povo é o petucanismo, o consórcio PT-PMDB-PSDB. Mas Haddad em minha opinião deveria evitar ao máximo essas associações e investir ainda numa narrativa de vítima de um golpe que destruiu a economia, de vítima de um sistema que encontrou agora seu representante, aquele que vai perseguir o pobre, que é parte do sistema e que apoiou o PSDB esses anos todos e agora apoiava Temer. Varrer Lula para debaixo do tapete agora só enfraquecerá a narrativa petista. Agora é leva-la até o fim, sem, no entanto, fazê-la de carro chefe.

4) PROPONHAM O RECALL – Convençam-se rapidamente de que para 60% dos brasileiros a volta ao poder do PT é um pesadelo, e esse pesadelo deve ser mitigado para o eleitor de centro ou direita que não quer o fascismo. Um caminho para isso é assumir a proposta de Ciro Gomes de criação no Brasil do recall. Prometer que em dois anos o país teria um recall, aprovado por emenda constitucional antes do mandato, para decidir se quer ou não a permanência de Haddad na presidência, não só aliviaria o peso daqueles que não querem o PT de volta como também a pressão por um golpe que começaria no primeiro dia de urnas fechadas pró PT.

5) PROMETAM SER UM GOVERNO DE TRANSIÇÃO – Se comprometam com a não disputa do segundo mandato. Se a maioria dos brasileiros não quer quatro anos de PT, imagine oito.

6) PARLAMENTARISMO? – Já sabemos que o PT não teria maioria, uma forma de evitar o fascismo nesse momento é um recuo parlamentarista que pode inclusive ser usado para controlar os poderes de Bolsonaro se o pior acontecer. Essas duas propostas diminuiriam o medo do PT. Como, no entanto, a ideia é mal recebida pela população, talvez seja somente uma moeda de troca em acordos com outras forças políticas.

7) CHAMEM O FASCISMO PELO NOME – Façam uma campanha politizante mostrando as características e horrores do fascismo. Fascismo não é uma palavra muito forte para o que está acontecendo. Os horrores da tortura e ditadura ainda podem converter muitos votos na classe média para o nulo, nem todos os que estão votando em Bolsonaro sabem do que se trata.

8) ESTADO DE DIREITO – Não caiam nessa ladainha de que ninguém quer saber de estado de direito e democracia. Muita gente quer, e se isso não decide eleições, mobiliza uma massa de militantes desesperadamente motivados. Nas comunidades carentes, que não conhecem estado de direito, se conhece muito bem a arbitrariedade policial e há muito medo de que ela se torne incontrolável.

9) MOSTRE QUEM É BOLSONARO NA TV – Todo dia. Isso choca, isso constrange, não é verdade que todos estão votando nisso, a maioria está votando apesar disso, isso vai ao menos aumentar os votos nulos e acender a luz vermelha democrática no país.

10) FALEM DE FAKE NEWS O TEMPO TODO – Não há como combater na rede a máquina de mentiras da CIA e dos bolsonaristas, tudo o que resta para minimizar é denunciar o processo como um todo.

11) QUESTÃO LGBT SIM, MAS SEGMENTADA – O erro na defesa da pauta é na forma e público, e não na causa. Estima-se que 4% da população seja LGBT. Em seus laços de amor familiar, essas pessoas alcançam diretamente um irmão, uma mãe, um grande amigo. Uma enorme parcela da população ainda se aterroriza com a homofobia declarada de Bolsonaro. Essa pauta deve ser muito exposta nos grupos segmentados de rede para mobilizar essa comunidade nas eleições.

12) EXPONHAM A VIOLÊNCIA – Os episódios de violência nas últimas semanas são francamente aterradores e devem ser expostos no horário eleitoral. As pessoas têm que ficar sabendo. Vamos apostar na civilização, porque se perdermos, você quer estar do lado dos vencedores?

13) DEFENDAM A SOBERANIA E O EMPREGO NACIONAL – A principal diferença de Bolsonaro para o discurso fascista, e uma lacuna em sua imagem, é a falta de um discurso de proteção da indústria nacional, do emprego nacional e da soberania. Essa é uma falha que deve ser exposta.

