Análise da reunião ministerial de Bolsonaro

Indignada com ataques racistas de Weintraub, embaixada da China cobra retratação do governo Bolsonaro

Por Miguel do Rosário

06 de abril de 2020 : 12h00

O Brasil exportou à China, nos últimos 24 anos, perto de R$ 680 bilhões. Para efeito de comparação, esse valor corresponderia a mais de 20 anos de Bolsa Família. A China também é o único fornecedor de insumos essenciais para o combate à Covid-19

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, não poderá se esquivar da questão dizendo que a pessoa envolvida não trabalha no governo, como fez há algumas semanas, quando o deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, publicou manifestações racistas e ofensivas contra a China.

Aliás, o mesmo Eduardo Bolsonaro voltou a atacar a China há alguns dias, provocando forte reação do Cônsul-Geral da China no Rio de Janeiro.

Agora foi Abraham Weitraub, um dos principais ministros do governo Bolsonaro, o da Educação, que veio às redes sociais fazer um ataques completamente gratuito à China.

A postagem de Weintraub ocorreu neste domingo, 5 de abril, e levou o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, a se manifestar com dura indignação.

Primeiro, vejamos o twitter do ministro da Educação (que ele já apagou, depois de provocado o estrago):

Apesar da linguagem, conteúdo e tom típicos de um doente mental, é um tweet profundamente racista, conspiratório e ofensivo, bem em linha com o esgoto da direita mais fanática dos Estados Unidos.

Entretanto, há uma diferença importante entre os fanáticos de lá e os daqui. Os EUA realmente competem com a China no plano geopolítico.

O Brasil, não.

O Brasil desenvolveu, ao longo das últimas décadas, uma relação profundamente amistosa com a China, e a economia brasileira se tornou, mais e mais, ligada ao gigante asiático (ver gráficos ao final do post).

A resposta do embaixador chinês no Brasil também veio pelo twitter. Wanming diz que o “lado chinês” aguarda uma declaração oficial do lado brasileiro”.

Seja qual for a resposta, será humilhante para o governo Bolsonaro. Se o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, pedir desculpas, que é o que, urgentemente, deveria fazer, estará provado, mais uma vez, que o governo Bolsonaro não tem nenhum tipo de coesão ou disciplina internas. Seus ministros mais importantes são um bando de malucos e imbecis irresponsáveis, sem nenhum tipo de reflexão sobre as consequências trágicas – em especial neste momento – que uma crise diplomática com a China pode trazer ao Brasil. Ou antes, já está trazendo.

Temos notícias de que empresas chinesas estão rompendo contratos de entrega de suprimentos médicos essenciais ao combate ao Covid-19, e desviando esses produtos para os Estados Unidos. A informação vem do próprio ministro da Saúde, Luiz Mandetta:

Com a epidemia se alastrando rapidamente no Brasil, e previsões oficiais de que esteja já fora do controle em capitais como São Paulo, Rio e Fortaleza, os prognósticos para as próximas duas ou três semanas são muito sombrios. O próprio Ministério da Saúde alerta para a falta de equipamentos de proteção, o que dificultará o trabalho de médicos e enfermeiros, além de expô-los a risco de contrair a doença. A China hoje é o único país capaz de suprir essa demanda.

É realmente incrível, que num momento como essa, o ministro da Educação, crie mais dificuldades, sem refletir o custo, em vidas humanas, que esse tipo de coisa pode trazer ao país.

Hoje também temos a notícia de que a China poderá elevar suas compras de soja dos Estados Unidos, em detrimento do Brasil.  A notícia me parece um pouco sensacionalista e provocativa. A fonte original apresentada é o site Xinhua, mas na sua versão em chinês, então não deu para conferir.

De qualquer forma, é um fato que Brasil e EUA disputam o mercado chinês nos setores de soja, carnes, milho, petróleo, entre outros.

