Coletiva de Rodrigo Maia (ao vivo) sobre medidas contra a crise

Caminhoneiros fecham porto de Santos e apoiam petroleiros

Por Miguel do Rosário

17 de fevereiro de 2020 : 14h37

Sindicato da categoria inicia paralisação de três dias, enquanto greve dos trabalhadores da Petrobras já dura 17 dias

Por Redação RBA
Publicado 17/02/2020 – 11h37

Caminhoneiros protestam pela aplicação da tabela do frete, principal ‘conquista’ da greve de 2018

São Paulo – Desde a zero hora desta segunda-feira (17), caminhoneiros ligados ao Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários Autônomos (Sindicam) paralisaram o acesso ao Porto de Santos, apesar de liminar na Justiça que impôs multa diária de R$ 200 mil para evitar o bloqueio. Eles também apoiam declaram apoio à greve dos petroleiros, que entrou hoje no seu 17º dia.

Segundo Carlos Alberto Dahmer, presidente do Sindicato dos Transportadores Autônomos de Ijuí (Sindtac-Ijuí), os motoristas realizam protestos nas margens das rodovias em todo país mas, até as 10h da manhã, o único registro de interdições com bloqueios era o do Porto de Santos.

O movimento deve prosseguir ao menos até a próxima quarta-feira (19), quando estavam previstas para serem julgadas no Supremo Tribunal Federal (STF) três ações diretas de inconstitucionalidade (ADIs), movidas por entidades do setor patronal – a Associação do Transporte Rodoviário do Brasil (ATR Brasil), que representa empresas transportadoras, juntamente com a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) – e contestam a constitucionalidade da Lei 13.703, de 2018, que instituiu a Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas.

O ministro Luiz Fux, porém, adiou o julgamento das ações a pedido da Advogacia Geral da União, órgão do governo federal. Ainda não há nova data para o julgamento.

Dahmer criticou a política da Petrobras de atrelamento dos preços dos combustíveis às flutuações do mercado, bem como o desmonte da estatal, com demissões em massa e venda de ativos.

“Em diversos lugares do mundo se guerreia pelo petróleo. Aqui se dá de graça, para que os grandes oligopólios se beneficiem. Tiram das nossas refinarias a sua capacidade, deixam a companhia ociosa para garantir o lucro das empresas estrangeiras. Essa luta não é só dos caminhoneiros, não é só dos petroleiros. É de toda a sociedade”, afirmou o presidente do Sindtac-Ijuí aos jornalistas Marilu Cabañas e Glauco Faria, para o Jornal Brasil Atual, nesta segunda-feira (17).

Petroleiros

Já os petroleiros apontam o risco de desabastecimento por conta da intransigência do governo Bolsonaro, que segue intransigente e se nega a negociar. Os petroleiros estão em greve, desde o dia 1º de fevereiro, em defesa da Petrobras como maior patrimônio público do povo brasileiro, e contra as cerca de mil demissões na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-PR).

Segundo o diretor da Federação Única dos Petroleiros (FUP-CUT) João Antônio de Moraes, a paralisação já atinge 120 unidades da estatal em todo o país, com mais de 20 mil trabalhadores de braços cruzados.

“Sem a Fafen-PR, ameaçada de fechar após as demissões, vai aumentar a dependência da exportação de fertilizantes. Se passarem a ser importados, assim como os combustíveis, ficarão sujeitos às flutuações do mercado internacional, o que deve impactar no preço dos alimentos”, alerta Moraes.

Também em entrevista ao Jornal Brasil Atual, ele comemorou a adesão dos “companheiros” caminhoneiros à luta por uma outra política para os combustíveis.