14) PAUTA ECONÔMICA, ECONÔMICA, ECONÔMICA – No horário oficial, a maior parte do tempo deve ser mostrando que com o PT era melhor, que Bolsonaro apoiou as reformas de Temer que destruíram a economia e que as propostas dele levarão ao desemprego e falta de direitos. Mostrar declarações de economistas e imprensa internacional que se espera turbulências econômicas piores no país com a eleição de Bolsonaro.

15) DESMORALIZEM BOLSONARO NA SUA IMAGEM PROJETADA – Tá na hora do Haddad ficar mais durinho nas pernas e chamar Bolsonaro de covarde, de fraco que não controla a equipe, dizer que ele é político profissional e está querendo esconder coisas do povo brasileiro, que tem medo de enfrentar o PT no debate (já pensou? Ele teria que aparecer).

16) NÃO ABANDONEM A PAUTA FEMININA – Tem que se recuperar a rejeição do eleitorado feminino à chapa de Bolsonaro, repisar declarações, o voto contra as domésticas, a declaração da fábrica de delinquentes, não se pode desistir disso. A campanha mostrando Haddad como marido fiel e gentil está ótima. Alguma coisa tem que estar certa, não?

17) NÃO DESISTAM DO VOTO ANTI-PT – Foquem em levar o anti-petista a votar nulo, esqueçam o amor ao PT, o papo com o anti-petista é o de não deixar ele se sujar de sangue. “Não sujem suas mãos de sangue no dia das eleições”, é por aí.

18) EXPONHAM A DESMORALIZAÇÃO INTERNACIONAL DO PAÍS – O Brasil com Bolsonaro liderando já virou pária internacional antes de sua posse projetada. Marine Le Pen chegou a dizer que Bolsonaro dizia coisas aberrantes, inaceitáveis na França. Bolsonaro já prometeu tirar o Brasil da ONU. Exponham como está sendo recebida a liderança de Bolsonaro no exterior e como isso afetará o fluxo de investimentos e turismo no país. Brasileiro de classe média não é norte-americano, ele se importa com a visão internacional sobre o país.

19) CORAGEM – Já que vocês não têm grandeza, tenham ao menos coragem. Lutem até o último minuto. Vocês fizeram questão dessa vaga. Façam por onde. Se exponham. Morram na pista. Mesmo que percamos essa eleição, a luta contra o fascismo apenas começou. Não joguem fora o tempo de TV com outra campanha despolitizante do PT. Politizem. Na emoção já perdemos. Tentem a razão. Se forem despolitizar de novo, lembrem-se que essa tem sido a eleição do ódio contra o medo. Então que todos tenham medo. Tenham muito medo.

Movam-se. Estamos esperando sinais de que vocês querem mesmo disputar essa eleição. Pra vencer ou pra perder ela precisa ser disputada como nunca. O PT fez de tudo para ficar com essa vaga. Convenceu, com mentiras, milhões de brasileiros de que era a opção mais forte para lutar contra o fascismo que ameaça suas próprias vidas e a de seus filhos. Agora vão lá e lutem. Deixem seu sangue no ringue. É o mínimo.

Mais do que aqueles que lutam sem tréguas até a vitória, o que revela quem é quem é a luta sem trégua até a derrota inevitável. Que não seja nosso caso. Não quero mais provar nada a ninguém, eu só quero tentar salvar meu país do fascismo. De novo. Vocês querem?

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

37 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

simplesfacil

31 de outubro de 2018 às 11h28

E NÃO ADIANTOU DE NADA TUA CARTILHINHA AÍ, ACEITA TEU NOVO PRESIDENTE E PARA DE CHORAR.

Responder

Hebreu

17 de outubro de 2018 às 12h12

Bolsonaro 2018-2026. Fora Esquerda.

Responder

FELICIO HONORIO DA SILVA

16 de outubro de 2018 às 20h36

Temos que para como essa história de anti petismo, o que está acontecendo é um fenômeno que nem se pode chamar de luta de classes, mas é a reedição do neo liberalismo que criou o plano real para concentrar renda, a reorganização da direita mundia, e pasmem, serão capazes mesmo de matar, negros, homo afetivos, indígenas, desempregados para promoverem uma redução da população, diminuindo assim a demanda por empregos, o emprego distribui renda. Querem um mundo para poucos, um pais para poucos. Por isso eu tenho dito que é Haddad ou barbárie.

