Entrevista de Haddad ao SBT

A resposta de Dilma às delações de Palocci

Por Miguel do Rosário

02 de outubro de 2018 : 08h18

No site da Dilma

As velhas mentiras de Palocci e o novo factoide eleitoral

Dilma rechaça vazamento da “delação implorada” e diz que só ex-ministro pode dizer onde estão R$ 1 bilhão

01/10/2018 6:43

Sobre a notícia do vazamento da delação do senhor Antonio Palocci, a assessoria de imprensa de Dilma Rousseff rebate:

1. Embora tenham sido feitas há quase sete meses, e rejeitadas pelo Ministério Público Federal da Operação Lava a Jato, as delações sem provas do senhor Antônio Palocci foram surpreendentemente acolhidas pelo juiz federal da 13ª Vara de Curitiba, nesta segunda, e amplamente divulgadas pela mídia, há exatos seis dias da eleição presidencial.

2. Dadas em abril deste ano, as declarações do senhor Palocci tentam incriminar Lula, Dilma e outros dirigentes do PT, para obter o prêmio da liberdade, da redução da pena e da posse de recursos os quais é acusado de ter acumulado ilegalmente.

3. O desembargador João Pedro Gebran Neto, do TRF-4, já havia sentenciado, em 21 de junho deste ano, que “não cabe neste momento inicial o exame detido do conteúdo das declarações prestadas” por Palocci. “Tampouco o momento da homologação é adequado para aferir a idoneidade dos depoimentos dos colaboradores”.

4. Com isso, o desembargador suspendeu a tramitação do termo de colaboração por três meses, para que Palocci apresentasse “à autoridade policial elementos probatórios minimos de suas alegações”. O que ele não fez.

5. É estarrecedor, portanto, que uma delação não aceita pelo Ministério Público, e suspensa por um juiz de segunda instância, seja acolhida e tenha tido seu sigilo quebrado por um juiz de primeira instância. Sobretudo, neste momento em que o povo brasileiro se prepara para eleger o presidente da República, governadores, senadores, deputados federais e deputados estaduais.

6. Em sua terceira tentativa de delação “implorada”, o senhor Palocci inventa que as duas campanhas de Dilma à Presidência teriam arrecadado R$ 1,4 bilhão. Trata-se de um valor absolutamente falso. Apenas a hipótese de recursos tão vultosos não terem sido detectados evidencia o desespero de quem quer salvar a própria pele.

7. Tal afirmação, pela leviandade e oportunismo delirantes, só permite uma conclusão: que o senhor Palocci saiba onde se encontra R$ 1 bilhão, já que o valor declarado e aprovado pelo TSE, é cerca de um terço disso.

8. O que fica evidente é que a negociação feita por essa delação implica que o senhor Palocci, depois de pagar R$ 37,5 milhões, poderá “requerer ou representar ao juiz pela concessão de perdão judicial”, tenha reduzida “em até 2/3 (dois terços) da pena privativa de liberdade e/ou sua substituição por restritiva de direitos” ou, ainda, “a suspensão do processo e do prazo prescricional”.

ASSESSORIA DE IMPRENSA
DILMA ROUSSEFF

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

28 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Serg1o Se7e

04 de outubro de 2018 às 11h37

Os olhos vermelhos vêem apenas o que querem.
Foram eles que pediram….

“O tempo da Justiça e o tempo da política não podem ser confundidos”
Brasil 04.10.18 09:57
  
Depois de explicar à Folha de S. Paulo por que a Folha de S. Paulo não pode entrevistar Lula, Deltan Dallagnol explicou também por que Sergio Moro divulgou a primeira parte dos depoimentos de Antonio Palocci:
“Essa decisão está sendo mal compreendida, talvez por falta de informações e de contexto. O acordo de colaboração premiada de Palocci envolve, pelo menos, dez termos de depoimento. O que foi juntado à ação penal foi apenas um deles – o que já desnatura qualquer leitura de intenção deliberada de revelar todos os fatos trazidos pelo colaborador. E existia uma razão para que isso acontecesse agora.
Depois de realizado o acordo, o colaborador teve um prazo para apresentar provas de corroboração, que venceu no final de setembro. Só depois disso é que caberia ao juiz analisar potenciais benefícios em favor dele, em razão de sua contribuição para a Justiça. E mais: numa ação penal, os acusados têm direito de saber que existe uma colaboração e o que foi dito pelo colaborador, já que isso pode influenciar a decisão do juiz.
[Levantar o sigilo] é uma condição necessária para o exercício da defesa. Essa ação penal está na fase de alegações finais. É essa a oportunidade que a defesa tem para se manifestar sobre esse termo de colaboração. Não existia outro momento para que esse termo fosse juntado aos autos. O tempo da Justiça e o tempo da política não podem ser confundidos. O fato de que um determinado evento ou prova judicial tem implicações políticas não deve influenciar a atuação da Justiça.”

