Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

ADunicamp divulga moção de repúdio ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff

Por Redação

14 de dezembro de 2015 : 15h15

na página da ADunicamp

A diretoria da ADunicamp (Associação dos Docentes da Unicamp) se
posicionou publicamente contra a abertura, na Câmara Federal, do
processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, com a divulgação
esta semana da “Moção pela institucionalidade democrática”.

Na moção, a diretoria da ADunicamp questiona a legitimidade dos
autores e a forma como foi deflagrado o processo de impeachment: “Na
condição de Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha utiliza
a ameaça de impeachment como chantagem expressa para evitar seu
próprio julgamento no Conselho de Ética, onde há acusações sólidas e
provas contundentes que o desmoralizam por completo. Cunha não tem
legitimidade sequer para seguir como deputado”, diz a moção.

A moção faz duras críticas à política econômica de Dilma, mas
argumenta que eles não podem ser o motivo para uma quebra
institucional de tal magnitude e gravidade.

“É importante ressaltar que o Governo Federal tem assumido posturas e
práticas indefensáveis, marcadas por um ajuste fiscal que joga a conta
da crise econômica nas costas dos trabalhadores, aí inclusos os
docentes das Universidades Públicas. O ANDES e, com ele, a ADunicamp,
têm combatido essa política através de todos os canais de que
dispõem”, diz o texto.

De acordo com a moção, o processo de impeachment, da forma como foi
deflagrado na Câmara, é um retrocesso político. “Dentre as forças
sociais e políticas que apoiam o impeachment, destacam-se aquelas que
pedem a volta da ditadura militar e têm por ícones figuras como Cunha,
Bolsonaro e Malafaia. Nesse cenário, o impeachment significaria o
fortalecimento da ofensiva conservadora e do caldo de intolerância que
têm marcado a atuação desses setores”.

Leia, abaixo, a integra da moção.

Moção pela institucionalidade democrática

Diante da grave crise institucional que o Brasil enfrenta no momento,
a Diretoria da ADunicamp vem a público expressar seu repúdio à
abertura do processo de impeachment da Presidente da República
capitaneado pelos setores mais retrógrados da política nacional.
Destacamos alguns dos muitos motivos para isso:

1 – Na condição de Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha
utiliza a ameaça de impeachment como chantagem expressa para evitar
seu próprio julgamento no Conselho de Ética, onde há acusações sólidas
e provas contundentes que o desmoralizam por completo. Cunha não tem
legitimidade sequer para seguir como deputado.

2 – As alegações que dão sustentação ao pedido de impeachment, por
outro lado, remetem a atos administrativos que, por questionáveis que
sejam, têm uma dimensão muito aquém daquilo que justificaria uma
medida tão radical quanto o afastamento de um governante eleito de
forma legítima e democrática pela maioria da população. Não é por
acaso que inúmeros juristas de grande reputação têm criticado de
público o rito e o mérito do pedido de impeachment.

3 – É importante ressaltar que o Governo Federal tem assumido posturas
e práticas indefensáveis, marcadas por um ajuste fiscal que joga a
conta da crise econômica nas costas dos trabalhadores, aí inclusos os
docentes das Universidades Públicas. O ANDES e, com ele, a ADunicamp,
têm combatido essa política através de todos os canais de que dispõem.
Não por acaso houve recentemente uma greve de vários meses nas
Universidades Federais, sem que esse governo mostrasse qualquer
sensibilidade ou disposição à negociação. Mas a luta contra o ajuste
não pode se confundir com iniciativas golpistas.

4 – Se o impeachment for vitorioso, a visão corrente é de que Michel
Temer assume a Presidência – como se não fosse membro desse mesmo
governo. Com Temer na Presidência, certamente não teríamos uma mudança
de curso favorável aos trabalhadores, pelo contrário: sua trajetória
política e seu posicionamento atual indicam que será favorável a uma
radicalização das medidas de austeridade e ao aprofundamento das
contrarreformas no país que retiram direitos dos trabalhadores e
transferem o patrimônio da nação ao setor privado, sobretudo ao
financeiro. Sendo ele o presidente do partido que se notabilizou por
ter participado de todos os governos desde o fim da ditadura militar,
com o controle de diversos ministérios e autarquias onde já se
comprovaram inúmeros casos de corrupção.

