Live de Flavio Dino, Ciro Gomes, Martha Rocha e Brizola Neto

Reuters/Bruno Kelly/ Direitos Reservados

Covid-19: Brasil tem mil novas mortes e total chega a 21.048

Por Redação

22 de maio de 2020 : 23h08

País registra 330.890 casos; 135.430 pessoas estão recuperadas

Publicado em 22/05/2020 – 19:39

Por Jonas Valente – Repórter Agência Brasil – Brasília

Agência Brasil — O Brasil registrou 1.001 novas mortes, chegando ao total de 21.048. O resultado representou um aumento de 4,9% em relação a ontem(21), quando foram contabilizados 20.047 mil falecimentos por covid-19. Os números foram divulgados no balanço do Ministério da Saúde divulgado hoje (22).

A letalidade (número de mortes por casos confirmados) ficou em 6,4%. Já a letalidade (número de mortes pela população) foi de 10.

Foram registradas 20.803 novas pessoas infectadas com o novo coronavírus, somando 330.890. O resultado marcou um acréscimo de 6,7% em relação a ontem, quando o número de pessoas infectadas estava em 310.087.

Do total de casos confirmados, 174.412 (52,7%) estão em acompanhamento e 135.430 (40,9%) foram recuperados. Há ainda 3.552 óbitos sendo analisados.

São Paulo se mantém como epicentro da pandemia no país, concentrando o maior número de falecimentos (5.773). O estado é seguido pelo Rio de Janeiro (3.657), Ceará (2.251), Pernambuco (2.057) e Pará (1.937).

Além disso, foram registradas mortes no Amazonas (1.669), Maranhão (693), Bahia (399), Espírito Santo (397), Alagoas (280), Paraíba (248), Minas Gerais (201), Rio Grande do Norte (181), Rio Grande do Sul (172), Amapá (157), Paraná (146), Rondônia (106), Santa Catarina (100), Piauí (93), Goiás (93), Distrito Federal (90), Roraima (83), Sergipe (82), Acre (80), Tocantins (49), Mato Grosso (37) e Mato Grosso do Sul (17).

Já em número de casos confirmados, o ranking tem São Paulo (76.871), Ceará (34.573), Rio de Janeiro (33.589), Amazonas (27.038) e Pernambuco (25.760). Entre as unidades da federação com mais pessoas infectadas estão ainda Pará (21.469), Maranhão (17.212), Bahia (12.557), Espírito Santo (9.520) e Paraíba (6.882).

Comparação internacional

Na comparação absoluta, de acordo com o mapa da universidade dos Estados Unidos Johns Hopkins, o Brasil passou a Rússia (326.448) e agora ocupa a segunda posição no número de casos confirmados, atrás apenas dos Estados Unidos (1,596 milhão). Já em número de mortes o país segue na sexta colocação, atrás de França (28.218), Espanha (28.628), Itália (32.616), Reino Unido (36.475) e Estados Unidos (95.847).

Como o Brasil possui uma população maior que parte destes países, na avaliação de indicadores proporcionais, a posição no ranking desce. De acordo com o Ministério da Saúde, até ontem o país era o 55º em incidência de caso (número de caso em relação à população) e o 28º em mortalidade (quantidade de falecimentos em relação à população).

Edição: Liliane Farias

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Marco

23 de maio de 2020 às 07h39

1008/5000
O presidente é culpado de não fazer nenhum esforço para evitar tantas mortes. Pelo contrário: sempre foi contra medidas de isolamento social, adotadas, com mais ou menos intensidade, por quase todas as nações.
A família Bolsonaro é alvo de suas relações com os milicianos do Rio de Janeiro. Os milicianos usam as “contribuições” (obviamente obrigatórias, embora não as apresentem dessa maneira) dos cidadãos.
Eles constituem verdadeiros Estados paralelos nos territórios que ocupam. E eles têm, é claro, poder de fogo. São essas milícias que estão agora “assumindo” a crise do coronavírus em vários territórios do país.
Flavio Bolsonaro, eleito senador pelo estado do Rio de Janeiro em outubro de 2018, está sendo investigado pelo Ministério Público e pela Polícia Federal por movimentos financeiros atípicos identificados em sua conta bancária e na de 74 ex-colaboradores do Conselho do Rio. de janeiro quando ele estava servindo como conselheiro.

Responder

Deixe uma resposta