Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Imagem: Divulgação

Ao lado de Janones, Lula promete auxílio permanente de R$600

Por Redação

14 de agosto de 2022 : 08h43

Durante uma live transmitida neste sábado, 13, o ex-presidente Lula prometeu que vai tornar o auxílio permanente de R$600 no seu eventual governo, a partir de 2023. A declaração foi dada ao lado do deputado federal André Janones (Avante-MG).

“A única possibilidade de o auxílio emergencial continuar é a gente ganhar as eleições e fazer aquilo que o povo espera que a gente faça”, disse Lula.

Após a confirmação do ex-presidente, Janones reiterou que “está feito o compromisso” e fez críticas a Jair Bolsonaro (PL) por cortar o benefício em dezembro deste ano.

“Lula está aqui garantindo ao povo brasileiro que vai trazer de volta o auxílio emergencial a partir do ano que vem”, ressaltou o deputado mineiro.

Por fim, Janones afirma que “Lula é o único que garante o auxílio emergencial” num país onde “nenhum outro candidato assumiu esse compromisso”. Mas vale lembrar que o próprio Bolsonaro e Simone Tebet (MDB) já fizeram essa promessa e, nos últimos dias, Ciro Gomes (PDT) prometeu benefício de R$1000.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

10 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

carlos

15 de agosto de 2022 às 07h32

É o deputado federal que criou o auxílio desde o primeiro momento e ainda deu a receita para o mandrião que chamamos de malandro porque não fez as nada. É ele que orienta os camioneiros.

Responder

ARY BOREL DE AGUIAR NETO

14 de agosto de 2022 às 21h27

Lendo os comentários percebi que há mais escrotos no país do que pessoas que foram enganadas pelo genocida!

Responder

Galinzé

14 de agosto de 2022 às 19h14

Sera que os brasileiros querem “voltar a cena do crime” junto ao Alckmin…?
Eu acho meio dificil emplacar essa quadrilha depois de tudo que veio a tona.

Poderiam a esquerda ter apresentado algo de interesse dos brasileiros nesses 4 anos mas foram sò besteiras, palavras de ordem copiadas, narrativas que morrem antes de nascer, exploraçào vomitevol da morte de pessoas, ou seja…nada, zero.

Fazer oposiçào se aprende estando no Governo mas sabemos muito bem como estaquadrilha ficava no Governo….brincando com a cara dos brasileiros e assaltando os cofres publicos para comprar a democracia.

Os brasileiros ja sabem para quem votarao ha muito tempo mas é claro que as pesquisas da Faria Lima e da Folha coloquem sue fantoche de estimaçào là na frente para nao perder fregueses durante o caminho.

Responder

Sepulveda

14 de agosto de 2022 às 18h43

Essa polarização não serve de estratégia. Lula não une o país. O antipetismo e antilulismo estão ainda muito fortes. Ver Lula reeditar alianças do passado desanima eleitor. Sai Temer, entra Alckmin e tudo volta a ser como antes com Renan, Sarney, Eunicio, Jucá, etc. Assim não dar, companheiro! Ninguém é idiota.

Responder

Sepulveda

14 de agosto de 2022 às 18h38

A campanha ainda nem começou e Lula começa a derreter. Três fatores são responsáveis: o apoio das igrejas evangélicas, o pacote de bondades e a reedição das alianças espúrias que inflamam as chamas do antipetismo que cravou na testa do Lula, independente de qualquer decisão jurídica favorável a ele, a tarja de ladrão. A investida contra a terceira via foi um erro de estratégia, fez o eleitor arrependido a voltar para a base bolsonarista. Se continuar assim, caindo, Lula amargará uma derrota que irá selar sua biografia como o responsável por não permitir uma renovação política na esquerda e levar o Brasil novamente ao fascismo por insistir em uma candidatura com risco já previsto de derrota. Nem todos os apoios estão fazendo Lula crescer. Ao contrário, está caindo. O erro onde está? Na estratégia petista.

Responder

Luan

14 de agosto de 2022 às 16h08

Ao lado de Janones…e quem é Janones ?

Responder

Tony

14 de agosto de 2022 às 11h02

Outra sura galactica durante as entrevistas de ontem 450 mil Vs. 20 mil.

Responder

Bandoleiro

14 de agosto de 2022 às 09h22

Quem mandou até ontem foi quem robou mais.

Lula fala a titulo de que por curiosidade ?
Alias, ele nao sabe que o Cirolipa ofereceu 1000 R$….? kkkkk
Se eu oferecer 1001 R$ e me candidatar tenho chances de ser eleito ?

Essa gente é uma vergonha.

Responder

Willy

14 de agosto de 2022 às 09h15

“A única possibilidade de o auxílio emergencial continuar é a gente ganhar as eleições e fazer aquilo que o povo espera que a gente faça”, disse Lula.

Esses seria o tal de Estadista que a esquerda bajula ?

E’ uma vergonha a forma com que essa “gente” explora os brasileiros sem o menos pudor e é nesse claro desespero que parece claor o nivel rasteiro deste lavador de cuecas sujas.

Responder

Fanta

14 de agosto de 2022 às 08h50

já entrou nessa fase antes de começar a campanha ? Kkkkkkk

Que desespero é esse ?

De onde saiu esse tal de Danone ?

Responder

Deixe um comentário