Fundador do Instituto Ideia vê chance de Lula vencer no 1° turno

Brasileiros premiados em Cannes denunciam o golpe no Brasil

Por Miguel do Rosário

17 de maio de 2016 : 12h11

Em Cannes, equipe de ‘Aquarius’ protesta contra impeachment no tapete vermelho

Na Folha

Segurando cartazes com os dizeres em inglês “Um golpe está acontecendo no Brasil”, “54 milhões de votos foram queimados”, “O Brasil não é mais uma democracia” e “Dilma, vamos resistir com você”, a equipe do filme “Aquarius”, que está em competição pela Palma de Ouro no Festival de Cannes e inclui um elenco com nomes como Sonia Braga, Humberto Carrão e Maeve Jinkings, protestou da sessão de gala que exibe o longa nesta terça (17).

Já dentro da sala de exibição, a equipe do longa dirigido por Kleber Mendonça Filho também segurou um grande cartaz com os dizeres “Parem o golpe no Brasil”.

(…)

IMG_1995 IMG_1996 IMG_1997

 

Assista, abaixo, a vídeo publicado pela página oficial do Festival de Cannes no Facebook:

 

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

leandro Andrade

17 de maio de 2016 às 15h49

O the guardian repercutiu este protesto:
http://www.theguardian.com/film/2016/may/17/brazil-is-not-a-democracy-aquarius-premiere-cannes-red-carpet-protest#comment-74435172
na página de comentários desta matéria há uma batalha em curso onde algumas pessoas ainda tentam esconder o golpe. pelo jeito além de golpear, tem que ser escondido, não pode ficar claro externamente.
Vamos comentar para fazer o contraponto e continuar denunciando este golpe!

Responder

Leo Almeida

17 de maio de 2016 às 14h09

UOL e globo deram uma pequena notinha para o protesto. Record e seu portal R7 nao deram nada. Portal R7 da Record parece o site do psdb em sua parte politica. O fundamentalismo evangelico é um fiel apoiador dos golpistas. Midia oligopolista é a maior apoiadora do golpe paraguaio no Brasil. O momento de detonar com o golpe é AGORA! Já! Depois será tarde demais! É preciso mobilizar os movimentos sociais, estudantis e sindicais para derrotar o golpe antes da votação no senado. FORA GOLPISTAS!!!!

Responder

Guilherme Scalzilli

17 de maio de 2016 às 15h05

..A luta possível

Publicado no Brasil 247

A fase decisiva de prevenção ao golpe começa agora. O Senado aprovou a abertura do processo por 55 votos, apenas um a mais do que o necessário à condenação final. Vários senadores favoráveis ao julgamento afirmam que não se decidiram a respeito. Basta que dois deles recuem e o impeachment acaba.

As manifestações públicas da esquerda nunca foram tão necessárias. Bem organizadas, pacíficas e numerosas, podem refrear a narrativa triunfante do golpismo e evidenciar a impopularidade de Michel Temer.

Outro meio de atuação ficará a cargo da militância digital. Por exemplo, pressionando os senadores, divulgando o caráter golpista do impeachment, rebatendo o discurso apocalíptico da crise econômica ou denunciando as pizzas judiciais que estão no forno.

Embora não cultive grandes expectativas de vitória, antevejo bons frutos no Senado. Ali o impeachment será exibido em sua nudez ilegítima, trazendo à memória a péssima impressão deixada pela Câmara. E haverá o desgaste já perceptível do governo interino.

Ricardo Lewandovski, presidente das sessões, cumprirá papel importante em manter o foco na legalidade do processo. A crescente escandalização internacional reforçará esse aspecto no imaginário “republicano” dos senadores. Boa parte deles, aliás, tem admitido a falta de base estritamente jurídica para a deposição.

Resta, portanto, uma etapa crucial da disputa, quiçá a mais equilibrada de todas. A ausência de Eduardo Cunha e a agenda antipopular de Temer anunciam um ambiente de divisão e desgaste que o Congresso não vivia nas fases anteriores.

A mídia corporativa se esforça para encerrar a questão, tentando convencer o público de que Dilma não teria condições de retornar. Mentira, típica propaganda golpista, que apenas demonstra o receio de enfrentar a resistência democrática.

O derrotismo antecipado da esquerda é a última barreira que o impeachment precisa transpor para sua concretização.

http://guilhermescalzilli.blogspot.com.br/2016/05/a-luta-possivel.html

Responder

Eisenheim

17 de maio de 2016 às 12h57

Imaginem nas Olimpíadas.

Mas até lá o ‘elefante branco’ cai da árvore. Nunca chegaria lá por méritos próprios. Mas que vai cair, podem ter certeza que vai.

Responder

Deixe um comentário

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina