Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Uma crítica ao PDT (e a todo o campo progressista)

Por Miguel do Rosário

30 de janeiro de 2020 : 12h36

Nos últimos tempos, andei fazendo muitas críticas ao PT, por razões óbvias: é o partido que governou o país. Também já fiz muitas críticas ao PSOL, diretas, ou indiretas (quando menciono o que considero excessos e erros da política identitária, ou o purismo ideológico, por exemplo). Recentemente, fiz algumas críticas ao PCdoB, por considerar que era hora da legenda demonstrar um pouco mais de brio e independência.

Queria agora fazer uma crítica – construtiva, naturalmente – ao PDT. Mas ela pode ser igualmente destinada a qualquer outra organização partidária, de esquerda ou não. 

Também tenho muitas críticas a Ciro Gomes, e à maneira incrivelmente desastrada com que ele e seu partido lidaram com a reforma da previdência, mas isso fica para outra ocasião.

Tenho visto militantes da velha guarda do PDT muito preocupados com a pureza da doutrina trabalhista, a qual estaria sendo “ameaçada” pela entrada de novos membros.

No entanto, onde está a preocupação do partido e dos trabalhistas com o que vem fazendo os 328 prefeitos do partido?

É o segundo partido de esquerda com mais prefeituras no país, depois do PSB, que tem 404 prefeituras; à frente inclusive do PT, que tem 256 prefeituras.

Se o partido tem um projeto nacional de desenvolvimento, que é o norte principal da atual doutrina trabalhista, por que estas prefeituras não são mapeadas, contatadas, pressionadas, para que a população brasileira possa saber se há algum vestígio desse projeto sendo tocado em alguma delas?

Suponho que se poderá encontrar alguns bons exemplos. Em outros casos, nem tanto. Um trabalho para dar transparência ao que fazem prefeitos, no entanto, seria fundamental.

A ideia vale, naturalmente, para todos os partidos.

Mas não se vê nada! Vejo alguns trabalhistas mais preocupados com a possível “influência” de jovens militantes dispostos a entrar na legenda, classificando-os com estereótipos ofensivos, como “cirominions”, do que em monitorar o que as prefeituras do PDT, que lidam com a educação e saúde básica de milhões de brasileiros, estão fazendo pelo bem do país.

Não vale dizer que há algum tipo de monitoramento secreto dessas administrações, que apenas os “iniciados” conhecem, porque isso não cola. Estamos em tempos de transparência. Os partidos de esquerda com ambições de governar o país precisam fazer o dever de casa, que é organizar sistemas transparentes de monitoramento, inclusive para que a população possa aplaudir os bons projetos e criticar os maus. Ou mais que isso: a transparência, a pressão externa, a crítica podem fazer com que maus prefeitos se tornem bons, e bons prefeitos se tornem melhores ainda.

Tenho visto a esquerda se lamuriando muito nas redes, e isso está me irritando cada vez mais. Suponho que o povo brasileiro também deve estar perdendo a paciência, e o resultado eleitoral das eleições municipais de 2016 e gerais de 2018 provam isso. O povo quer ver trabalho!

Voltando ao PDT, o partido tem 3.769 vereadores, contra 2.809 do PT, e 3.631 do PSB. Ou seja, é o maior partido da esquerda em termos de vereadores. Há alguma iniciativa para coordenar o trabalho desses vereadores, de maneira que possam servir como agentes de propaganda de um projeto nacional de desenvolvimento, promovendo algumas ideias tanto dentro das câmaras municipais, como para fora, para o mundo?

Considerando todo o campo progressista, temos a seguinte situação: a esquerda tem hoje, no Brasil, somando todos os sete principais partidos (PT, PSB, PDT, PCdoB, PSOL, Rede e PV), um total de 14.575 agentes políticos na ativa. Ainda somando os sete partidos, são 1.172 prefeitos, 12.967 vereadores, 270 deputados estaduais, 9 governadores, 140 deputados federais e 17 senadores. Se alguém contasse a Marx que a esquerda teria tanta força num país como o Brasil (descontando o fato de já ter presidido o país diversas vezes, com Vargas, Juscelino, Jango, Lula e Dilma), sem necessidade de nenhuma revolução armada, apenas via um processo eleitoral democrático, talvez ele afastasse a ideia como excessivamente otimista.

