Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Datafolha: votos de Moro, Huck e Amoedo são distribuídos para os que ficaram

Por Miguel do Rosário

09 de julho de 2021 : 14h03

O Datafolha divulgado hoje, com as intenções de voto para as eleições presidenciais de 2022, mostra um cenário ainda muito polarizado entre Lula e Bolsonaro.

O petista passou de 41% para 46% de intenções dos votos totais, o que lhe daria, caso as eleições fossem hoje, 52% dos votos válidos, significando uma vitória no primeiro turno. 

Bolsonaro, por sua vez, avançou dois pontos, saindo de 23% para 25% dos votos totais, o que lhe daria hoje 28% dos votos válidos. É uma oscilação dentro da margem de erro, que é de dois pontos. 

Os votos dos candidatos que abandonaram o páreo, Moro, Huck e Amoedo (cujos votos somavam 13 pontos em maio), foram distribuídos quase equitativamente aos que permaneceram no pleito.  

Ainda em maio, Ciro, Mandetta e Doria tinham 12 pontos, somados. Hoje, os três totalizam 17 pontos, cinco pontos a mais.

Outros 7 pontos, contudo, foram distribuídos para Lula e Bolsonaro. 

Ciro Gomes hoje tem 8% dos votos totais, contra 6% na pesquisa anterior. Em votos válidos, ele teria hoje 9%. 

Doria e Mandetta experimentaram crescimento similar, de 2 pontos: o governador de São Paulo passou de 3 para 5, e o ex-ministro da Saúde, de 2 para 4. 

Olhando para os votos válidos, a polarização cresceu. Lula e Bolsonaro somavam 73% em maio. Hoje, os dois tem 80% dos votos válidos. 

A terceira via, por sua vez, representada por Ciro, Mandetta e Doria, somavam 12% de votos válidos em maio. Hoje, somam 20%.

A rejeição a Bolsonaro passou de 54% em maio para 59% agora, ao passo que a de Lula oscilou de 36% para 37%. 

A rejeição de Ciro Gomes cresceu de 24% para 31%, e a de Doria, de 30% para 37%.

Lula e Ciro Gomes ampliaram sua vantagem sobre Bolsonaro, no caso de um embate entre eles e Bolsonaro. 

Lula venceria Bolsonaro por 58% X 31%, enquanto Ciro teria uma vantagem de 50% X 34% sobre o atual presidente. 

 

 

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Sebastião

09 de julho de 2021 às 21h34

E Miguel, que tristeza os ataques dos cirominions contra você no Twitter. Até acusações de recebimentos de dinheiro e outros xingamentos estavam fazendo. Nada diferente de petistas fanáticos e de bolsominions.

Eu participava de grupos de entusiastas de Ciro, de pessoas que não gostam do PT, e que querem alternativa a Lula. Só que, nem Ciro se ajuda. O temperamento dele é igual a de Bolsonaro.

Falando nele, muitos diziam que ele era autêntico e sincero. Que falava na lata. Destemperado. E Ciro é chamado por alguns de Bolsonaro da esquerda.

Responder

Sebastião

09 de julho de 2021 às 21h27

Até quem não vota no PT, votará em Lula em 2022. Todos com a intenção de liquidar Bolsonaro da política brasileira. A esquerda com Lula, ganhará pela primeira vez em um turno só… Caso mantiver o desempenho das pesquisas.

Responder

Deixe um comentário