Responder

Marcos Videira

15 de outubro de 2018 às 21h23

Igrejas foram pixadas no Rio com a suástica.
Recuperar a imagem do bispo da Universal chutando Nossa Senhora Aparecida.
Ressaltar que Edir Macedo escreveu o livro Plano de Poder.
Bolsonaro é um fascista e despreza a democracia.
Sintetizar essas informações e concluir: por desprezar a Democracia, Bolsonaro irá perseguir os católicos, muçulmanos, judeus e todos os que não estiverem alinhados com a igreja de Edir Macedo

Responder

PAULO Teixeira

15 de outubro de 2018 às 07h59

Esta eleição prova somente a burrice da esquerda brasileira. Acreditou que no corpo-a-corpo iria levar. Esta eleição está ganha pelo Bolsonaro porque usou os serviços de inteligência das Forças Armadas, que lhe forneceu todos os subsídios para ganhar a tal de guerra híbrida, feita nas redes sociais. Um exemplo: um amigo advogado de ponta carioca me disse que votou no Witzel – que ele não conhecia de lugar nenhum – porqu lhe foi proposto no seu zap o perfil de um candidato ‘agradável’ a 2 dias da votação. Ele gostou e votou. Ele surpreendeu todo mundou com seus 41%. Agora imaginem ao nível do Bolsonaro. Não tem como reverter esses quase 60% que as pesquisas tão indicando. Ciro, acirradamente defendido pelo autor, mostrou com sua fuga pra Europa que somente tem olhos pra seu umbigo. Com Bolsonaro ou sem, sua vida não vai mudar. O resto é conversa pra boi dormir. O Brasi vai ter que encarar 4 anos de militarismo, Lula vai definhar na cadeia, e os do STF vão aprender dentro de pouco o que é bom pra tosse. Até a Rede Globo, que tardiamente se apercebeu que perdeu, vai ser engolida pela IURD. Quem viver, verá.

Responder

Eduardo

14 de outubro de 2018 às 17h58

Concordo com a maioria dos temas propostos, mais acho que falta mostrar principalmente nos debates (se houver) provocar nele o seu lado autoritário, ignorante, sem paciência para responder perguntas que machucam sua consciência. Exemplos:no debate na band ele ficou irritado ao ser perguntado por Boulos sobre homofobia, racista e principalmente sobre a val e quis desqualificar Boulos menosprezando ele o chamando de insignificante e falar mais sobre os grandes líderes populares que trabalharam pelos mais pobres como Leonel Brizola (que ele odiava)

Responder

Ricardo Cebalho

14 de outubro de 2018 às 12h22

Alem de tudo Miguel levanta falsas acusações, caráter: 0

Responder

Cristiano

14 de outubro de 2018 às 09h44

Miguel ignora que uma coisa básica quando coloca a culpa no PT por Ciro não ter ido pro degundo turno: o dito “mercado” que na verdade é o deep state americano aliado a nodsa quinta coluna, não odeia o Lula ou o PT, assim como não odiava Getulio Vargas ou JK.Eles odeiam o projeto de Brasil que esses personagens representam, o mesmíssimo que Ciro representa.Se Lula, quando começou seu processo de perseguição, tivesse desistido de sua candidatura e apoiado Ciro, pir exemplo, quem você acha que teria sido a vítima da artilhatia da imprensa e do MP?Lembra quando foi ventilado que Jacques Wagner poderia ser o canditado do PT(provavelmente seria mesmo) como o partido do judiciário veio como um bando de hienas com processos armados contta ele?Lula, ao levar sua canditatura até o limite, serviu como um para raio para a esquerda, pois a imprensa pelo menos por um tempo não soube em quem atirar.Bem ou mal, a estratégia levou o PT au segundo turno.