A expressão “projeto nacional de desenvolvimento” corre o risco de se tornar uma caricatura, uma retórica vazia, se este projeto não começar a ser explicitado em detalhes, com apresentações de modelos, propostas e comparativos internacionais para cada item, e divisão em partes que possam ser aplicadas e testadas regionalmente. 

Prefeitos, vereadores, deputados, senadores, governadores tem muito poder em suas mãos. Decidem sobre políticas públicas estratégicas.

O que pode ser articulado?

Algumas ideias:

  • Projetos agroindustriais inteligentes, ecológicos e modernos;
  • coleta de lixo seleta e sustentável;
  • linhas solidárias de micro-crédito;
  • criação de centros de inteligência, para coleta, discussão e análise dados;
  • criação de fundos financeiros para sustentar jornalismo profissional independente dos interesses corporativos; 
  • cursos técnicos e profissionalizantes, abertos, gratuitos, online, voltados para as novas profissões da economia do conhecimento;
  • criação de frentes de trabalho, para aliviar o desemprego, e constranger o governo federal a imitar a iniciativa;
  • criação de um fundo de incentivos à cultura (audivisual, literatura, música).
  • criação de um centro de solidariedade, para distribuir alimentos e roupas aos mais necessitados. 

Se houver coordenação, inteligência e criatividade, o povo brasileiro poderá dar ao campo progressista uma segunda chance em 2022. Senão, teremos Bolsonaro novamente.

 

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

64 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

ANTONIO CESAR PERIN

03 de fevereiro de 2020 às 17h44

Olaer

Falta a ideia de implementação de DISTRITOS INDUSTRIAIS…..

Responder

Thomas

01 de fevereiro de 2020 às 10h29

Por uma questão de responsabilidade a esquerda continuara a ter meu voto, mas enquanto a esquerda continuar fraquejando frente ao desgoverno nunca mais participarei de qualquer manifestação, apresentação, passeatas da esquerda.

Responder

    Hilux12

    01 de fevereiro de 2020 às 12h21

    Acabou o dinheiro das propinas para fazer manifestação.

    Responder

      Alan C

      01 de fevereiro de 2020 às 12h34

      Só a rachadinha que continua.

      Responder

    Wellington

    01 de fevereiro de 2020 às 15h03

    Dos sindicatos, dos sem terra, dos bloguizinhos, da Odebrecht, dos contratos fictícios com a Petrobrás, agora é cara a cara com a democracia.

    Adoraria ver os casetetes rolar nas costas de Boulos e Cia mas será difícil daqui pra frente, sem a proteção política não tem coragem de fazer nada esses vermes.

    Responder

    Matheus

    03 de fevereiro de 2020 às 09h46

    olha, quando voltarem a ocorrer manifestações eu terei prazer em participar, mas elas precisam acontecer

    Responder

      carlos

      03 de fevereiro de 2020 às 17h08

      Matheus, enquanto os partidos de esquerda, não tentarem construir um projeto Nacional para apresentar ao povo brasileiro, sempre vamos ficar nas mãos de milicianos ignorantes que não sabem nem aonde fica o nariz, começando pelo PDT como fala o jornalista, que ao invés de se empenhar em fazer isso, fica fazendo aliança com o DEM sobre orientação de Ciro Gomes que é apenas um coadjuvante da direita, que antes criticava o PT pelo seu pragmatismo e hoje se aliar ao que há de mais podre na política nacional

      Responder

Osvaldo Higa

01 de fevereiro de 2020 às 06h58

Um chamado para a concretização da palavra de ordem “O povo unido jamais será vencido!”.

Responder

    donato

    01 de fevereiro de 2020 às 09h13

    Vai dormir Zé Ruela, vai…

    Responder

Aires

31 de janeiro de 2020 às 21h51

Concordo plenamente.
Os partidos precisam por em pratica os seus discursos.

Responder

Oblivion

31 de janeiro de 2020 às 21h14

Parabéns pela provocação e pelas ideias, muito oportunas. Afinal, aposto que muitos prefeitos do pdt e psb apoiaram, primeiro, o impeachment da dilma e depois bolsonaro, não duvido que desde o primeiro turno. Assim como o pt gerou governadores como aquele cara lá do df (quem lembra o nome dele?) e Pimentel, senador como aquele corrupto de mg (minha memória tá uma lástima) e deputados como andré Vargas, vacarreza, palloci… E por aí vai. Ou seja, colocar qualquer um e, ainda por cima, não proporcionar uma identidade progressista aos mandatos, só vai gerar mais bolsominions e olavetes por esse pobre país afora.

