Análise da reunião ministerial de Bolsonaro

Após censura, jornalista revela ao Congresso denúncias que foi impedido de fazer contra Aécio Neves

Por Redação

24 de novembro de 2016 : 13h36

Censurado e preso, jornalista Marco Aurélio Carone não pode denunciar Aécio Neves por financiamento de campanha via caixa dois, envolvimento de Andreia Neves, esquema na mineração e exportação de nióbio e uso político da estatal Cemig, a Companhia Energética de Minas Gerais. No Congresso, ele soltou o verbo.

No Viomundo

Absolvido, jornalista que ficou 9 meses preso em Minas conta no Congresso as denúncias que foi impedido de fazer contra Aécio; veja os vídeos

O jornalista Marco Aurélio Carone ficou preso 9 meses e 20 dias em 2014, em Minas Gerais.

Ele é filho de um ex-prefeito de Belo Horizonte que foi aliado de Tancredo Neves.

No Diário de Minas e no Novojornal, este na internet, passou a fazer denúncias contra o grupo político do hoje senador e presidente do PSDB, Aécio Neves.

O jornalista se diz vítima de policiais, procuradores, juizes e desembargadores de Minas, que estariam a serviço de Aécio.

Carone foi solto 5 dias depois da eleição presidencial em que Aécio foi derrotado por Dilma Rousseff.

Foi absolvido no processo que o levou à prisão.

Mas, enquanto esteve na cadeia, não pode fazer as denúncias que pretendia fazer contra o tucano.

Hoje, na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, Carone contou quais eram: financiamento de campanha via caixa dois, envolvimento de Andreia Neves, esquema na mineração e exportação de nióbio e uso político da estatal Cemig, a Companhia Energética de Minas Gerais, dentre outros.

Também depôs Geraldo Elísio, o jornalista que trabalhava com Carone e sofreu busca e apreensão da polícia civil de Minas Gerais — segundo ele, o objetivo era descobrir as fontes das denúncias.

Num dos trechos de seu depoimento, Elísio disse que o helicóptero apreendido com 450 kg de pasta base em Minas fez pelo menos três pousos em Divinópolis, no interior do Estado, sugerindo assim que o aparelho — de propriedade da Limeira Agropecuária, do senador Zezé Perrella, aliado de Aécio Neves — fazia o vôo regularmente.

Reproduzimos acima as falas de Carone e Elísio.

Abaixo, a audiência na íntegra:

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

9 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Edvando

31 de janeiro de 2017 às 23h01

O jornalista revelou o que toda Minas Gerais sabe sobre esse cidadão e senador.
Não foi por acaso, que perdeu a eleição em Minas, duas vezes. Uma como candidato a presidente, e ao apoiar (Graças à Deus), o deputado João Leite

Responder

Alessandro Zir

21 de janeiro de 2017 às 14h03

Nao entendo como algo assim pode deixar de ser averiguado em detalhes pela midia mais “oficial”. Eh obrigacao deles, no minimo, rebater as alegacoes se forem falsas. Uma serie de outros veiculos extra-oficiais (o que no Brasil inclui alem do The Intercept, empresas como BBC, DW, El Pais) podiam/deviam ser senbilizados. Nao vejo como o pais pode seguir com afirmacoes dessa magnitude pairando no ar sem explicacao, e muito menos como possa ser caracterizado de “democratico”, a nao ser num sentido muito irrisorio. Que legitimidade tem uma sociedade como a brasileira pra taxar de “vandalo” quem quebra fachada de banco em manifestacao? Que legitimidade tem uma sociedade como a brasileira pra enfrentar uma faccao como o PCC?

Responder

Ítalo Campelo

19 de dezembro de 2016 às 16h11

Finalmente o Congresso Nacional e a mídia descobriram o esquema de Aécio Neves e do PSDB, que não se restringe apenas ao Estado de Minas Gerais.

Responder

C.Poivre

24 de novembro de 2016 às 23h17

Acompanhava diariamente o NovoJornal antes dele ser empastelado pelos Neves. O que irritava o playboy e sua irmã é que abaixo da denúncia Carone apresentava os links para quem quisesse comprová-las. Por isso Aécim de Furnas passou a tentar obter as fontes das denúncias que, pelo depoimento de Carone, eram jornalistas da mídia dominante de Belo Horizonte, a mesma que blindava as bandidagens da quadrilha empoleirada no governo de MG.

http://jornalggn.com.br/blog/luisnassif/os-nomes-e-valores-da-lista-de-furnas

Responder

marcelo jose

24 de novembro de 2016 às 21h35

Sou um menino aos 50 anos, que assiste aos donos do poder discursarem, com suas falas bonitas e até convincentes, ludibriando-nos, enganando-nos e assim vão se perpetuando de geração em geração. Fosse vivo hoje Maquiavel, diria que o que viu e registrou na sua época foi apenas um ensaio para os poderosos de hoje.

Responder

EDVALDO NEGROMONTE FERREIRA

24 de novembro de 2016 às 17h25

E NAS DENUNCIA DELE EXISTE O QUE O PT ,INFELIZMENTE SEMPRE FEZ , NÃO FAZER O SEU DEVER COMO PARTIDO DE ESQUERDA,AÍ LEVA UM GOLPE ,FICA QUERENDO QUE O POVO VÁ ÀS RUAS ,

Responder

vera vassouras

24 de novembro de 2016 às 15h40

Um dia a verdade sobre São Paulo surgirá. Minas é apenas uma das redes de facções. A sede está em São Paulo. E, repito, não fosse o sistema judicial a origem dessa barbárie, muitas vidas seriam poupadas. É uma vergonha, uma lástima, um horror. Os carrascos poderiam dizer não, em nome da lei, da Nação, da moral ou, simplesmente da razão, todavia, foram contaminados pelo dinheiro que lhes dá o poder de vida e de morte sobre os brasileiros. Um dia, criaremos uma nova constituição, na qual juízes serão denominados pacificadores e, sem privilégios, responderão material e criminalmente por seus delitos e dividirão as masmorras que criaram para seu deleite paranóico com suas vítimas seculares. E são esse psicopatas aqueles que, por meio de um congresso refém da impunidade, decidem quem se elege, enquanto suas patas massacram as cabeças dos miseráveis, crias de sua ambição. Repito a pergunta que fiz ao deputado Ivan Valente: desafio alguém a indicar na Constituição, o artigo que dá competência ao sistema judicial de comandar eleições. Mas a cegueira é confortável, até que as botas derrubem suas portas, pois as casas e bairros dos pobres, não tem sequer portas a serem derrubadas, são apenas corpos.

Responder

Rita Candeu

24 de novembro de 2016 às 14h29

é de passar mal
mesmo já sabendo da prisão de Carone pela máfia dos Neves, ver esses vídeos é de causar revolta em qualquer um que tenha senso de justiça

Responder

    Antonia Alcineide Fernandes Fa

    24 de novembro de 2016 às 15h34

    Ainda tem gente que quer esse homem como Presidente.DEUS NOS LIVRE.

    Responder

Deixe uma resposta