5 – Dentre as forças sociais e políticas que apoiam o impeachment,
destacam-se aquelas que pedem a volta da ditadura militar e têm por
ícones figuras como Cunha, Bolsonaro e Malafaia. Nesse cenário, o
impeachment significaria o fortalecimento da ofensiva conservadora e
do caldo de intolerância que têm marcado a atuação desses setores.

6 –Por essas e outras razões semelhantes, entendemos que, apesar de
todas as críticas que merece o Governo Federal capitaneado por Dilma
Rousseff, a sociedade civil democrática e comprometida com a
construção de um país menos desigual deve combater a chantagem do
impeachment e exigir a queda de Cunha, cujo lugar é na cadeia, e não
decidindo os destinos do país.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

29 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Antonio Garcia

15 de dezembro de 2015 às 19h49

Eporque todos vivim na teta foi assim na argentina e e assim na venezuela

Responder

Carlos Artur Seixas

15 de dezembro de 2015 às 18h06

Se a Universidade considerada a melhor do país, e tem professores que para serem asnos só falta as penas, mas lembrense, asnos não tem penas então não falta nada, que Deus tenha piedade do ensino no País

Responder

Nelma Maria Beraquet

15 de dezembro de 2015 às 10h30

Políticos que não sabem de nada, quebraram o país que está agonizando, apoiam o desgoverno, desemprego e as mentiras. Decepcionante ter gente desse tipo formando jovens.

Responder

Gf Andrezão

15 de dezembro de 2015 às 02h01

Responder

Maria Valvano Darwich

15 de dezembro de 2015 às 01h41

Muito bom! O pessoal está acordando!

Responder

Chico Moreira

15 de dezembro de 2015 às 00h57

Grande UNICAMP!!! Antes todos tivessem tua coragem.

Responder

Assma Luzia Tome Villela

15 de dezembro de 2015 às 00h42

Marcos , você fez um relatório de uma verdade, que povão não conhece, mas verdadeiro, os coxinhas sabem, mas jogam para debaixo do tapete, acho que nos deveríamos relatar mais vezes, a bandidagem do PSDB e globo, e falarmos o que realmente os golpistas querem e planejam,

Responder

Carlos Julio Maca

15 de dezembro de 2015 às 00h33

Com efeito, a atual Constituição Federal, em vigor desde 1988, elaborada democraticamente e festejada por todos como a “Carta Cidadã”, em seu art. 85 disciplina e prescreve as hipóteses jurídicas em que o Presidente da República cometerá crime de responsabilidade, remetendo a definição dos mesmos para a lei especial. Ou seja, o processo é legal e constitucional, conforme vontade prévia do povo e das instituições democráticas.

Responder

Dalton De Souza Amorim

15 de dezembro de 2015 às 00h20

Quero ver a USP agora defender o Estado de Direito e a Constituição do país…

Responder

Norberto Tso

15 de dezembro de 2015 às 00h15

só rindo.. Já que não dá pra colocar na cadeia.. o jeito é xingar.. Imagina que o pedido de impeachment veio justamente do Dr. Helio Bicudo que foi um dos fundadores do PT e está perfeitamente lúcido e sabe muito bem como a corrupção e a roubalheira tomaram conta do PT com o Lula e os seus comparsas.. As provas estão todas ai.. mas pode ficar tranquilo que em 2016 vai vir muito mais.. a polícia já está cercando o cerco aos filhos do Lula e a Dilma foi no minimo incompetente .. nunca soube de nada não viu nada .. mesmo na época que estava na Petrobras.. Vá até os hospitais e as escolas veja a falta que faz o dinheiro que foi desviado.. E não adianta dizer que o PSDB também rouba.. um erro não justifica o outro. . Ainda mais do PT que sempre disse que estava do lado dos pobres e trabalhadores