Responder

Psilocibes Cubensis

31 de janeiro de 2020 às 18h58

Alguém me ajude pois não consigo decidir , o que é mais absurdo?
Chamar PV , REDE e PSB de esquerda ou chamar o PSDB e DEM de esquerda ,como a bozaiada faz?
Não vi crítica ao PDT , vi você tentando se gabar , como muitos apontaram a maior parte desses prefeitos e vereadores do PDT apoiou Bolsonaro.
Na minha realidade só existe o PT , o PSOL , o PC do B , os aliados do Fascismo e seus cúmplices.
Você sabe Miguel que Brizzola desprezaria esse PDT de hoje , exigiria expulsão de cada membro que apoiou Bolsonaro e votou pela reforma da previdência.
Fico feliz por não existir vida após a morte , o coitado morreria outra vez de desgosto.
Chamar narcisismo de crítica é o cúmulo.

Responder

    Mariana

    01 de fevereiro de 2020 às 23h24

    Na sua cabeça só existem esses três partidos por…? O deus supremo Lula e seus súditos é a supremacia da esquerda brasileira e quem o contesta não é de esquerda? A sua ingenuidade é achar que as bancadas PT/PSOL/PCdoB votaram integralmente contra a reforma da Previdência por apreço ao povo, e não pra fazerem birra contra o Bolsonaro. Quer saber quantos deputados petistas estão realmente alinhados aos interesses do progressismo? Dá uma olhada em quantos deles votaram no Freixo pra presidente da Câmara, pq uma generosa parcela deles votou no Rodrigo Maia (e não custa lembrar que votaram em 2015 no Cunha). Mas claro que isso é um cócegas perto de quem só quer criticar a Tabata Amaral e os outros 4 ou 5 deputados pedetistas que foram a favor da Previdência

    Responder

Alexandre Neres

31 de janeiro de 2020 às 15h40

Não precisamos de crítica suave e cheia de dedos para se esquivar de parcialidade e de proselitismo.

Em momentos delicados, precisamos primeiramente focar o adversário. Quem pratica barbárie? Quem comete descalabros? A quem devemos direcionar nossa indignação?

Só que não. Todo mundo sabe quem é o alvo principal deste blogue. Como bem disse o jornalista Florestan Fernandes Jr., cujo próprio nome já indica que tem berço: “Não dá para os fascistas de hoje fazerem como os stalinistas, que apagaram Trotski das fotos da Revolução Russa. Lula faz parte da memória de milhões de brasileiros e escreveu seu nome na história política internacional. ”

Quer ver erro do PT: o partido se julgava o limpinho, o porta-bandeira da ética, como se algum partido pudesse se apropriar de algo que é de todos. O caminho da evolução se dá pela via institucional e não por meio de salvadores da pátria. O PT nesse afã de representar o novo renegou o passado. Não queria se misturar com Getúlio Vargas, Jango, Brizola, que estavam associados ao passado. Quis fundar um movimento novo sem atentar para a importância do que veio antes. Teve que sentir na pele, aprendeu a duras penas que estava umbilicalmente ligado a Vargas e Jango. Todos foram golpeados por uma direita antidemocrática e que se arvora a carregar o pavilhão da moral e dos bons costumes, além do onipresente discurso anticorrupção, pau pra toda obra pra derrubar governos democraticamente eleitos.

Jango cometeu várias falhas. Dilma idem e não tinha a menor habilidade política. Porém, não podemos ficar nessa autofagia. Não se pode culpar a mulher nem sua minissaia pelo fato de ter sido estuprada. A bandeira do antipetismo é prejudicial ao campo progressista e atinge a todos nós, desde a terceira via até a esquerda radical. Quando sairemos desse imobilismo e daremos o próximo passo?

Responder

    Abdel Romenia

    01 de fevereiro de 2020 às 15h11

    “pra derrubar governos democraticamente eleitos.”

    Sim, eleitos com o dinheiro de propinas bilionárias democraticamente roubado aos brasileiros ao longo de 20 anos.

    Além disso você provavelmente esquecu de mencionar o mensalão e o peteólão entre as virtudes democraticas da esquerda brasileira.

    Quanto a sua última pergunta a resposta é nunca…no money no party.

    Responder

      Alexandre Neres

      01 de fevereiro de 2020 às 17h26

      Deixa de ser pelassaco, Wellington. Com você não tem debate. Cadê a Andressa?

      Responder

      Matheus

      03 de fevereiro de 2020 às 09h49

      Não, eleitos com voto popular mesmo, sem precisar recorrer a currais eleitorais de seitas extremistas e bandidos mafiosos, nem a redes de milícias virtuais espalhando mentiras e calúnias, como fizeram os bandidos direitistas

      Responder

Karla

31 de janeiro de 2020 às 13h22

Menos, Miguel.
Não existe esquerda no Brasil.
Já existiu, mas nunca chegou ao epicentro do poder central.
Quando muito, apenas varejou a periferia, sem consequências.
Não há nenhuma chance de reconfiguração à esquerda sob a sombra de Lula, que jamais foi de esquerda, mesmo quando liderava as greves no ABC paulista em priscas eras.
Desgraçadamente ensimesmada em Lula, não verás nenhuma esquerda no Brasil, exceto aquela “esquerda que a direita gosta” diagnosticada magistralmente pelo Engenheiro Leonel Brizola em sua mais acertada tradução do lulopetismo.

Responder

Rosa

31 de janeiro de 2020 às 13h07

política no brasil esta virando programa de reality show. A cada dia esta ficando difícil acompanhar o show de horrores que ocorre no pais. Inclusive na blogosfera.

Responder

    Alan C

    31 de janeiro de 2020 às 14h13

    Concordo plenamente!

    Temos os puxadinhos a serviço – e provavelmente pagos – pelo PT (PT247, Tijolaço, DCM, GGN, Blog da Cidadania, Revista Fórum e outras porcarias).

    Tem os que ficam flutuando, hora apoiam uma ideia, mas depois criticam a mesma ideia, Ex: Blog do PHA (como todo respeito ao Paulo Henrique Amorim, que foi um ótimo jornalista).

    Os que eu mais gosto atualmente é o blog do Kennedy, o É da Coisa (Reinaldo Azevedo, apesar de ser declaradamente liberal) e o Viomundo do Luiz Carlos Azenha.

    Responder

Justiceiro

31 de janeiro de 2020 às 12h06

Não preocupe, Miguel. Vem ai o Aliança pelo Brasil, que vai abocanhar as principais cidades do país.

Responder

putin

31 de janeiro de 2020 às 11h35

“O povo quer ver trabalho”?
as eleiçoes hoje se ganham na base de “facadas” e infames mentiras espalhadas a todo vapor nas redes sociais e na midia privada (privada = sinonimo de vaso sanitario, kkkk).
miguel, faz 7 ANOS que na TV nao aparece nada e ninguem do centro-esquerda (a nao ser quando se fala em processos), boicote total… que “plano” quer apresentar nesta situaçao de ditadura da informaçao?
sabe que na europa exixtem autoridades que cronometram todos os dias (nao só no horario eleitoral) quantos minutos aparecem na midia ideias e personagens de cada partido? e se a emissora discriminar alguem é punida?
é completamente inutil ter um bom plano ou executalo se depois a midia te convence do contrario ou faz vocé desaparecer do ar.

Responder

Alan C

31 de janeiro de 2020 às 11h34

Correção:

A frase certa é “Viu a reação catatônica dos entrevistadores do último Canal Livre??”

