Live do Cafezinho: balanço dos partidos de esquerda

“Não podemos aceitar que as relações de trabalho sejam precárias”, afirma Martha (PDT) em sabatina

Por Redação

16 de outubro de 2020 : 23h30

Nesta segunda-feira, 11, a candidata a prefeita do Rio pelo PDT, Martha Rocha, foi sabatinada pelo Carta Capital. Durante a entrevista, a candidata afirmou que vai modificar o modelo de contratação das Organizações Sociais na área da Saúde.

“Esses contratos que são feitos pelas Organizações Sociais são de precariedade. A gente vê que os servidores, médicos e os profissionais da enfermagem não recebem. E se reclamarem, não serão aproveitados pela outra Organização Social. Nós do PDT, não podemos aceitar que as relações de trabalho sejam precárias e os direitos dos trabalhadores não sejam garantidos”

Em outro momento, a candidata afirmou que tem interesse em alterar o modelo de contratação.

“É meu interesse fazer o caminho inverso (garantir os direitos dos trabalhadores) e da retomada da gestão direta da Secretaria de Saúde através da Fundação Rio Saúde na questão dos servidores e profissionais dessa área”

Assista a sabatina completa!

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Paulo

17 de outubro de 2020 às 10h47

Certíssima! Esses modelos de contratação de O.S.’s devem ser totalmente revistos. O que se tem visto é uma precarização crescente das relações de trabalho. Não que o Poder Público deva realizar concurso público, necessariamente, para a contratação de servidores, mas deve exigir, no contrato de gestão, que os trabalhadores sejam contratados em regime celetista, e, ainda, exigindo o repasse integral dos salários, mês a mês, para dar continuidade ao contrato. Isso que vem ocorrendo é só uma prévia do que vem por aí, com a tal Reforma Administrativa…

Responder

Deixe uma resposta