Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Créditos: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Na CPI, diretor admite que Prevent Senior não mencionava Covid nos prontuários de pacientes internados

Por Redação

22 de setembro de 2021 : 20h20

Durante seu depoimento à CPI da Pandemia nesta quarta-feira, 22, o diretor-executivo da Prevent Senior, Pedro Benedito Batista Júnior, admitiu que a operadora burlava os prontuários dos pacientes internados com a Covid-19.

Durante a sessão, foi revelado que após duas semanas de internação do paciente, a Prevent Senior retirava do formulário a contaminação pela Covid-19. No lugar do vírus, era inserida outra doença.

“Todos os pacientes com suspeita ou confirmado de covid, na necessidade de isolamento, quando entravam no hospital, recebiam o B34.2, que é o CID de covid. E, após 14 dias, ou 21 dias para quem estava em UTI, se esses pacientes já tinham passado dessa data, o CID podia ser modificado porque não representavam mais risco para a população do hospital”, admitiu Pedro Benedito.

Os senadores titulares da CPI como Otto Alencar (PSD-BA), Humberto Costa (PT-PE) e Rogério Carvalho (PT-SE), que são médicos, acusaram o diretor de desonestidade, mentira e omissão de mortes pela Covid-19.

“Depois que acabava o tempo de quarentena, ou seja, os 14 dias, mudava o diagnóstico. Se o paciente viesse a óbito, não era de covid, era de outra patologia ou de uma consequência decorrente do processo inflamatório agudo, não sendo notificado como Covid. Era notificado que a pessoa teve covid, mas não era notificado o óbito por conta da Covid”, observou Rogério Carvalho.

“Inacreditável O senhor não tem condição de ser médico com a desonestidade que fez agora. Mudar o código de uma doença é crime”, disse Otto na sequência.

Com essas informações, o relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL), decidiu que Pedro Benedito deverá ser investigado pela CPI. O emedebista também anunciou que as informações colhidas na apuração da CPI sobre a Prevent Senior serão enviados para a procuradoria de São Paulo.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Helio

24 de setembro de 2021 às 12h43

E a questão não é somente a fraude no CID, mas o tratamento com medicações consideradas ineficazes pela ciência.
Outros sistemas de saúde privados deveria ser investigados.

Responder

helio

24 de setembro de 2021 às 12h38

A infecção pelo Covid leva à morte.

Responder

Helio

24 de setembro de 2021 às 12h35

Para quem gosta de cinema, “Departamento Q: Em busca de vingança”, cinema dinamarquês, é uma ótima opção. Lembra um pouco o que parece ter sido o caso Prevent, uma ação organizada na saúde, com a saúde dos outros, para atender fins ideológicos.
O MPF e PF poderiam investigar outros planos de saúde, aqueles com declarados dirigentes bolsonaristas, antes que sumam com as provas. Os médicos e profissionais poderiam vazar as orientações que era obrigados a passar para os seus pacientes.

Responder

Paulo

22 de setembro de 2021 às 22h02

Só pra complementar, mas não menos importante, Bolsonaro é corresponsável – quando não mentor – desse descalabro na Prevent Senior…

Responder

Paulo

22 de setembro de 2021 às 22h01

Esse episódio é, seguramente, o maior escândalo da medicina brasileira em todos os tempos. Até pra mim, que sou cético quanto à honestidade dos homens, é chocante. Se ninguém for punido severamente, pelo CFM e pela Justiça, pode fechar o país…E, sim, os médicos devem explicações à Nação, como categoria profissional…

Responder

Kleiton

22 de setembro de 2021 às 20h38

É óbvio, a covid leva a complicações mas a contaminação não dura mais que 15 dias.

Responder

Deixe um comentário