Responder

augusto2

31 de janeiro de 2020 às 10h10

Outro dia, ao fazer uma simples constataçao sobre as preferencias e tendencias internas e externas do desgoverno Bolsonaro, levei um ‘susto’.
-Apoiou firmemente no vizinho do sul o Mauricio Macri -Mais dois meses o cara sofre a maior derrota da historia recente.
-Encrencou-se com DiCaprio e uma cineasta brasileira foi indicada para o Oscar.
-Fez festa e foi festejado pelo presidente do Chile. Tião Piñera. Em semanas o povo chileno se revolta -mais dez porcento do povo na rua e o Tião é obrigado a revogar varias decisões anteriores. E sera derrotado na proxima eleiçao chilena.
-Nomeou como se fosse aliado o sergio Moro,e achou um concorrente feroz
-Nomeou um min da Educaçao colombiano, mas nao foi por isso que demitiu rapido. Nomeou outro brasileiro de nome de salsicha, e o ENEM degringolou como nunca fora visto antes.
-Aliou-se aos fazendeiros e pecuaristas: preço da carne explodiu em >30% de um dia para outro.
-Entregou a EMBRAER na bacia das almas para a BOEING e a Boeing esta dando prejuizo mundialmente, sua enorme divida teve papeis rebaixados de rating e corre risco de falir.
-Apoiou a mudança da embaixada brasileira para Jerusalem afrontando os muçulmanos e voltou atras.
-Chamou uma brigada de resgate de Israel para Brumadinho e a brigada fugiu de volta em tres dias sem ter tocado em nada nem resgatado vitimas.

Responder

    Gilmar Tranquilão

    31 de janeiro de 2020 às 11h22

    Esses dados IMPRECIONAM!!! kkkkkkkkkkkkkkk

    Responder

Pedro

31 de janeiro de 2020 às 07h11

Putz, esquerda organizada e articulada, será o fim do nosso pais.

Responder

Alisson

31 de janeiro de 2020 às 05h00

Cara são mais de 56mil vereadores e são mais de 5 mil municípios, que tipo de análise é essa que considera uma parcela ínfima hauahaua

Responder

    degas

    31 de janeiro de 2020 às 10h36

    Que análise superficial, heim.

    Responder

Matheus Santos

31 de janeiro de 2020 às 02h54

O que falta, sendo agente político do PDT no interior de SP, são os membros de partido nas capitais entenderem que o Interior tem uma dinâmica política muito diferente. Minha cidade, Hortolândia, considerada reduto da esquerda no cenário de SP, sendo a única que não votou no PSDB nas eleições de 2014, tem 3 vereadores do PDT, que nem vão às conferências do PDT na estadual. Os partidos ficam na capital e se afastam do interior, vendendo apoio para figuras do interior em uma política provinciana… Vi esse modelo no PSB, REDE, PT e no PDT em diversas cidades. Com prefeitos eleitos apoiando Bolsonaro e não Ciro no primeiro turno.

Responder

Francisco

31 de janeiro de 2020 às 02h15

“[O PDT] É o segundo partido de esquerda com mais prefeituras no país, depois do PSB, que tem 404 prefeituras; à frente inclusive do PT, que tem 256 prefeituras.”

Basta de espertas subliminaridades e acorde à realidade dos fatos, Miguel, pois qualquer pessoa que acompanhe de perto como funciona a política municipal brasileira, sabe que, desconsiderados os municípios com grandes eleitorados, como as capitais, à exceção do PT, PC do B e PSOL, todas as demais siglas partidárias são utilizadas como legendas acessórias, sem a menor importância ou significado ideológico, ou seja lá o que mais for (inclusive recursos financeiros à campanha), apenas para cumprirem a formalidade do individuo candidato a vereador ou prefeito, estar filiado a algum partido, para burocraticamente poder se candidatar, além de ter que se virar para conseguir os recursos necessários a campanha.

Isso sendo fato, como também é fato, por razões mais que óbvias, que PT, PC do B e PSOL realmente possuem os vereadores e prefeitos informados, pergunto-lhe, efetivamente quantos dos atuais 3769 vereadores e 378 prefeitos atuando como filiados ao PDT, podem serem considerados ‘comprometidos com o partido’? E no PSB, quantos?

Portanto é ilusão falar em organicidade onde tem-se majoritariamente uma salada de siglas partidárias utilitárias e funcionais, para atender a burocracia e interesses locais e regionais, no cenário político paroquiano municipal.

Como também não passa de miragem oca, considerar de esquerda partidos como REDE e PV e ignorar completamente que, salvo a questão ideológica histórica, na prática, PSB (com 29 deputados em 32) e PDT (com 6 deputados em 19), em 2016, foram os partidos ‘de esquerda’ que garantiram com 35 votos, a direita golpista conseguir derrubar o governo Dilma, através do golpeachment.

Nem tudo que reluz é ouro, nem tudo que parece é.