Responder

Marcos Caetano

14 de dezembro de 2015 às 23h52

#Dilmafica

Responder

André Jardim Dos Santos Lopes

14 de dezembro de 2015 às 23h05

UNICAMPÊ PÊ PÊÔ

Responder

Kleber Silva

14 de dezembro de 2015 às 22h34

#naovaitergolpe #dilmafica #foracunha #mimimicheltraidor

Responder

Eduardo Benzatti

14 de dezembro de 2015 às 21h36

Agora é dia 16 (quarta-feira): todos às ruas contra o Golpe – e a tentativa de rasgar a Constituição banalizando o dispositivo do impeachment. O que os golpistas querem é destruir as políticas públicas dos últimos governos q beneficiam milhões de brasileiros (o Bolsa-Família em especial). Não Passarão!

Responder

Josefa Maria Da Conceicao Conceicao

14 de dezembro de 2015 às 20h39

O povo ontem deu demostraçao de fé á Dima não compareceram para parcipar do golpe da opsisão e do Cunha ,virou uma micareta na paulista fora de tempo,não comparecu os negros,os pobres,os estudantes nem os movimentos socias,

Responder

    Carlos Artur Seixas

    15 de dezembro de 2015 às 18h10

    Cristo disse, “BEM AVENTURADOS OS POBRES DE ESÍRITO POIS DELES SERÁ O REINO DOA CÉUS”. VOCÊ JÁ ESTÀ GARNTIDO NO CÉU

    Responder

Gledson Vieira Castro

14 de dezembro de 2015 às 19h14

Se houver interesse políco por trás do impeachment, pode Unicamp, USP quem quiser ser contra… vai ter impeachment….

Responder

Sirlei Dorneles Martinez

14 de dezembro de 2015 às 19h00

Mais gente de moral e com autoridade em educação, se somando a favor de DILMA e se posicionando contra o impeachment ( golpe branco)!!! Golpe jamais!!!

Responder

    Carlos Artur Seixas

    15 de dezembro de 2015 às 18h07

    Acho que a senhora está esclerosada. A sua pensão está faltando cada vez mais para chegar ao fim do mes

    Responder

Mary Atleticana

14 de dezembro de 2015 às 18h41

Obrigada ,UNICAMP ! Com as universidades apoiando Dilma nos sentimos mais seguros contra o golpe.Dilma ?

Responder

Marcos Portela

14 de dezembro de 2015 às 18h24

?OBCECADOS PELO PODER, não conseguindo CHANTAGEAR o GOVERNO para não ser CASSADO, o LADRÃO evangélico CUNHA, “HERÓI” da REDE GLOBO e dos PANELEIROS da sociedade ALIENADA pela MÍDIA BRASILEIRA, agora tenta ROUBAR o meu VOTO e os da MAIORIA dos BRASILEIROS, iniciando a FARSA do GOLPEACHMENT com AJUDA dos CORRUPTOS do STF, TRAFICANTES de COCAÍNA do CONGRESSO, GANG dos LAVAJATISTAS do PARANÁ e dos SAQUEADORES da PRIVATARIA da DIREITA FASCISTA, com o objetivo de se APOSSAREM das RIQUEZAS do BRASIL para VENDÊ-LAS a preço de BANANA como fizeram com a VALE e trazer de VOLTA o FINANCIAMENTO EMPRESARIAL para CAMPANHAS POLÍTICAS, enquanto a PRESIDENTA, mesmo sendo sabotada, TRABALHA por melhorias no PAÍS e ainda LUTA contra o CAOS que foi INSTALADO pelos RATOS DA REPÚBLICA, que não tendo VOTOS suficientes para ELEGEREM um PRESIDENTE tentam pelo GOLPE, sem CONSIDERAR que para toda AÇÃO há uma REAÇÃO.

Responder

Mauricio Gomes

14 de dezembro de 2015 às 16h13

Miguel, os blogs progressistas não podem repetir o mantra do PIG e chamar esse processo indecoroso, imoral e ilegal de impeachment. É GOLPE tocado por fascistas. Isso precisa ser dito e repetido para que o povão entenda o que se passa.

Responder

Deixe um comentário