Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Fernando Haddad sobre impeachment: ‘É golpe, porra’

Por Redação

16 de agosto de 2016 : 03h17

Haddad revê fala sobre impeachment: ‘É golpe, porra’

na Rede Brasil Atual

“Cada vez que eu dou uma entrevista para o Estadão eu fico uma semana me explicando, porque do jeito que eles editam…”, disse o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, no sábado (13), em encontro sobre o tema ‘O direito à cidade’, no Sindicato dos Arquitetos do Estado de São Paulo.

Na quarta-feira (10), em entrevista à Rádio e à TV Estadão, Haddad havia dito que considerava a palavra ‘golpe’ forte para identificar o impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff, que está em curso no Senado, e deve ter seu mérito julgado pelo plenário no dia 25 de agosto, quando dois terços dos senadores (54 parlamentares) precisarão aprovar o afastamento definitivo. “Golpe é uma palavra um pouco dura, que lembra a ditadura militar. O uso da palavra golpe lembra armas e tanques na rua”, afirmou o petista na polêmica entrevista.

“A gente erra na conversa com a imprensa, a gente tá agindo de boa fé, querendo explicar, querendo ser complexo, querendo ser professor, e eu sou cientista político, então, é pior ainda, pronto… Mas é golpe, porra, estão descumprindo a Constituição em um quesito básico”.

Haddad foi prontamente criticado por sua fala, que destoa do discurso de seu partido, sempre enfatizando o caráter golpista do impeachment, uma vez que não existe crime de responsabilidade, como define a Constituição do país, para demarcar o processo de impeachment. Diante dos arquitetos, ele retomou o tema para rever sua fala.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

18 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Joao Luiz Pereira Tavares

18 de agosto de 2016 às 02h56

Claro que o termo “Golpe” pegou… Pois se trata de termo publicitário… Tal qual: “Danoninho vale por um bifinho”.

Vejamos & analisemos:

E quanto a Dilma está é aqui: Um produto a ser vendido e consumido. Apenas isso. E haja publicidade! Desgastante. Veja. Eis:
DANONINHO, PT, LULA, DILMA, REQUIÃO, PSEUDO-INTELECTUAL:
O PT ainda continua perfeitamente astuto e sutil, quase invisível em seu ilusionismo. Pratica qualquer NARRATIVA para estar no poder.
Narrativas publicitárias que USURPAM o pensamento, mentes e traz medo. Vigilância e controle ideológico. Dentro das Universidades, nas ruas, botons, autoadesivos, blogs espertalhões, artistas puxa-sacos, discursos manipuladores, «lavagem cerebral».
“””Golpe”””, com toda certeza, é um clichê publicitário, é frase-pronta, imagem estereotipada e montada a priori (nessa altura, provavelmente, recomendada por algum marqueteiro, tal qual João Santana. Semelhante a ele. Senão, ele próprio): frases clichês tais quais:
“Danoninho vale por um bifinho”.

====================================================
Mia, bebe leite, tudo indica que é um gato; mas o PT afirma: é um cão.
====================================================

Responder

Flávio Siqueira

17 de agosto de 2016 às 08h22

Primeiramente “Fora Temer”!
É golpe!

Responder

Gabriel Moreno

17 de agosto de 2016 às 02h05

Não caiam no papo furado da classe média “coxinha”. Golpe é o termo que mais incomoda os golpistas. E é um termo que pegou. Tem que continuar sendo repetido, antes do golpe e depois do golpe. O medo deles é, no fundo, que o povo um dia acorde do transe e vá cobrar a conta deles, sabendo do que fizeram e do real significado do golpe.

Outra coisa: parece que agora uma das pautas dos golpistas vai ser o fim do voto obrigatório. Querem, aos poucos, acostumar a ideia na população brasileira de que votar é inútil. Já vi uns dois ou três trolls postando em sites progressistas a ideia, do nada e sem qualquer relação com os assuntos em questão. Já começaram o trabalho nas redes sociais sobre o assunto, logo logo sai na grande imprensa.

A ideia é que, já para 2018, acabemos com o voto popular e tornemos o Brasil definitivamente uma sociedade não democrática. Já vai acabar antes, pois Temer vai ser afastado em 2017 e vão fazer eleição indireta via Congresso. Que fique o alerta. No mais, voto já não vale muita coisa mesmo, pois você vota e eles tiram no tapetão. Democracia brasileira sob sério risco.

Responder

cousinelizabeth

16 de agosto de 2016 às 19h40

Deixa de ser tonto e pensa antes de falar, porra!

Responder

carlos

16 de agosto de 2016 às 17h57

Para de dar entrevista pro PIG, porra!

