Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Após ser acusado de participar do escândalo da Covaxin, líder do Governo Bolsonaro mente nas redes sociais

Por Redação

26 de junho de 2021 : 10h16

O líder do Governo Bolsonaro na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), foi apontado pelo deputado federal Luís Miranda (DEM-DF) como o parlamentar citado por Jair Bolsonaro no “rolo” da vacina indiana Covaxin.

“A senhora [senadora Simone Tebet] sabe que se eu fizer isso, eu vou ser perseguido. Vocês sabem que é o Ricardo Barros que o senhor presidente falou. Foi o Ricardo Barros”, revelou.

Após a acusação pública, Barros foi as redes sociais e negou que esteja envolvido no escândalo e também disse que não nomeou a servidora que autorizou a importação da vacina indiana no valor de US$45 milhões em nome de um offshore.

Porém, o parlamentar mentiu ao dizer que não foi responsável pela nomeação da servidora Regina Célia Silva Oliveira. Em fevereiro de 2018, foi publicado no Diário Oficial da União a nomeação de Regina que foi autorizada por Barros, então ministro da Saúde do Governo Temer.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Willy

26 de junho de 2021 às 19h29

E’ obvio que se refere ao periodo desse governo.

Por qual motivo deveria mentir sabendo que cada afirmaçào que ele faz alguem vai verificar 14 segundos depois…?

Tà cada dia mais triste esse pseudo jornalismo…porque nao tentam elevar o nivél, nao conseguem ?
Nao percebem que é uma perda de tempo e fazer oposiçào nao é isso…?

Responder

dudu

26 de junho de 2021 às 19h20

…seria isso ?

E acham que corrupçào aconteçe dessa forma ? Com dinheiro saindo diretamente dos cofres de um Ministerio para uma empresa, tudo rastreavel, na luz do sol e no valor de 45 milhoes de $ dolar numa pancada sò…?

Acham realmente que os brasilerios sao idiotas e que sobreviver de narrativas vao para em algum lugar ?

Cadé o jornalismo investigativo do Cafezinho…? Porque quando nao interessa nao fazem uma simples busca para escaraecer a situaçào…?

A propria Bharat confirmou a regularidade da compra e dos preços das doses, além do TCU.

https://obastidor.com.br/investigacao/caso-covaxin-offshore-e-controlada-por-empresa-de-vacina-de-gado-1117

“As evidências disponíveis apontam, portanto, para o fato de que a Madison Biotech é um veículo para que os vendedores da Covaxin recebam valores do governo brasileiro de maneira indireta. Não resta claro por que a indiana Bharat Biotech e a brasileira Precisa tentaram usar a empresa de Cingapura para esse fim – nem se haveria ilegalidade nesse ato…”

Para pagar menos impostos…mas é problemas deles e o Brasil nada tem a ver com isso !!

Tanto barulho por nada e mais alguns dias de Circo Calheiros….pobre paiseco condenado a ser terçeiro mundo para sempre.

Responder

Tony

26 de junho de 2021 às 11h35

Com essa oposiçào de narrativas nao vao para lugar nenhum, um dia aprendem a fazer oposiçaode verdade.

Responder

Paulo

26 de junho de 2021 às 11h19

Por que esse “senhor” ainda não está preso. Há pouco tempo, criticou a Lava-Jato. Por que será?

Responder

Deixe um comentário