Live do Cafezinho: bate papo com o cineasta cearense Wolney Oliveira

Record: Dario Messer acusa a Globo de receber dólares ilegalmente em pacotes semanais

Por Redação

15 de agosto de 2020 : 16h31

Em delação premiada, o doleiro Dário Messer, investigado na Lava Jato, disse que fazia pagamentos em dinheiro vivo para membros da família Marinho, proprietários do Grupo Globo.

De acordo com o doleiro, os pacotes de dinheiro eram entregues de duas a três vezes mensais entre 50 mil e 300 mil dólares.

Em nota, Roberto Irineu Marinho e João Roberto Marinho afirmaram que jamais fizeram operações de câmbio não declaradas às autoridades nacionais.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Alexandre Neres

16 de agosto de 2020 às 20h35

Nesse caso, curiosamente a Globo trata do assunto simplesmente como se não houvesse provas.

Porém, em 01/10/2018, seis dias antes das eleições, em parceria com o juiz ladrão e a LJ, a delação de Palocci desprovida de prova e tirada de jornais, inclusive o meliante forjou documentos, ganhou 8’41” em pleno JN. É a repetição do caso da edição do debate de 1989 entre Collor e Lula.

Apesar de não haver prova, o contubérnio força-tarefa-imprensa-amiga caprichou na edição do JN, considerando que a PF agora afirmou categoricamente que a delação do italiano foi sem prova. Por que no caso em que está sendo acusada a própria emissora diz não haver prova? Tal procedimento é ético?

Responder

Deixe uma resposta