“Queremos saudar a vinda dos companheiros caminhoneiros. Eles estão se apercebendo que têm um vínculo muito grande com os petroleiros. Afinal de contas a matéria prima que move os seus caminhões somos nós que produzimos. Perceberam que a paridade com o preço internacional é um suicídio para todo mundo”, disse o diretor da FUP.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

15 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Renato

18 de fevereiro de 2020 às 10h37

O mortos de fome caminhoneiros apoiando os parasitas nababos da Petrobras. Pode isso Arnaldo ? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Responder

Tchutchuca do bozo

18 de fevereiro de 2020 às 08h40

Parece que vão colocar umas listas vermelhas e brancas na nossa bandeira, ordem do tio Trump.

Responder

    Renato

    18 de fevereiro de 2020 às 10h40

    Seria melhor para o país. Só não seria bom para os esquerdistas; eles têm ojeriza à países onde ser tenha que trabalhar ´para sobreviver !

    Responder

Paulo

17 de fevereiro de 2020 às 22h56

Essa questão da paridade de preços internacionais dos combustíveis, no Brasil, é realmente algo que teria que ser repensado. Tá na cara que não se sustenta…

Responder

    Thomas

    18 de fevereiro de 2020 às 07h59

    A gasolina é mais barata que em muitos lugares lá fora mas pesa mais no bolso magrelo dos brasileiros.

    Assim como pesa mais a compra no mercado, a parcela do carro, o dentista ou qualquer outra coisa.

    A única coisa a ser revista são os impostos idiotas.

    Responder

    Renato

    18 de fevereiro de 2020 às 10h42

    Seria melhor volta ao congelamento dos preços de combustíveis como fizeram Lula e Dilma . Fato que levou a Petrobras a sucessivos prejuízos e a ser a petroleira mais endividada do mundo, com 400 bilhões em dívidas !

    Responder

      Paulo

      18 de fevereiro de 2020 às 17h12

      Ué, mas não vai ser vendida? Ah tá, tem que recuperar a empresa primeiro e deixá-la bem saudável! Entendi…

      Responder

chichano goncalvez

17 de fevereiro de 2020 às 21h18

Ia esquecendo uma coisa importante: senhor Toffolli, as multas aplicadas a devastação da Amazonia, alguem pagou ? Os assassinos dos defensores da natureza, ( Chico Mendes, Doroty Stang ) estão presos ? Não custa perguntar não é senhor Toffolli ?

Responder

    Renato

    18 de fevereiro de 2020 às 10h43

    Vá lá cobrar, militonto !

    Responder

chichano goncalvez

17 de fevereiro de 2020 às 21h14

Esta começando a ficar bom este pais, parece que estão reaprendendo a protestar, já não era sem tempo. Uma pergunta ao senhor Toffolli, por acaso se vossa senhoria der uma condenação injusta, terá que arcar com as consequencias ? Claro que não ! Quem paga todo o pato, o marreco, o ganso é o povo brasileiro, portanto, acho bom o senhor ir pescar.

Responder

Solange Almeida

17 de fevereiro de 2020 às 20h58

O estado brasileiro no ano de 2020 decide quanto um frete deve custar ?
É uma coisa seria essa ou é a piada diaria ?

Responder

Evandro Garcia

17 de fevereiro de 2020 às 15h49

Palhaçada em vista…

Responder

daniel fuentes

17 de fevereiro de 2020 às 15h11

“Dahmer criticou a política da Petrobras de atrelamento dos preços dos combustíveis às flutuações do mercado, bem como o desmonte da estatal, com demissões em massa e venda de ativos.”

A “greve” não era por causa do frete mesmo…?

Vai vendo a palhaçada chegando…

Responder

    Alan C

    17 de fevereiro de 2020 às 15h35

    Não

    Responder

    Renato

    18 de fevereiro de 2020 às 10h45

    Caminhoneiros , um bando de mortos de fome apoiando greve dos parasitas petroleiros . É ´piada ou o tal de Dahmer tá levando Pixuleco por baixo dos panos, coisa bem ao gosto dos petistas ? ! kkkk

    Responder

Deixe uma resposta