Analista da Ideia fala sobre “voto útil” dos eleitores de Ciro a Lula no 1° turno

Imagem: Divulgação

PT e PDT fecham acordos em dois estados importantes do Nordeste

Por Gabriel Barbosa

24 de abril de 2022 : 12h54

Apesar da crescente tensão entre as Executivas Nacionais do Partido dos Trabalhadores (PT) e do Partido Democrático Trabalhista (PDT), as duas siglas acertaram os ponteiros em dois estados importantes na região Nordeste.

No Rio Grande do Norte, a governadora Fátima Bezerra (PT) tentará sua reeleição e conseguiu articular uma aliança com o PDT e terá na sua chapa governista, como candidato ao Senado, o ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PDT).

Uma das consequências desse acordo é que o senador Jean Paul Prates (PT-RN) não tentará um novo mandato pela Casa Alta.

Por parte de Carlos Eduardo, seu apoio ao ex-presidente Lula (PT) já vinha sendo reforçado pelo próprio pedetista. Em entrevistas na imprensa potiguar, Carlos exaltava Lula e parecia não tomar conhecimento da pré-candidatura de Ciro Gomes (PDT).

Outro estado regionalmente importante que ambos os partidos fecharam acordo foi o Ceará, reduto eleitoral de Ciro Gomes. Por lá, petistas e pedetistas já mantinham uma aliança histórica, mas as recorrentes tensões nacionais estavam atrapalhando a costura local.

Porém, com a articulação do ex-governador Camilo Santana (PT), deputados federais José Guimarães (PT) e André Figueiredo (PDT), deputado estadual Acrisio Sena (PT) e o próprio senador Cid Gomes (PDT), PT e PDT mantiveram a aliança.

O acordo envolve a candidatura de Camilo ao Senado (tendo um nome do MDB ou PSD na primeira suplência) e uma candidatura do PDT ao governo cearense (com o PSD na vice). Até o momento, o ex-prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), e o presidente da Assembleia, Evandro Leitão (PDT), são os nomes mais cortejados para ser o candidato governista.

Contudo, a atual governadora Izolda Cela (PDT), que recentemente assumiu o Palácio da Abolição no lugar de Camilo, tem ganhado espaço nas articulações. De perfil mais conciliador, Izolda já foi filiada ao PT e mantem boa relação com o MDB de Eunício Oliveira e da ala petista liderada pela ex-prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT).

A avaliação é que nos próximos meses, se a pedetista apresentar bons índices de popularidade e aprovação a frente do governo local, sua candidatura poderá ser consolidada, abrangendo um leque maior de aliança. Além disso, Izolda é reconhecida nos bastidores por ser um quadro do PDT não hostil a candidatura do ex-presidente Lula.

Gabriel Barbosa

Jornalista com passagens pelo Grupo de Comunicação O POVO (Ceará), RedeTV! e Band News FM. Pós-graduando em Comunicação e Marketing Político.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

KELMA CRISTINA DA SILVA

11 de maio de 2022 às 16h18

Aqui no Ceará não existe esse acordo, aqui o acordo vai respeitar o desejo do povo, esse desenho aí só na cabeça dos petistas que querem enfiar as vontades da pior ala do PT Ceará ao governo do estado. Vamos aguardar o dia 28/05

Responder

Deixe um comentário

O Xadrez para Governador de Minas Gerais O Xadrez para Governador de São Paulo O Xadrez para Governador do Rio de Janeiro Novo Presidente da PETROBRAS defende preços altos Cadê o churrasco do povo, Bolsonaro? Preço explodiu! Conservadores? A atual juventude brasileira O Indulto sem Graça de Bolsonaro Os Principais Eleitores de Lula Os Principais Eleitores de Ciro Gomes Os Principais Eleitores de Bolsonaro