Paris Café: O PT tem um projeto de governo? Qual é?

Farmacêutica admite à CPI que faturou oito vezes mais com o “kit Covid”

Por Redação

17 de junho de 2021 : 11h42

A farmacêutica EMS admitiu à CPI da Covid que faturou cerca de R$ 142 milhões com medicamentos ineficazes que foram inseridos no tal kit covid, distribuídos pelo Ministério da Saúde sob o comando de Eduardo Pazuello para o inexistente “tratamento precoce” contra a Covid-19 no ano 2020.

O montante foi oito vezes superior ao registrado no ano anterior. A EMS pertence ao empresários Carlos Sanchez, aliado de Jair Bolsonaro. De acordo com a Folha, a ivermectina fez com que o faturamento da farmacêutica fosse de R$ 2,2 milhões para estonteantes R$ 71,1 milhões.

A empresa enviou à CPI um ofício informando que apoiou estudos científicos que abordaram o uso da hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19.

“A primeira pesquisa apoiada pela Companhia foi publicada em 23.07.2020, no New England Journal of Medicine, e concluiu que o uso de hidroxicloroquina, sozinha ou associada com azitromicina, não mostrou efeito favorável na evolução clínica de pacientes adultos hospitalizados com formas leves ou moderadas de Covid-19”, disse.

A CPI também tem informações de que Bolsonaro fez lobby na Índia para duas empresas brasileiras que produziam cloroquina, uma delas é justamente a EMS.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Paulo

17 de junho de 2021 às 20h04

Cana na família metralha (e mais alguns)!

Responder

Tony

17 de junho de 2021 às 12h15

Quem receita remedios sao os medicos, nao o Governo.

Responder

Deixe uma resposta