Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Imagem: Divulgação

Jô Soares morre aos 84 anos em São Paulo

Por Redação

05 de agosto de 2022 : 08h54

Na madrugada desta sexta-feira, 5, o humorista e apresentador Jô Soares, morreu em São Paulo. A informação foi confirmada pela sua ex-esposa Flavia Pedras, nas redes sociais. 

Em nota, o hospital Sírio Libanês informou que Jô estava internado desde o dia 28 de julho e morreu às 2h20 de madrugada de hoje.

“Faleceu há alguns minutos o ator, humorista, diretor e escritor Jô Soares. Nos deixou no hospital Sírio Libanês, em São Paulo, cercado de amor e cuidados. O funeral será apenas para família e amigos próximos”, anunciou Flávia.

“Assim, aqueles que através dos seus mais de 60 anos de carreira tenham se divertido com seus personagens, repetido seus bordões, sorrido com a inteligência afiada desse vocacionado comediante, celebrem, façam um brinde à sua vida. A vida de um cara apaixonado pelo país aonde nasceu e escolheu viver, para tentar transformar, através do riso, num lugar melhor”, prosseguiu.

“Viva você meu Bitiko, Bolota, Miudeza, Bichinho, Porcaria, Gorducho. Você é orgulho pra todo mundo que compartilhou de alguma forma a vida com você. Agradeço aos senhores Tempo e Espaço, por terem me dado a sorte de deixar nossas vidas se cruzarem. Obrigada pelas risadas de dar asma, por nossas casas do meu jeito, pelas viagens aos lugares mais chiques e mais mequetrefes, pela quantidade de filmes, que você achava uma sorte eu não lembrar pra ver de novo, e pela quantidade indecente de sorvete que a gente tomou assistindo. Obrigada para sempre, pelas alegrias e também pelos sofrimentos que nos causamos. Até esses nos fizeram mais e melhores. Amor eterno, sua, Bitika”.

Carioca, José Eugênio Soares, nasceu em 16 de janeiro de 1938. Com seu apelido pessoal e popular, Jô se destacou ao longo da sua carreira como ator, diretor, humorista e apresentador, tornando-se um dos maiores nomes do entretenimento brasileiro. Ele estreitou na TV em 1956, aos 18 anos de idade.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

EdsonLuíz.

05 de agosto de 2022 às 20h48

Aqui em ‘ocafezinho.com’ eu defendo seguidamente saneamento de processos e subsequente jugamento dos criminosos acusados, sejam esses criminosos estupradores, pedófilos, traficantes ou CORRUPTOS.

Tanto faz o crime ou o criminoso, ele merece um julgamento legal; mas a sociedade também merece que o crime seja punido sem desculpas fajutas.

Aqui em ‘ocafezinho.com’ sou que que defendo saneamento de processos. E continuarei defendendo! Não posso aceitar, se eu quiser um país decente e que se prepare para resgatar de verdade a miséria material grossa que atinge nossos pobres, que prevaleça a miséria moral de venais populistas como Lula, que se aproveitam de erros rituais cometidos por agentes públicos do judiciário para ficarem impunes de seus crimes de corrupção e ainda se colocarem na condição de roubarem mais, sendo que demorou-se tantos anos até que seus primeiros crimes fossem descobertos e provados.

Novos crimes, Lulas, Fernandinhos Beira-Mar ou quaisquer outros criminosos que pratiquem crimes de qualquer natureza fará esses novos crimes de forma muito mais escondida e “esperta”, o que dificultará descobrir seus novos crimes.

Dar oportunidade para criminoso, seja Lula, Fernandinho Beira-Mar ou qualquer outro, de praticar novo crime, NÃO é defender o Estado Legal de Direito e sim compactuar com a construção de um país miserável, roubado e criminoso!

Defender saneamento de processos é querê-los obedecendo a legalidade; portanto, defender saneamento de procesdo é o contrário de defender o descumprimento do Estado Legal de Direitos.

Já no caso de se aproveitar de erros rituais em processos para ficar impune e praticar novos crime, isso sim, é defender uma concepção de República Criminosa e Venal! Isso – ficar impune – é defender uma república em que o poder fique na mão de Gedéis R$51 Milhões, Eunícios Oliveiras, Flávios Bolsonaros, Renans Calheiros, Eduardos Cunhas, Lulas, Paloccis, Josés Dirceus, Andrés Cecilianos, etc.

Se limpe, Brasil! Se não limpar em cima, embaixo os policiais, fiscais de imposto, administradores de hospitais, empreiteiros de obras e outros vão se dar ao direito de emporcalhar tudo! Assom, nunca teremos um Estado de verdade para podermos ter um Estado Legal de Direitos.

Defenda o saneamento de processos! Mas depois seja sério e exija julgamentos sem rasgar as provas contra criminosos como Lula, Gedel e Eduardo Cunha.

Ou na verdade é essa impunidade que você quer?

Edson Luiz Pianca.
edsonmaverick@yahoo.com.br

Responder

carlos

05 de agosto de 2022 às 19h36

A nossa cultura ficou ➕ pobre, morre um dos grandes humorista e apresentador da TV brasileira meus grandes sentimentos pela passagem de um dos ícones da TV brasileira a família enlutada os meus pêsames.