Responder

Reinaldo Mechica Miguel

16 de agosto de 2016 às 14h41

É GOLPE PORRA…

SE NÃO HÁ CRIME DE RESPONSABILIDADE… É GOLPE PORRA!

Responder

Gustavo Horta

16 de agosto de 2016 às 12h00

“bye-bye” BRASIL. “Welcome Brazil”! QUE LÁSTIMA.
> https://gustavohorta.wordpress.com/2016/08/10/bye-bye-brasil-welcome-brazil-que-lastima/

CANALHAS, MUITOS CRETINOS, MUITOS HIPÓCRITAS, MUITOS MERDA, MUITOS COVARDES, MUITOS CÍNICOS, MUITOS BABACAS, MUITOS VAGABUNDOS, MUITOS, MAS MUITOS MERDAS…

PERGUNTO: DO QUE VALEM AS ELEIÇÕES? PARA QUE SERVEM? A QUEM SERVEM?

“Verdade seja dita: os golpistas, conhecidos como coxinhas, depois trouxinhas, conseguiram detonar com a vontade popular definida conforme a constituição e a legislação eleitoral brasileira. À propósito, detonar com as leis, violá-las, corromper, roubar, sonegar, iludir, manipular é a sua maior competência. Posta em prática, “bye-bye” Brasil. “Welcome Brazil”!

Assim que é, assim que foi: favas contadas, golpe aplicado. “É MAIS SEXY DO QUE UMA FESTA DE CARNAVAL” como pôde se manifestar um estadunidense há pouco tempo atrás.

Venceu a quadrilha da bandidagem conhecida e reconhecida. Fazer o quê? Conviver com a bandidagem e, quem sabe, aqueles que tiverem estômago para tanto, tornarem-se igualmente bandidos.

Aqueles que não se conformarem que tratem de agir.
Mais ações, menos palavras, menos ‘converseiro’ inútil.

PREJUÍZO É A PALAVRA CHAVE. CONSEGUE ENTENDER? …”

Responder

Alberto Roberto

16 de agosto de 2016 às 11h33

luxoacompanhantes.com.br

Responder

Marcos Augusto Neves

16 de agosto de 2016 às 11h32

A mídia é um partido de ultra-direita, age como tal e tem que ser tratada como tal.

Responder

João Ostral

16 de agosto de 2016 às 10h57

Trabalhei em um jornal filiado a Globo no RS, e aqueles jornalista que não estavam afinados com a linha editorial do jornal, sistematicamente foram sendo demitidos. Sobrou o que está ai agora, os golpistas.

Responder

Antonio Passos

16 de agosto de 2016 às 10h44

Pisou na bola, porra ! Tá certo, consertou, mas presta atenção da próxima vez. Especialmente ao falar com o PIG.

Responder

    Celso Junqueira

    16 de agosto de 2016 às 13h45

    Já começou errando ao dar entrevista para o Estadão. Não deveria. Entrevista com essa corja tem que ser gravada e com dois advogados como testemunhas.

    Responder

Ruy Acquaviva

16 de agosto de 2016 às 10h20

“Cada vez que eu dou uma entrevista para o Estadão eu fico uma semana me explicando, porque do jeito que eles editam…”
Então para de dar entrevista para o Estadão PORRA!
Haddad e o PT em geral tem que aprender que A MÍDIA CORPORATIVA É INIMIGA DO BRASIL de dos trabalhadores.
Abra espaço para os pequenos jornais, Internet e apóie as mídias alternativas e novas mídias. Não adianta dar brecha para o inimigo.

Responder

    Roberto

    16 de agosto de 2016 às 10h22

    Pois é. Ainda por cima um jornalecão em estado pré-falimentar…
    PT: nota ZERO em comunicação.

    Responder

Gringani Crestani

16 de agosto de 2016 às 10h01

Dar entrevista pras cinco irmãs (Globo, Veja, Estadão, Folha & RBS) é burrice, porra!

Responder

ricardoaraxa

16 de agosto de 2016 às 10h01

Então ve se aprende e nunca mais de entrevista pro pig!

Responder

Dilson Magno

16 de agosto de 2016 às 09h10

A grande maioria dos jornalistas tem rabo preso com o poder antidemocrático…
Esses jornalistas deveriam ir para uma praça publica e serem enforcados a partir do momento que manipulam a informação contra o estado de direito de sua população em prol de golpistas.

Responder

Adyneusa Moura Oliveira

16 de agosto de 2016 às 07h45

Nunca se deve confiar no pig, é impressionante como não tem compromisso com a verdade, nem com a mentira.
É golpe porra!

Responder

Deixe um comentário