Responder

Emanuel A.Santos

31 de janeiro de 2020 às 01h53

É uma critica muito valida o poblema é que temos muitos exemplo para analisar,o caso da deputada tabata traíra do amaral mesmo eu votei nela por que era de um partido de esquerda e ao meu ver ia lutar pelas clases trabalhadora mas deu uma facada na esquerda.É muito dificil se não estou enganado esses dias vi um vídeo de um vereador agredido pessoas em um protestos,o protesto era de movimentos sócias,para meu espanto o vereador que estava agredindo as era do PSB.Outro poblema é que o Ciro no qual eu votei para presidente e vou votar denovo mesmo sedo filado do PT,fala muito do projeto Nacional de desenvolvimento mas ele tinha que unir a esquerdas fazendo justamente este papel de apresentar tudo isto para àqueles governadores,prefeitos,vereadores,deputados federais e estaduais que são de todos os 7 partidos que hoje representam em partes a esquerda.

Responder

    Cezar R M Lopes

    31 de janeiro de 2020 às 12h09

    Caro Emanuel, o problema da união é a burocracia do seu partido e alguns militantes mais fanáticos. O Ciro e o Haddad se apoximaram em 2018, estavam costurando opções, mas a burocaria petista, muito interessada nos espólios do Lula e o Lula em si, detornaram qualquer tratativa, pior, atuaram não para ganhar mais apoio, mas para detonar os apoios ao Ciro. O PT é enorme, tem a maior rejeição, justamente porque também é o mais querido, mas tem que entender que a rejeição hoje é maior do que a simpatia e tem que dar alguns passos estratégicos atrás.

    Responder

Alex Buck

31 de janeiro de 2020 às 01h46

Excelente sua crítica! Sou eleitor do Ciro e não sabia que o PDT tinha tanta entrada assim nas prefeituras. É óbvio que sinais do PND deveriam estar aparecendo, ao menos pontualmente, nessas localidades. Cobremos!

Responder

Miramar

31 de janeiro de 2020 às 01h04

Como um não pedetista eleitor do Ciro há mais de vinte anos, achei crítica justa e necessária. O PDT só tem a ganhar se ouvir seus eleitores.

Responder

Sebastião

30 de janeiro de 2020 às 22h48

Muitos estão no partido, só por causa da estrutura e do fundo. Quando a oportunidade se torna maior, eles mudam de partido, e assim não há identidade. Desta forma, não tem o que mostrar, pois visam suas carreiras políticas, independente da sigla. Por que promover uma sigla, que está somente de aluguel?

Responder

Márcio Kerbel

30 de janeiro de 2020 às 22h05

Crítica relevante e necessária que aponta as potencialidades do PDT como alternativa do Campo Democrático. Niterói, no Estado do Rio de Janeiro, é um bom exemplo de uma gestão moderna, comprometida com o desenvolvimento econômico e a inclusão social. É a cidade que mais investiu em Cultura e Educação no RJ. A gestão da ex-capital fluminense merece ser divulgada e reconhecida nacionalmente.

Responder

Alan C

30 de janeiro de 2020 às 21h30

Matéria muito boa e o questionamento é mais que legítimo.

Apenas penso diferente em duas coisas:

O projeto nacional de desenvolvimento J-A-M-A-I-S se tornará uma caricatura ou uma retórica vazia, isso é o que correntes estúpidas (como a bozolândia) e o PT querem. O projeto é explicitado em detalhes pelo PDT, só que a mídia, estrategicamente, não divulga.

E o PV não é de esquerda.

Responder

Rubens

30 de janeiro de 2020 às 21h22

vestir a sandalhinha da humildade faria um bem danado à esquerda.

Responder

Antonio

30 de janeiro de 2020 às 21h02

A esquerda esta tentando sobreviver de memórias de um pais que não existe mais.

Responder

Abdel Romenia

30 de janeiro de 2020 às 18h54

Projeto nacional…ningum tem projeto nacional, é propganda de politicos da mais baixa especie, as coisas acontecem no dia a dia.

A politica nào è a engenharia civili, larguem de inventar coisas que nao existem.

Responder

Paulo

30 de janeiro de 2020 às 18h49

A esquerda esta parada, infelizmente. E se continuar assim vai continuar a acumular derrotas.