Responder

Francisco Solon

14 de outubro de 2018 às 09h16

Bueno, o que há de melhor na democracia é a alternância de poder. Sob um ponto de vista meramente estratégico, a população entende e sente que houve um erro na forma do PT (esquerda) de conduzir o governo. A roda vai girar. Daqui mais 4 anos haverá novas eleições. E a vida segue. O mundo não vai acabar.

Responder

UBIRATAN ROSA PASSOS

14 de outubro de 2018 às 00h21

LI TODOS OS COMENTÁRIOS. ALGUNS, COM UM POUCO DE LUCIDEZ; A MAIORIA, ACREDITANDO NO CONTO DA CAROCHINHA, NA ILUSÃO DE UMA VIRADA IMPOSSÍVEL.
#JÁ ERA!

Responder

Roque

13 de outubro de 2018 às 19h56

A esquerda pirou de vez… Podem começar a chorar agora, pois, a surra que o Bolsonaro vai dar no Andrade vai ficar na história. Tudo por conta da “Estratégia” do condenado. Esta eleição podia ser diferente, mas o egoísmo pessoal e a cegueira dos fatos atuais, inflou o ego de alguém que já não tem crédito a muito tempo.

Responder

Humberto

13 de outubro de 2018 às 19h08

#HaddadRenuncie ….
Pelo bem do país, só o Ciro pode impedir a tragédia que está por vir…

Responder

    Cristiano

    14 de outubro de 2018 às 09h46

    Agora, já era.Não tem como por Ciro em seu lugar.

    Responder

    carlos alberto

    14 de outubro de 2018 às 23h55

    Ciro oportunista ,correu para a Europa se apequenou,

    Responder

    carlos alberto

    14 de outubro de 2018 às 23h55

    Ciro oportunista ,correu para a Europa

    Responder

Alan Cepile

13 de outubro de 2018 às 16h06

Com todo respeito que o colunista merece, e merece mesmo, mas penso que nem ele acredita nessa estratégia.

Infelizmente Bolsonaro JÁ GANHOU, fruto de um antipetismo que o 1º turno desnudou de forma avassaladora, fruto da incompetência e ingenuidade do campo progressista e fturo tb de certa infantilidade do eleitorado, os números do 1º turno já deviam ser estes a muito tempo apenas com alguns ajustes, logo, o eleitor tá se relacionando com a eleição da mesma forma como se relaciona com o futebol, onde o torcedor/eleitor tem um time/candidato e não muda, relativizando os escândalos próprios e criticando os dos adversários.

O eleitor/torcedor precisa começar a entender melhor o jogo para poder jogar cada vez melhor.

Responder

Eu Mesmo

13 de outubro de 2018 às 14h40

Não há nada o que possa ser feito. Essa é uma eleição contra o Petismo/Lulismo. Irá se votar em qualquer um que esteja contra o PT/Lula.

Responder

vinicius

13 de outubro de 2018 às 13h00

A traição da cúpula do pt ao Brasil já está sendo paga por inocentes. Uma morte, alguns espancados. Mais vem por aí. Conseguirão derrubar a rede de mentiras que se formou nos whatsapps por aí a fora? Pois isso explica em muito o nível de irracionalidade das pessoas. A coisa está realmente estranha. O clima nas ruas, as conversas. Que trabalho bem pensado. Inteligência desestabilizadora de uma nação continental como Brasil vem funcionando às mil maravilhas com o uso de mentiras encarnado num deputado vagabundo com mais de trinta anos de política no baixo clero. Neofascismo à brasileira com, lamentavelmente, a ajuda do partido hegemônico no chamado campo progressista. Que encalacrada! Avante! Não me deixo levar pelos ataques sujos da mídia petistas àqueles que os ajudaram. Espero que os demais 13 milhões não pensem assim, mas convenhamos, muito difícil, nessas horas cada cabeça é uma sentença e com o medo que paira na sociedade, o individualismo é o refúgio de muitos para tentar escapar da ansiedade que esta situação está criando. ”Vamos às ruas com nosso amor e nossa hipocri…” o ato falho de Manu revela muito. Avante. Vote no 13.

