Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

A conjuntura no Rio Grande do Sul

Por Miguel do Rosário

07 de setembro de 2015 : 16h14

Alguns dias atrás, publiquei aqui uma análise da conjuntura política em Pernambuco, e pedi aos leitores que me enviassem textos com análises de outros estados. Abaixo, uma colaboração sobre o Rio Grande do Sul. Se você já enviou e eu não respondi, favor envie de novo para info@ocafezinho.com.

***

Por Pedro Beier, via email.

Olá Miguel, meu nome é Pedro Lorenzi Breier, sou servidor público da justiça do trabalho e estou te mandando um panorama da situação política no RS feito por mim mesmo, caso queira publicar.

A campanha de José Ivo Sartori (PMDB) ao governo do Rio Grande do Sul bateu todos os recordes possíveis de despolitização. O lema era ‘meu partido é o Rio Grande’. Na música da campanha tinha um trecho que dizia ‘acima da direita, acima da esquerda’. Quando o Tarso (PT) perguntava, nos debates do segundo turno, sobre as propostas, sobre algum ponto ou omissão no plano de governo do Sartori, ele respondia com evasivas, chegando a dizer que o Tarso queria ‘fazer pegadinhas’ pra ele mas ele ‘não queria brigar’.

Uma entrevista a um veículo do grupo RBS (investigado na operação Zelotes) viralizou durante a campanha: https://m.youtube.com/watch?v=EQGyaNlLhTA. Nela os entrevistadores tentam de todas as formas fazer com que o Sartori apresente uma proposta concreta, sem sucesso (a partir de 4:30 do vídeo). A única coisa que ele diz é que tem que ‘conter os gastos’. Perguntado em que área se dariam os cortes o então candidato responde: “ah, viagenzinha em demasia, etc. daqui, etc. de lá, tem que poupar.”

Após a vitória no segundo turno da eleição e posse no Palácio Piratini, o que se vê é que as medidas adotadas são muito mais drásticas do que o governador deu a entender.

Já no dia 2 de janeiro o governo anunciou a suspensão dos pagamentos dos fornecedores por 180 dias e a suspensão de novas nomeações de aprovados em concursos públicos.

Em maio, é anunciado que os salários do funcionalismo seriam parcelados ao fim do mês, mas o governo volta atrás por conta de decisão judicial ordenando o pagamento integral.

O corte nos repasses provoca fechamento de hospitais municipais e cortes de leitos do SUS por hospitais filantrópicos. Escolas também ficam sem dinheiro para comprar coisas básicas como folhas de ofício.

No fim de julho os salários do funcionalismo são parcelados em três vezes, provocando revolta nos servidores. Em agosto, 40 categorias do funcionalismo aprovam uma greve de três dias.

No dia 29 de agosto os servidores descobrem que receberão incríveis R$ 600,00 no dia do pagamento, 31, em virtude de novo parcelamento dos salários.

Toda a cronologia das medidas do governo Sartori pode ser vista aqui: http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2015/08/cronologia-crise-no-rs-e-medidas-do-governo-sartori.html

É o típico exemplo de um governo de direita: precarização dos serviços públicos pra vender a ideia de que a única solução possível é a privatização de órgãos do Estado, já aventada pelo governo Sartori. A campanha despolitizada e que não fala do plano de governo e das medidas que vão ser adotadas é parte essencial da estratégia: quem se elegeria anunciando medidas esdrúxulas e sem a mínima responsabilidade social como essas?

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

55 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

José Eduardo Inácio Medeiros

10 de setembro de 2015 às 14h02

#CunhaNaCadeia

Responder

João Carlos Alves

09 de setembro de 2015 às 00h30

Sartori é filhote do ódio antipetista,a classe média gaúcha que em peso votou em Sartori está colhendo o que plantou.

Responder

mario

08 de setembro de 2015 às 17h15

Eu não consigo entender o problema do RS. Com a Lei de Responsabilidade Fiscal o máximo que o poder executivo pode gastar com a folha é 49% da Receita Líquida. Muita gente critica a gestão anterior do PT mas fica a pergunta: o governo anterior descumpriu a LRF? Caso negativo não “adianta culpa os otro”, como dizia a dona Elsa…

Responder

Francisco Mello

08 de setembro de 2015 às 19h47

Pois é Miguel, já havíamos ‘cantado essa pedra’ durante a campanha: http://frasistaneofito.blogspot.com.br/2015/07/sartori-e-o-pmdb-de-britto.html

Responder

Vitor Flôres

08 de setembro de 2015 às 16h28

Estranho, paulistas e gaúcho dizerem que Nordestino não sabem votar? Olha que burro eles…. Os Nordestinos votaram pelos ganhos alcançados: incontestáveis. Mais emprego, 1.000.000 de cisternas,…, agora RS e SP é de ar dó. kkkkkkkkkk

Responder

    Heitor pr

    08 de setembro de 2015 às 20h18

    E o Paraná então? Reelegeram o Beto Richa e o Álvaro Dias. Tem o atenuante que os adversários eram fracos mas bem melhores que o Beto Richa.