Responder

PW

30 de janeiro de 2020 às 18h46

Muito interessante sua critica Miguel!
Acho que o proeto naciona de desenvolvimento nao deve nem pode espera pela presidencia do Ciro .
Se o projeto eh de verdade tem que ser tentado desde jah, no que for popssive!

Responder

Arthur

30 de janeiro de 2020 às 18h34

O brasil precisa de grandes projetos e até agora ninguém, das esquerdas, foi capaz de arquitetar qualquer conjunto de projetos do tamanho do pais. Enquanto isso a direita vai destruindo o pais.

Responder

Pedro Accioli

30 de janeiro de 2020 às 17h37

Crítica válida Miguel! Falta sim maior organização discussão entre esses prefeitos e vereadores para executar as propostas que você apresentou nesta reportagem sobre o Nacional-desenvolvimentismo!

Responder

Paulo

30 de janeiro de 2020 às 17h18

Duas coisas que estão em falta no Estado brasileiro: estadistas e dinheiro…

Responder

Daulto bitencourte garcia

30 de janeiro de 2020 às 15h38

Não sou,de esquerda. Fui em um passado longiquo, hoje sou centro direita. Existe um projeto nacional,do pdt? Quem o conhece? Pode chamar de progressista um partido com Carlos Lippi?, É bonito ser chamado de esquerda, de progressista, mas quais são os ideários desses partidos? Caso PT não consegue se livrar do Lula, ninguém mais acredita nele. Todo mundo já percebeu,que é tudo marketing.

Responder

    Hilux12

    30 de janeiro de 2020 às 16h14

    A própria definição de ” progressista” é uma enganação, não significa nada.

    Responder

    Filipe Furtado

    30 de janeiro de 2020 às 19h58

    O PND do Ciro é amplamente defendido pelo mesmo. Toda entrevista que ele dá, seja onde for, eu duvido que ele não cite esse termo: projeto nacional de desenvolvimento, com começo, meio e fim. E explica tim tim por tim tim os 4 motores da economia e no que se baseia o projeto. O problema: o alcance do Ciro não é nacional fora de épocas de eleições. Ele se esforça, mas a grande mídia não divulga, e ele faz de tudo e se esgoela para falar sobre ideias. O próprio Ciro já fala: se apeguem a ideias e não a candidatos (o incluindo). Se você assistir um Roda Viva do Ciro de 1994 e o de 2018 verá que ele sempre foi coerente com o que defende. Se quiser, eu posso te enviar o arquivo do PND para que possa avaliar se te interessa. Grande abraço amigo, dê uma chance ao Ciro entre os candidatos que você cogita.

    Responder

      Hilux12

      30 de janeiro de 2020 às 20h29

      Vou dar uma chance ao Cirolipa com certeza, preciso de um comediante para contar piadas no aniversario da minha sobrinha, mas depende de quanto ele cobra e se precisa ir buscar e levar de volta para casa pois dizem que ficou sem carro apòs as ultimas asneiras que ele contou….kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Responder

Adriano Peçanha

30 de janeiro de 2020 às 14h57

O PDT desde muito tempo e principalmente durante a campanha presidencial de 2018 e até hj discute e apresenta muitos detalhes do projeto nacional de desenvolvimento, os campos onde podemos explorar uma saida e a retomada do crescimento economico principalmente a retomada da industrialização nacional. Há diversos videos do Ciro falando a respeito disso…palestras e entrevistas, além do diretorio nacional do PDT. Dá uma olhada

Responder

    Redação

    30 de janeiro de 2020 às 17h01

    Já vi. Tudo ainda muito generalizado. É preciso ir fundo nos detalhes dos assuntos, e sobretudo, como está no texto, aplicá-los regionalmente nos municípios onde o partido governa, para ir testando empiricamente cada ideia.

    Responder

      Alan C

      30 de janeiro de 2020 às 21h34

      Redação, me desculpe, então vc não viu todos, viu entrevistas tipo Canal Livre e afins onde Ciro fica preso em perguntas imbecis de jornalistas a serviço do patrão.

      É legal sair da bolha.

      Responder

        Redação

        31 de janeiro de 2020 às 11h03

        Alan, estou falando de trazer o plano para o papel, atualizado, com números, discuti-lo em academias, exposto ao contraditório, e fazer ensaios em algumas prefeituras, para expô-lo ao teste da realidade social e política. Não dá para manter o PND apenas em citações vagas em entrevistas e palestras.

