Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Ernesto Samper. Crédito: Claudio Kbene

Ex-presidente da Colômbia defende decisão da ONU pró-Lula

Por Miguel do Rosário

23 de agosto de 2018 : 19h33

A pressão internacional contra Lula deu um salto após a determinação do Comitê de Direitos Humanos da ONU de exigir que o Estado brasileiro restitua os direitos políticos do ex-presidente.

O lawfare contra Lula assustou a elite mundial, preocupada que esse tipo de processo se espalhe, qual metástase, pelas democracias do mundo, trazendo caos econômico, insegurança jurídica e crises políticas, ingredientes perigosíssimos por criarem o ambiente propício para guerras.

***

No site do Lula

“Peço que a ONU envie uma comissão para verificar o cumprimento da liminar concedida a Lula”, diz ex-presidente da Colômbia após visita

23 de agosto de 2018

Nesta quinta-feira (23/08), o ex-presidente colombiano Ernesto Samper visitou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na sede da Polícia Federal. Em coletiva após a visita, o líder latino-americano denunciou a prisão política de Lula e lembrou a determinação do Conselho de Direitos Humanos da ONU, que exige que o Estado brasileiro garanta a Lula o direito de ser candidato.

O ex-secretário-geral da Unasul (União das Nações Sul-americanas) leu uma declaração em que afirma que a comunidade internacional está com Lula. “Lula não está só. Não nos esquecemos de sua luta contra a fome. A ONU já se pronunciou por sua candidatura”, disse Samper. Sobre a determinação das Nações Unidas, o ex-presidente colombiano reafirmou que Lula está sendo perseguido judicialmente. “Peço que a ONU envie uma comissão para verificar o cumprimento da liminar concedida a Lula. Ele está sendo perseguido judicialmente. É um preso político e deve ser liberado para voltar a lutar pela democracia e pela inclusão social”.

Samper ainda alertou: “se impedirem Lula de ser candidato, se criará uma situação de dano irreparável”. Confira abaixo a íntegra da declaração do ex-presidente.

Declaración del Ex-presidente de Colombia ERNESTO SAMPER PIZANO después de su visita al Ex-presidente Lula da Silva.

He venido a visitar al expresidente Lula en su sitio de reclusión en Curitiba como un acto de solidaridad personal y política. Lo he encontrado, como siempre, sereno, entusiasta y positivo. Cargado de ideas y proyectos de futuro. Él no está solo. La comunidad internacional lo acompaña como el arquitecto de la política que convirtió a Brasil en actor mundial, lo recuerda con afecto en Suramérica donde se pusieron en marcha sus programas de lucha contra el hambre y la pobreza que sacaron más de 200 millones de suramericanos de la pobreza. Esa misma comunidad se ha pronunciado esta semana, a través del Comité de Derechos Humanos de Naciones Unidas, para reclamar que se respete su derecho a tener un juicio justo y ser votado en las próximas elecciones presidenciales-. Le pido al Estado brasileño que, respetuoso como ha sido durante los años de gobierno en democracia, de los compromisos internacionales que forman parte del orden constitucional mundial, le ofrezca al expresidente todas las garantías a que tiene derecho para competir, en igualdad de condiciones con sus rivales, en las próximas elecciones presidenciales. Así mismo, considero de gran importancia que la Comisión envíe veedores que verifiquen el cumplimiento de su mandato y revise la idoneidad del juicio que se le sigue a Lula. En especial, la aplicación de reglas universales del debido proceso como la presunción de inocencia, el derecho a la intimidad de la defensa y la libre controversia de las pruebas. Quienes han sometido al expresidente Lula a un implacable, casi inhumano, acoso judicial y mediático, deben quedar advertidos de que, con su comportamiento, están avalando la cada día mayor convicción internacional de que Lula es un preso político y que, como tal, debe ser liberado para que pueda seguir trabajando por el Brasil democrático, incluyente y reconciliado que sigue soñando desde la cárcel.

Curitiba. Agosto 23 del 2018.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

21 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Justcieiro

24 de agosto de 2018 às 09h20

Sampler já falou, agora quero ouvir a opinião de Álvaro Uribe, outro ex-presidente da Colômbia.

Responder

    ari

    24 de agosto de 2018 às 11h37

    Uribe é um Temer ou Al Krimin da Coômbia e provavelmente elogiaria o Moro

    Responder

      Justiceiro

      24 de agosto de 2018 às 12h21

      Obrigado, Ari. Seu comentário só mostra o que a gente já sabe há muito tempo: Democracia pra vocês é eu estou certo, vocês errado.

      Por isso vocês reclamam tanto da nossa presença aqui. Não suportam o contraditório simplesmente porque não sabem contraditar.