Se for de interesse político da China substituir a soja e a carne do Brasil pela soja e pela carne americanas, ela o fará.

A importância da China para a balança comercial brasileira não pode ser subestimada.

Nos últimos 12 meses, o Brasil exportou US$ 64 bilhões para a China.

Somando os últimos 24 meses, o Brasil exportou US$ 130 bilhões ao gigante asiático.

No câmbio de hoje, isso significaria R$ 679 bilhões.

A participação chinesa nas exportações brasileiras nunca foi tão alta. Nos últimos 12 meses até março, segundo o sistema Comexstat, banco de dados online do governo brasileiro, a participação da China ficou em 28,7%, recorde histórico.

Arrumar “treta” com a China neste momento deveria ser – mais um – motivo de impeachment do presidente Bolsonaro, visto que as autoridades brasileiras que estão comprando essa briga com o gigante asiático são justamente aquelas pertencentes ao “núcleo ideológico” do governo: Weintraub, Ernesto Araújo e Eduardo Bolsonaro.

Importante observar ainda que manifestações como a do ministro da Educação, mesmo que apagadas em seguida, ativas as redes sociais bolsonaristas, que ampliam seus ataques à China. E não apenas nas redes sociais. Logo após os primeiros ataques de Eduardo Bolsonaro à China, a embaixada do país no Brasil comunicou as autoridades que estava recebendo ameaças por telefone. E grupos bolsonaristas pagaram a instalação de cartazes ofensivos e racistas em Brasília, no caminho da embaixada da China.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

7 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Alexandre Neres

07 de abril de 2020 às 01h22

Não bastasse ser uma crítica pueril e rasteira vinda de um energúmeno para lamber bota da família buraco, será que esse obtuso tem noção do quanto é despropositada e inoportuna esse tipo de colocação num momento em que a China é vital para quem quiser transpor a pandemia atenuando seus efeitos na medida do possível? E tem gente que não gosta quando Lula e Celso Amorim, nossos maiores atores internacionais, colocam panos quentes pra tentar aliviar a nossa barra que tá pra lá de pesada. Brasil e China têm laços antigos que não podem ser desfeitos por um chapista baba-ovo e seus acólitos.

Responder

Paulo

06 de abril de 2020 às 19h50

E o pior é que o Bolsonabo parece não ter capacidade de conter esse núcleo ideológico…Não que Weintraub tenha dito inverdades, como o próprio 03 não tinha, mas não é o momento, simplesmente, de fazer ataques. Até por razões de Estado, estratégicas, não só pela situação social e econômica desastrosa em que nos encontramos, mas, principalmente, em termos geopolíticos, em que devemos reposicionar nossos interesses e eventual dependência em relação à China . Que a China está explorando a desgraça que ela mesma criou é fato, e com a cumplicidade do Governo chinês, pois essas empresas nada fazem sem autorização superior, por lá. Não é que estejam retaliando o Brasil, é que estão praticando um capitalismo predatório, tanto que a Alemanha e a França foram, também, vítimas de desvios de produtos contratados junto ao país asiático…

Responder

Família Buraco

06 de abril de 2020 às 16h19

E mais soja indo embora…. VAI BOZOOOO!!!

Responder

Hans River

06 de abril de 2020 às 13h30

É racismo demais viu, ninguém aguenta…kkkkkkk

Responder

Edgar

06 de abril de 2020 às 12h15

desgoverno com ministros desmiolados. Simples assim.
Por isso, fora bolsonaros. Chega de passar pano para fascitas.

Responder

Olindo

06 de abril de 2020 às 12h13

Impeachement de novo viralatinhas…? Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Parecem dislexicos retardados que nao conseguem falar mais que uma palavras ou duas por dia.

Responder

    Andressa

    06 de abril de 2020 às 19h55

    Por que sera que todo retardado miliciano escreve esse Kkkkkkkkkkkkkkkkk?

    Responder

Deixe uma resposta