Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Bob Fernandes: golpe contra Dilma impulsiona luta feminista!

Por Miguel do Rosário

07 de junho de 2016 : 11h36

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

gilberto

07 de junho de 2016 às 13h48

Invariavelmente, todos os partidos politicos ressaltam em suas inserções televisivas a necessidade de aumentar a representação política das mulheres -o que é correto-, inclusive por parte do TSE. Entretanto, e contraditoriamente, a primeira mulher eleita para presidir o País é vítima de um vergonhoso golpe, cujo apoio de mulheres parlamentares foi decisivo.

Responder

    Guanabara

    07 de junho de 2016 às 16h39

    Nisso, as feministas hão de concordar: a picaretagem feminina está bem representada neste desgoverno; quanto à picaretagem masculina, está super representada.

    Responder

    duca

    07 de junho de 2016 às 17h16

    “(…) vítima de um vergonhoso golpe, cujo apoio de mulheres parlamentares foi decisivo.” Já tentou encontrar uma explicação para isso? O fato da representatividade feminina na política ser mínima, talvez leve as mulheres a se aliarem aos seus pares masculinos que são a grande maioria, para sobreviverem dentro do próprio partido. Já pensou sobre isso?

    Responder

Adriana pires

07 de junho de 2016 às 12h47

Sempre lúcido !

Responder

Bety Rodriguez

07 de junho de 2016 às 11h50

Muito boa análise. Mulheres, vamos continuar nossa luta pela democracia.

Responder

Deixe um comentário