Responder

Hudson

13 de outubro de 2018 às 12h53

O ponto 1 (não bater em Ciro) é essencial; sugiro também a recíproca de não se culpar o PT por todo o problema. Seria bom não ficar replicando artigos de opinião cujo tema seja essencialmente culpar Ciro ou o PT, pois isso só reforça o ciclo infantil “foi ele que começou”, e não ajuda em nada. O artigo acima é muito bom, porque alia a crítica a proposições concretas. É construtivo.

Uma visão um pouco diferente é a de Fernando Brito:

“O drama do Brasil não foi criado pela esquerda, pelo PT ou por seus erros, mas por um processo que, afinal, na aliança entre mídia e judiciário encontrou a forma de empalmar o poder, ainda que com a mais tosca de suas criaturas.

Este é o ponto central, o resto – inclusive as opções políticas de cada corrente política que, em tese, deveriam fluir naturalmente no confronto de 2° turno – é apenas o confeito deste bolo fétido.”

“De nós não esperem sejamos cúmplices nisso. Vamos chamar, chamar, chamar até ficarmos roucos todos os que têm, conosco, o dever de partilhar esta luta de salvação do Brasil.”

A história não é feita pelos caprichos dos homens

Por Fernando Brito

http://www.tijolaco.com.br/blog/a-historia-nao-e-feita-pelos-caprichos-dos-homens/

Responder

alvino Lemos

13 de outubro de 2018 às 12h22

Entre os conselhos do autor faltou um: E dificil num momento tenso como esse combater o fascismo aqui no Brasil, viajando na europa. alem do mais, o texto apenas demonstra que o antipetismo existe tamb’em na esquerda

Responder

    Vicente

    13 de outubro de 2018 às 14h19

    Hudson, por essas e outras que fica difícil mudar o quadro. Agora, 13 out sugerir Haddad abrir mão para o Ciro seria de uma fraqueza sem precedentes, até os eleitores de Haddad não perdoariam. E eu estava pronto para dizer se fosse o contrário : SOMOS TODOS CIRO.
    Viajar de férias agora ? Esqueceu que o mundo dá muitas voltas. Se em 2022 ele precisar do LULA ou Haddad ? Com que moral vai cobrar apoio ?

    Responder

Lisbeth Salander

13 de outubro de 2018 às 10h57

Oi Gustavo,

Bem, talvez Ciro fosse uma opcao viavel como cabeça de chapa de uma frente unica de esquerda, se esta frente existisse. Acho ligeiramente desonesto atribuir a culpa pela inexistencia de tal frente ao PT. O senhor sabe melhor que ninguem, que todos, digo TODOS, os partidos de esquerda possuem no seu DNA o gene da hegemonia. Simplesmente, como todo gene, este se revela somente nas condicoes objetivas pertinentes, de uma forma ou de outra.

A historia e a vida ensinam que a culpa é sempre compartilhada meu caro. E que autocritica nao implica necessariamente em admissão de culpa.

Seja como for, nao acredito ser este o melhor momento para exalar ressentimentos ou propagar atitudes como “Eu avisei…”, “Viu, bem eu disse…”. Reconheco, por outro lado, que no contexto da estetica do parecer estar lutando, seja mais fácil seguir mesmo por esse caminho.

Ciro e Haddad sao otimos candidatos, mas se Haddad desistisse de sua candidatura por Ciro, bem neste caso, voto nulo sem hesitar. Coerencia é um dos elos fundamentais entre o passado, o presente e o futuro. Os respectivos eleitores de Haddad e Ciro, por construçao, recusaram-se a cair nos braços do golpismo e do facismo. Como justificar que seus votos sejam negociados, a margem do centralismo democratico em uma manobra que mais se assemelha a um golpismo branco de esquerda ?

Ja perdemos. De um jeito ou de outro. Que sejamos então perdedores dignos, vamos lamber nossas feridas e seguir em frente montando a rede de resistencia. O fogo “amigo”, o dedo-durismo, a atitude capitulista e o fatalismo ala “Bem que eu avisei…” nao sao recursos a nosso favor.

De resto, os conselhos sao compartilhaveis.

