Live do Cafezinho: balanço dos partidos de esquerda

CNT/MDA: aprovação pessoal de Bolsonaro sobe para 52%

Por Redação

26 de outubro de 2020 : 23h42

A Confederação Nacional do Transporte (CNT) divulgou hoje sua pesquisa número 147 sobre o governo federal e temas relevantes na opinião pública.

Separamos os gráficos que achamos mais importantes.

A aprovação do governo e do presidente Bolsonaro registraram alta expressiva.

Agora 52% dos entrevistados aprovam o desempenho pessoal do presidente, contra apenas 39% em maio.

A pesquisa traz ainda dados sobre a disposição dos entrevistados em relação à eleição municipal deste ano, entre outros temas.

64% dos entrevistados disseram que a principal qualidade do candidato é a honestidade.

Foi perguntado ainda se o apoio do ex-presidente Lula ou do presidente Bolsonaro atrapalhariam ou ajudariam na escolha do candidato. No caso de Bolsonaro, 23% disseram que seu apoio seria ruim para o candidato. Para Lula, 35,5% disseram que seu apoio atrapalharia.

´

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

10 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Sebastião

27 de outubro de 2020 às 15h57

Bolsonaro só descobriu a GALINHA DOS OVOS DE OURO. Prática que Lula soube usar a seu favor também. Nisso, ambos são populistas e tem eleitores cativos. Não difere dos fãs de Moro e de Ciro, onde estes tem seus fanáticos e defensores. Fale mal desses quatros, que haverá e aparecerá seus defensores, que justificam todo tipo de ações deles.

O período de maior desgaste de Bolsonaro seria a pandemia, mas houve efeito reverso. E ele sabe conduzir as crises usando de retórica, que acabam por convencer os eleitores dele e os eleitores voláteis – sem ideologia definida. Vacina? Obrigar a população a tomar vacina? É ditadura? Por que não tratar da doença com medicamentos, ao invés da vacina? A vacina tem um período de 4 anos… Isso, são retóricas usadas taticamente por ele.

Besta é quem subestima Bolsonaro. A eleição dele em 2018, que o diga. Onde todos desacreditavam.

Responder

Valeriana

27 de outubro de 2020 às 13h24

Bolsonaro entrou na pandemia junto ao Moro, saiu sem e com numeros melhores.

Nao pode acontecer nada pior que uma pandemia daqui até 2022, a reeleiçào é uma certeza.

A unica chance da esquerda ganhar nas proximas eleiçoes è contratar alguem melhorzinho que o Adelio.

Responder

Gilmar Tranquilão

27 de outubro de 2020 às 09h51

Tem 52% sim kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Responder

Ivan

27 de outubro de 2020 às 08h28

A avaliação do governo nesta pesquisa, que cabe algumas ressalvas, é de 41% puxado pelo auxílio.

Importante avaliar que antes do auxílio, que terminará em breve, a aprovação do governo era de 32%, que é o que o bolsonarismo tem.

No máximo.

Responder

    Efrem Ventura

    27 de outubro de 2020 às 10h15

    A perda de aprovaçào antés e depois do auxilio nao é automatica, uma pequena parte pode até perder (eu duvido pois nao depende sò do auxilio, pensar que é sò isso é ser muito superficial e bastante irrespeitoso com os brasileiros) mas a maioria fica….basta um minimo de vivencia para saber essas coisas basicas.

    Responder

    Alan C

    27 de outubro de 2020 às 11h24

    Todo mundo observa o que acontece nas ruas. Em 2018 estava muito clara a vitória do palhaço depois das providenciais ajudas do PT e da Farsa Jato/BozoMoro.

    Hoje é difícil achar algum bozo na rua, os que ainda existem estão como os lulopetistas estavam em 2018, com medo de assumir, andam na moita e ficam quietinhos.

    Responder

      Luan

      27 de outubro de 2020 às 12h23

      “çei”…kkkkkkkkkkkkkk

      Responder

      Tony

      27 de outubro de 2020 às 12h32

      E’ verdade basta observas a diferença entre as apariçoes de Bolsonaro na rua e as do Cirolipa, Lula ou qualquer outro pseudo-candidato.

      Responder

Arthur Fonzarelli

27 de outubro de 2020 às 07h40

Bolsonaro já está reeleito.

O “problema” é a eleição de Biden, que antes da pandemia era improvável mas agora parece quase certa.

O Trump perder para um velhinho ranzinze em fase avançada de senilidade é um fracasso.

A China sem dúvida alguma fez um trabalho impecável com o coronavirus…

Responder

Gilmar Tranquilão

27 de outubro de 2020 às 00h05

pesquisa de grupo que apoiou e apoia a bozolândia kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Responder

Deixe uma resposta