Menu

Biden: ‘estou comandando o mundo’

No meio da que foi considerada a entrevista mais importante de sua carreira política, Joe Biden proferiu as palavras mais significativas: “Estou governando o mundo. Essas cinco palavras explicam por que ele se recusa a se retirar da corrida e confirmam o que a maioria dos americanos nega, mas que grande parte do mundo sabe: […]

sem comentários
Apoie o Cafezinho
Siga-nos no Siga-nos no Google News
Entrevista com Biden na noite de sexta-feira. (Captura de tela do ABC/YouTube)

No meio da que foi considerada a entrevista mais importante de sua carreira política, Joe Biden proferiu as palavras mais significativas: “Estou governando o mundo.

Essas cinco palavras explicam por que ele se recusa a se retirar da corrida e confirmam o que a maioria dos americanos nega, mas que grande parte do mundo sabe: os presidentes dos EUA agem como imperadores mundiais.

A entrevista com George Stephanopoulos, da ABC News, deveria ser a chance de Biden mostrar ao país que está mentalmente apto para permanecer na presidência e concorrer a um segundo mandato, ao final do qual, se ainda estiver vivo, completará 86 anos.

Biden está tentando se recuperar de um debate realizado em 27 de junho que mostrou a 43,7 milhões de telespectadores o estado debilitado de sua mente. No geral, ele ficou tão confuso no debate quanto tem estado nos últimos anos, mas nunca antes havia sido exposto a um público tão imenso.

A reação do Partido Democrata e dos seus meios de comunicação foi sem precedentes: especialistas e editorialistas, membros democratas do Congresso, principais doadores, todos os agentes e analistas políticos partidários exigiram com aparente uniformidade coordenada: Pare de ser egoísta, Joe, e desista da corrida para que Donald Trump não ganhe.

Mas o efeito foi o oposto. Biden resistiu ao coro da elite do partido: “Não vou a lugar nenhum”, disse ele em um comício na sexta-feira, dizendo erroneamente que venceria Trump novamente em 2020. Anteriormente, ele se reuniu com governadores estaduais democratas na Casa Branca. Ele disse a eles que estava bem. “É apenas meu cérebro”, disse ele, segundo o The New York Times.

E para mostrar ao público que ainda tem coragem, ele conversou com Stephanopoulos em uma entrevista gravada, cujo assunto era apenas seu cérebro.

“GEORGE STEPHANOPOULOS: Você estaria disposto a se submeter a uma avaliação médica independente que incluísse testes neurológicos e cognitivos e divulgar os resultados ao povo americano?

PRESIDENTE JOE BIDEN: Olha. Eu tenho um teste cognitivo todos os dias. Todos os dias eu faço esse teste. Tudo que eu faço. Você sabe, não estou apenas fazendo campanha, mas estou governando o mundo. Não – e isso não parece uma hipérbole, mas somos a nação essencial do mundo.

Madeleine Albright estava certa. E todos os dias, por exemplo, hoje, antes de vir para cá, estou ao telefone com… com o primeiro-ministro de… bem, de qualquer forma, não deveria entrar em detalhes, mas com Netanyahu. Estou ao telefone com o novo primeiro-ministro da Inglaterra.

Estou trabalhando no que estávamos fazendo em relação à – na Europa, em relação à expansão da OTAN e se ela vai durar. Estou enfrentando Putin. Quer dizer, não há nenhum dia que eu passe sem tomar essas decisões todos os dias.”

Biden pensa que está governando o mundo e não vai desistir disso. Não importa que ele esteja enlouquecendo para todos verem. Não importa que ele apoie totalmente o genocídio em curso em Gaza. Não importa que ele provocou e continua a expandir um conflito na Ucrânia que caminha para o confronto nuclear com a Rússia.

Biden está obcecado pelo poder – pelo poder de “governar o mundo”. E ele não vai desistir.

A América é o primeiro império mundial. O presidente dos EUA é o primeiro imperador mundial. O debate para conquistar o cargo de imperador entre Biden e Trump – o “gênio estável” perturbado por si só – foi um espetáculo do fim do império, como se Calígula debatesse com Nero.

O resto do mundo estremece de apreensão com o que resultará disso.

Via Agências de Notícias

Apoie o Cafezinho
Siga-nos no Siga-nos no Google News

Comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário

Escreva seu comentário

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!


Leia mais

Recentes

Recentes