Responder

Denis Baldo

13 de outubro de 2018 às 09h18

Excelente artigo, o caminho agora é encontrar soluções para tentar derrubar o candidato nazista. Eu só acrescentaria mais um item a todos listados:
-O PT deve apresentar PROPOSTAS CONCRETAS DE COMBATE À CORRUPÇÃO E À VIOLÊNCIA.
O eleitor do bozonazi se preocupa demais com essas pautas e aprendeu a associar PT à corrupção nos últimos anos. O PT deve mostrar o quanto foi responsável pela Lava Jato, afinal deu autonomia à PF e ao MPU. Existem declarações de procuradores federais nesse sentido. O PT deve mostrar que durante os governos Lula/Dilma a violência estava declinando devido ao pleno emprego da nação. E deve derrubar por terra a teoria fascista do Bozo, ao querer armar a população. Deve lembrar o próprio candidado foi assaltado mesmo armado. Deve lembrar ao eleitor de periferia que a violência irá aumentar mais ainda como já aumentou.
Se Bolsonaro prometeu acabar com a violência, temos um exemplo claro que ela está aumentando.
O PT tem que ser simples, objetivo, cirúrgico em suas colocações. Poucas pessoas no Brasil sabem o que é fascismo ou mesmo nazismo. Mas eles sabem a violência que sofrem todos os dias.
Abraço a todos e desistir jamais!

Responder

Alexandre Neres

13 de outubro de 2018 às 08h55

O Sr. Gustavo Castanon deveria primeiro, a bem do debate, esclarecer que participou ativamente da campanha do Ciro Gomes e sobretudo que é um defensor ardoroso, intransigente, daquela causa. É surreal contemplar a mudança por que passou o mundo e o Brasil. Antes era a direita golpista que fazia propostas estapafúrdias como a de parlamentarismo, atualmente parte do campo democrático e progressista, quer dizer, bem, deixa pra lá… Imaginem o regime parlamentarista com um congresso como este que foi eleito recentemente. Não vou me alongar mais, mas a tese de que o segundo lugar, que conquistou 29 % dos votos em menos de um mês, ceder a vaga ao terceiro que teve 12%, em um arremedo de partido que é o PDT atual, sem estrutura nem ideologia, é completamente descabida. Recomenda-se ao professor que sugira ao seu candidato que não mostrou grandeza para participar da frente antifascista, preferindo ir flanar na Europa, que desta vez ponha o pé no barro, já que está agindo com cálculo político desde já, muito embora tenha dito que esta seria a última eleição que disputaria.

Responder

Márcio Carioca

13 de outubro de 2018 às 07h40

Eu só discordo de que eles convenceram com mentiras de que eram a opção mais viável. Na verdade, eles acreditavam realmente nisso, principalmente quando saiu aquela projeção com Haddad 6 pontos à frente no segundo turno. E ainda, muita gente esperava que Alckmin aproveitasse o tempo de TV e tirasse o lugar de Bolsonaro. Ou seja, ninguém percebeu o que estava acontecendo e ninguém esperava o que seria o ataque massivo das fake news. É uma nova forma de campanha, que relativiza a questão do tempo de TV. Muitos não perceberam isso, inclusive o velho Lula, que atualmente só tem acesso à TV aberta.

Responder

Ricardo Pires

13 de outubro de 2018 às 07h38

Vocês pensam que a CIA faz parte disso…kkkk
Mas eu tenho o nome da coisa,
Ela se chama “IURD”.
Faz fundamentalismo religioso com seus adeptos, e pregam a negaçao da democracia, voces sabiam disso, voces sabem quanto eles são são na base dos milhões, que disseminam os fakenews na internet, e isso tudo é orgânico, sera que nao deveriamos dá essa dica ao TSE?

Responder

Gloria

13 de outubro de 2018 às 02h46

Cadê os meus comentários Gustavo??
cheguei a vê-los publicados mas sumiram!!’