        Responder

          Alan C

          31 de janeiro de 2020 às 11h31

          O PND do PDT definitivamente não é vago e é discutido em palestras especialmente nas universidades e em associações específicas onde não vai ninguém da elite financeira e nem do PIG.
          Parte do PND estava no plano de governo, que inclusive foi copiado em diversos itens por vários candidatos, pois era disparadamente o melhor, mas não beneficiava o Deus Mercado…
          Faz parte dessa mídia marrom esconder Ciro Gomes e o PND, vc sabe disso melhor que todos nós.
          Lembra da reação do único economista da bancada de entrevistadores no Roda Viva??
          Viu a reação catatônica dos entrevistadores do último Roda Viva??
          Viu o evento do PDT em Bangu, RJ?
          É só procurar.

          Abdel Romenia

          31 de janeiro de 2020 às 13h51

          Ninguem esconde ninguem parem com essa choradeira idiota; internet é a mesma para todo mundo e se seu candidato vai aos deabtes para Presidenciaveis e fala o tempo todo de Bolsonaro ou que tem a formula magica para tirar todo mundo do SPC em 2 dias ou manda prender jornalista a culpa nào é da midia e nem do eleitor….mas é porque fala um monte de asneiras que as pessoas querem ouvir sò pra rir um pouco. kkkkkkkkk

          Abdel Romenia

          31 de janeiro de 2020 às 13h53

          PND….chegam a ser engraçados !! kkkkkkkkkk

          Alan C

          01 de fevereiro de 2020 às 14h09

          Eu te irrito né andressa kkk

Renato A. Danilo

30 de janeiro de 2020 às 14h09

O chamado “campo progressista” sempre ignora quem realmente paga a conta, tanto no nível municipal quanto federal, a população sempre foi escravizada via impostos, todo o rol de grandes idéias passa pelo bolso da maioria da população, não há como avançar, se a cada item comprado um outro é pago
para o estado. A máquina cada vez mais pesada, criando dificuldades para obrigar o pagamento de soluções, é isto que vimos na administração “progressista” além da maior roubalheira documentada da história.

Responder

    Wellington

    30 de janeiro de 2020 às 14h45

    Fala assim não, a culpa é da Cia que treinou os raelianos e os enviaram para o Brasil, todo mundo sabe !! Kkkkkkkk

    Responder

    André Valeta

    30 de janeiro de 2020 às 14h56

    Fera, a esquerda não é toda progressista, a administração petista federal foi liberal e não progressista.

    Responder

      Wellington

      30 de janeiro de 2020 às 18h21

      Dà pra perceber que sào palavras sem significado algum…?

      Responder

        Alan C

        01 de fevereiro de 2020 às 12h38

        Como ter 635 nomes ficar respondendo a si próprio como um trouxa?

        rsr

        Responder

    Paulo Guina

    30 de janeiro de 2020 às 21h09

    Isso. Numa dessas pesquisas recentes, saiu que a maior preocupação do povo hoje em dia é com saúde, depois vinham segurança e educação, acho que nessa ordem. Até o desemprego ficou lá embaixo na lista de preocupações. Ou seja, o povo quer hospitais, mas o jornalista quer ganhar eleições oferecendo ao povo um “fundo” para sustentar jornalista sub/desempregado. O PT é a mesma coisa, fica lá fazendo birra e ignorando de propósito as claras demandas do cidadão que paga imposto. Enquanto isso, aqui no DF, não passa um mês sem o governador (do MDB) inaugurar um hospital, UPA, UBS ou a PQP. Quem vocês acham que vai estar no poder daqui a dez anos?

    O PT entrou num modo antagonista, ressentido, tomado de ódio, e ficou obcecado em impôr uma derrota ao povo, que considera “traidor”. Bastava aceitar que é preciso atender ao contribuinte, mas é um partido histérico e burro demais para isso, e vai continuar pagando o preço

    Responder

Abdel Romenia

30 de janeiro de 2020 às 13h08

Essa do “processo eleitoral democratico” apòs tudo que veio a tona (propinas bilionarias para financiar os partidos e as eleiçoes a todos os nivéis) eu teria deixado de lado…democracia memso é outra coisa.

Responder

Deixe um comentário