Analista da Ideia fala sobre “voto útil” dos eleitores de Ciro a Lula no 1° turno

Imagem: Divulgação

Felipe Nunes analisa nova pesquisa presidencial da Quaest

Por Redação

09 de fevereiro de 2022 : 10h16

Por Felipe Nunes

A 8ª rodada da pesquisa Genial/Quaest divulgada nesta quarta-feira (09/02) mostra uma estabilidade significativa na opinião pública. Tanto na avaliação do governo, como nas intenções de voto, os patamares de jan/22 praticamente se repetem neste mês.

Bolsonaro continua tendo a pior avaliação entre os competidores à reeleição. Avaliação negativa de FHC era 21%, Lula 22% e Dilma 27%; nada comparado aos 51% que Bolsonaro tem hoje.

Além de mal avaliado, o governo frustra a expectativa de 53% que acreditam que o governo está pior do que eles esperavam. A base de eleitores com expectativa positiva não chega a 20%.

Essa decepção fica muito clara quando avaliamos o desempenho do governo por área: 80% desaprovam o jeito Bolsonaro de lidar com a inflação, 65% a forma de lidar com a pandemia, 62% o combate a corrupção e 61% desaprovam o trabalho de redução da violência.

Embora tenha um governo mal avaliado, Bolsonaro continua na disputa do 2 turno contra Lula. Ambos tem eleitorados fiéis, numerosos e engajados. Lula aparece com 28% e Bolsonaro com 16% no espontâneo. Outros nomes somam 4%. Os indecisos, que eram 57% em jul/21, agora são 48%.

O % de indecisos hoje é muito parecido com o de fevereiros em anos eleitorais. A força eleitoral de Lula hoje é parecida com a que ele obteve em 2006. Bolsonaro, por sua vez, tem voto espontâneo do mesmo patamar que Lula nas 2 eleições em que perdeu em 2º lugar (1994 e 1998).

A novidade é a melhora de Ciro e a redução de intenção de voto de Moro. Ambos tem 7% de intenção de voto. Lula continua liderando com folga (45% – 47%), seguido de Bolsonaro (23% – 26%). Janones é novo na lista e tem boa estréia, aparece com o mesmo patamar de Dória, 2% ou 3%.

8/ Lula tem ampla vantagem no eleitorado de renda mais baixa (55%), mas empata com Bolsonaro no estrato de renda acima de 5 salários (31 a 31%).

Lula domina o Nordeste e ganha em todas as regiões. Chama atenção os 40% na região Sudeste, contra 26% de Bolsonaro. O melhor desempenho de Bolsonaro é no Centro-Oeste (31%). Moro tem bom desempenho na Sul (13%). O mais indecisos são os eleitores da região Norte (12%).

No segundo turno, Lula segue à frente de todos: 54 x 30 Bolsonaro; 52 x 28 Moro, 51 x 24 Ciro, 55 x 16 Dória e 56 x 14 Janones. Em relação aos meses passados, as variações são próximas de zero: Lula x Bolsonaro em Dez/21, por exemplo, estava 55 x 31.

A vantagem de Lula está na imagem de candidato que representa a melhor solução para os principais problemas das pessoas. Hoje, 35% dizem que a economia é o principal problema do país, 27% que a saúde/pandemia é o principal problema e 13% que são as questões sociais.

Para eleitores desses 3 temas (economia, saúde e social), Lula é a principal opção de voto. Ele só perde entre quem acredita que a corrupção é o principal problema do país. Essa é a praia do presidente Bolsonaro. Mas só 11% acham que Corrupção é o principal problema hoje.

Nesse cenário, Lula está preocupado em manter o máximo possível das suas intenções de voto. Ele faz isso só entrando em ‘bola boa’, evitando conflitos e aparições desnecessárias. Bolsonaro, por outro lado, precisa reconquistar o eleitorado perdido (31%).

A estabilidade de Bolsonaro nos últimos meses, próximo dos 25%, vai diminuindo o sonho dos candidatos da terceira via. A demanda por uma 3ª opção continua alta, também próxima dos 25%. Mas são dois os fatores que impedem um cenário diferente do da polarização.

Primeiro, são muitos candidatos (7) para apenas 25% dos votos. Para ser competitivo, só tem lugar para 1. Essa aglutinação é condição sine qua non para qualquer mudança de cenário. E isso ainda pode ser pouco. Somados, os 7 candidatos tem 19% das intenções de voto.

Segundo, os eleitores de Bolsonaro e Lula estão muito mais decididos do que os de Ciro, Doria e Moro. Ou seja, ainda pode haver um voto útil de Moro para Bolsonaro e de Ciro para Lula já no primeiro turno; sugerindo que vai ficando mais difícil para a 3ª via se viabilizar.

ECONOMIA: Opinião de que a economia piorou no último ano continua caindo (saiu de 73% em nov/21 para 63% em Fev/22).

E o contingente que acha que vai melhorar no futuro continua subindo (saiu de 39% em Out/21 para 44% em Fev/22). Esse otimismo está diretamente ligada a expectativa de mudança de governo em Outubro. Os mais otimistas são os que votam em Lula.

O aumento no nº de casos sem tanta gravidade faz a preocupação com a pandemia, embora alto, se manter estável nos 67% (patamar parecido com o de Set/21 quando a vacina começou a se espalhar no país). Vale lembrar: 65% desaprovam o jeito que o presidente lida com a pandemia.

A pesquisa Genial/Quaest foi realizada entre 3 e 06/02 por meio de 2.000 entrevistas presenciais domiciliares em 120 municípios. A margem de erro é de 2 pontos percentuais com 95% de nível de confiabilidade. A pesquisa está registrada no TSE sob o número BR-08857/2022.

Felipe Nunes é PhD em Ciência Política, professor da UFMG, especialista em pesquisa de opinião e diretor da Quaest

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Fanta

09 de fevereiro de 2022 às 20h29

Como é que todas essas pesquisas onde Lula ganha no primeiro turno com 154,87% de votos são encomendadas e bancadas ao som de centenas de milhares de reais por empresas de crédito, investimentos, financiarias, algumas da Faria Lima…?

Alguém dos nossos revolucionários radical chic sabe explicar…?

Responder

Zulu

09 de fevereiro de 2022 às 14h56

A força eleitoral de Lula hoje é parecida com a que ele obteve em 2006….kkkkkk

Não cansam de viver de idiotices ?

Responder

EdsonLuíz.

09 de fevereiro de 2022 às 12h28

Para o eleitor, jair bolsonaro é o melhor candidato para combater corrupção e Lula o melhor candidato para melhorar a economia e a saúde.

Eu sou o melhor candidato a me desiludir com o eleitor que quer bolsonaro para combater corrupção e quer Lula para consertar a economia que Lula estragou.

Vote Ciro Gomes e dê uma chance para o Brasil!

Responder

Deixe um comentário

O Xadrez para Governador do Maranhão O Xadrez para Governador do Rio Grande do Sul O Xadrez para Governador da Bahia O Xadrez para Governador de Minas Gerais O Xadrez para Governador de São Paulo O Xadrez para Governador do Rio de Janeiro Novo Presidente da PETROBRAS defende preços altos Cadê o churrasco do povo, Bolsonaro? Preço explodiu! Conservadores? A atual juventude brasileira O Indulto sem Graça de Bolsonaro