    Responder

José filho

08 de setembro de 2015 às 09h26

e quando sai o do DF??

Responder

Enete Laise Araujo

08 de setembro de 2015 às 11h32

E assim!

Responder

Edson Bezerra

08 de setembro de 2015 às 01h52

Queria ver a de Pernambuco. Faz muito tempo que foi publicada?

Responder

Getulio Mendes

08 de setembro de 2015 às 01h36

I

Responder

Luis Marchetto

08 de setembro de 2015 às 00h22

e fasil na canpanha mentir defisel e fazer so o povo nao ve

Responder

Ricardo Oliveira

08 de setembro de 2015 às 00h19

tá fácil, quebrar o estado, entregar os bens do estado a preço de banana para seus sócios, ter o encobrimento da mídia, levar uma grana boa para algum paraíso fiscal e colocar toda a culpa no Tarso.
o povo coxinha gaúcho, nunca vai desconfiar e vai acabar votando em algum sócio dele depois que se for, candidato esse apoiado pela RBS que vai ser a sócia oculta na “compra” das empresas do Rio Grande.

Responder

enganado

07 de setembro de 2015 às 21h17

Por falta de aviso de minha parte não faltou, escrevi: “””Os gaúchos vão chorar lágrimas de sangue no governo deste pilantra de Direita disfarçado de bonzinho”””. Lembro que qdo os Professores solicitaram piso-salarial, o vagabundo mandou procurarem piso em loja de materiais de construção. Realmente o Rio Grande não precisa de Escolas?/Mestres?/Alunos?.

Responder

Monica Figueiredo

08 de setembro de 2015 às 00h07

Jose Geraldo Rogel Carvalho

Responder

    Anônimo

    08 de setembro de 2015 às 01h24

    Olha a mentira,essa não é a divida com a união ?ela foi feita no governo Brito com as bênçãos do próprio Sartori que era deputado na época,a divida é contratual se não pagar a união bloqueia as contas gaúchas gomo já aconteceu.

    Responder

Ben-Ten Martins

07 de setembro de 2015 às 23h53

Parabéns Rio Grande do Sul e São Paulo por saberem escolher, diferentemente do norte, tão bem seus representantes. Ainda faltam 02 anos sem água e sem salário.

Responder

Luis Marchetto

07 de setembro de 2015 às 23h33

o meu partido e o rio grande ta ai o governador da maioria b

Responder

Ricardo Jimenez

07 de setembro de 2015 às 23h26

Sartori é muito ruim e tem um tom preconceituoso contra o movimento popular, mas é importante salientar que as regras do financismo são draconianas. Da mesma forma que o governo federal sofre o garrote das agências de risco, tendo que cortar investimentos e programas sociais para “honrar” a dívida, também sofrem os Estados, manietados por cláusulas ferrenhas para manter o fluxo de dinheiro para os juros rentistas. É toda uma estrutura montada para sugar o trabalho. Lembra a Grécia, que elegeu um representante para bater de frente com o sistema e ele renunciou? E o Tsipras é de esquerda, imagine um direitoso como Sartori. Tudo explode no lombo do trabalhador.

Responder

Maria Ines

07 de setembro de 2015 às 22h50

O governo do PMDB no RS (que não apoiou o vice Michel Temer), está instalando o caos financeiro no estado para poderem privatizar. É bem a cara desse partido.