Responder

Reginaldo Gomes

02 de outubro de 2018 às 17h00

Na Mesopotâmia, em aproximadamente 1772 antes de Cristo, o rei Hamurabi tinha a percepção exata da indecência do cagüeta e fez a seguinte lei:
“Se alguém cagüetar um homem e o acusado mergulhar em um rio e afundar, quem cagüetou ele pode tomar posse de sua casa. Mas se o rio provar que o acusado é inocente e ele escapar ileso, então quem cagüetou será executado, e o acusado tomará sua casa”.
A maior praga da nação brasileira é essa praga de lei de cagüetagem premiada. É a lei do satanás.

Responder

    ari

    02 de outubro de 2018 às 17h11

    Hamurabi, para nós, seria um horror. Mas, na sua época, assim como a lei do Talião, foi um avanço tremendo porque colocava limites. Hoje o judiciário não tem qualquer limite já que a Constituição foi jogada no lixo

    Responder

    Paulo

    02 de outubro de 2018 às 18h45

    Ao contrário, Reginaldo. A delação premiada (embora ainda precise ser aperfeiçoada) foi o mecanismo que permitiu colocar na cadeia um ex-presidente da República e um ex-presidente da Câmara dos Deputados, dentre outros “amigos do Erário”. Antes dessa lei, você já tinha visto algo semelhante, no Brasil?

    Responder

      Almir Bispo

      02 de outubro de 2018 às 20h04

      Na lava a jato nada se salva.A lei da delação premiada é algo bizarro.Não deve ser aperfeiçoada.Deve ser revogada.Isso mostra que o crime compensa.
      Um ex presidente condenado (sem crime),enquanto o mesmo juiz protege bandidos de um outro partido (com provas dos crimes).
      Posso falar a verdade?Se continua assim ,onde o judiciário usa este artificio para fazer perseguião,logo ,logo a luta armada vai compensar

      Responder

        Paulo

        02 de outubro de 2018 às 21h11

        Não diga isso, Almir! Luta armada nunca mais. Como ouvi de Francisco Weffort em sala de aula: “isso foi um erro!” Dilma e outros são testemunhas vivas disso. Brasil não é Cuba, e jamais será! Vamos poupar nossos jovens!

        Responder

          Elena

          03 de outubro de 2018 às 07h46

          Mas o Brasil pode vir a ser a Argentina amanhã! Vide o que está acontecendo por lá por causa do neoliberalismo do sr. Macri. E o ano que vem teremos eleições na Argentina e a Lava Jato de lá já está tentando prender a Cristina Kirchner, tal como fizeram com o Lula aqui. É, “Sejumoro” está fazendo “escola”!

          Responder

Aliança Nacional Libertadora

02 de outubro de 2018 às 16h03

Quero ver os Bolsominions continuarem a comentar aqui…hoje são ciristas anti-petistas…depois a máscara cai……

Responder

Anderson

02 de outubro de 2018 às 15h54

Pergunta fruto de uma dúvida séria:

– Por que não podem e por que não processam o juiz? Que claramente compromete a imagem dos envolvidos, com acusações graves. A delação estava em segredo de justiça, não ha provas sobre as declarações contidas ali, devem haver procedimentos juricos que foram desrrespeitados para o conteúdo ser liberado, os danos aos acusados são irreparáveis, e por tanto, o unico responsável pelos danos causado é o juiz. Então, qual é a dificuldade de processa-lo ou puni-lo, já que claramente descumpre a lei e prejudica pessoas que não tem a chance de se defender!?

Alguem poderia me ajudar, não consigo entender!

Responder

    Almir Bispo

    02 de outubro de 2018 às 20h08

    Processar o juiz? (Risos e mais risos).
    Imagine a seguinte situação.
    O partido PT é um time de futebol jogando contra o Partido que esta no poder (PSDB e demais).Agora imagine que o árbitro da partida torce para o time do PSDB.Mas não é so isso,todos os arbitros torcem para o mesmo time (O problema que está acontrecendo é um problema de conflito de classes)

    Responder

juca

02 de outubro de 2018 às 15h40

os golpistas estão souto pois a mala de dinheiro em circulação e ninguem mais fala nisso que PF gravou um dia a casa cai.

Responder

juca

02 de outubro de 2018 às 15h28

Todos deixem suas barba de molho

Responder

Justiceiro

02 de outubro de 2018 às 15h01

Que coisa. O casal de marqueteiro, que tratava diretamente com Dilma delatou o esquema de corrupção, mas Dilma diz que eles mentiram. Palocci, que era coordenador de campanha de Dilma, delata a roubalheira, mas ela diz que é mentira.

As delações não foram de um qualquer, foram de gente que esteve na linha de frente das campanhas eleitorais.

O povo mineiro tem até domingo pra repensar se dá uma mandato pra quem foi eleita com dinheiro da corrupção.