Responder

Gloria

13 de outubro de 2018 às 02h14

PERFEITO!!MARAVILHOSO. ACRESCENTO: TRATEM DE FREAR AAS EXCENTRICIDADES DE MANUELA. USAR CAMISETAS COM FRASES PROVOCANTES CONTRA RELIGIÃO É FALTA DE RESPEITO. SE ELA NÃO GOSTA DELE AMAIORIA GOSTA. E MUITOS VOTAM NO TRASTE DEVIDO À IRREVERÊNCIIA DELA.
OUTRA COISA FUNDAMENTAL QUE O TRASTE Nunca FALOU: TRANSPARÊNCIA TOTAL.B LICITAÇÔES E CONTRATOS EXPOSTOS ON LONE PARA TODO O BRASIL VER! EMPRESAS PARTICIPANTES DA LICITAÇÃO EXPOSTAS COM CPF, CERTIDÕES e IDENT FUNCIONÁRIOS EXECUTIVOS COM FOTOS, CPF E MAIS. ISSO PARA EVITAR ESPERTEZAS DOS DONOS DAS
FORMSASA

Responder

    Hudson

    13 de outubro de 2018 às 14h08

    Criatura, aquela “frase” nunca esteve em camiseta da Manu, que se declara cristã.

    Responder

    Nelson

    13 de outubro de 2018 às 18h48

    “TRATEM DE FREAR AS EXCENTRICIDADES DE MANUELA. USAR CAMISETAS COM FRASES PROVOCANTES CONTRA RELIGIÃO É FALTA DE RESPEITO”

    E naquela da mamadeira com chupeta em forma de pênis, você também acreditou?

    Responder

    Nelson

    13 de outubro de 2018 às 19h06

    As dicas são excelentes, ainda que o professor erre ao atribuir demasiada culpa ao PT.

    De outra parte, fica a pergunta, que nunca teremos respondida. Uma vez que a rejeição ao PT tem grande magnitude, uma chapa Ciro/Haddad teria aceitação suficiente pelo povo brasileiro para derrotar o Coiso?

    Responder

TROUXA PETISTA

13 de outubro de 2018 às 01h22

Mais um retarda comparando Bolsonaro com Hitler. Fica aí com o seu PT que afundou o Brasil durante mais de 10 anos. Bolsonaro já levou essa , aceita q dói menos. E já denunciei seu blogzinho lixo por calúnia e difamação flw.

Responder

Paulo

13 de outubro de 2018 às 01h01

“13) DEFENDAM A SOBERANIA E O EMPREGO NACIONAL – A principal diferença de Bolsonaro para o discurso fascista, e uma lacuna em sua imagem, é a falta de um discurso de proteção da indústria nacional, do emprego nacional e da soberania. Essa é uma falha que deve ser exposta.”
Única proposição interessante de todas quantas foram expostas, realmente. E curiosa, mesma, diante do que seria de se esperar, pela média histórica dos regimes de ultra-direita…

Responder

    Paulo

    13 de outubro de 2018 às 01h06

    Mas temos que observar que o discurso neo-liberal de Bolsonaro pode ser apenas uma dissimulação, uma tentativa de se mostrar confiável ao mercado, até ganhar as eleições, com o apoio do “establishment”. Porém, depois…

    Responder

      Hudson

      13 de outubro de 2018 às 12h19

      De fato, um mentiroso compulsivo como Bolso fala qualquer coisa, desfala e refala − mas não se sabe exatamente o que faria se eleito. Mas há inúmeras dicas na ficha corrida do coiso.

      Desde sempre ele se declarou contra a democracia, a favor da ditadura, a favor de massacres, pela tortura, contra mulheres, homossexuais, indígenas etc.

      Não é à toa o apoio que ele tem de milicianos, esquadrões da morte, policiais e juízes corruptos, latifundiários, grileiros de terras, desmatadores…

      Quanto ao nacionalismo, por que Bolso votou em favor de entregar aos EUA a Base de Alcântara? (Isso não é recente.)

      Por que ele rende continências à bandeira dos EUA (isso condiz com a ética militar brasileira?)?

      Responder

        Paulo

        15 de outubro de 2018 às 22h49

        Essa questão de “Alcântara” e das “continências”, como você diz, Hudson, se verdadeiras (não que duvide de sua boa-fé, apenas acho que, num tempo de “fake news”, as informações têm que ser rigorosamente checadas, ainda mais quando se apresentam, em princípio, como improváveis), são gravíssimas e absolutamente incompreensíveis…

        Responder

CezarR

13 de outubro de 2018 às 00h08

Professor Castanon, um oásis de lucidez.

Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com