Responder

John Jahnes

07 de setembro de 2015 às 22h39

– PORQUE OS REVOLTADOS E A OPOSIÇÃO DO PT, NÃO FICAM INDIGNADOS COM A MOROSIDADE E INEFICIÊNCIA DAS INVESTIGAÇÕES E NEM MESMO COM O GRANDE VOLUME DE DINHEIRO, ROUBADO DIRETAMENTE DOS IMPOSTOS, (DINHEIRO LÍQUIDO, CASH, SEM PRESTAR NENHUM SERVIÇO) NA ””OPERAÇÃO ZELOTES””?
De acordo com a POLÍCIA FEDERAL, uma quadrilha atuava no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), órgão ligado ao Ministério da Fazenda, para REVERTER ou ANULAR MULTAS de forma ilícita.
Segundos as investigações da PF e do MPF, as empresas compravam votos de conselheiros do Carf.
São investigados 74 processos no valor de 19 BILHÕES DE REAIS em dívidas.
Entre as empresas investigadas estão a RBS, maior afiliada da Rede
Globo, Ford, Mitsubishi, BR Foods, Camargo Corrêa, Gerdau, TIM, Bradesco, Santander, Safra, entre diversas outras. https://www.youtube.com/watch?v=DGGbYdKSs88

Responder

Luís Fernandes

07 de setembro de 2015 às 22h23

Enquanto isso em Minas Pimentel dando um show de governabilidade e viva o PT

Responder

    Fábio Lima

    07 de setembro de 2015 às 21h17

    kkkk. Espere pra ver daqui a quatro anos. Vai deixar Minas igual ao DF e Rio Grande do Sul !

    Responder

      JST

      09 de setembro de 2015 às 23h57

      Tem gente que não enxerga as coisas mesmo. Quem quebrou o RS foram Fernando Brito, Germano Rigotto e Yeda CRuz Credo.
      Pelo que sei, quando o Tarso era governador não havia parcelamento de salários.
      O povo do RS tem é de deixar de ser burro.

      Responder

    Geraldo Eustáquio

    08 de setembro de 2015 às 09h25

    Estado Sanado !!!

    Acorda meu caro !!!

    Depois de 12 anos de desastrosas administrações tucanas, MG tem uma dívida de 84 Bilhões !!! Isso mesmo 84 bilhões !!! A segunda maior dívida do Brasil, ficando atrás somente do RS.

    Entre no site do Banco Central e veja:
    http://www4.bcb.gov.br/fis/dividas/lmunicipios.asp?estado=MG&restart=00000000000

    Procure pela divida de MG em 01/2003 e você encontrará: 33.584.865.576,85
    Depois procure pele divida de MG em 01/2015 e você encontrará: 84.691.572.494,89

    O Pimentel achou o governo assim: http://www.diagnostico.mg.gov.br

    Pimentel só não suspendeu os salários dos servidores porque ele ainda pôde recorrer ao último dos recursos,os depósitos judiciais, para reforçar o caixa do Estado. Ação esta que o RS já havia utilizado anos antes.

    Em resumo: a situação em MG, deixada pelos 12 anos de (des)governo Tucano caminha para ficar igual ou pior que o RS.

    Confio no Pimentel, mas a situação em MG é dificílima !!!!

    Responder

    Rose Martins

    08 de setembro de 2015 às 10h21

    A vida como ela REALMENTE é em MG: http://www.diagnostico.mg.gov.br

    Sem a maquiagem da propaganda tucana que iludiu os mineiros por 12 anos !!!

    Responder

Jorge Menezes

07 de setembro de 2015 às 22h10

Sartori é um exemplo do que o antipetismo e a antipolítica podem fazer.

Responder

Daulto Bitencourte Garcia

07 de setembro de 2015 às 21h55

Esqueceram de falar que o Sartori recebeu o governo falido de propósito.

Responder

    Jorge Menezes

    07 de setembro de 2015 às 22h06

    Esqueceu de dizer que o PMDB é o partido que mais governou o Rio grande nas últimas décadas e que é o maior responsável junto com os governos da ditadura pela situação falimentar do estado,esqueceu também que é um absurdo quebrar de propósito um estado que se pretende continuar governando.O argumento de que o PT quebrou o estado não resiste a nenhuma análise séria,mas é um argumento nas mãos de quem votou mal e já não têm argumento nenhum para defender sua posição.

    Responder

    Carmem Witt

    09 de setembro de 2015 às 02h29

    PMDB é q +++governou o RS, e desde Brito=pmdb, afundou as finamças,,bem colocado, jorge.

    Responder

Jose Geraldo Rogel Carvalho

07 de setembro de 2015 às 21h42

Sartori fica no Piratini ou Palácio do Planalto?

Responder

Meire Souza

07 de setembro de 2015 às 21h24

Qual será o índice de popularidade dele hoje?

Responder

    Grazie

    07 de setembro de 2015 às 20h44

    Difícil saber pois pra isso não existem pesquisas

    Responder

Jonson Silva

07 de setembro de 2015 às 21h19

Na Campanha Eleitoral os candidatos tem soluções para todos os problemas. Quando eleitos justificam o não cumprimento das promessas ao governo anterior e se for da oposição ao governo federal. São tão ingênuos assim?