Responder

    Almir Bispo

    02 de outubro de 2018 às 20h13

    Nada que venha dessa lava a jato merece credito.A lava a jato não conseguira manipular as eleições,pois ja está bem claro para que serve essa farsa.A mulher do Cunha gastou 2 milhoes na Suiça e o juiz (qual tenho nojo até de citar o nome) nem sequer prendeu a mulher.

    Responder

      Elena

      03 de outubro de 2018 às 07h49

      Parece que a dita cuja foi condenada pelo TRF-4, mas a manceba só prestará serviços alternativos e não irá para a prisão. Proteção descarada dessa nossa justiciazinha!

      Responder

Alan Cepile

02 de outubro de 2018 às 12h26

Que há uma perseguição do golpismo contra o PT isso é mais óbvio

Responder

    Alan Cepile

    02 de outubro de 2018 às 12h29

    Continuando, mas que o PT fazia caixa com os esquemos na BR para provavelmente bancar as campanhas isso é notório, afinal, pra onde foi o dinheiro?? Se estivesse em paraíso fiscal a máquina golpista já teria ido atrás, ou alguém acha que não houve corrupção na BR?? Houve sim e desde sempre!

    Responder

      hocuspocus

      02 de outubro de 2018 às 13h24

      Indicios ,domínio do fato,vc comete os mesmos erros dos “julgadores”.Cadê as provas ???como acusar alguém sem elas? que dirá condenar.
      Cadê o dinheiro? assunto surrado que o CRIMINOSO SERGIO MORO, ilegal e imoral funcionário público volta e meia coloca na roda de acordo com os interesses da QUADRILHA a que pertence.
      Chegará a hora da justiça,mais cedo,mais tarde,este será uns dos criminosos a encabeçar a filado julgamento

      Responder

      ari

      02 de outubro de 2018 às 17h13

      “…acredito que os petistas fizeram, sim, tudo o que Palocci delata…”
      Acredita com base em que, cidadão?

      Responder

    Marcos Pinto Basto

    03 de outubro de 2018 às 00h35

    Perseguição ao PT? Pior que isso! Estão derrubando os frágeis preceitos democráticos que tínhamos alcançado. O golpe que afastou Dilma foi uma farsa criminosa e a prisão de Lula foi uma bofetada no rosto do Povo que continua sem reagir.

    Responder

Elena

02 de outubro de 2018 às 11h37

Esse Palocci aproveitou bem o tempo em que era tão bem cotado nos governos PT. Por trás fazia suas lambanças e agora acusa aqueles que nem sabiam de sua vida dupla. Enganou todo mundo e, pelo visto, continua enganando. Quero mais é que esse Palocci se lasque!

Responder

    degas

    02 de outubro de 2018 às 12h42

    O chefe supremo da gang dele já se lascou. Está preso em Curitiba. Mas ainda falta a Dilma e muitos outros.

    Responder

      Haddad 13

      02 de outubro de 2018 às 13h18

      Quem sabe você ou alguém da sua família também fique preso em Curitiba

      Responder

ari

02 de outubro de 2018 às 10h42

Obviamente a mídia não repercutirá a resposta da Presidenta. A imensa maioria das pessoas talvez não saiba o quanto é difícil os dias de hoje você “sumir” com quantias vultosas, bem inferiores ao bilhão mas, como estamos no tempo do vale tudo contra o PT, um cidadão como o Moro interfere brutalmente nas eleições e tudo fica por isto mesmo. Se existe um Deus, que ele nos ajude, já que não temos mais a quem apela, já que o STF aparentemente acabou

Responder

Paulo

02 de outubro de 2018 às 09h44

Olha, não gostaria de dizer isso, porque não sou petista e acredito que os petistas fizeram, sim, tudo o que Palocci delata, e até mais, mas que é uma sacanagem o Moro publicar isso agora, é sim! Aí, acaba dando razão aos que o acusam de motivação pessoal, na condenação do “Il Cappo di Tutti Capi”…

Responder

    hocuspocus

    02 de outubro de 2018 às 13h29

    Sem dúvidas vc É UM ALIENADO.Se pasado todo este tempo ,vc ainda continua a condenar um cidadão sem provas assim como o faz a QUADRILHA DE CURITIBA , então,meu caro,dá pra dizer que além de alienado vc é um imoral.

    Responder

    Almir

    02 de outubro de 2018 às 20h23

    Acreditar em algo,não a torna realidade.O que está claro (como a água) é que este juiz (que tenho nojo até de citar o nome) será julgado.E neste dia,ele poderá ter arrependimento de ter nascido,pois o espírito da historia é implacável.

    Responder

      Paulo

      02 de outubro de 2018 às 21h17

      Almir, Moro, independentemente dos atropelos que tem cometido – e, acho, sim, que deveria ser punido por esses excessos -, passará para a história como o 1º juiz com coragem de condenar um ex-presidente da República e da Câmara dos Deputados…um dia, já passados 30 anos, ouvi de um juiz, em sala de aula: “O Poder Judiciário não tem culpa, mas é ainda assim o maior culpado pela impunidade no Brasil”…

      Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com