Vila Militar do Chaves (Adnet satiriza Bolsonaro)

O chavismo midiático de Jair Bolsonaro

Por Miguel do Rosário

11 de dezembro de 2018 : 15h23

A história é sempre irônica. Coube a Jair Bolsonaro, um presidente assumidamente de direita, ou mesmo de extrema-direita, fazer um discurso “revolucionário” e “chavista” no tocante à comunicação do “poder popular”, afirmando que as “novas tecnologias” permitem que este não precisa mais de “intermediação”.

Bolsonaro também afirmou que seu compromisso com a “soberania do voto popular” é “inquebrantável”, afastando o receio, tão comum na campanha nervosa do segundo turno, de que não haveria mais eleições em 2022.

Nosso videozinho diário de hoje teve apenas 2 minutos. Também comento rapidamente as alegações finais do MPF contra o ex-presidente Lula.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Sebastião

25 de dezembro de 2018 às 09h48

Só que referendo e plesbicito são mecanismo da democracia, que são usados pra manter-se no poder, usando a popularidade ou populismo que o presidente possui. Na Venezuela acontece muito disso. Leis que beneficiam o presidente aumentando o tempo de mandato ou referendos perguntando se aceita ou não outra eleição?! Caso Bolsonaro se mantenha com a popularidade alta, não duvido que ele use desses mecanismos. Lula considerado populista pela direta, nunca teve uma atitude nesse sentido, que os fundamentalistas da direita gostam de chamar de BOLIVARIZAÇÃO.

Responder

HElio

12 de dezembro de 2018 às 22h37

Bolsonaro é um doente mental.

Responder

Pedro Augusto Benevides Machado

12 de dezembro de 2018 às 16h34

Infelizmente, o presidente diplomado tem muitas limitações e sérias dificuldades de desenvolver um raciocínio lógico sem se apegar as frases de efeito e chavões. Certamente que teremos muitos micos durante o seu governo.

Responder

Paulo

11 de dezembro de 2018 às 21h45

Democracia direta é aquela que se respalda em plebiscitos e referendos. Não sei se Bolsonaro está disposto a considerar isso…

Responder

    Sebastião

    25 de dezembro de 2018 às 09h41

    Só que referendo e plesbicito são mecanismo e manter-se no poder, via popularidade ou populismo. Na Venezuela acontece muito disso. Leis que beneficiam, com o emdoss

    Responder

Deixe uma resposta