Responder

Irion

07 de setembro de 2015 às 18h08

Quando o sujeito é incompetente eou mal intencionado, o resultado logo aparece – detalhe: após as eleições! Mas a direita sempre tem uma saída, que é culpar “governo anterior”. O RS já vem quebrado faz tempo. Mas duvido que o Tarso fosse parcelar salários. Bem feito para quem votou nesse enganador!

Responder

Heitor pr

07 de setembro de 2015 às 17h52

Quem acompanha as administração pública sabe que quando um governador, prefeito lançam mão de moratória de 180 dias o recado esta dado. É uma forma de fazer chantagem com os fornecedores e receber propina.

Responder

Vitor

07 de setembro de 2015 às 17h51

Vc coloca um cara incompetente pra tentar sanear as contas de um Estado falido pelo populismo, soh pode dar errado. Pobres gaúchos….

Responder

Monica Figueiredo

07 de setembro de 2015 às 20h03

Responder

    Luís CPPrudente

    07 de setembro de 2015 às 18h01

    Mônica tucana, por que você reproduz aqui o material feito pelo PSDB?

    Responder

Monica Figueiredo

07 de setembro de 2015 às 20h03

Responder

Monica Figueiredo

07 de setembro de 2015 às 20h03

Responder

Monica Figueiredo

07 de setembro de 2015 às 20h03

Responder

Monica Figueiredo

07 de setembro de 2015 às 20h02

Responder

Marcelo Escobar

07 de setembro de 2015 às 19h57

A ironia é que esse tipo de publicação parte dos mesmos que defendem cegamente quem apoia a corrupção e a roubalheira do governo Federal

Responder

    Joaquim Corrêa

    07 de setembro de 2015 às 20h55

    Ironia é o cacete, o PMDB é o partido com mais bandidos infiltrados em todas as esferas, no governo e oposição. Agora vão posar de santos ?
    Eduardo Cunha como baluarte da moralidade ?

    Responder

Heber Valle

07 de setembro de 2015 às 19h45

TARSO [HERANÇA MALDITA] QUEBROU O ESTADO, AGORA A CULPA É DO SARTORI. DEIXEM DE SER HIPÓCRITAS.

Responder

Ricardo G. Ramos

07 de setembro de 2015 às 19h42

Sartori é um completo boçal. Não sei como o gaúcho entrou numa dessas.

Responder

    Ivone Junges

    07 de setembro de 2015 às 23h00

    Ele foi eleito porque queriam tirar o PT do governo. Não importando quem assumisse, desde que não fosse o PT.

    Responder

Carlos Coelho

07 de setembro de 2015 às 16h39

O mais incrivel é que o os gauchos custumam se gabarem de ser um povo suprior. Ao lado dos paulista se sentem poderosos a ponto de humilhar os demais brasileiros especialmente os nordestinos. E
tanto gauchos como paulistas em sua maioria sao alienados politicamente. Logico que nao são todos. Mais que a maoria votam mal isso é verdade. Vide eleições seguidas de alkimim serra aluisio ana julia sartory etc

Responder

    Fábio Lima

    07 de setembro de 2015 às 17h15

    É verdade Carlos Carvalho; consciente politicamente é o pessoal do norte / nordeste que toda eleição manda a fina-flor do política para o Congresso Nacional; Renam Calheiros, Fernando Collor , Romero Jucá, Jader Barbalho, José Sarney. Deve ser por isso que os estados dessas regiões são tão desenvolvidos e estão nadando em dinheiro, né mesmo?

    Responder

      Fábio Lima

      07 de setembro de 2015 às 17h36

      Digo, Carlos Coelho…

      Responder

      Robin

      07 de setembro de 2015 às 18h14

      Ora, Fábio Lima, mas o povo nordestino não fica se gabando de que é o melhor do Brasil, né? Mas se os eleitores do sul e sudeste querem se gabar de que sabem tanto, são mais estudados, desprezando os nordestinos, no mínimo, deveriam escolher melhor, cê não acha, não?

      Responder

      Antonio

      08 de setembro de 2015 às 15h40

      vamos entender o q esse cidadao “tao antenado” diz: o povo do Norte e do Nordeste manda pra Brasilia as “rapinas” de sempre, e o do Sudeste manda quem, a Madre Tereza de Calcuta? Kkkkkk so rindo msm!

      Responder

Sérgio Gomes

07 de setembro de 2015 às 19h19

Jose Damasio Ferreira Alves Junior

Responder

Deixe um comentário

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina