O depoimento de Lula à juíza Gabriela Hardt

Ameaça: Fux volta a falar em anulação das eleições

Por Pedro Breier

21 de junho de 2018 : 18h42

(Charge: Luiz Gê)

O presidente do TSE repetiu hoje (21) a ameaça feita por ele mesmo há cerca de 2 meses. Segundo Luiz Fux, as eleições de 2018 poderão ser anuladas caso o resultado seja influenciado por fake news. Discorremos sobre o assunto aqui.

A insistência de Fux no tema reforça o tom de ameaça que contém essa declaração.

Como o Judiciário é o braço armado do capital e, consequentemente, da direita, é evidente que a ameaça de anulação das eleições pairará sobre a cabeça do próximo presidente somente se este não for o candidato do establishment.

Parece que o Judiciário, que já chancelou o sequestro da vontade popular expressa nas urnas em 2014, resolveu tomar de vez o protagonismo do golpe e anunciar, pela boca de Fux, uma espécie de sequestro prévio da democracia.

É a materialização da charge do Luiz Gê que ilustra este post. A Justiça brasileira usa sua espada para ameaçar novamente o pescoço da nossa democracia. É como se dissesse: “se não for eleito o candidato certo, prepare-se para mais um golpe”.

Será tarefa urgente, quando os ares da democracia voltarem a circular por aqui, acabar com essa história de um poder não eleito ter tamanha preponderância sobre o processo democrático.

Só então a vontade popular expressa nas urnas poderá ser, de fato, soberana.

Pedro Breier

Pedro Breier, colunista d'O Cafezinho, é formado em direito mas gosta mesmo é de jornalismo. Nasceu no Rio Grande do Sul e hoje vive em São Paulo.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

14 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Marcelo Rodrigues

09 de agosto de 2018 às 11h59

Quem indicou Fux a cadeira do STF????

Responder

Reginaldo Gomes

28 de junho de 2018 às 12h38

Qual a maior ameaça dessas eleições????
Onde o golpe híbrido está colocando todas as fichas???
Na indução dos votos brancos , nulos e abstenções, e o fato que comprova isso é que se esses eleitores preguiçosos , safados e sem vergonha tivessem votado de forma correta, no mínimo teriam votado no candidato menos pior!!!! Percebem a causa do fracasso de fernando haddad e cátia abreu com apoio de Lula e tudo???? Percebem a genialidade golpista?
Como o golpe sem pátria faz essa indução???
Através de TODA mídia que existe , de esquerda e de direita!!!! A mídia trata esse comportamento dos eleitores com nobreza, respeito e dignidade ,como se fosse um protesto decente!!! Porém esse comportamento dos eleitores é preguiçoso, safado e sem vergonha , só serve para eleger o que existe de pior na humanidade.
Compreende?

Responder

Luiz Sérgio

22 de junho de 2018 às 18h08

Boa noite a todos, acredito que, principalmente, seria importante haver a análise do funcionamento do Judiciário e suas respectivas funções auxiliares – MP, polícias e OAB – e seu papel na democracia.
Acredito pessoalmente que, conforme enfatiza o Jessé Souza, “não somos ‘marcianos verdinhos'”, ou seja, nossa condição social atual está inserida dentro da conjuntura global e devidamente adequada à condição grave do Brasil: ex-colônia de exploração com utilização de mão-de-obra preferencialmente escrava e consequente desqualificação do trabalho, com um processo de integração ineficiente e sem jamais ter passado por um plano de desenvolvimento de infraestrutura que permitisse a efetiva integração de todo o país, levando a um melhor trânsito de pessoas e coisas.
Nesse sentido, acho importante que sejam analisadas as instituições no exterior – Judiciário, MP (ou seus equivalentes), polícias e OAB de maneira a perceber as diferenças e semelhanças, principalmente no que diz respeito a aspectos fundamentais dos exercícios das profissões e das carreiras.
Quando a sociedade brasileira começar a escrutinar as estruturas em tese conectadas ao funcionamento do estamento jurisdicional assim consideradas as quatro instituições suso, certamente haverá a reabertura de debates importantíssimos ligados ao recrudescimento do “poder de polícia” e, principalmente, com a análise e comparação com o exterior, haverá um desejo de mudança que mudará simplesmente para sempre o poder judiciário brasileiro.

Responder

neusa

22 de junho de 2018 às 14h08

Da silva no mundo que vc diz civilizado não tem eleitores co.o vc, com certeza.

Responder

Geórgia Faro

22 de junho de 2018 às 08h58

Sei.
Eles ainda não perceberam que eles próprios mataram e enterraram o PSDB.
O jeito é ir anulando eleições e fazendo impeachment até o PSDB ganhar.
Esse Fux não é o pai de uma mulher que entrou pela porta dos fundos na magistratura.
O PSDB quer o Estado Mínimo, quer reduzir o estado, mas cobrar menos impostos, diminuir a carga tributária, disso o PSDB não fala. Diminuir o orçamento para propaganda isso também não falam. Diminuir a verba para jornais, revistas e tvs o psdb não fala nada.
Estão juntamente com o mdb há 2 anos administrando o Brasil e no que o Brasil melhorou ?
Cortar isenções para grandes empresas isso tb eles não falam.
Não falam tb que o governo Dilma em 2014/2015/2016 foi paralisado e achacado pelo Aecio Neves e por muitos parlamentares golpistas como o Eduardo Cunha que trancaram a pauta do governo Dilma no congresso. Alardeiam um decréscimo da economia em 2015 e 2016, mas não dizem que os golpistas trancaram a pauta para prejudicar o governo e a economia.
Esses ministros do Supremo escolhidos pelo pt são muito ruins. Esse critério de escolha tá por fora.
Devia ter um concurso para os tribunais superiores entre juízes, MP e advogados com muitos anos de experiência. Que vença o mais preparado para o cargo.

Responder

    Thiago Araujo

    22 de junho de 2018 às 14h13

    Houve vários “concursos” (sufrágios) para eleger os presidentes do Brasil, nos últimos 28 anos.
    Haverá um outro, no primeiro domingo de outubro de 2018.
    Quem foram os “aprovados”?
    collor (uma vez), fhc ( duas vezes), lula (duas vezes) e dilma ( duas vezes)…
    Se nesses concursos acima, passaram imbecis, criminosos, pulhas, traidores da pátria e até idiotas burros, o que te leva a crer, Geórgia Faro, que num suposto concurso para ministro do STF irão “passar” pessoas de bem, ilustres patriotas, sapiências jurídicas e gente ilibada?
    Além do mais, todos eles foram indicados, aprovados e nomeados por pessoas com cargo político, eleitos (“concursados” ) pelo voto. Restando então, homologadas por legitimação indireta, suas investiduras nos cargos e funções públicas.
    Com relação à economia, vejo que a raiz do problema é o superendividamento público e a malversação do tesouro nacional. O Brasil é um país rico, “administrado” por pulhas que não tem qualquer compromisso com a pátria e com a honestidade.
    Para encerrar, você que deseja que no tal “concurso” vença o mais preparado para o cargo, é claro que você NÃO QUER para o Brasil, que o país possa vir a ser administrado por um condenado fascínora que está cumprindo ainda o início de sua PRIMEIRA condenação, QUER???

    Responder

      Batista Neto

      23 de junho de 2018 às 00h23

      Esse suposto condenado a que vc se refere se submeteu a cumprir a ordem de prisão que lhe foi imputada e apresentou aos seus acusadores apenas uma condição para que ele deixe de incomodar os seus adversários e abandone a luta e o compromisso de lutar em defesa do povo brasileiro. Eis a condição apresentada pelo homem inocente condenado injustamente por um delito que não cometeu:

      “Me apresentem uma prova (UMA ÚNICA PROVA) de um delito (UM ÚNICO DELITO) que eu tenha cometido!”

      Diante dessa questão se calaram-se a 13ª Vara (da gangue de Curitiba), o TRF-4 (dos cúmplices de Porto Alegre) e o STF (dos boquirrotos amestrados de Brasilia) que, não por acaso, também se calou sobre a legalidade do GOLPE que eles querem que chamemos de Impeachment.

      Pela sua ilustração demonstrada no seu texto, talvez V. Sa. possa trazer uma luz que ilumine esse impasse. Com a palavra o Thiago.

      Responder

      J Fernando

      25 de junho de 2018 às 14h43

      Tem certeza que você sabe o que é DEMOCRACIA?
      Podendo concorrer e estando eleito, não importa se o candidato for Collor (punido/depois inocentado, por corrupção), Marina (ligada a grupos interessados na flora amazônica e a bancos) ou Lula (presidiário cumprindo sua primeira condenação, nas suas próprias palavras).
      Democracia não é eleger o candidato que VOCÊ quer. É eleger o candidato que A MAIORIA votou.

      Responder

Raul

21 de junho de 2018 às 23h21

Fascinante.

Responder

João Januário

21 de junho de 2018 às 19h44

Esse tal FUX tá mais ‘fuck’ que para ‘lex’?

Responder

andre rs

21 de junho de 2018 às 19h11

por isso no mundo civilizado não existe justiça eleitoral

Responder

    Brasileiro da Silva

    21 de junho de 2018 às 19h53

    Por isso no mundo civilizado não existe presidiário querendo ser presidente.

    Responder

      Anonymous

      21 de junho de 2018 às 21h39

      No mundo civilizado coxinha é enterrado junto com combustível radioativo, 1000 metros fundo debaixo da terra.

      Responder

        Thiago Araujo

        22 de junho de 2018 às 14h38

        Quando ví a imagem que você posta, ANONYMOUS, no seu perfil deste blog, lembrei das estórias do tio patinhas e dos irmãos metralha.
        Tá a cara dos irmãos metralha…
        Inclusive, havia um deles, que ostentava no peito o número 1313… era um AZARÃO.
        Será que você, sendo 13, postando essa imagem, se identifica com os metralhas?
        Unindo-se ao lula, vocês fariam um perfeito metralha 1313, verborrágico, boquirroto, panema e… AZARADO.

        Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com