      Responder

        Ari

        24 de agosto de 2018 às 12h45

        Vc está certíssimo: na A. Latina é impossível democracia com a direita que temos. Ou melhor, no mundo inteiro (democracia: governo DO, PARA e PELO povo). No Brasil, com o golpe, destruíram o país, nada mais do que isto.

        Responder

Justiceiro

24 de agosto de 2018 às 09h19

Sampler já falou sua besteira, agora

Responder

Luis Castro

23 de agosto de 2018 às 21h36

Antes a luta era totalmente desigual em favor dos golpistas agora, depois da decisão da ONU, a coisa muda de figura e a esperança renasce. O Governo, Judiciario e grande midia em saia justa. Cumpre ou não cumpre eis a questão. Agora a pressão não é só interna mais internacional e promete grandes embates.

Responder

    Brasileiro da Silva

    23 de agosto de 2018 às 21h41

    Mudou. De investigado, o corrupto condenado passou a ser tratado como presidiário. Foi uma grande evolução.

    Responder

Renato

23 de agosto de 2018 às 21h20

Poxa, mas só ex dá apoio a Lula. Nada de Putin, Trump, Angela Merkel, Theresa May, Emmanuel Macron prestar apoio a Lula ? É , os dirigentes do primeiro nem sabem da existência de Lula !

Responder

    Brasileiro da Silva

    23 de agosto de 2018 às 21h27

    E veja que coincidência:
    – José Sócrates, ex-primeiro-ministro de Portugal, está sendo denunciado por 31 crimes;
    – Samper, acusado de receber dinheiro do Carter de Cali para se eleger.

    Por que será que eles apoiam o corrupto?

    Responder

      Brasileiro da Silva

      23 de agosto de 2018 às 21h29

      *Cartel

      Responder

    ari

    24 de agosto de 2018 às 11h36

    Um pouquinho de inteligência não faz mal a ninguém
    Chefes de estado não podem dizer que “esta é minha opinião pessoal”. Falam sempre em nome de seus países e, como tal, seus pronunciamentos podem ser interpretados como desrespeito a autonomia dos povos. O próprio papa, ao apoiar o Lula, na primeira vez, mandou um representante que usou uma linguagem simbólica (um terço) e através do ex-Ministro Amorim, um pedido de orações

    Responder

Stalingrado Lula da Silva

23 de agosto de 2018 às 21h13

O Papa defende Lula.
Vários intelectuais e chefes de Estado mundo à fora defendem Lula.
O povo brasileiro defende Lula.
Somos todos Lulas.
Lula Magno Presidente!
#HaddadNoGovernoLulaNoPoder

Responder

    Brasileiro da Silva

    23 de agosto de 2018 às 21h19

    Pode nos mostrar uma declaração do Papa defendendo o Corrupto Condenado?

    Responder

      ari

      24 de agosto de 2018 às 11h40

      Como diria Pulitzer, a única profissão que não precisa de estudos é a de idiota
      O Papa é um chefe de estado e como tal ele não pode e não deve se imiscuir em assuntos internso de um país em respeito à autonomia dos povos. Mas, ao mandar um terço para Lula e posteriormente, através do chanceler Amorim, um cartão pedindo orações ele está literalmente gritando Lula Livre

      Responder

    Renato

    23 de agosto de 2018 às 21h22

    Dê aí o nome de chefes de estado do primeiro mundo que deram apoio a Lula . Só meia dúzia !

    Responder

      Brasileiro da Silva

      23 de agosto de 2018 às 21h30

      Talvez Maduro???

      Responder

        Alexandre Neres

        24 de agosto de 2018 às 00h54

        Dá dó ver o comentário desses trolls. Não entendem bulhufas de diplomacia. O Papa Francisco na condição de Chefe de Estado ultrapassou todos os limites. Saiu da reunião com Celso Amorim pedindo para que Lula rezasse por ele. Os idiotas da objetividade não sabem ler nas entrelinhas, não captam sinais, só falam asneiras. Um deve estar vestido com o manto da CBF. O outro asno quer alguém do primeiro mundo para validar o apoio, aí quem sabe se despe do complexo de vira-lata. Isso é que dá ficar assistindo Globonews.

        Responder

          ari

          24 de agosto de 2018 às 11h43

          Inadvertidamente fiz um comentário parecido com o seu. Como disse alguém, o problema com os idiotas é que eles são muitos. Mas brevemente saberemos, com razoável segurança, seu número exato a partir dos votos no inominável

          Renato

          24 de agosto de 2018 às 13h44

          Já os idiotas da subjetividade, os militontos, não sabem nem ler as linhas e ficam inventando mensagens cifradas nas entrelinhas. São patéticos !

Brasileiro da Silva

23 de agosto de 2018 às 20h51

Esse é aquele que foi investigado por se eleger com dinheiro do Cartel de Cali (drogas)? Por que sera que eu não me espanto dele defender o corrupto condenado?

Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?