Responder

Alexandre Neres

05 de agosto de 2022 às 16h10

Gostaria de render minhas homenagens ao ilustre tricolor Jô Soares, que tanto nos fez rir ao longo de anos e anos. Descanse em paz, mestre!

Merece registro uma passagem de Jô. Enquanto a presidenta Dilma estava sendo execrada em praça pública, Jô a recebeu em entrevista e em razão disso foi ofendido e ameaçado por tê-la tratado com cordialidade. Assim Jô se manifestou sobre: “Achei essa a entrevista a mais importante da minha carreira pelo momento em que a gente está vivendo. É um momento difícil para a presidente e achei corajoso ela me receber. Me deixou emocionado”.

É bom ressaltar que naquela época artistas como ele, Chico Buarque, Gregorio Duvivier, Letícia Sabatela e o ministro Teori Zavascki foram xingados nas ruas e a imprensa dita profissional, sobretudo a Globo, no máximo mencionava o fato e nem sequer tecia qualquer comentário, diferentemente de hoje. A imprensa corporativa estava imbricada com a Lava Jato, ali eclodiu o ovo da serpente, germinando o bolsonarismo do qual agora tentam se desvencilhar, filho dileto da relação espúria entre o PIG e a força-tarefa.

O vídeo incluído mostra a parlapatice bisonha de Dallagnol, que ultimamente está metido com desvio de verbas partidárias. Fico estupefacto ao constatar que supostos liberais se manifestam a favor de sanear processos judiciais em que os direitos fundamentais de cidadãos, não importa quais, foram solenemente desrespeitados e de convalidar provas produzidas por juízes incompetentes e, acima de tudo, parciais, desvelando que são jejunos em direito.

Vale o registro do cineasta Padilha, lavajatista de primeira hora, mas que ante as evidências que vieram à tona a posteriori teve a dignidade e a coragem de fazer seu mea culpa:

“Em 2018, o sr. escreveu um artigo na Folha dizendo que tanto Fernando Haddad (PT) quanto Bolsonaro levariam o país para o brejo. Recentemente, porém, já disse que votará em Lula em eventual 2º turno. O que mudou?

As informações da Vaza Jato mudaram minha opinião sobre o que aconteceu nas últimas eleições. Eu tenho certeza absoluta de que estou certo quando digo que a lógica que organiza a política brasileira é a corrupção. A lógica que organiza a democracia brasileira, para ser mais preciso, é a corrupção. O maior problema do Brasil, na minha opinião, é a corrupção.

Eu e várias pessoas tomamos posições a favor da Lava Jato porque a gente viu, pela primeira vez na história do país, serem presos empreiteiros que faziam cartel, políticos que roubaram etc. A minha intuição foi apoiar a Lava Jato.

Mas eu deveria ter visto antes da Vaza Jato –e não vi— o acordo entre procuradores e juízes para tirar Lula da eleição. Então, naquela época, eu pensava que, se procedessem todos os processos contra o Lula e o PT, a eleição do Haddad seria caótica. Porque na sequência o partido dele ia ficar inviabilizado.

O Bolsonaro é caótico por definição. E lembro a você que escrevi esse artigo antes do primeiro turno. Era tipo: “Por favor, votem no Ciro [Gomes]”.

Agora a situação é diferente. O PT nunca foi julgado, porque depois de não sei quantos anos, o Supremo Tribunal Federal decidiu que o foro estava errado. O Supremo submeteu o Brasil a um drama, a uma série de violências incríveis, inclusive violências políticas contra o Lula, e depois diz que o foro estava errado. É inacreditável.

Mas isso é outro assunto. Minha resposta é que eu gostaria que essa eleição terminasse no primeiro turno e tendo a votar no Lula no primeiro turno. Eu entendo que não há mais possibilidades de terceira via nessa eleição. Ganhar no primeiro turno seria o ideal, porque diminui muito a chance de o Bolsonaro ficar questionando a urna.(…)

O sr. já disse ter errado ao acreditar em Sergio Moro, inclusive em outros artigos na Folha. O que tem achado de ele e Deltan Dallagnol terem mergulhado ainda mais na política?

Todo mundo tem direito político. Quem sou eu para cassar os direitos políticos do Deltan Dallagnol e do Moro? Mas o Moro e o Dallagnol sabotaram a Lava Jato. Eles poderiam ter feito uma investigação correta. Nada impedia. Poderiam não ter combinado as coisas entre si. O Moro poderia ter sido um juiz neutro, em vez de ser um juiz que instruiu a Procuradoria. Eles sabotaram a própria investigação e acharam que ninguém ia saber.”

Responder

EdsonLuíz.

05 de agosto de 2022 às 13h55

Era um grande humorista, um dos maiores; Seu tamanho era de GÊNIO, nessa área do humor. E só isso e nada mais, o que já é muito!

Responder

Deixe um comentário

Por que devemos confiar nas Urnas Eletrônicas? Viaje no Universo Profundo com o Telescópio James Webb O Xadrez para Governador do Ceará